• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 21 Julho 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 35° / 15°
Períodos nublados
Ter.
 33° / 16°
Períodos nublados
Seg.
 36° / 15°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  31° / 15°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Talvez desse um livro, talvez...

Opinião  »  2014-10-10  »  Adelino Pires

Nascera em Moçambique, nos confins do antigo Império Colonial Português. Lá, onde viera ao mundo, próximo de Tete nas margens do Zambeze, o seu pai (meu avô) havia sido chefe de posto. Homem bom, justo, a quem os nativos recorriam para ouvir conselhos, dirimir contendas ou apenas desabafar.

Naqueles anos 30 do passado século, Moçambique estava salpicada por portugueses, britânicos e indianos e ainda por indo-britânicos e indo-portugueses. Era o tempo das monoculturas do sisal e do açúcar e também do êxodo de mão de obra negra, rumo às explorações mineiras da África do Sul.

O meu avô Adelino foi o quarto de oito irmãos nascidos no Codes, Sardoal, e o primeiro a partir para África. Por lá casou com uma mestiça, filha de mãe negra e pai inglês. Maria Smith. Um nome simples que lhe assentava que nem uma luva. Maria, nome de mulher e Smith, apelido de colono. Assim como que uma chancela para a posteridade. Lembro-me bem da avó Maria e guardo dela as melhores memórias. Do afecto pelos seus netos, dos quais eu era o primeiro e, como tal, o mais mimado. Das missangas com que entretinha a sua arte. Da sua cozinha com sabor a África. África dela, África minha.

Morreu novo o meu avô, em 1941, com quarenta e poucos anos. O meu pai, nessa altura com apenas onze, veio então de Moçambique. Estava-se em plena II Guerra Mundial. Por cá cresceu e se fez homem, em casa de um bom tio, capitão do exército, por quem tinha uma enorme gratidão. E onde conheceu a minha mãe.

Queria falar-vos do meu pai que nascera nos confins do antigo Império e morreu também novo, há mais de vinte anos, com alguns sonhos por cumprir. Percebi agora que, para falar dele, teria de falar de muito mais gente, de muitos mais sítios, de muitas mais coisas. Teria de dizer que nós portugueses somos assim, cidadãos do mundo, de todos os mundos. Que ser português é ser bom, justo e tolerante. É saber estar, onde e com quem quer que seja. E que, afinal, falar do meu pai, talvez desse um livro, talvez...

 

 

 Outras notícias - Opinião


Balanço político da legislatura »  2019-07-20  »  Jorge Carreira Maia

Partido Socialista. Nunca, na história da democracia portuguesa, tinha havido um governo suportado por toda a esquerda parlamentar. António Costa e os socialistas foram os grandes beneficiários da inovação.
(ler mais...)


Umbigos, por Inês Vidal »  2019-07-05  »  Inês Vidal

A política sempre foi um dos assuntos que me deu mais gozo acompanhar enquanto jornalista. Não é novo, já o disse aqui muitas vezes. Encanta-me o jogo, perceber as redes, as pessoas, ver o que as move, como se movem, como a política puxa pelo melhor e revela o pior de quem se envolve.
(ler mais...)


Bloco de Esquerda, Rui Rio, União Europeia e Igreja Católica »  2019-07-05  »  Jorge Carreira Maia

O BLOCO DE ESQUERDA E OS DEPUTADOS. Parece haver divergências entre a distrital de Santarém e a direcção nacional sobre quem deve encabeçar a lista de candidatos pelo distrito às eleições legislativas.
(ler mais...)


PLANTAR ÁRVORES »  2019-07-04  »  António Gomes

As alterações climáticas a que estamos a assistir, e aquelas que nos são anunciadas por estudos científicos, devem ser para levar a sério. O equilíbrio climático a que nos habituámos está em mudança acelerada.
(ler mais...)


Autarquias, professores, padres casados e futebol »  2019-06-20  »  Jorge Carreira Maia

PODER AUTÁRQUICO. Depois da operação Teia, uma nova operação contra detentores – ou ex-detentores – do poder autárquico. Não faço ideia o que pensam presidentes de câmara e vereadores sobre a reputação das autarquias.
(ler mais...)


Democracia, por Inês Vidal »  2019-06-19  »  Inês Vidal

Somos todos pela democracia. Menos quando ganha quem não queremos. Esta coisa da democracia tem que se lhe diga. Que o diga eu que, nunca falhando a umas eleições, nunca vi ganhar nenhumas. Fica sempre um sabor amargo na boca, uma angústia de não ver ganhar quem se quer.
(ler mais...)


O Tempo dos Gelados »  2019-06-19  »  José Ricardo Costa

Uma coisa que a natureza tem de bastante simpático, facilitando-nos a vida, é a sua circularidade. Por exemplo, as estações do ano. Fosse a natureza destrambelhada e nada poderíamos prever, deixando-nos à nora sobre o que fazer no dia seguinte.
(ler mais...)


Problemas de memória »  2019-06-19  »  Hélder Dias

Glifosato Man »  2019-06-19  »  Hélder Dias

Agustina, a crise na direita, a doença da social-democracia e a teia »  2019-06-07  »  Jorge Carreira Maia

AGUSTINA BESSA-LUÍS. O século XX português teve uma mão cheia de excelentes romancistas. A atribuição do Nobel a Saramago reconheceu isso. Se tivesse sido a Agustina, não teria ficado mal entregue.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-07-05  »  Inês Vidal Umbigos, por Inês Vidal
»  2019-07-05  »  Jorge Carreira Maia Bloco de Esquerda, Rui Rio, União Europeia e Igreja Católica
»  2019-07-04  »  António Gomes PLANTAR ÁRVORES
»  2019-07-20  »  Jorge Carreira Maia Balanço político da legislatura