• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Terça, 22 de Maio de 2018
Pesquisar...
Sex.
 22° / 13°
Céu nublado com chuva fraca
Qui.
 20° / 14°
Céu nublado com chuva moderada
Qua.
 26° / 12°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  27° / 12°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Pedro Ferreira

Opinião  »  2017-10-04  »  Jorge Carreira Maia

"Pedro Ferreira foi buscar votos a eleitores de todos os outros quadrantes políticos e acabou com uma votação acima dos 50%. "

As eleições torrejanas tinham vários ingredientes que as tornavam muito interessantes. Em primeiro lugar, havia que medir o impacto do corte dramático, ampliado na comunicação social local, de António Rodrigues, o antigo presidente, com o PS, bem como o da avaliação negativa da actuação da câmara veiculada no espaço politizado do concelho. Em segundo lugar, testar a pretensão do Bloco de Esquerda conquistar um segundo vereador ou  mesmo a câmara. Em terceiro lugar, observar como a CDU resistiria eleitoralmente à saída de cena de Carlos Tomé. Por fim, observar se o PSD local acompanharia ou não o previsível naufrágio nacional.

O grande triunfador da noite é mais do que o PS o próprio Pedro Ferreira.  O PS obtém, para a câmara, mais de 10 % do que o mesmo PS alcança para a Assembleia Municipal. Pedro Ferreira foi buscar votos a eleitores de todos os outros quadrantes políticos e acabou com uma votação acima dos 50%. A vitória de Pedro Ferreira ultrapassa a ajuda que os bons resultados da governação de António Costa terá dado aos candidatos do PS. Contrariamente ao que se pensava nos círculos concelhios mais politizados, a população reconheceu com muito bom o trabalho da câmara socialista. Por outro lado, Pedro Ferreira mostrou que não dependia de António Rodrigues, um dos perdedores da noite eleitoral. A oposição deste parece ter tido mesmo um efeito favorável a Pedro Ferreira. Uma vitória indiscutível.

O Bloco de Esquerda tem um grande desempenho. Cresce 4,6% na votação para a Câmara e torna-se na terceira força política do concelho. Este excelente resultado foi ensombrado pela expectativa fantasiosa de uma hipotética vitória ou, mais modestamente, de ter um segundo vereador. No entanto, deixa ver que o BE está em processo de consolidação no concelho e que a sua cabeça de lista adquiriu um verdadeiro reconhecimento local. Uma desilusão, o resultado da CDU e a perda do mandato na vereação. Carlos Tomé tinha um peso maior que o partido e o seu afastamento teve consequências desastrosas para os comunistas, apesar da qualidade do trabalho autárquico realizado pela CDU e pela sua candidata. Filipa Rodrigues vai fazer falta na vereação.

O PSD torrejano – um partido que em tempos teve pessoas de grande capacidade, reconhecimento e peso no concelho – é uma sombra do que já foi. O naufrágio nacional não explica tudo nestes resultados locais. O PSD deveria aprender com a CDU, malgré tout, e o BE a fazer oposição e a preparar-se para discutir a câmara. A ideia de quem olha de fora é que o actual PSD não passa de um pequeno grupo de diletantes, com pouca preparação política e sem ligação à comunidade. Torres Novas precisa de outro PSD. Por fim, uma palavra para o CDS. Progride 0,9%, ultrapassando os 700 votos para a câmara, fruto do trabalho que tem desenvolvido. No entanto, longe de ter uma presença minimamente consolidada no concelho. A fasquia dos 1000 votos ainda está distante.

http://kyrieeleison-jcm.blogspot.pt/

 

 

 Outras notícias - Opinião


Maio de 68 e democracia »  2018-05-18  »  Jorge Carreira Maia

Passam este mês 50 anos dos acontecimentos que ficaram conhecidos por Maio de 68, um conjunto de revoltas estudantis que se prolongaram numa onda grevista, sem precedentes, dos operários franceses. Por norma, salienta-se a natureza excepcional desses acontecimentos, onde se aliaram reivindicações libertárias dos estudantes, na área dos comportamentos sociais e sexuais, com as exigências sindicais bem mais prosaicas por parte significativa da mão-de-obra francesa.
(ler mais...)


Uma questão de memória? »  2018-05-17  »  Eduarda Gameiro

Sempre fui portadora de uma lacuna de grandes dimensões: a memória. E, quando sou confrontada com uma situação em que esta faculdade tem grande importância, e eu me encontro na sua ausência, há sempre quem me relembre:
- ‘’Andas a comer muito queijo!’’.
(ler mais...)


Bonés há muitos »  2018-05-17  »  José Ricardo Costa

Há um romance chamado A Montanha Mágica cuja acção se passa num sanatório. Numa altura em que o cérebro humano já só está preparado para aguentar livros de “figuras públicas”, auto-ajuda, espiritualidades e receitas de cozinha, ou então estados de alma no Facebook e meia dúzia de palavras chilreadas a conta-gotas, torna-se bizarro haver quem se lembre de escrever romances passados em sanatórios e de ainda precisar de 700 páginas para o fazer.
(ler mais...)


Magnésio, uma fonte de bem estar para o organismo »  2018-05-17  »  Juvenal Silva

O magnésio é um mineral muito importante para o organismo, para a produção de energia e a saúde do sistema nervoso, cuja deficiência pode causar sintomas como irritabilidade, cãimbras e fadiga, que podem ser atenuados por meio de alimentos ou suplementos naturais.
(ler mais...)


Admirável Mundo Novo... »  2018-05-17  »  Maria da Luz Lopes

Escrever é um ato que decorre do conhecimento, da cultura e dos valores que convictamente seguimos. Nesta linha de pensamento, não poderia começar esta crónica sem falar de Abril.
Inequivocamente para todos, reconhecemos que 44 anos depois da madrugada de Abril, vivemos uma Democracia quase plena que queremos defender para as gerações vindouras.
(ler mais...)


Nós só queremos um parque na cidade. E porquê? »  2018-05-17  »  Nuno Curado

Existe actualmente a necessidade de complementar o desenvolvimento urbano clássico com elementos ecológicos e naturais. Isto passa não só pela correcta manutenção do arvoredo existente, como da criação de outras áreas de valor ecológico.
(ler mais...)


Sua excelência o Mês de Maio »  2018-05-17  »  Anabela Santos

São doze os meses do ano, todos com um significado importante, especial, particular que depende das vivências e das recordações de cada um de nós.
Novembro deveria ser o meu mês de eleição pois, ao contrário de Luís de Camões, eu não maldigo o dia ou o mês em que nasci.
(ler mais...)


Maior quê? »  2018-05-17  »  Inês Vidal

Quando criei pela primeira vez o meu e-mail pessoal havia uma coisa que me atormentava: a quantidade de e-mails disparatados que me chegavam. Uns a felicitar-me por ter ganho carros de alta cilindrada, outros, bem mais divertidos por sinal, a perguntar se eu estaria interessada em aumentar o tamanho do meu pénis.
(ler mais...)


A nossa pátria »  2018-05-04  »  Jorge Carreira Maia

Ao comprar a nova tradução de Frederico Lourenço da Odisseia de Homero, lembrei-me da célebre frase de Fernando Pessoa ou, melhor, de Bernardo Soares: Minha pátria é a língua portuguesa.
(ler mais...)


Sons bons »  2018-05-03  »  Inês Vidal

Tenho esta coisa de achar que não sou capaz, de que não é para mim, que só os outros é que conseguem. É trabalhoso, não estou à altura, não tenho tempo, não sei como fazer. É uma fraca auto-estima que me acompanha.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 10 dias)
»  2018-05-18  »  Jorge Carreira Maia Maio de 68 e democracia
»  2018-05-17  »  José Ricardo Costa Bonés há muitos
»  2018-05-17  »  Inês Vidal Maior quê?