• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Terça, 20 Agosto 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sex.
 37° / 22°
Períodos nublados
Qui.
 38° / 22°
Céu limpo
Qua.
 37° / 18°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  33° / 14°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Ciência, Informação e Democracia

Opinião  »  2018-04-04  »  Eduarda Gameiro

A democracia é o meio pelo qual posso ter, à semelhança de qualquer pessoa na sociedade em que me insiro, uma ideia sobre o mundo que me rodeia. Por isso, com base em todos os ensinamentos e tabelas axiológicas que apreendi no decorrer da minha curta vida, creio e defendo que é o regime pelo qual devemos lutar. Cabe, todavia, a cada um de nós, como agentes decisores na sociedade, revelar algum bom senso e sabermos mensurar o nosso papel na democracia.

No dia 26 de Março, no programa Prós e Contras, debateu-se a obrigatoriedade da vacinação em Portugal e, no meio de especialistas certificados na matéria, surgiu um indivíduo (técnico na área do biomagnetismo) que defende um modelo diferente de vacinação e que, portanto, decidiu não vacinar a sua filha mais nova. Este indivíduo, com uma base discursiva alegadamente científica assente em bulas e estudos diversos resolve, num acto de subversão, testar os limites da saúde pública, pondo não só em causa a saúde da sua filha, mas também a das pessoas em seu redor.

Como um convidado que perfilhava uma opinião divergente afirmou, este indivíduo é um exemplo concreto da autodestruição das vacinas pelo seu próprio sucesso, já que a atenuação das patologias pelas mesmas causou uma sensação de independência destes métodos preventivos e potenciou a emergência de correntes que defendem a sua não-utilização.

Mas não é este o âmago da questão: num mundo rápido como é o que vivemos, a fácil disseminação de má informação é, infelizmente, um adubo para a opinião pública, reproduzindo-se a escalas estupidificantes. Frequentemente, esquece-se do quão preponderante é na tomada de decisões que terão efeitos no nosso quotidiano, não procurando, na sua generalidade, a verdade e a lógica junto de entidades competentes.
O povo tem e deve ter poder. Mas, até que ponto um indivíduo cabalmente leigo em dada matéria deve ter legitimidade para dar o seu contributo em assuntos tão basilares em que a ciência deve estar na vanguarda?

* estudante do ensino secundário, dirigente associativa em Casal Sentista, Torres Novas

 

 

 Outras notícias - Opinião


À mulher de César não basta ser séria… »  2019-08-09  »  António Gomes

Vem isto a propósito da aquisição de imóveis pela Câmara de Torres Novas, sitos em Riachos. Só o BE votou contra.

Os proprietários propuseram a aquisição e a Câmara comprou.
(ler mais...)


Bons Sons »  2019-08-09  »  Inês Vidal

Treze anos, dez edições, uma aldeia em manifesto. Arrancou ontem, dia 8, mais uma edição do festival Bons Sons, que anualmente traz a Cem Soldos, concelho de Tomar, milhares de pessoas e música, muita música portuguesa.
(ler mais...)


Carteiro »  2019-08-09  »  Ana Sentieiro

A genética é, de facto, uma coisa incrível! Contudo, no meu caso, a genética desempenha mais o papel de progenitor ausente, que se esquece do meu aniversário, não sabe o meu número de telemóvel e saca duas notas de vinte da carteira de pele quando está folgado e diz, “Para te divertires, mas não digas à tua mãe!”.
(ler mais...)


Livros para férias »  2019-08-09  »  Jorge Carreira Maia

COMO MORREM AS DEMOCRACIAS. Autores Steven Levitsky & Daniel Ziblatt, ambos professores em Harvard. Uma reflexão com incidência americana, mas apoiada no estudo das mortes da democracia nos anos trinta do século passado, na Europa, e nos anos 60 e 70, também do XX, na América Latina.
(ler mais...)


Balanço político da legislatura »  2019-07-20  »  Jorge Carreira Maia

Partido Socialista. Nunca, na história da democracia portuguesa, tinha havido um governo suportado por toda a esquerda parlamentar. António Costa e os socialistas foram os grandes beneficiários da inovação.
(ler mais...)


Umbigos, por Inês Vidal »  2019-07-05  »  Inês Vidal

A política sempre foi um dos assuntos que me deu mais gozo acompanhar enquanto jornalista. Não é novo, já o disse aqui muitas vezes. Encanta-me o jogo, perceber as redes, as pessoas, ver o que as move, como se movem, como a política puxa pelo melhor e revela o pior de quem se envolve.
(ler mais...)


Bloco de Esquerda, Rui Rio, União Europeia e Igreja Católica »  2019-07-05  »  Jorge Carreira Maia

O BLOCO DE ESQUERDA E OS DEPUTADOS. Parece haver divergências entre a distrital de Santarém e a direcção nacional sobre quem deve encabeçar a lista de candidatos pelo distrito às eleições legislativas.
(ler mais...)


PLANTAR ÁRVORES »  2019-07-04  »  António Gomes

As alterações climáticas a que estamos a assistir, e aquelas que nos são anunciadas por estudos científicos, devem ser para levar a sério. O equilíbrio climático a que nos habituámos está em mudança acelerada.
(ler mais...)


Autarquias, professores, padres casados e futebol »  2019-06-20  »  Jorge Carreira Maia

PODER AUTÁRQUICO. Depois da operação Teia, uma nova operação contra detentores – ou ex-detentores – do poder autárquico. Não faço ideia o que pensam presidentes de câmara e vereadores sobre a reputação das autarquias.
(ler mais...)


Democracia, por Inês Vidal »  2019-06-19  »  Inês Vidal

Somos todos pela democracia. Menos quando ganha quem não queremos. Esta coisa da democracia tem que se lhe diga. Que o diga eu que, nunca falhando a umas eleições, nunca vi ganhar nenhumas. Fica sempre um sabor amargo na boca, uma angústia de não ver ganhar quem se quer.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-08-09  »  Ana Sentieiro Carteiro
»  2019-08-09  »  Jorge Carreira Maia Livros para férias
»  2019-08-09  »  Inês Vidal Bons Sons
»  2019-08-09  »  António Gomes À mulher de César não basta ser séria…