• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Quinta, 19 de Julho de 2018
Pesquisar...
Dom.
 27° / 16°
Períodos nublados
Sáb.
 28° / 15°
Céu limpo
Sex.
 27° / 17°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  27° / 16°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Os corvos-marinhos estão de volta.

Opinião  »  2017-11-29  »  Nuno Curado

"Sim, os corvos-marinhos comem peixes (por vezes rãs e lagostins)..."

Já há alguns anos que os choupos encostados à ponte da Levada são o pouso matinal de um grupo de corvos-marinhos que frequenta a cidade. Para quem não os conhece, parecem umas garças de cor preta e bico mais grosso, com uma mancha branca e amarela na face. Costumam estar empoleirados no topo das árvores, muitas das vezes de asas abertas, a secar ao sol. Este ano, para já, são só dois e chegaram esta semana. Escrevo “chegaram” porque estes animais são visitantes de Inverno em Portugal. Passam o Verão no Norte da Europa, onde se reproduzem. De Inverno, fogem do frio e dos lagos gelados e descem até ao Sul do continente, onde o clima é mais ameno e o alimento mais abundante.

Apesar de serem cidadãos recentes do centro de Torres Novas, sempre foram habituais nas lezírias da Golegã e Azinhaga, na foz do Almonda e ao longo do Tejo. E com a má fama de serem dizimadores de peixes. Sim, os corvos-marinhos comem peixes (por vezes rãs e lagostins), que caçam mergulhando e perseguindo-os. Têm um corpo altamente aerodinâmico dentro de água que lhes permite ser muito rápidos e mudar de repente de direcção, o que faz com que sejam exímios caçadores. Mas não são, de todo, uma praga que acaba com os outros animais do Rio. Também não são exóticos, nem invasores, fazem parte da nossa fauna nativa. Só não estávamos habituados a vê-los por aqui. Até considero que a presença deles no Rio – tal como do nosso visitante de Verão, o Goraz (ou Garça-nocturna) - é um bom sinal, que significa que tem condições, vegetação e peixe suficiente para se sustentarem. E que há peixe no Rio suficiente para todos, algo que há 30 anos atrás seria impensável, dado o quão poluído estava na altura.

Atenção, com isto não quero dizer que o Almonda esteja esplêndido hoje em dia. Pelo contrário. Tem um problema de poluição muito grave na Ribeira da Boa Água, e que já devia de estar resolvido, não fosse a exagerada inércia institucional. Dentro da cidade o Almonda também tem alguns focos problemáticos de poluição, seja de descargas de esgotos, ou por causa de lixo e resíduos. Tudo questões cuja resolução deve ser prioritária, relativamente a outras intervenções mais estéticas.

Mas mostra que, apesar disso, o Rio está melhor que há 30 anos, e que devemos de ter cuidado com a sua gestão actual. Tanto com a qualidade da água e a poluição que ainda existe (para não regressar à situação do passado), como com a gestão das suas margens e do seu leito. Gestão esta que pode passar por não intervir ou pela intervenção mínima, sobretudo no caso de podas e corte de vegetação. Porque, a seguir à própria água, a vegetação que existe no leito e nas margens é a fonte principal da vida que existe no Rio. Pelo habitat que fornecem a muitas espécies, pelo alimento a outras tantas, pela sombra que fazem no Rio (e que com isso diminui a evaporação de água no Verão), por sustentarem as margens com as suas raízes, por diminuírem o risco de cheias, por filtrarem e limparem a água. E, finalmente, por nos trazerem mais Natureza para dentro da cidade.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Um concubinato de conveniência »  2018-07-12  »  Jorge Carreira Maia

Desde o início que a actual solução governativa sofre de um pecado mortal. Este reside num governo onde só um dos partidos de esquerda tem assento. Ao escolher o caminho mais fácil, a esquerda resolveu alguns problemas de momento.
(ler mais...)


Obstipação intestinal: um mal cada vez mais presente »  2018-07-12  »  Juvenal Silva

A obstipação intestinal, também conhecida como prisão de ventre, é uma doença gastrointestinal cada vez mais presente e, com um grau de Incidência preocupante, já na idade infantil. Num organismo saudável, o percurso da matéria residual pelo trato digestivo, corresponde a um ciclo previsível e regular que poderá oscilar entre 6 a 24 horas.
(ler mais...)


F »  2018-07-12  »  José Ricardo Costa

Admito ser um bocadinho conservador, sobretudo naqueles dias em que acordo com uma certa vontade de lavar os dentes com pasta medicinal Couto e de ter um mordomo chamado Jeeves para me trazer o fato às riscas enquanto faz o resumo do Financial Times.
(ler mais...)


A avó Augusta, a foice e a vassoura »  2018-07-12  »  Maria Augusta Torcato

Esta crónica vai apresentar o formato de duas em uma. É que, apesar das temáticas e problemáticas quotidianas fervilharem na minha cabecinha, não tenho tido tempinho algum para escrever. E o ato de escrever exige pelo menos um bocadinho de tempo.
(ler mais...)


Dias difíceis »  2018-06-22  »  Jorge Carreira Maia

A situação política está mais confusa do que parece. Só há um dado claro e inequívoco. Exceptuando os socialistas, todos os actores agem com o objectivo de evitar que o PS obtenha maioria absoluta nas próximas legislativas.
(ler mais...)


Aloé Vera, a planta milagrosa »  2018-06-21  »  Juvenal Silva

Aloé Vera, também conhecida por planta do milagres pelos médicos da antiguidade, é uma planta medicinal cujo uso tem sido intensificado ao longo dos séculos e, nas últimas décadas, tem sido motivo de interesse de pesquisas, com vários estudos científicos na aplicação de uma grande variedade de doenças e com grande destaque nas doenças oncológicas.
(ler mais...)


Cumpre-se a tradição »  2018-06-21  »  Anabela Santos

Junho, mês dos santos populares… António, Pedro e João.
Santo António, conhecido por Santo António de Lisboa, o santo que pregou aos peixes, o Santo casamenteiro, não é exclusivo da nossa capital e não é de Pádua.
(ler mais...)


A água »  2018-06-21  »  António Gomes

É de todos conhecida a escassez de água doce existente no planeta. Em Portugal, o ano de 2017 foi particularmente avisador para toda a gente: lembramos bem o transporte de água de umas regiões para outras e os condicionalismos impostos ao seu consumo (jardins, rotundas, etc).
(ler mais...)


O governo e os professores »  2018-06-07  »  Jorge Carreira Maia

O que terá levado o ministro da Educação a afirmar que, perante a posição dos sindicatos, o governo, que tinha prometido recuperar quase três anos do tempo em que as carreiras dos professores estiveram congeladas, não contará qualquer tempo para a progressão docente? O ministro pode achar que é uma estratégia brilhante para enfrentar os sindicatos, mas não percebeu como ela é humilhante para os professores, que se sentem tratados como crianças que são castigadas por um ministro a quem, na verdade, não reconhecem qualquer autoridade política ou educativa.
(ler mais...)


Torres Novas está lá dentro »  2018-06-06  »  Carlos Tomé

Casa Espanhol, uma das três lojas mais antigas de Torres Novas, fechou as suas portas no passado dia 30 de Maio. Torres Novas nunca mais será a mesma terra. Com este encerramento encerra-se uma determinada forma de estar na vida, a generosidade e a inteligência de conseguir estar quase 80 anos à frente de um estabelecimento comercial que marcou indelevelmente a vida da cidade.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 10 dias)
»  2018-07-12  »  Maria Augusta Torcato A avó Augusta, a foice e a vassoura
»  2018-07-12  »  Jorge Carreira Maia Um concubinato de conveniência
»  2018-07-12  »  José Ricardo Costa F