• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 24 Abril 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sex.
 17° / 7°
Céu nublado
Qui.
 16° / 9°
Períodos nublados com chuva fraca
Qua.
 17° / 8°
Céu nublado com chuva moderada
Torres Novas
Hoje  14° / 8°
Períodos nublados com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Sporting a derrapar

Opinião  »  2010-10-01  »  Denis Hickel

SPORTING concede mais um empate no seu próprio estádio, desta vez perante o Nacional da Madeira, no terceiro jogo consecutivo para a Liga Zon Sagres sem conseguir a vitória e depois de batido no estádio da Luz pelo rival encarnado.

Agora com dez pontos de atraso em relação ao líder Futebol Clube do Porto, nem os próprios dirigentes leoninos acreditam que o Sporting seja um candidato ao título. O atraso na classificação, mas principalmente a qualidade do futebol que a sua equipa tem vindo a apresentar, não augura nada de bom quanto ao seu desempenho neste campeonato, que traz os seus adeptos profundamente desiludidos e descrentes das suas capacidades para inverter o rumo dos acontecimentos. O plantel é fraco, evidencia desequilíbrios e alguns jogadores que ocupam posições nucleares deixaram de mostrar a mais-valia de outros tempos. Há claramente equívocos na composição do plantel, a que naturalmente não será estranha a reduzida capacidade financeira da SAD leonina que limitou os seus dirigentes na contratação de jogadores jovens e talentosos, constituindo um plantel capaz de ombrear com os melhores da Liga Zon Sagres.

O jogo disputado pelo Sporting com os madeirenses demonstrou, sem qualquer dúvida, a fraca qualidade da equipa, pese embora o empenho dos jogadores leoninos no desenvolvimento do jogo que se saldou por um empate azedo e inesperado, concedido já perto do final da partida por um erro defensivo que não deveria ter sido cometido por uma equipa com as ambições do Sporting. Mau futebol dos lisboetas e empate penalizador, que serviu lindamente as pretensões do Nacional da Madeira.

PORTO prossegue na sua escalada vitoriosa, desta feita perante o Olhanense no estádio do Dragão, num jogo bem jogado pelos azuis e brancos na primeira parte, que se saldou com uma vitória do Porto por 2-0 conseguida nos primeiros quarenta e cinco minutos, e já menos bom no segundo período, num ritmo mais baixo, talvez já a pensar na longa deslocação à Bulgária para a disputa de mais um jogo da UEFA Cup, garantida que estava a vitória no pensamento dos responsáveis pela equipa.

Apresentando um futebol fluído e de elevada qualidade, bem ritmado e pressionante no meio campo dos algarvios, cedo o Porto se colocou em vantagem em mais uma iniciativa do incrível Hulk que disparou uma bomba que o guarda-redes do Olhanense não segurou, sobrando a bola para o defesa e estreante Otamendi que se limitou a empurrar para dentro da baliza.

Não se mostrando satisfeito com o resultado e desejoso de entrar em período de poupança, o Porto quis resolver o jogo rapidamente conseguindo o segundo golo no final da primeira parte, novamente por Hulk que aproveitou muito bem um erro defensivo do Olhanense perto da linha intermediária, roubando a bola e correndo velozmente para a área dos visitantes para fuzilar o guarda-redes algarvio e fixar o resultado final.

Bom jogo do Porto na primeira metade e vitória justa, a quinta consecutiva, somando agora quinze pontos, mais nove que o Benfica.

BENFICA deslocou-se à Madeira, Funchal, para defrontar o Marítimo num campo que se tem mostrado tradicionalmente muito difícil às equipas do continente e na mesma ilha onde recentemente os encarnados baquearam frente à outra equipa madeirense.

Procurando chegar rapidamente à vitória, foi o Benfica que mais a procurou, apresentando um futebol mais acutilante e jogando praticamente no meio campo dos insulares que, só de quando em vez, partiam em contra ataque rumo à baliza dos encarnados.

Ainda muito longe da performance da época transacta, mesmo assim pertenceram ao Benfica as melhores jogadas e as maiores oportunidades de golo, ora falhadas pela inoperância do seu ataque, principalmente por Cardozo, qual ”pinheiro” cujo estaticismo não serve os interesses do Benfica, valendo aos lisboetas o defesa canhoto Fábio Coentrão que surgiu na área madeirense a captar uma bola bombeada do lado contrário para rematar à baliza e conseguir assim justa vitória da sua equipa por 1-0.

Com este resultado, o Benfica soma o segundo jogo consecutivo a ganhar.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Sondagens, Marcelo, Anos Sessenta e Notre-Dame »  2019-04-20  »  Jorge Carreira Maia

AS SONDAGENS E AS FAMÍLIAS. As sondagens reflectem já o desgaste que os socialistas estão a sofrer devido à trapalhada em que se meteram com as ligações familiares na governação.
(ler mais...)


O porco »  2019-04-20  »  Inês Vidal

Sentei-me no café a tentar escrever este “vinte”. Erro. A ideia que trazia, rapidamente se confundiu com a voz que esganiçada me ecoava repetidamente ao ouvido, vinda de uma televisão em altos berros, a história do terror – muito terror – de um jovem, um homem e um cão.
(ler mais...)


A FALTA DE ÉTICA QUE ANDA POR AÍ »  2019-04-20  »  João Lérias

Com os recentes casos das nomeações de pais e filhas, maridos e mulheres, primos e sei lá que mais, o país parece ter acordado para uma nova realidade que, não sendo nova, desta vez, sobretudo pela sua dimensão, é censurável.
(ler mais...)


A vitória do Chile »  2019-04-20  »  José Ricardo Costa

Torres Novas é uma terra cheia de ruínas, o que dá uma enorme tristeza e uma espécie de infelicidade urbana para a qual não conheço palavra. Ruínas não deveriam ser onde vivem pessoas mas em Pompeia, castelos na Escócia, abadias em Inglaterra ou anfiteatros na Grécia, onde apenas vivem fantasmas pacificamente misturados com turistas que chegam e logo partem.
(ler mais...)


A transparência das águas »  2019-04-20  »  António Gomes

Neste novo ano entrou em vigor um novo tarifário: pode-se mesmo dizer um novo e radical tarifário da empresa “Águas do Ribatejo”. A Águas do Ribatejo é uma empresa pública detida a 100% por 7 municípios do Ribatejo e que tem vindo a reerguer os sistemas de abastecimento de água e de saneamento que se encontravam na generalidade dos casos em péssimas condições.
(ler mais...)


Amor, vamos dar um tempo »  2019-04-20  »  Ana Sentieiro

Puberdade, temo que interpretes as minhas palavras de modo leviano, mas penso que chegámos àquele momento da relação em que já não faz sentido continuar. Desculpa, não tenciono desvalorizar o teu impacto em mim ou na minha vida nestes últimos anos que tivemos juntos, aliás, qualquer pessoa perceberia, ao olhar para a minha cara, iluminada por um tímido sorriso, que a tua presença era constante, quase como se fossemos um só.
(ler mais...)


Legislativas, Rui Rio, Refundações e Turquia »  2019-04-06  »  Jorge Carreira Maia

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS. Ainda há que passar pelas eleições para o Parlamento Europeu, mas o acto político decisivo só chega com as legislativas. Aquilo que até aqui parecia inevitável, uma vitória com maioria relativa do PS e uma derrota da direita, não estará completamente seguro.
(ler mais...)


A família socialista, a democracia comunista, a transferência centrista e o terrorismo »  2019-03-23  »  Jorge Carreira Maia

A FAMÍLIA SOCIALISTA. O governo parece um lugar de convívio de famílias amigas. Não bastava já haver um casal de ministros e um ministro pai e uma ministra filha desse pai, agora a mulher de um outro ministro foi nomeada chefe de gabinete do Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, cargo ocupado anteriormente pelo marido.
(ler mais...)


Como dantes não se falava, também não se dava por ela. »  2019-03-22  »  José Ricardo Costa


Qualquer pessoa normal é contra a violência doméstica. Acontece que não gosto da expressão “violência doméstica”, demasiado sociológica, urbana, abstracta, mera etiqueta que não faz jus ao tipo de aberração que pretende traduzir.
(ler mais...)


O Nhonhinhas »  2019-03-22  »  Miguel Sentieiro

A nonhinhisse como fenómeno social surgiu para nos pôr à prova. Entrou nas nossas vidas sem se dar por isso, mas percebemos o efeito corrosivo que tem no nosso bem estar. Um indivíduo coloca-se na fila de uma repartição comercial.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-04-06  »  Jorge Carreira Maia Legislativas, Rui Rio, Refundações e Turquia
»  2019-04-20  »  Jorge Carreira Maia Sondagens, Marcelo, Anos Sessenta e Notre-Dame
»  2019-04-20  »  José Ricardo Costa A vitória do Chile
»  2019-04-20  »  António Gomes A transparência das águas
»  2019-04-20  »  Ana Sentieiro Amor, vamos dar um tempo