• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 24 Março 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 25° / 12°
Céu limpo
Ter.
 26° / 12°
Céu limpo
Seg.
 26° / 9°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  24° / 11°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Terceira Jornada

Opinião  »  2008-09-25  »  Eduarda Gameiro

À terceira jornada, o Sporting vai assumindo a liderança com três vitórias e três jogos, deixando os seus rivais mais directos para trás. O início de temporada do Porto, principal candidato ao título, já está rotulado de ”mau” pela imprensa. Diz-se que a liderança já vai longe, a 4 pontos de distância, metade dos 9 possíveis em 3 jogos, e que a cadeira que Jesualdo tem ocupado com sucesso nos últimos anos já começa a tremer ligeiramente.

O clube de Alvalade foi o único dos ”três grandes” que não teve necessidade de operar uma renovação nos pontos-chave do seu plantel. Sem contar com o conflito com Vukcevic, não perdeu os jogadores principais e até se reforçou bem, fazendo regressar Rochemback, um homem da casa que encaixa que nem uma luva no esquema táctico habitual. Assim, a sua liderança nesta fase inicial do campeonato, sendo justa, era já bastante previsível.

Os outros dois ”grandes”, por sua vez, sofreram várias mudanças em diversos sectores. O Benfica mudou de treinador e, com uma série de reforços que chegaram rotulados de craques, corre ainda em busca do entrosamento e da qualidade de jogo necessárias a uma boa campanha. Mas, mesmo vendo esses atributos ainda distantes, não há que desesperar… A imprensa perdoa que o Benfica jogue mal para já e, consequentemente, os adeptos também vão fechando os olhos. Ainda há muito campeonato pela frente, e não é tão duro ver o clube da Luz ir perdendo pontos como seria se tal acontecesse daqui a 15 jornadas.

Mas, e o Porto? O que seria de esperar, nesta fase da temporada, de uma equipa que perdeu 3 dos melhores jogadores do campeonato nacional nas temporadas transactas? A saída de Quaresma está compensada com várias alternativas de qualidade, mas é inegável que a debandada (que não tem outro nome) de Paulo Assunção deixou uma lacuna difícil de preencher no esquema táctico dos Dragões, e que Bosingwa não tem um substituto que chegue aos seus calcanhares. Porque é que, então, é assim tão inaceitável, para já, perder 4 pontos em duas deslocações difíceis?

Por outro lado, a pressão recai também sobre as exibições de Rodriguez. Mesmo fazendo parte de um onze completamente novo com uma estrutura táctica diferente, diz-se que tarda a aparecer na sua melhor forma e questiona-se sobre se a sua contratação terá sido realmente lucrativa ou se terá sido apenas uma jogada política. Custará assim tanto ao Benfica perder um jogador chave para um rival economicamente mais forte? E em que é que esta tentativa de coacção acrescida, sobre um clube que é, à partida, o representante mais forte de Portugal na Liga dos Campeões, beneficia o nosso futebol?

Se deixarmos que o verdadeiro jogo, aquele que acontece entre os artistas efectivos, seja prejudicado pelo que é praticado fora das quatro linhas (entre os ”artistas” das direcções e da imprensa, em guerras políticas e internas que nada contribuem para o melhorar) o resto da Europa vai-nos continuar a ultrapassar e a espezinhar com facilidade, como tem feito nos últimos anos e como vai fazendo cada vez que um clube português estica um bocadinho a cabeça à Liga dos Campeões ou à Taça UEFA, que é onde estão o verdadeiro dinheiro e o verdadeiro crescimento. Mas parece que há quem se contente em destabilizar os nossos representantes lá fora, para poder vencer cá dentro… E ainda só vamos na terceira jornada…

 

 

 Outras notícias - Opinião


A família socialista, a democracia comunista, a transferência centrista e o terrorismo »  2019-03-23  »  Jorge Carreira Maia

A FAMÍLIA SOCIALISTA. O governo parece um lugar de convívio de famílias amigas. Não bastava já haver um casal de ministros e um ministro pai e uma ministra filha desse pai, agora a mulher de um outro ministro foi nomeada chefe de gabinete do Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, cargo ocupado anteriormente pelo marido.
(ler mais...)


Como dantes não se falava, também não se dava por ela. »  2019-03-22  »  José Ricardo Costa


Qualquer pessoa normal é contra a violência doméstica. Acontece que não gosto da expressão “violência doméstica”, demasiado sociológica, urbana, abstracta, mera etiqueta que não faz jus ao tipo de aberração que pretende traduzir.
(ler mais...)


O Nhonhinhas »  2019-03-22  »  Miguel Sentieiro

A nonhinhisse como fenómeno social surgiu para nos pôr à prova. Entrou nas nossas vidas sem se dar por isso, mas percebemos o efeito corrosivo que tem no nosso bem estar. Um indivíduo coloca-se na fila de uma repartição comercial.
(ler mais...)


#Hashtag »  2019-03-22  »  Margarida Oliveira

Se no imediato, os 200 anos estimados pela ONU para o alcance da igualdade entre mulheres e homens parecem uma espécie de eternidade inatingível, na verdade, olhando a linha temporal da humanidade, eles representam apenas o último pedaço do último degrau, desta luta milenar.
(ler mais...)


Prioritário? As estradas. »  2019-03-22  »  António Gomes

Vem isto a propósito das obras de reabilitação do largo do Rossio. Decidiu, a maioria socialista na CM, dar prioridade à realização de obras no Largo General Humberto Delgado (Rossio). O projeto não se sabe bem o que é, visto que o PS decidiu alterar aquilo que foi aprovado em reunião de câmara.
(ler mais...)


Os phones são outro fenómeno que revolucionou o modo como experienciamos a música »  2019-03-22  »  Ana Sentieiro

É com alguma indignação entrelaçada com revolta que exponho um assunto secundário numa panóplia de assuntos, dos quais, o salário do Ronaldo agarra o protagonismo e leva-o de férias para a Grécia no seu jato privado, com direito a champanhe e não espumante! Parece que ninguém está interessado em dar relevo à falta de cultura musical dos millennials.
(ler mais...)


Brasil, China, Entre-os-Rios e Novo Banco »  2019-03-09  »  Jorge Carreira Maia

1. A DOENÇA DO BRASIL. Apesar de sermos latinos e de permitirmos coisas inaceitáveis nos países do centro e do norte da Europa, ainda é difícil para os portugueses compreender a doença que ataca com virulência inusitada o Brasil.
(ler mais...)


Remodelação, Bloco, Greves e Exames »  2019-02-22  »  Jorge Carreira Maia

1. REMODELAÇÃO DO GOVERNO. A importância da remodelação do governo ocorrida no início da semana é, do ponto de vista da orientação política, tendencialmente nula.
(ler mais...)


Mulher »  2019-02-21  »  Margarida Oliveira

Se é adquirido que com o 25 de Abril de 1974, as mulheres alcançaram o reconhecimento dos seus direitos mais fundamentais, exigindo a igualdade na vida, entre mulheres e homens, certo é, que fora o que seria obrigatório conceder, com o objectivo de serenar os ânimos reivindicativos femininos, praticamente tudo continua por fazer.
(ler mais...)


Em suma, não se fotografa o que se come, come-se para fotografar. »  2019-02-21  »  José Ricardo Costa

Por estranho que pareça, houve um tempo em que se ia ao restaurante sobretudo para comer. Sim, também para conviver, comemorar, fazer negócios, mas sempre com o prazer da boa mesa como alvo. Nós, portugueses, para além de comer adoramos falar sobre o que comemos, nem que seja para lembrar, com a expressão lúbrica do lobo dos desenhos animados, o maravilhoso cabrito com grelos que comemos há 20 anos.
(ler mais...)


 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-02-22  »  Jorge Carreira Maia Remodelação, Bloco, Greves e Exames
»  2019-03-09  »  Jorge Carreira Maia Brasil, China, Entre-os-Rios e Novo Banco
»  2019-03-23  »  Jorge Carreira Maia A família socialista, a democracia comunista, a transferência centrista e o terrorismo
»  2019-03-22  »  José Ricardo Costa Como dantes não se falava, também não se dava por ela.
»  2019-03-22  »  Ana Sentieiro Os phones são outro fenómeno que revolucionou o modo como experienciamos a música