• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 19 Junho 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sáb.
 30° / 13°
Períodos nublados
Sex.
 26° / 14°
Períodos nublados
Qui.
 24° / 14°
Céu nublado
Torres Novas
Hoje  27° / 16°
Céu nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Liga começa. Benfica derrotado

Opinião  »  2010-08-20  »  Denis Hickel

O SPORTING, depois de uma pré-época com altos e baixos e de exibições nem sempre convincentes nos jogos particulares e de apuramento para a Liga Europa, entrou a perder na deslocação que fez ao campo da Mata Real para defrontar o Paços de Ferreira na jornada inaugural da Liga Zon Sagres. Um golo na segunda parte da equipa do Paços derrotou a formação leonina que na segunda parte foi uma sombra de si própria, depois de na primeira parte ter feito uma exibição mais conseguida, com inúmeras ocasiões de golo que não soube concretizar.

Estranharam os adeptos leoninos a mudança radical de comportamento da equipa da primeira para a segunda parte, quando tudo levava a crer que a vitória do Sporting seria uma realidade no fim dos noventa minutos, tal a supremacia evidenciada durante o primeiro período da partida. Mas não foi assim. A equipa do Paços surgiu mais determinada sobre a bola, enquanto a equipa do Sporting apareceu descaracterizada, sem organização de jogo, incapaz de desmontar a bem organizada equipa da capital do móvel, cuja supremacia neste período do jogo foi de tal forma intensa que valeu a determinação do guarda-redes do Sporting para que o resultado não se avolumasse.

Excelente segunda parte da equipa do Paços, que mereceu inteiramente a vitória, enquanto o Sporting terá que rever os seus processos de jogo para poder atingir os objectivos a que se propõe.

O PORTO deslocou-se à Figueira da Foz para disputar com a Naval um jogo que se adivinhava difícil e que veio a demonstrar-se com a forma como se desenrolou. Após a brilhante exibição uma semana atrás perante o Benfica, em que se superiorizou de forma clara e conquistou a Supertaça Cândido de Oliveira, esperava-se que o Porto surgisse no jogo a dominar desde o primeiro minuto mas tal não se verificou. Ao invés, foi a Naval que, mercê do elevado número de jogadores que povoou o meio campo, não permitiu que o Porto desenvolvesse o seu futebol, criando-lhe inúmeras dificuldades e estando mais perto da área azul e branca do que o seu antagonista, que neste período poucas oportunidades de golo criou.

Na segunda parte, o Porto surgiu mais acutilante, com ritmo mais elevado, e passou a encostar a Naval junto da sua grande área, pressionando constantemente e criando algumas oportunidades flagrantes de golo que não conseguiu concretizar. Até que, perto do final do jogo, e numa jogada de ataque como tantas outras que criou, conseguiu que o adversário cometesse grande penalidade. Na sua marcação, Hulk disparou com violência e fez o único golo da partida, não sem que, minutos antes, o ponta de lança da Naval surgisse isolado na área do Porto mas foi desarmado no último segundo por se ter mostrado muito lento. Vitória justa do Porto pelo que fez na segunda parte.

O BENFICA começou mal a defesa do título de campeão que ostenta. No estádio da Luz e frente à Académica, equipa tradicionalmente difícil quando se desloca àquele estádio, o Benfica sofreu a primeira derrota no campeonato (1-2), depois de ter perdido a Supertaça para o Porto e de antes ter sido derrotada, também em pleno estádio da Luz, perante os ingleses do Tottenham. O Benfica soma três derrotas consecutivas.

O Benfica começou bem o jogo, entrou forte e determinado, mas encontrou pela frente uma defesa da Académica muito coesa e bem organizada, que não permitiu veleidades aos atacantes encarnados. Mas foi a Académica que inaugurou o marcador na marcação de um livre muito bem executado, com a bola a sobrevoar os centrais do Benfica e com estes as permitir que o avançado da Académica cabeceasse para o fundo da baliza.

Na segunda parte, e a jogar com mais um jogador devido a expulsão de um jogador da Académica, o Benfica surgiu mais pressionante, asfixiando a equipa da Académica que praticamente jogava com dez jogadores atrás da linha da bola. Aos sessenta e dois minutos o Benfica chega ao empate, adivinhando-se novo golo para conseguir a vitória. Mas este não surge, muito por culpa da estratégia do Benfica. Aos noventa e dois minutos a Académica marca, num grande chapéu ao guarda redes do Benfica.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Agustina, a crise na direita, a doença da social-democracia e a teia »  2019-06-07  »  Jorge Carreira Maia

AGUSTINA BESSA-LUÍS. O século XX português teve uma mão cheia de excelentes romancistas. A atribuição do Nobel a Saramago reconheceu isso. Se tivesse sido a Agustina, não teria ficado mal entregue.
(ler mais...)


Parabéns, abstenção! »  2019-06-06  »  Anabela Santos

Muito se tem falado, já tudo foi dito e é do conhecimento de todos que as eleições europeias realizadas no dia vinte e seis de Maio trouxeram uma vitória para a esquerda, excepto para o PCP, e uma acentuada derrota para a direita.
(ler mais...)


Encruzilhada »  2019-06-06  »  António Gomes

Já assim era, mas depois das últimas eleições europeias a interrogação subiu de tom: vai ou não haver geringonça após as próximas eleições legislativas? – as pessoas perguntam.
(ler mais...)


GREVE? »  2019-06-06  »  Denis Hickel

gre·ve
(francês grève)
substantivo feminino
Interrupção temporária, voluntária e colectiva de atividades ou funções, por parte de trabalhadores ou estudantes, como forma de protesto ou de reivindicação (ex.
(ler mais...)


Quando a pedra é o sapato »  2019-06-06  »  Ana Sentieiro

Ontem trajei pela primeira vez. A Noite de Serenatas enlatou a comunidade académica da Universidade do Minho no Largo da Sé. A escuridão dos trajes iluminava os corações dos presentes, aquecia os abraços e motivava as lágrimas ao som da melodia das guitarras portuguesas.
(ler mais...)


Bruno Lage, privatizações, comendas e europeias »  2019-05-26  »  Jorge Carreira Maia

BRUNO LAGE. O actual treinador do Benfica é, justamente, louvado pelo que fez no campo desportivo. Se o Benfica é campeão deve-o a Bruno Lage. Quero, porém, louvá-lo por outra coisa.
(ler mais...)


Crise, Professores, Brexit e Venezuela »  2019-05-11  »  Jorge Carreira Maia

1. CRISE POLÍTICA. A questão da contagem do tempo de serviço congelado dos professores foi uma bênção caída do céu para os socialistas. Deu-lhes oportunidade de se mostrarem responsáveis, e mostrou uma oposição de direita desorientada, perdida entre o eleitoralismo puro e duro e, quando confrontada com a reacção de António Costa, em recuo humilhante perante a opinião pública.
(ler mais...)


Sondagens, Marcelo, Anos Sessenta e Notre-Dame »  2019-04-20  »  Jorge Carreira Maia

AS SONDAGENS E AS FAMÍLIAS. As sondagens reflectem já o desgaste que os socialistas estão a sofrer devido à trapalhada em que se meteram com as ligações familiares na governação.
(ler mais...)


O porco »  2019-04-20  »  Inês Vidal

Sentei-me no café a tentar escrever este “vinte”. Erro. A ideia que trazia, rapidamente se confundiu com a voz que esganiçada me ecoava repetidamente ao ouvido, vinda de uma televisão em altos berros, a história do terror – muito terror – de um jovem, um homem e um cão.
(ler mais...)


A FALTA DE ÉTICA QUE ANDA POR AÍ »  2019-04-20  »  João Lérias

Com os recentes casos das nomeações de pais e filhas, maridos e mulheres, primos e sei lá que mais, o país parece ter acordado para uma nova realidade que, não sendo nova, desta vez, sobretudo pela sua dimensão, é censurável.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-05-26  »  Jorge Carreira Maia Bruno Lage, privatizações, comendas e europeias
»  2019-06-07  »  Jorge Carreira Maia Agustina, a crise na direita, a doença da social-democracia e a teia
»  2019-06-06  »  Ana Sentieiro Quando a pedra é o sapato
»  2019-06-06  »  António Gomes Encruzilhada
»  2019-06-06  »  Denis Hickel GREVE?