• SOCIEDADE  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Segunda, 26 de Junho de 2017
Pesquisar...
Qui.
 23° / 12°
Períodos nublados
Qua.
 26° / 14°
Períodos nublados com chuva fraca
Ter.
 29° / 15°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  30° / 12°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Knut Hamsun

Opinião  »  2016-10-20  »  Jorge Carreira Maia

"Por muito que as posições políticas de Hamsun nos ofendam, e elas têm muito para ofender, os livros que escreveu merecem ser lidos."

Como estamos em maré de Prémio Nobel da Literatura, este ano aberto a larga controvérsia, viajemos até 1920. Nesse longínquo ano, a academia sueca decidiu laurear o norueguês Knut Hamsun. Na altura, ele tinha ultrapassado a casa dos sessenta anos, mas ainda estava longe o tempo em que ele ostentaria as posições políticas que o conduziram a sérios problemas com a justiça e a um grande ostracismo, tanto pessoal como literário, do qual só lentamente a sua obra tem vindo a sair. Na verdade, Hamsun foi um apoiante convicto do nazismo, tendo suportado a ocupação alemã da Noruega e o respectivo governo fantoche. Depois da guerra foi detido por traição e julgado.

Este apoio está em linha com posições ideológicas que se manifestaram desde muito cedo. O escritor norueguês cultivava, por um lado, um exacerbado individualismo. Por outro, uma crítica sistemática à modernidade ocidental. Estes dois traços, que não têm necessariamente de conduzir a um apoio à ideologia nacional-socialista, são centrais na sua obra literária. Os heróis são individualistas ostensivos, em conflito com as normas burocráticas da sociedade moderna. A vitória do indivíduo não se deve à trama das relações sociais, mas à sua vontade determinada em superar os obstáculos, sejam os colocados pela sociedade, sejam os que existem na natureza. Este incensar da vontade, algo que poderia também acontecer em alguém de orientação liberal e democrática, combina-se com a rejeição da modernidade, a qual é vista como um perigo para a relação fundamental do homem com a terra, por exemplo, no romance Os Frutos da Terra.

Knut Hamsun foi, apesar do seu anti-modernismo, um dos escritores mais importantes da transição do século XIX para o XX e um dos mais inovadores. Foi pioneiro no uso de técnicas literárias como o monólogo interior e a corrente de consciência que viriam a marcar toda a literatura do século XX. Para lá da personagem política que foi, Hamsun merece ser lido e relido. A Cavalo de Ferro Editores está a prestar um enorme serviço à cultura portuguesa e aos leitores ao traduzir algumas das suas obras (Fome, Pan, Victoria, Mistérios e Os Frutos da Terra). Por muito que as posições políticas de Hamsun nos ofendam, e elas têm muito para ofender, os livros que escreveu merecem ser lidos. Pode-se começar, por exemplo, com o extraordinário, embora estranho, Fome. Ou para quem ama o mundo rural com Os Frutos da Terra. Boa leitura.

http://kyrieeleison-jcm.blogspot.pt/

 

 

 Outras notícias - Opinião


Água é essencial e fonte de vida »  2017-06-21  »  Juvenal Silva

A água é uma necessidade essencial para o organismo e o seu consumo deverá fazer parte dos nossos hábitos diários, durante todas as épocas do ano.

A época de verão merece uma particular atenção e não deveremos esperar pela sede para beber, mas ter o hábito de beber durante todo o dia.
(ler mais...)


Voltemos à ribeira da Boa Água »  2017-06-21  »  António Gomes

Como era expectável com as temperaturas a subirem, os cheiros intensos, nauseabundos e ácidos voltaram em força a toda a zona envolvente da ribeira e, sobretudo, voltaram à casa das pessoas, aos comércios e restaurantes, ao espaço público.
(ler mais...)


Angela Merkel »  2017-06-08  »  Jorge Carreira Maia

O comportamento do presidente Donald Trump na sua estadia em solo europeu teve a utilidade de mostrar que a defesa europeia, através da NATO, se encontra nas mãos de alguém que não é minimamente previsível, sem quaisquer princípios políticos ou, tão pouco, sentido de Estado e das conveniências.
(ler mais...)


A histeria das eleições »  2017-06-07  »  Roberto Barata

Tem-se assistido, nos últimos meses, a uma cavalgada desgovernada de apresentação de projetos, anteprojetos, inaugurações e concursos. As eleições estão ao virar da esquina e, mais do que nunca, o executivo está em pânico para mostrar obra feita.
(ler mais...)


Cartazes »  2017-06-06  »  Inês Vidal

João Quaresma de Oliveira, candidato do PSD à Câmara Municipal de Torres Novas nas eleições de Outubro, “descruzou” os braços e já viu resultados por isso. Bateu o pé aos muitos cartazes de propaganda que o executivo de Pedro Ferreira andou a espalhar pela cidade, onde anunciava as obras a fazer ao abrigo do PEDU, e a Comissão Nacional de Eleições concordou.
(ler mais...)


Nós e as combinações alimentares »  2017-06-06  »  Juvenal Silva

Muitas pessoas estão interessadas em conhecer as suas intolerâncias alimentares, mas desconhecem, que para além disso, existem as incompatibilidades entre alimentos, causadoras de digestões incompletas e às vezes até intoxicações.
(ler mais...)


O véu ideológico »  2017-05-18  »  Jorge Carreira Maia

A reivindicação pelo PSD e CDS do mérito pelo actual desempenho da economia portuguesa é não apenas uma jogada de oportunismo político mas, o que é pior, um sinal de que a direita ainda vive sob o véu ideológico que a conduziu nos anos da troika.
(ler mais...)


O poder e a vontade de poder »  2017-05-05  »  Jorge Carreira Maia

Um artigo do jornal Público dava conta de um estudo da psicóloga experimental portuguesa Ana Guinote (University College de Londres) sobre o poder. Uma das evidências da investigação é que a correlação entre inteligência e ocupação de lugares de poder é fraca.
(ler mais...)


PEDU, novo episódio »  2017-05-04  »  António Gomes

Há dias fomos confrontados com a colocação de placards a anunciar obras em vários locais da cidade, todas por conta do PEDU. A curiosidade é que esses placards agradecem o contributo da população relativamente aos projetos apresentados.
(ler mais...)


Compreender e prevenir as alergias »  2017-05-04  »  Juvenal Silva

As alergias são reações anormais do nosso sistema imunitário a substâncias proteicas estranhas ao organismo.
Qualquer substância estranha de natureza proteica é normalmente identificada pelo nosso sistema de defesa e, a partir desse momento, controlada na maioria das vezes.
(ler mais...)


 Mais lidas - Opinião (últimos 10 dias)
»  2017-06-21  »  Juvenal Silva Água é essencial e fonte de vida
»  2017-06-21  »  António Gomes Voltemos à ribeira da Boa Água