• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 21 Abril 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 17° / 7°
Céu nublado com chuva moderada
Ter.
 13° / 8°
Períodos nublados com chuva fraca
Seg.
 20° / 10°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  23° / 11°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Porto cede primeiros pontos

Opinião  »  2010-10-07  »  Denis Hickel

PORTO e Vitória de Guimarães defrontaram-se no estádio D. Afonso Henriques num jogo que se previa muito difícil para o líder do campeonato, exactamente perante a mesma equipa que derrotou o campeão em título e que originou a encomenda de tanta polémica. O Porto entrou forte no jogo, dominando a seu belo prazer e não permitindo que a equipa vitoriana se aproximasse da sua área, ao mesmo tempo que ia criando sucessivas oportunidades de golo, ora anuladas pela intervenção do guarda-redes do Vitória ora por inépcia dos avançados azuis e brancos que nalguns lances pareciam alheados do jogo.

O Vitória de Guimarães assistia ao desenrolar da partida, espreitando a oportunidade para lançar rápidos contra ataques, e num desses lances quase fazia golo não fora o remate desastrado de um seu jogador com a baliza do Porto escancarada. Numa jogada seguinte, o Porto inaugura o marcador, novamente pelo incrível Hulk que entra na área vimaranense e dispara forte com o pé direito fazendo um bonito golo. Pouco antes do intervalo coube a João Moutinho a possibilidade de elevar o marcador sozinho frente ao guarda-redes minhoto, mas a bola saiu rente ao poste.

No segundo período o jogo mostrou o Vitória de Guimarães decidido a criar mais dificuldades ao Porto e equilibrar a partida. O técnico vimaranense procedeu a alguns ajustamentos posicionais na zona intermediária, enquanto o Porto mantinha um ritmo de jogo demasiado baixo. Mas foi o Vitória de Guimarães que chegou ao empate, num lançamento longo para a área azul e branca que o defesa Fucile não abordou de forma satisfatória, deixando-se bater pelo avançado vimaranense que fez o golo do empate.

Sentindo que a vitória lhe fugia, o Porto voltou de novo a pressionar a extrema defesa minhota e criou alguns lances muito perigosos, que aquela anulou com vigor. Já no período de tempo adicional, foi o Vitória de Guimarães que esteve à beira de chegar à vitória, mas Helton com uma grande defesa evitou o pior. Resultado justo para as duas equipas, num jogo nem sempre bem jogado e com muitas falhas, com o Porto a ceder os primeiros dois pontos nos sete jogos já decorridos na Liga Zon Sagres. Por culpa própria.

BENFICA recebeu no estádio da Luz o vice-campeão Braga num jogo entre duas das boas equipas que disputam o campeonato e de resultado imprevisto.

Começou bem o Benfica que cedo se acercou da baliza do Braga a criar algumas ocasiões de golo que o guarda-redes bracarense negou com boas intervenções. O Braga jogava na contenção do adversário, com as linhas muito próximas, retirando espaço ao Benfica e ameaçando aproximar-se da área encarnada em transições rápidas mas incipientes do ponto de vista atacante.

O intervalo chegou com o resultado em branco, e na segunda parte o Benfica, como lhe competia, procurou chegar à vitória, enquanto o Braga surgiu mais desinibido também à procura do golo. Mas foi o Benfica que conseguiu chegar ao golo por Carlos Martins, sem marcação, aproveitando uma desatenção da defesa bracarense. A partir daqui o Benfica encolheu-se, procurou defender a vantagem, enquanto o Braga acabou o jogo a pressionar a defesa encarnada, sem resultados. Vitória justa do Benfica por 1-0 num jogo bem disputado em que sobressaiu como a melhor equipa no terreno.

SPORTING já leva quatro jogos consecutivos sem o sabor da vitória. Desta vez frente ao Beira-Mar em pleno estádio de Aveiro, num jogo em que não foi além de um empate 1-1, com um desempenho na linha dos últimos jogos disputados pelos leões.

Com um futebol desligado e inconsistente, pertenceram mesmo assim ao Sporting as melhores oportunidades de golo, mas as excelentes intervenções do guarda-redes aveirense evitaram que a bola chegasse ao fundo da sua baliza.

Depois do bom desempenho na Liga Europa, esperava-se mais do Sporting, mas tal não sucedeu. Foi o Beira-Mar que inaugurou o marcador, que obteve pronta resposta do Sporting que empatou. Num jogo mal jogado, houve mais posse de bola e mais oportunidades de golo para o Sporting. O empate é lisonjeiro para o Beira-Mar.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Sondagens, Marcelo, Anos Sessenta e Notre-Dame »  2019-04-20  »  Jorge Carreira Maia

AS SONDAGENS E AS FAMÍLIAS. As sondagens reflectem já o desgaste que os socialistas estão a sofrer devido à trapalhada em que se meteram com as ligações familiares na governação.
(ler mais...)


O porco »  2019-04-20  »  Inês Vidal

Sentei-me no café a tentar escrever este “vinte”. Erro. A ideia que trazia, rapidamente se confundiu com a voz que esganiçada me ecoava repetidamente ao ouvido, vinda de uma televisão em altos berros, a história do terror – muito terror – de um jovem, um homem e um cão.
(ler mais...)


A FALTA DE ÉTICA QUE ANDA POR AÍ »  2019-04-20  »  João Lérias

Com os recentes casos das nomeações de pais e filhas, maridos e mulheres, primos e sei lá que mais, o país parece ter acordado para uma nova realidade que, não sendo nova, desta vez, sobretudo pela sua dimensão, é censurável.
(ler mais...)


A vitória do Chile »  2019-04-20  »  José Ricardo Costa

Torres Novas é uma terra cheia de ruínas, o que dá uma enorme tristeza e uma espécie de infelicidade urbana para a qual não conheço palavra. Ruínas não deveriam ser onde vivem pessoas mas em Pompeia, castelos na Escócia, abadias em Inglaterra ou anfiteatros na Grécia, onde apenas vivem fantasmas pacificamente misturados com turistas que chegam e logo partem.
(ler mais...)


A transparência das águas »  2019-04-20  »  António Gomes

Neste novo ano entrou em vigor um novo tarifário: pode-se mesmo dizer um novo e radical tarifário da empresa “Águas do Ribatejo”. A Águas do Ribatejo é uma empresa pública detida a 100% por 7 municípios do Ribatejo e que tem vindo a reerguer os sistemas de abastecimento de água e de saneamento que se encontravam na generalidade dos casos em péssimas condições.
(ler mais...)


Amor, vamos dar um tempo »  2019-04-20  »  Ana Sentieiro

Puberdade, temo que interpretes as minhas palavras de modo leviano, mas penso que chegámos àquele momento da relação em que já não faz sentido continuar. Desculpa, não tenciono desvalorizar o teu impacto em mim ou na minha vida nestes últimos anos que tivemos juntos, aliás, qualquer pessoa perceberia, ao olhar para a minha cara, iluminada por um tímido sorriso, que a tua presença era constante, quase como se fossemos um só.
(ler mais...)


Legislativas, Rui Rio, Refundações e Turquia »  2019-04-06  »  Jorge Carreira Maia

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS. Ainda há que passar pelas eleições para o Parlamento Europeu, mas o acto político decisivo só chega com as legislativas. Aquilo que até aqui parecia inevitável, uma vitória com maioria relativa do PS e uma derrota da direita, não estará completamente seguro.
(ler mais...)


A família socialista, a democracia comunista, a transferência centrista e o terrorismo »  2019-03-23  »  Jorge Carreira Maia

A FAMÍLIA SOCIALISTA. O governo parece um lugar de convívio de famílias amigas. Não bastava já haver um casal de ministros e um ministro pai e uma ministra filha desse pai, agora a mulher de um outro ministro foi nomeada chefe de gabinete do Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, cargo ocupado anteriormente pelo marido.
(ler mais...)


Como dantes não se falava, também não se dava por ela. »  2019-03-22  »  José Ricardo Costa


Qualquer pessoa normal é contra a violência doméstica. Acontece que não gosto da expressão “violência doméstica”, demasiado sociológica, urbana, abstracta, mera etiqueta que não faz jus ao tipo de aberração que pretende traduzir.
(ler mais...)


O Nhonhinhas »  2019-03-22  »  Miguel Sentieiro

A nonhinhisse como fenómeno social surgiu para nos pôr à prova. Entrou nas nossas vidas sem se dar por isso, mas percebemos o efeito corrosivo que tem no nosso bem estar. Um indivíduo coloca-se na fila de uma repartição comercial.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-03-23  »  Jorge Carreira Maia A família socialista, a democracia comunista, a transferência centrista e o terrorismo
»  2019-03-22  »  José Ricardo Costa Como dantes não se falava, também não se dava por ela.
»  2019-03-22  »  Miguel Sentieiro O Nhonhinhas
»  2019-03-22  »  Ana Sentieiro Os phones são outro fenómeno que revolucionou o modo como experienciamos a música
»  2019-03-22  »  António Gomes Prioritário? As estradas.