• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 18 Setembro 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sáb.
 22° / 17°
Céu nublado com chuva moderada
Sex.
 29° / 15°
Períodos nublados
Qui.
 30° / 16°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  31° / 15°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Porto líder isolado

Opinião  »  2010-09-03  »  Denis Hickel

BENFICA conquistou os primeiros pontos neste campeonato ao vencer, sem nenhuma dificuldade, a frágil equipa do Vitória de Setúbal, demasiado ingénua e sem ambição para defrontar, no estádio da Luz, o campeão nacional em título.

Os encarnados começaram bem a partida e aos quatro minutos inauguravam o marcador, aproveitando muito bem a deficiente marcação da defesa sadina, fazendo um golo muito consentido.

Os setubalenses raramente incomodavam a defesa lisboeta, com esta a demonstrar nos minutos iniciais maior confiança com o reforço do guarda-redes Júlio César que substituiu o infeliz Roberto, com este sentado no banco de suplentes. Mas, no melhor pano cai a nódoa. Um desentendimento entre o guarda-redes do Benfica e o defesa Maxi Pereira originou que Júlio César derrubasse um adversário e cometesse grande penalidade com a consequente expulsão, originando que fosse substituído exactamente pelo guarda-redes Roberto. Hugo Leal foi o jogador setubalense escolhido para a marcação da grande penalidade que, muito mal marcada, permitiu a defesa a Roberto, que impediu o empate, surgindo como o grande herói depois de ter sido vilão.

O Vitória de Setúbal mostrou-se incapaz de explorar a vantagem numérica, continuando a fazer um jogo muito débil, sem profundidade, com muitos passes errados e cometendo erros infantis, permitindo que o Benfica chegasse ao segundo golo na marcação de um canto, concedido pela defesa sadina sem ter adversário por perto.

Com menos um jogador, o Benfica voltou para o segundo período com a mesma disposição da primeira parte, não se notando a falta de um jogador, chegando normalmente ao terceiro golo em mais um erro infantil da defesa setubalense.

Vitória tranquila do Benfica por 3-0, inteiramente merecida, num jogo nem sempre bem jogado, com os encarnados distantes da performance da última época, beneficiando da fraca equipa do Vitória de Setúbal que mostrou neste jogo não ter categoria.

PORTO consolidou a sua liderança no campeonato, agora isolado, ao vencer por 2-0 a equipa do Rio Ave na deslocação que fez a Vila do Conde, somando por vitórias todos os jogos já disputados.

Num jogo em que durante a primeira parte exerceu grande pressão no meio campo do Rio Ave, o Porto, sem conseguir criar muitas oportunidades de golo, chegou ao golo por intermédio de Hulk num remate cruzado à entrada da área dos homens de Vila do Conde, com a bola a bater no interior do poste e ressaltar para dentro da baliza. O Rio Ave reagiu ao golo dos forasteiros e começou a surgir com mais acutilância no meio campo do Porto, equilibrando o jogo e criando dificuldades à defesa azul e branca que foi controlando sem sobressaltos.

No segundo tempo o Rio Ave surgiu mais desinibido, tentando chegar ao empate, enquanto o Porto ia controlando o jogo e tentando jogar em transições rápidas aproveitando o adiantamento dos homens de Vila do Conde que pressionavam no meio campo dos azuis e brancos. Mas foi o Porto numa boa jogada de ataque, em toques sucessivos, chegou ao segundo golo, novamente por Hulk, que aproveitou muito bem uma bola endossada por Varela com Falcao a atrapalhar a defesa do Rio Ave. Vitória incontestável do Porto que, sem deslumbrar, mostrou muita eficácia.

SPORTING fez uma deslocação, à partida difícil, à Figueira da Foz para defrontar a Naval, depois do brilhante apuramento, dias antes, para a Europa Cup, na Dinamarca.

Sem fazer uma exibição de encher o olho, o Sporting cedo se apoderou do controlo do jogo perante uma equipa da Naval apática, sem soluções, que não conseguiu impedir o melhor futebol dos lisboetas que, na parte final da primeira parte, fizeram o primeiro golo e seguiram para o intervalo com um excelente tónico.

No segundo período, o Sporting, mais confiante, continuou a dominar o jogo, enquanto a Naval se mostrava incapaz de inverter o rumo dos acontecimentos, fazendo mais dois golos. Vitória fácil e justa do Sporting por 3-1, sem contestação.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Descalabros, duelos, metamorfoses e Inferno »  2019-09-07  »  Jorge Carreira Maia

O DESCALABRO DA DIREITA. As sondagens têm vindo a indicar que a direita democrática está à beira de um resultado desastroso, por volta dos 25%, somando velhos e novos partidos.
(ler mais...)


O nome da terra, por João Carlos Lopes »  2019-09-06  »  João Carlos Lopes

É sintomático que, em tempo de eleições, nenhum dos partidos tenha dito uma palavra sobre essa vaca sagrada que é o futebol e sobretudo acerca do estado de guerra em que as claques dos “três grandes” transformam as terras por onde passam.
(ler mais...)


Turismo ou nem por isso »  2019-09-05  »  António Gomes

A época que atravessamos é propicia à reflexão sobre esta actividade económica, o turismo.
O turismo, como toda a gente sabe, atravessa em Portugal um período particularmente estonteante. São as grandes metrópoles as mais beneficiadas com tal actividade, é lá que se encontram as maiores fontes de atracção e é lá que as infraestruturas estão mais adaptadas e melhor respondem às solicitações.
(ler mais...)


Antiga Fábrica de Fiação e Tecidos: sonho ou possível realidade? »  2019-08-25  »  Anabela Santos

Falar da valorização de um espaço que é tão importante para uma grande parte dos torrejanos é imperativo mas não é novidade.
Já muitos falaram e escreveram sobre o assunto, desejando que alguma mente iluminada e com vontade de fazer o melhor pela cidade tome alguma iniciativa no sentido de valorizar o património arquitectónico e histórico de uma fábrica que deu tanto à nossa cidade.
(ler mais...)


Repuxos, por Inês Vidal »  2019-08-25  »  Inês Vidal

Esta malta dos jornais é lixada. Parece que está do contra, sempre a dizer coisas. Ou então é de esquerda, só pode. Atrevem-se a noticiar as coisas que acontecem, esses filhos da mãe. Caso contrário, íamos fazendo as coisas à mesma, a nosso bel-prazer, mas ninguém dava por elas ou as questionava.
(ler mais...)


A greve dos motoristas »  2019-08-23  »  Jorge Carreira Maia

PÔR O REGIME À PROVA. Na greve dos motoristas de matérias perigosas coincidiram duas vertentes que, para os próprios interessados, não deveriam ter coincidido. A luta laboral por reivindicações que merecerão respeito e um desafio às instituições políticas e ao regime.
(ler mais...)


À mulher de César não basta ser séria… »  2019-08-09  »  António Gomes

Vem isto a propósito da aquisição de imóveis pela Câmara de Torres Novas, sitos em Riachos. Só o BE votou contra.

Os proprietários propuseram a aquisição e a Câmara comprou.
(ler mais...)


Bons Sons »  2019-08-09  »  Inês Vidal

Treze anos, dez edições, uma aldeia em manifesto. Arrancou ontem, dia 8, mais uma edição do festival Bons Sons, que anualmente traz a Cem Soldos, concelho de Tomar, milhares de pessoas e música, muita música portuguesa.
(ler mais...)


Carteiro »  2019-08-09  »  Ana Sentieiro

A genética é, de facto, uma coisa incrível! Contudo, no meu caso, a genética desempenha mais o papel de progenitor ausente, que se esquece do meu aniversário, não sabe o meu número de telemóvel e saca duas notas de vinte da carteira de pele quando está folgado e diz, “Para te divertires, mas não digas à tua mãe!”.
(ler mais...)


Livros para férias »  2019-08-09  »  Jorge Carreira Maia

COMO MORREM AS DEMOCRACIAS. Autores Steven Levitsky & Daniel Ziblatt, ambos professores em Harvard. Uma reflexão com incidência americana, mas apoiada no estudo das mortes da democracia nos anos trinta do século passado, na Europa, e nos anos 60 e 70, também do XX, na América Latina.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-08-25  »  Inês Vidal Repuxos, por Inês Vidal
»  2019-08-23  »  Jorge Carreira Maia A greve dos motoristas
»  2019-08-25  »  Anabela Santos Antiga Fábrica de Fiação e Tecidos: sonho ou possível realidade?
»  2019-09-06  »  João Carlos Lopes O nome da terra, por João Carlos Lopes
»  2019-09-07  »  Jorge Carreira Maia Descalabros, duelos, metamorfoses e Inferno