• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Quarta, 23 de Agosto de 2017
Pesquisar...
Sáb.
 32° / 18°
Céu nublado
Sex.
 33° / 15°
Períodos nublados
Qui.
 30° / 17°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  33° / 16°
Céu nublado
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

As relações PCP e BE

Opinião  »  2017-08-03  »  Jorge Carreira Maia

"A relevância de ambos os partidos (PCP e BE), a partir de agora, não vem da mera contestação, mas da sua capacidade de influenciar e exercer o poder."

Uma meditação política antes de férias. No actual arranjo governativo há uma situação a que não se dá a atenção que merece. O governo depende dos acordos na Assembleia com o BE e o PCP. Por norma, não há um acordo a três, mas acordos do PS com o BE e acordos do PS com o PCP. Esta situação deve-se às relações equívocas – para não dizer tensas – entre BE e PCP. Há, para isso, razões históricas e razões psicológicas, digamos assim.

Historicamente, as organizações que constituíram o BE nasceram de rupturas traumáticas com o PCP, no caso da UDP e da Política XXI, ou com a antiga Terceira Internacional, no caso dos trotskistas do PSR. O trauma em política conduz a considerar que o antigo amigo é agora um encarniçado inimigo. Por outro lado, desde o 25 de Abril de 1974 que o PCP tentou evitar que surgisse, à esquerda do PS, uma força política com peso. O facto do BE ter, actualmente, uma maior expressão eleitoral do que o PCP é sentido por este como uma injustiça e quase um insulto.

Poder-se-ia pensar que a rivalidade nasce de ambos disputarem o mesmo espaço eleitoral. Contudo, não é isso que acontece. O BE não tem qualquer capacidade de penetrar no eleitorado tradicional do PCP, nem este tem capacidade de penetrar nos eleitorados onde o BE encontra os seus eleitores. Na verdade, do ponto de vista do mercado eleitoral, mais do que rivais, BE e PCP são complementares. Para além desta complementaridade, há uma coisa que, queiram ou não, os une.

O que os une é o destino a médio prazo. Esta experiência governativa tem um preço. Esse preço é o de não se poder voltar atrás, aos tempos em que PCP e BE se apresentavam como belas almas, sem as mãos sujas pelo convívio com o poder, não sentindo limite para a contestação e os devaneios. Isso acabou. A relevância de ambos os partidos, a partir de agora, não vem da mera contestação, mas da sua capacidade de influenciar e exercer o poder.

Uma maioria absoluta do PS, nas próximas eleições, pode condenar a ambos ao definhamento. Para o evitar, é preciso que se apresentem ao eleitorado com vontade de exercer o poder, e com soluções para um bom governo do país, dentro das regras a que estamos sujeitos, por vontade própria. E isto é fundamental para a esquerda e para as pessoas, pois o PS entregue a si próprio está, pela sua própria história, longe de ser confiável. Isto deveria ser suficiente para pôr de lado estados de alma e levar a uma cooperação mais institucional entre PCP e BE, o que reforçaria o seu poder negocial com o PS. O eleitorado das diversas esquerdas agradeceria.

http://kyrieeleison-jcm.blogspot.pt/

 

 

 Outras notícias - Opinião


Antigo hospital »  2017-08-22  »  António Gomes

Primeiro foi a mentira, seria a sede do município, até fazia algum consenso na sociedade torrejana, as atuais instalações são exíguas, não oferecem as condições de funcionamento que uma instituição como a CM deve ter, mas afinal deixou de ser a sede do município para ser um espaço cultural, não se explica porquê e para quê.
(ler mais...)


Melancia hidrata o corpo e protege o coração »  2017-08-22  »  Juvenal Silva

A melancia é um símbolo das frutas de verão, por ser refrescante e pouco calórica. Além de ser deliciosa, tem propriedades nutricionais muito benéficas, como por exemplo o licopeno, um antioxidante por excelência, superando mesmo o tomate na sua concentração.
(ler mais...)


De cabeça perdida »  2017-07-30  »  Jorge Carreira Maia

Na semana passada consumou-se a grande tentação que, desde o desastre de Pedrógão Grande, flutuava nos corações da direita. A princípio, alguma sensatez política evitou que os partidos na oposição fizessem da desgraça um móbil do combate político.
(ler mais...)


Para acabar de vez com o “convento do Carmo” »  2017-07-20 

Costuma dizer-se que uma mentira mil vezes repetida acaba por ser uma verdade, mas neste caso não é possível. Não há nada a fazer e é uma verdade histórica com quase 200 anos: não há nenhum “Convento do Carmo” em Torres Novas.
(ler mais...)


Vergílio Ferreira »  2017-07-20  »  Jorge Carreira Maia

Vergílio Ferreira é uma figura simbólica do quadro cultural de nosso país. Simbólica dos limites que a ditadura do professor Salazar fazia cair sobre Portugal, impondo-lhe uma grande distância cultural relativamente ao que se passava na Europa e nos Estados Unidos.
(ler mais...)


Mensageiro »  2017-07-19  »  Inês Vidal

Há por aí uns balofos a dizer à boca cheia que o Bloco de Esquerda comprou o Jornal Torrejano. Que fazemos campanha assumida por um dos partidos com lugar no executivo. Nem nisso são originais. Já o outro dizia que o JT era um pasquim comunista, um boletim da facção então mais à esquerda da mesa camarária.
(ler mais...)


O cérebro: um compartimento muito especial do nosso corpo »  2017-07-18  »  Juvenal Silva

O cérebro é um órgão que se distingue dos outros órgãos do corpo, devido à sua importância no controlo que regula o sistema nervoso e que comanda direta ou indiretamente todas as nossas atividades, desde os movimentos ao raciocínio, da memória ao conhecimento dos pormenores e, também, os processos subtis que regulam o ritmo sono/vigília, o humor, o apetite, as decisões e muito mais funções… Ao contrário das outras células do nosso corpo, que se renovam regularmente, as células do cérebro não só se mantém inalteradas durante toda a vida, pois começam a diminuir em quantidade ao atingir a idade adulta.
(ler mais...)


O que é uma deficiência nutricional? »  2017-07-08  »  Juvenal Silva

Diz-se deficiência nutricional quando certos nutrientes como vitaminas, minerais, hidratos de carbono, lípidos, proteínas, que são essências, estão ausentes na alimentação quotidiana e colocam em risco o equilíbrio do organismo, pela diminuição da força vital.
(ler mais...)


Três avisos e uma remodelação »  2017-07-07  »  Jorge Carreira Maia

A governação de António Costa começa a abrir brechas que só a actual inépcia da direita tem evitado que se transformem num enorme desgaste político. Em pouco tempo, depois da euforia em torno do défice, o país frágil que somos, do ponto de vista institucional, enviou três avisos.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 10 dias)
»  2017-08-22  »  Juvenal Silva Melancia hidrata o corpo e protege o coração
»  2017-08-22  »  António Gomes Antigo hospital