• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Terça, 11 de Dezembro de 2018
Pesquisar...
Sex.
 15° / 9°
Céu nublado
Qui.
 15° / 9°
Períodos nublados com chuva fraca
Qua.
 15° / 9°
Céu muito nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  17° / 7°
Céu nublado
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

UM ALQUEVA NO TEJO, JÁ OUVIU FALAR?

Opinião  »  2018-03-08  »  Denis Hickel

"A ameaça da falta de água é decorrente de formas de planear e utilizar o território "

Soube recentemente de uma iniciativa privada que tem por objectivo criar um “Alqueva no Tejo”; através de um projecto de larga envergadura que promete principalmente combater a crescente falta de água e o problema de salinização a que estão ameaçados os agricultores Ribatejanos. Embora todo o material disponível nos media enalteça apenas o benefícios desta suposta grande obra, há pouco ou nada sobre os seus aspectos técnicos que permitam uma avaliação mais profunda da proposta, ou mesmo um debate mais alargado entre outras entidades com interesse num tema de tão largo impacto no território.

Ainda assim, permito-me questionar pois, aparentemente, a solução restringe-se apenas à uma engenharia do território quando o problema da escassez de água é de cariz essencialmente cultural e ecológico?

A ameaça da falta de água é decorrente de formas de planear e utilizar o território que desconsideram a totalidade do seu funcionamento enquanto ecossistema. Isso abrange a sua ocupação agrícola, industrial e urbana, com todo o leque de impactos negativos, incluindo aí a profunda transformação da paisagem e a supressão da biodiversidade. De forma muito simples, isto significa que modificamos tão profundamente as relações naturais a ponto de comprometermos o ciclo da água em toda a bacia do Tejo, de Espanha à Portugal.

Assim, hoje, não só consumimos mais água do que este sistema pode restituir, mas também reduzimos drasticamente a sua capacidade de renovação, aumentando e acelerando o seu processo de degradação. É sabido que com as alterações climáticas em curso, a Península Ibérica deverá evoluir para um clima mais seco. Diante de tal prognóstico, o melhor lugar para armazenar água é no subsolo e a melhor forma de o fazer é restaurar a bacia do Tejo para (dentro do possível) reestabelecer o ciclo da água.

Sendo assim, 1) qualquer olhar sobre o problema deve passar por rever a matriz económica, agrícola e de ordenamento do território que são as principais responsáveis pela degradação do mesmo. 2) Sendo a principal atividade da região, migrar de práticas agrícolas convencionais para práticas ecológico-regenerativas é fundamental em todas as escalas! 3) Promoção, num esforço conjunto entre os municípios da bacia hidrográfica, da restauração da biodiversidade, das galerias ripícolas, cursos da água, zonas húmidas e bacias de retenção. 4) No âmbito das cidades, planear toda uma nova cultura de captação, utilização e reutilização da mesma. O que envolve também uma outra relação com os afluentes do Tejo, novas formas de planeamento, desenho e utilização da cidade e da paisagem, edificações e outros critérios para o fomento e o licenciamento de novas atividades económicas.

Mais do que a solução pelo betão, este é antes um tema cultural para envolver as pessoas e municípios, num esforço internacional, que, para além das questões práticas imediatas, poderia vir a promover toda uma nova cultura de relações ecológicas regenerativas, outras economias (circulares e de proximidade), bem como impulsionar a indústria a e agricultura inspiradas pela ecologia do território. Uma porta de oportunidades.

 

 

 Outras notícias - Opinião


O drama dos partidos de poder »  2018-12-07  »  Jorge Carreira Maia

A crise em que se arrasta o principal partido da oposição, o PSD, é sintomática da natureza dos partidos de poder em Portugal. São fortes e sólidos quando estão no poder; são frágeis e à beira da desagregação quando a governação lhes foge.
(ler mais...)


Mulheres »  2018-12-07  »  Inês Vidal

São mulheres. São presidentes, directoras, empresárias, polícias, bombeiras, autarcas, entre tantas outras profissões ou actividades. Acima de tudo, são mulheres. Ocupam cargos que um dia foram tradicionalmente de homens, ou foram as primeiras a fazê-lo por estas bandas.
(ler mais...)


Direito à indignação »  2018-12-07  »  Fernando Faria Pereira

O conceito deve-se, tanto quanto me lembro a Mário Soares, figura incontornável da democracia, que protagonizou a Presidência Aberta pelo Ambiente em resposta ao artigo 66º da constituição (ambiente e qualidade de vida) que estipula no seu nº 1: todos têm direito a um ambiente de vida humano, sadio e ecologicamente equilibrado e o dever de o defender.
(ler mais...)


Amasso Friday »  2018-12-07  »  Miguel Sentieiro

Vi as imagens daquela massa humana compactada à porta da loja de aspiradores na tal Black Friday. Numa primeira análise temo confessar que também embarquei na tese “ o que passa na cabeça destes mentecaptos para, numa 6ª feira de manhã, se sujeitarem a uma espera de horas neste degredo massivo?”.
(ler mais...)


As estradas do concelho de Torres Novas »  2018-12-07  »  António Gomes

Uma parte muito significativa das estradas, ruas, ruelas, largos, rotundas, somando mais de cem, que fazem parte da rede viária deste concelho, encontram-se em estado de deterioração mais ou menos avançado. Algumas situações estão mesmo num estado miserável, como sabemos.
(ler mais...)


Como funciona a nossa memória »  2018-12-07  »  Juvenal Silva

 

A memória é essencial para a nossa capacidade de gravar, armazenar e recuperar informações. A nossa memória é uma máquina fantástica, que contém as nossas perceções, os nossos sentimentos, as nossas memórias, imaginação e permite-nos pensar e, ser quem somos.
(ler mais...)


Filhos e netos »  2018-11-23  »  Jorge Carreira Maia

Para o meu neto Manuel.

Há uma diferença essencial, para um pai e avô, entre o nascimento de um filho e o de um neto. O nascimento do filho traz com ele, para além do prazer que a sua vinda significa, problemas práticos.
(ler mais...)


Palavra passe »  2018-11-21  »  Fernando Faria Pereira

Estaciono à primeira. Entro no café. Portas automáticas. 3 rapazes: o do lado de lá e outros 2. Boa noite! Bnoite. 1 Água com gás natural sem copo. A televisão está no CM: desgraças, previsíveis ameaças.
(ler mais...)


Biblioteca com vida »  2018-11-21  »  Anabela Santos

Há muitos anos, não quero lembrar quantos para não recordar que já estou na “meia idade”, subia, com alguma regularidade, a ladeira de Salvador e dirigia-me à biblioteca municipal, que ficava junto da igreja.
(ler mais...)


Quais os sintomas e tratamentos naturais dos resfriados »  2018-11-21  »  Juvenal Silva

Os resfriados podem ocorrer em qualquer época do ano. Todavia, são mais comuns entre as estações de outono e inverno.

Os sintomas mais comuns são: coriza, espirros, congestão nasal, tosse, dor garganta, cansaço, perda de apetite, febre baixa, embora nas crianças possa ser mais elevada ocasionalmente.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2018-11-23  »  Jorge Carreira Maia Filhos e netos
»  2018-11-21  »  Juvenal Silva Quais os sintomas e tratamentos naturais dos resfriados
»  2018-11-21  »  Anabela Santos Biblioteca com vida
»  2018-11-21  »  Fernando Faria Pereira Palavra passe
»  2018-12-07  »  Jorge Carreira Maia O drama dos partidos de poder