• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Segunda, 18 de Junho de 2018
Pesquisar...
Qui.
 29° / 19°
Céu nublado com aguaceiros e trovoadas
Qua.
 35° / 19°
Períodos nublados
Ter.
 34° / 21°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  37° / 19°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

“Música nas Cidades, Sons do Mundo”: Manuel Fernandes Vicente apresenta novo livro domingo à tarde

Cultura  »  2017-06-28 

Sessão realiza-se no Centro Cultural do Entroncamento

 

 

 

 “Música nas Cidades, Sons do Mundo é uma rota pelas músicas urbanas do mundo, das mais notórias e trauteadas às mais remotas e ameaçadas, e procura em histórias os segredos e as emoções que cada cidade teve ou tem ainda para contar com os seus estilos musicais ou os instrumentos que depurou e soube cultivar” – é assim que começa por apresentar-se mais um livro do conhecido professor e jornalista do Entroncamento, com sessão de lançamento marcada para domingo, dia 2, pelas 18 horas, no Centro Cultural da cidade ferroviária. 

 A obra é uma fantástica e encantadora viagem às cidades ou locais que foram contexto da criação ou emergência de expressões musicais singulares, e o antigo correspondente do “Público” na nossa região fá-lo com o rigor da escrita e com a paixão arrebatadora pela música, numa rica abordagem que integra as perspectivas da história, da sociologia ou da arte do olhar aquilo que se esconde nas ruas, às vezes mal iluminadas, de onde surge a luz da criação.

 Diz Manuel Fernandes Vicente na explicação da obra que “as músicas criadas em cada cidade são o reflexo social e emocional das suas fantasias, como agregados que são com memórias e inteligência colectiva. E muitos sons que conhecemos só se criaram porque antes existiram as cidades que os originaram com todas as suas particularidades e histórias”.

 A partir daqui, o leitor pode perder-se por histórias da história da música moderna, seja no eixo Leiria/Marinha Grande, onde o autor contextualiza o ambiente histórico-social de onde emergiu uma das bolsas mais criativas e fecundas da música moderna portuguesa, convocando a história vidreira e outros aspectos da realidade local, para desembocar no exaustivo recenseamento de bandas, protagonistas, músicas e álbuns que marcaram a recente movida musical leiriense, singular na sua notável diversidade, que vai do gótico ao death metal até outros interessantes caminhos trilhados nas margens criativas da cidade do Liz.

 Contam-se outras histórias nas suas surpreendentes cores geográficas e culturais, que vão do black metal de Oslo ao xaxado das terras sertanejas do cangaço e às lendas do grande Lampião e da sua Maria Bonita, que sobressaltou o Brasil no início do século passado, mas também se fala do hipe de Montreal, do cello rock de Reiquejavique ou do nosso vizinho vira da Nazaré.

Percorrendo ainda os ritmos klezmer e latinos de Nova Iorque e os narcocorridos de Tijuana, “com passagens pelos vertiginosos verdiales de Málaga, ou as toadas hipnóticas do mbira de Harare”, o livro “é uma andança dos sentidos e uma procura de novos ângulos, alguns bastante côncavos, de ver as músicas do mundo”: um belo programa de leitura para todos os melómanos e amantes das cores, dos sons e dos ritmos das músicas do mundo.

 Sem meias palavras, trata-se um livro genial que não deve ficar pelos limites do panorama editorial e livreiro da região, antes exige a atenção dos críticos da especialidade e dos media nacionais que dedicam algumas páginas à cultura e à música em particular.

 Manuel Fernandes Vicente é professor do ensino secundário no Entroncamento, ligado desde sempre à imprensa local (“Notícias do Entroncamento”), foi um dos mais brilhantes e conceituados correspondentes regionais do jornal “Público” e é autor de várias obras, sempre abordando temáticas musicais. J.C.L.

 

 

 

 

 

 

 Outras notícias - Cultura


Ainda a tempoEmodo, amanhã, na BOT »  2018-05-11 

Mais uma oferta cultural para amanhã, sábado, em Torres Novas: nada mais nada menos que a actuação do grupo riachense tempoEmodo, pelas dez horas da noite, na sede da Banda Operária Torrejana.

A carismática banda, formada ainda nos finais dos anos 70 do século passado, e que deixou para a posteridade um LP que é referência da progrock portuguesa, regressou aos palcos há uma dúzia de anos depois de um hiato de quase uma vida.
(ler mais...)


Riachos: bombas sobre o Irão, “Intifado” contra a ordem vigente »  2018-05-10 

Enquanto não caem bombas sobre a antiga Pérsia, as brigadas anti-militaristas atacam em Riachos no sábado, dia 12, um “intifado” da paz contra as convenções da música bem comportada e arrumadinha nos “géneros” da ordem estabelecida.
(ler mais...)


Atalaia: arte urbana de Vhils homenageia oleiros »  2018-04-23 

Está concluída a primeira intervenção artística em espaço público no âmbito do projecto ARTEJO. A obra do artista português Alexandre Farto (Vhils) foi executada nos últimos dias e já pode ser apreciada pelo público na Atalaia, concelho de Vila Nova da Barquinha.
(ler mais...)


Bons Sons: radiografia de um amor de verão »  2018-04-15 

Há várias dimensões a analisar quando se trata de avaliar um festival e o BONS SONS passa com distinção em todas. O estudo realizado junto do público do festival mostra que há todo um país a convergir a Cem Soldos, em Agosto.
(ler mais...)


Jorge Fazenda lança livro de memórias dia 21 »  2018-04-06 

“Nas longas caminhadas por montes e vales que diariamente fazia nos arredores, travava conhecimento com um mundo fantástico que, aos poucos, ia substituindo aquele a que toda a vida julgara pertencer”: não se sabe onde fica a elevação em que se ergue uma antiga árvore agora confidente do autor e, mais que isso, criatura irmã de uma vida finalmente reconfigurada e atada aos fios das gerações anteriores, não só de homens e mulheres, mas também de outras plantas e árvores, bichos, cheiros, ventos, aragens e sombras.
(ler mais...)


Barquinha: boa música com Pedro Jóia e Sopa da Pedra »  2018-04-06 

A igreja matriz da Atalaia vai ser o palco para a actuação do virtuoso e multifacetado guitarrista Pedro Jóia, no próximo dia 14 Abril, pelas 22 horas.
“Observar Pedro Jóia e a sua guitarra é vislumbrar um único corpo.
(ler mais...)


Teatro Virgínia: “Sopro, um solo de dança”, por Sofia Neuparth »  2018-02-28 

Sofia Neuparth e o c.e.m. – centro em movimento, trazem ao Teatro Virgínia um solo de dança, acompanhado de conversa, no dia 10 de Março, às 21h30.
Segundo Sofia Neuparth, «Sopro é um estudo do nascer do gesto que traz ao encontro a alegria de ser movimento! Não se é corpo sozinho.
(ler mais...)


Barquinha: workshop de escrita criativa »  2018-02-26 

O Centro de Estudos de Arte Contemporânea, em Vila Nova da Barquinha, acolhe nos dias 2 e 3 de Março um workshop de escrita criativa, que contará com a dinamização de Nuno Garcia Lopes. A inscrição para esta iniciativa custa 25 euros (para sócios é 20 euros).
(ler mais...)


Exposição evoca 120.º aniversário de Maria Lamas »  2018-02-21 

É inaugurada no Dia Internacional da Mulher (8 de Maio), a exposição “MULHERES, PAZ, LIBERDADE //MARIA LAMAS”, naquela que pretende ser um “homenagem singela a esta figura ímpar da cultura portuguesa” no ano em que se celebra o 120.
(ler mais...)


Barquinha: “A terceira margem e as ruínas circulares”, é título de exposição de João Seguro »  2018-02-08 

A exposição “A terceira margem e as ruínas circulares”, de João Seguro, pode ser visitada na Galeria do Parque, em Vila Nova da Barquinha, entre 17 de Fevereiro e 27 de Maio de 2018.

Numa apresentação desta iniciativa, João Pinharanda, o curador, realça que João Seguro trabalhou algumas semanas nas residências de Verão em Vila Nova da Barquinha em 2107.
(ler mais...)

 Mais lidas - Cultura (últimos 10 dias)