• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Sexta, 19 Julho 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Seg.
 36° / 15°
Períodos nublados
Dom.
 31° / 15°
Céu nublado
Sáb.
 30° / 17°
Céu nublado
Torres Novas
Hoje  32° / 16°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

O vazio religioso

Opinião  »  2014-09-05  »  Jorge Carreira Maia

As posições políticas de David Cameron e de Angela Merkel sobre a autêntica barbárie que ocorre no Iraque mostram a ameaça que nos confronta. Contudo, o devaneio islamista do Califado, pelo menos neste momento, é apenas um indício do problema. A grande ameaça para a Europa vem menos destes selváticos delírios do que daquilo que se passa entre nós.

O século XXI será religioso ou não será. Apesar de André Malraux sempre ter negado a autoria desta frase, esta parece uma profecia concretizada. A questão religiosa, com a emergência do Islão como protagonista político global, tornou-se um elemento decisivo nas sociedades actuais. A religião é, desde que o homem é homem, omnipresente nas sociedades humanas. Mais, a religião é o foco central da estruturação das identidades colectivas e individuais, mesmo que isso seja incompreensível para muitos de nós. A questão central, tendo isto em conta, é que não há vazios religiosos por muito tempo. Se uma religião se retira, outra ou outras surgirão para ocupar o lugar vazio.

Este é o principal perigo que vive a Europa. Para além de possuir grandes comunidades imigrantes de fortes convicções religiosas – muçulmanas, principalmente – e de grande crescimento demográfico, os europeus subjectivaram a prática religiosa e, por isso, relativizaram-na. Isso permitiu estabelecer uma vida de tolerância interconfessional, mas, com o passar do tempo, implicou um grande vazio espiritual. Esse vazio, num primeiro tempo, foi ocultado pelas religiões políticas. A revivescência do paganismo com o fascismo e o nazismo e a inversão do cristianismo no socialismo e no comunismo foram ainda formas de manifestação do espírito religioso. Mortas as ideologias, ficou o vazio.

É neste vazio do cristianismo e dos seus valores que o Islão vê uma janela de oportunidade para a sua expansão no Ocidente. O crescimento de sociedades muito desiguais e a aniquilação das classes médias estão a criar condições para a formação de uma enorme massa de párias. É aqui, e na ausência de convicções cristãs fundas, que o Islão vê o enorme campo de recrutamento e de conversão dos infiéis.

Não esqueçamos três coisas. Em primeiro lugar, Bento XVI avisou que a Igreja se tornaria minoritária e perseguida. Depois, desespero, pobreza e ressentimento formam o melhor dos campos para a emergência de conversões religiosas em massa. Por fim, a história não se mede por anos ou décadas, e nunca tem fim. Em resumo, o grande problema do Ocidente não é a economia ou a política. O grande problema é o do vazio religios.

www.kyrieeleison-jcm.blogspot.com

 

 

 Outras notícias - Opinião


Umbigos, por Inês Vidal »  2019-07-05  »  Inês Vidal

A política sempre foi um dos assuntos que me deu mais gozo acompanhar enquanto jornalista. Não é novo, já o disse aqui muitas vezes. Encanta-me o jogo, perceber as redes, as pessoas, ver o que as move, como se movem, como a política puxa pelo melhor e revela o pior de quem se envolve.
(ler mais...)


Bloco de Esquerda, Rui Rio, União Europeia e Igreja Católica »  2019-07-05  »  Jorge Carreira Maia

O BLOCO DE ESQUERDA E OS DEPUTADOS. Parece haver divergências entre a distrital de Santarém e a direcção nacional sobre quem deve encabeçar a lista de candidatos pelo distrito às eleições legislativas.
(ler mais...)


PLANTAR ÁRVORES »  2019-07-04  »  António Gomes

As alterações climáticas a que estamos a assistir, e aquelas que nos são anunciadas por estudos científicos, devem ser para levar a sério. O equilíbrio climático a que nos habituámos está em mudança acelerada.
(ler mais...)


Autarquias, professores, padres casados e futebol »  2019-06-20  »  Jorge Carreira Maia

PODER AUTÁRQUICO. Depois da operação Teia, uma nova operação contra detentores – ou ex-detentores – do poder autárquico. Não faço ideia o que pensam presidentes de câmara e vereadores sobre a reputação das autarquias.
(ler mais...)


Democracia, por Inês Vidal »  2019-06-19  »  Inês Vidal

Somos todos pela democracia. Menos quando ganha quem não queremos. Esta coisa da democracia tem que se lhe diga. Que o diga eu que, nunca falhando a umas eleições, nunca vi ganhar nenhumas. Fica sempre um sabor amargo na boca, uma angústia de não ver ganhar quem se quer.
(ler mais...)


O Tempo dos Gelados »  2019-06-19  »  José Ricardo Costa

Uma coisa que a natureza tem de bastante simpático, facilitando-nos a vida, é a sua circularidade. Por exemplo, as estações do ano. Fosse a natureza destrambelhada e nada poderíamos prever, deixando-nos à nora sobre o que fazer no dia seguinte.
(ler mais...)


Problemas de memória »  2019-06-19  »  Hélder Dias

Glifosato Man »  2019-06-19  »  Hélder Dias

Agustina, a crise na direita, a doença da social-democracia e a teia »  2019-06-07  »  Jorge Carreira Maia

AGUSTINA BESSA-LUÍS. O século XX português teve uma mão cheia de excelentes romancistas. A atribuição do Nobel a Saramago reconheceu isso. Se tivesse sido a Agustina, não teria ficado mal entregue.
(ler mais...)


Parabéns, abstenção! »  2019-06-06  »  Anabela Santos

Muito se tem falado, já tudo foi dito e é do conhecimento de todos que as eleições europeias realizadas no dia vinte e seis de Maio trouxeram uma vitória para a esquerda, excepto para o PCP, e uma acentuada derrota para a direita.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-06-19  »  Hélder Dias Glifosato Man
»  2019-06-19  »  Inês Vidal Democracia, por Inês Vidal
»  2019-06-19  »  Hélder Dias Problemas de memória
»  2019-06-20  »  Jorge Carreira Maia Autarquias, professores, padres casados e futebol
»  2019-06-19  »  José Ricardo Costa O Tempo dos Gelados