• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Quarta, 12 de Dezembro de 2018
Pesquisar...
Sáb.
 16° / 6°
Céu nublado
Sex.
 15° / 7°
Períodos nublados
Qui.
 15° / 8°
Períodos nublados com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  13° / 9°
Céu muito nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Suave cumplicidade

Opinião  »  2018-09-26  »  Carlos Tomé

"Cada actuação dos La Fontinha consegue transmitir ao público a cumplicidade do momento. Uma suave cumplicidade."

Aqui há um ano, prometeram que o homem ia voltar e ele voltou mesmo. Nessa altura o homem era o José Afonso, e a sua música ecoou tão simples e tão pura no auditório do Hotel dos Cavaleiros que os LaFontinha conseguiram o milagre de ressuscitar o genial autor de geniais canções, que agora querem tratar como um vulgar herói nacional grato ao poder, e cuja gratidão o poder reconhece com o panteão, retirando-o da terra e do povo que ele sempre adorou.

Desta vez, os LaFontinha obrigaram o Fausto a vir mais uma vez a Torres Novas. Depois da noite memorável do Virgínia em que esteve por cá, agora foi a sua música e com ela a sua genialidade que subiram ao palco do estúdio Alfa.

Mas só pode estar com a sua música quem a adopta e a interpreta com tudo aquilo que ela tem de belo, e com todo o significado que assume para quem a sente. Porque a música do Fausto, como de resta a de outros autores, encerra em si circunstância especiais, nasce de histórias concretas, conta situações, defende ideias, modos de pensar, percorre caminhos estreitos e veredas apertadas onde só cabem alguns, aqueles a quem a sua arte lhes entra no corpo sem lhes pedir licença mas simultaneamente exige cumplicidades, guarda de segredos, comunhão de qualidades, partilha dos sentimentos mais profundos como os sonhos, todos os sonhos.

Assumidas pelos LaFontinha, com o rigor que colocam em todas as suas interpretações, as canções do Fausto lembram-me sonhos lindos. Mercê de uma forma de estar no palco aparentemente descontraída mas muito intensa, serena e cúmplice, cada actuação dos La Fontinha consegue transmitir ao público a cumplicidade do momento. Uma suave cumplicidade.

Muito longe de exibicionismos bacocos que levam o público a dançar e gritar com se estivesse num ginásio a fazer exercícios físicos, os músicos dos LaFontinha ocupam o palco para tocar e cantar com a serenidade e discrição necessárias, tentando interpretar as diversas obras-primas do Fausto e criando a verdade dos que não se esticam em bicos de pés.

O respeito pelo autor sente-se em cada música, em cada poema. E o que se retira é que a música é muito mais do que um conjunto de notas sem alma, nem dor, nem alegria, é um irresistível sentimento de partilha e orgulho e honra nessa partilha que se espraia pela sala. E, embora possa sentir vontade de saltar e dançar nalguns momentos, o público não o faz porque estas como outras obras-primas entram no mais interior de cada um, no mais desconhecido, e anicham-se no colo, paralisando os corpos mas aguçando os sentidos e os sentimentos. Como se tudo fosse um sonho, um sonho lindo.

 

 

 Outras notícias - Opinião


O drama dos partidos de poder »  2018-12-07  »  Jorge Carreira Maia

A crise em que se arrasta o principal partido da oposição, o PSD, é sintomática da natureza dos partidos de poder em Portugal. São fortes e sólidos quando estão no poder; são frágeis e à beira da desagregação quando a governação lhes foge.
(ler mais...)


Mulheres »  2018-12-07  »  Inês Vidal

São mulheres. São presidentes, directoras, empresárias, polícias, bombeiras, autarcas, entre tantas outras profissões ou actividades. Acima de tudo, são mulheres. Ocupam cargos que um dia foram tradicionalmente de homens, ou foram as primeiras a fazê-lo por estas bandas.
(ler mais...)


Direito à indignação »  2018-12-07  »  Fernando Faria Pereira

O conceito deve-se, tanto quanto me lembro a Mário Soares, figura incontornável da democracia, que protagonizou a Presidência Aberta pelo Ambiente em resposta ao artigo 66º da constituição (ambiente e qualidade de vida) que estipula no seu nº 1: todos têm direito a um ambiente de vida humano, sadio e ecologicamente equilibrado e o dever de o defender.
(ler mais...)


Amasso Friday »  2018-12-07  »  Miguel Sentieiro

Vi as imagens daquela massa humana compactada à porta da loja de aspiradores na tal Black Friday. Numa primeira análise temo confessar que também embarquei na tese “ o que passa na cabeça destes mentecaptos para, numa 6ª feira de manhã, se sujeitarem a uma espera de horas neste degredo massivo?”.
(ler mais...)


As estradas do concelho de Torres Novas »  2018-12-07  »  António Gomes

Uma parte muito significativa das estradas, ruas, ruelas, largos, rotundas, somando mais de cem, que fazem parte da rede viária deste concelho, encontram-se em estado de deterioração mais ou menos avançado. Algumas situações estão mesmo num estado miserável, como sabemos.
(ler mais...)


Como funciona a nossa memória »  2018-12-07  »  Juvenal Silva

 

A memória é essencial para a nossa capacidade de gravar, armazenar e recuperar informações. A nossa memória é uma máquina fantástica, que contém as nossas perceções, os nossos sentimentos, as nossas memórias, imaginação e permite-nos pensar e, ser quem somos.
(ler mais...)


Filhos e netos »  2018-11-23  »  Jorge Carreira Maia

Para o meu neto Manuel.

Há uma diferença essencial, para um pai e avô, entre o nascimento de um filho e o de um neto. O nascimento do filho traz com ele, para além do prazer que a sua vinda significa, problemas práticos.
(ler mais...)


Palavra passe »  2018-11-21  »  Fernando Faria Pereira

Estaciono à primeira. Entro no café. Portas automáticas. 3 rapazes: o do lado de lá e outros 2. Boa noite! Bnoite. 1 Água com gás natural sem copo. A televisão está no CM: desgraças, previsíveis ameaças.
(ler mais...)


Biblioteca com vida »  2018-11-21  »  Anabela Santos

Há muitos anos, não quero lembrar quantos para não recordar que já estou na “meia idade”, subia, com alguma regularidade, a ladeira de Salvador e dirigia-me à biblioteca municipal, que ficava junto da igreja.
(ler mais...)


Quais os sintomas e tratamentos naturais dos resfriados »  2018-11-21  »  Juvenal Silva

Os resfriados podem ocorrer em qualquer época do ano. Todavia, são mais comuns entre as estações de outono e inverno.

Os sintomas mais comuns são: coriza, espirros, congestão nasal, tosse, dor garganta, cansaço, perda de apetite, febre baixa, embora nas crianças possa ser mais elevada ocasionalmente.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2018-11-23  »  Jorge Carreira Maia Filhos e netos
»  2018-11-21  »  Juvenal Silva Quais os sintomas e tratamentos naturais dos resfriados
»  2018-11-21  »  Anabela Santos Biblioteca com vida
»  2018-11-21  »  Fernando Faria Pereira Palavra passe
»  2018-12-07  »  Jorge Carreira Maia O drama dos partidos de poder