• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 19 Junho 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sáb.
 30° / 13°
Períodos nublados
Sex.
 26° / 14°
Períodos nublados
Qui.
 24° / 14°
Céu nublado
Torres Novas
Hoje  27° / 16°
Céu nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Porto líder isolado

Opinião  »  2010-09-03  »  Denis Hickel

BENFICA conquistou os primeiros pontos neste campeonato ao vencer, sem nenhuma dificuldade, a frágil equipa do Vitória de Setúbal, demasiado ingénua e sem ambição para defrontar, no estádio da Luz, o campeão nacional em título.

Os encarnados começaram bem a partida e aos quatro minutos inauguravam o marcador, aproveitando muito bem a deficiente marcação da defesa sadina, fazendo um golo muito consentido.

Os setubalenses raramente incomodavam a defesa lisboeta, com esta a demonstrar nos minutos iniciais maior confiança com o reforço do guarda-redes Júlio César que substituiu o infeliz Roberto, com este sentado no banco de suplentes. Mas, no melhor pano cai a nódoa. Um desentendimento entre o guarda-redes do Benfica e o defesa Maxi Pereira originou que Júlio César derrubasse um adversário e cometesse grande penalidade com a consequente expulsão, originando que fosse substituído exactamente pelo guarda-redes Roberto. Hugo Leal foi o jogador setubalense escolhido para a marcação da grande penalidade que, muito mal marcada, permitiu a defesa a Roberto, que impediu o empate, surgindo como o grande herói depois de ter sido vilão.

O Vitória de Setúbal mostrou-se incapaz de explorar a vantagem numérica, continuando a fazer um jogo muito débil, sem profundidade, com muitos passes errados e cometendo erros infantis, permitindo que o Benfica chegasse ao segundo golo na marcação de um canto, concedido pela defesa sadina sem ter adversário por perto.

Com menos um jogador, o Benfica voltou para o segundo período com a mesma disposição da primeira parte, não se notando a falta de um jogador, chegando normalmente ao terceiro golo em mais um erro infantil da defesa setubalense.

Vitória tranquila do Benfica por 3-0, inteiramente merecida, num jogo nem sempre bem jogado, com os encarnados distantes da performance da última época, beneficiando da fraca equipa do Vitória de Setúbal que mostrou neste jogo não ter categoria.

PORTO consolidou a sua liderança no campeonato, agora isolado, ao vencer por 2-0 a equipa do Rio Ave na deslocação que fez a Vila do Conde, somando por vitórias todos os jogos já disputados.

Num jogo em que durante a primeira parte exerceu grande pressão no meio campo do Rio Ave, o Porto, sem conseguir criar muitas oportunidades de golo, chegou ao golo por intermédio de Hulk num remate cruzado à entrada da área dos homens de Vila do Conde, com a bola a bater no interior do poste e ressaltar para dentro da baliza. O Rio Ave reagiu ao golo dos forasteiros e começou a surgir com mais acutilância no meio campo do Porto, equilibrando o jogo e criando dificuldades à defesa azul e branca que foi controlando sem sobressaltos.

No segundo tempo o Rio Ave surgiu mais desinibido, tentando chegar ao empate, enquanto o Porto ia controlando o jogo e tentando jogar em transições rápidas aproveitando o adiantamento dos homens de Vila do Conde que pressionavam no meio campo dos azuis e brancos. Mas foi o Porto numa boa jogada de ataque, em toques sucessivos, chegou ao segundo golo, novamente por Hulk, que aproveitou muito bem uma bola endossada por Varela com Falcao a atrapalhar a defesa do Rio Ave. Vitória incontestável do Porto que, sem deslumbrar, mostrou muita eficácia.

SPORTING fez uma deslocação, à partida difícil, à Figueira da Foz para defrontar a Naval, depois do brilhante apuramento, dias antes, para a Europa Cup, na Dinamarca.

Sem fazer uma exibição de encher o olho, o Sporting cedo se apoderou do controlo do jogo perante uma equipa da Naval apática, sem soluções, que não conseguiu impedir o melhor futebol dos lisboetas que, na parte final da primeira parte, fizeram o primeiro golo e seguiram para o intervalo com um excelente tónico.

No segundo período, o Sporting, mais confiante, continuou a dominar o jogo, enquanto a Naval se mostrava incapaz de inverter o rumo dos acontecimentos, fazendo mais dois golos. Vitória fácil e justa do Sporting por 3-1, sem contestação.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Agustina, a crise na direita, a doença da social-democracia e a teia »  2019-06-07  »  Jorge Carreira Maia

AGUSTINA BESSA-LUÍS. O século XX português teve uma mão cheia de excelentes romancistas. A atribuição do Nobel a Saramago reconheceu isso. Se tivesse sido a Agustina, não teria ficado mal entregue.
(ler mais...)


Parabéns, abstenção! »  2019-06-06  »  Anabela Santos

Muito se tem falado, já tudo foi dito e é do conhecimento de todos que as eleições europeias realizadas no dia vinte e seis de Maio trouxeram uma vitória para a esquerda, excepto para o PCP, e uma acentuada derrota para a direita.
(ler mais...)


Encruzilhada »  2019-06-06  »  António Gomes

Já assim era, mas depois das últimas eleições europeias a interrogação subiu de tom: vai ou não haver geringonça após as próximas eleições legislativas? – as pessoas perguntam.
(ler mais...)


GREVE? »  2019-06-06  »  Denis Hickel

gre·ve
(francês grève)
substantivo feminino
Interrupção temporária, voluntária e colectiva de atividades ou funções, por parte de trabalhadores ou estudantes, como forma de protesto ou de reivindicação (ex.
(ler mais...)


Quando a pedra é o sapato »  2019-06-06  »  Ana Sentieiro

Ontem trajei pela primeira vez. A Noite de Serenatas enlatou a comunidade académica da Universidade do Minho no Largo da Sé. A escuridão dos trajes iluminava os corações dos presentes, aquecia os abraços e motivava as lágrimas ao som da melodia das guitarras portuguesas.
(ler mais...)


Bruno Lage, privatizações, comendas e europeias »  2019-05-26  »  Jorge Carreira Maia

BRUNO LAGE. O actual treinador do Benfica é, justamente, louvado pelo que fez no campo desportivo. Se o Benfica é campeão deve-o a Bruno Lage. Quero, porém, louvá-lo por outra coisa.
(ler mais...)


Crise, Professores, Brexit e Venezuela »  2019-05-11  »  Jorge Carreira Maia

1. CRISE POLÍTICA. A questão da contagem do tempo de serviço congelado dos professores foi uma bênção caída do céu para os socialistas. Deu-lhes oportunidade de se mostrarem responsáveis, e mostrou uma oposição de direita desorientada, perdida entre o eleitoralismo puro e duro e, quando confrontada com a reacção de António Costa, em recuo humilhante perante a opinião pública.
(ler mais...)


Sondagens, Marcelo, Anos Sessenta e Notre-Dame »  2019-04-20  »  Jorge Carreira Maia

AS SONDAGENS E AS FAMÍLIAS. As sondagens reflectem já o desgaste que os socialistas estão a sofrer devido à trapalhada em que se meteram com as ligações familiares na governação.
(ler mais...)


O porco »  2019-04-20  »  Inês Vidal

Sentei-me no café a tentar escrever este “vinte”. Erro. A ideia que trazia, rapidamente se confundiu com a voz que esganiçada me ecoava repetidamente ao ouvido, vinda de uma televisão em altos berros, a história do terror – muito terror – de um jovem, um homem e um cão.
(ler mais...)


A FALTA DE ÉTICA QUE ANDA POR AÍ »  2019-04-20  »  João Lérias

Com os recentes casos das nomeações de pais e filhas, maridos e mulheres, primos e sei lá que mais, o país parece ter acordado para uma nova realidade que, não sendo nova, desta vez, sobretudo pela sua dimensão, é censurável.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-05-26  »  Jorge Carreira Maia Bruno Lage, privatizações, comendas e europeias
»  2019-06-07  »  Jorge Carreira Maia Agustina, a crise na direita, a doença da social-democracia e a teia
»  2019-06-06  »  Ana Sentieiro Quando a pedra é o sapato
»  2019-06-06  »  António Gomes Encruzilhada
»  2019-06-06  »  Denis Hickel GREVE?