• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Sábado, 23 de Junho de 2018
Pesquisar...
Ter.
 27° / 15°
Céu limpo
Seg.
 27° / 18°
Céu nublado
Dom.
 32° / 17°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  33° / 19°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

REFUGIADOS OU REFUGO DA HUMANIDADE?

Opinião  »  2015-09-17  »  José Ricardo Costa

"Para um cristão não deve existir nem judeu nem grego, nem escravo nem livre, nem homem ou mulher"

Há dias, no Le Monde, o filósofo Jean Claude Bourdain divertia-se com os presidentes de câmara de Roanne e Belfort, pelo facto de só quererem aceitar refugiados cristãos, na mesma linha do que está a acontecer noutras regiões mais a leste, onde em tempos se criou o Homem Novo mas que rapidamente envelheceu. O filósofo faz então um exercício pleno de imaginação: arranjar um critério que permita distinguir os cristãos dos não-cristãos. 

Começa pelo óbvio: como gesto de boas-vindas aos refugiados, oferece-se vinho tinto e enchidos. Os que comerem e beberem, são cristãos, os que recusarem não são cristãos. Mas se os não-cristãos, motivados pela necessidade de serem aceites, ultrapassarem os seus sentimentos de repugnância, fazendo o sacrifício de beber e comer? Pensa então numa coisa melhor: que tal submeter os refugiados a uns testes de escolha múltipla sobre os Evangelhos e as Epístolas de S. Paulo? Quem acertar é cristão, quem não acertar é herege. Mas rapidamente percebe que saber coisas de cor não implica qualquer convicção a respeito delas. Não diz ele mas digo eu: se ensinarmos uma pessoa que não sabe alemão a dizer  «Ich bin fünfzig jahren alt» no caso de lhe perguntarem «Wie alt bist du?», irão pensar que domina a língua. Por isso, esqueçamos a escolha múltipla. Um não cristão, apesar de não o ser, pode saber tanto dos Evangelhos e das Epístolas, como alguém que o seja.

Embora se trate de uma brincadeira, parece-me que o autor parte do pressuposto de que conhecer bem os Evangelhos e as Epístolas de S. Paulo faz naturalmente parte da vida espiritual de um cristão.  Ora, não me parece que seja essa a realidade, tendo as maiores dúvidas sobre uma putativa grande diferença nos resultados de cristãos e não-cristãos caso as perguntas de escolha múltipla fossem assim um bocadinho para além do mais elementar. Basta ir às minhas aulas e perguntar a jovens que se assumem cristãos e que foram baptizados e crismados, coisas básicas a respeito dos Evangelhos ou das Epístolas de S. Paulo. E quem diz jovens cristãos, diz adultos cristãos, que foram baptizados, crismados, tiveram um matrimónio cristão e virão a ter um enterro não menos cristão. Eis um bom exemplo do facto de a identidade cristã ser um dos grandes equívocos da identidade europeia. Sem dúvida de que a história da Europa sem o cristianismo não teria sido a mesma. Claro que somos cristãos, o que não acontece com indianos, japoneses ou afegãos, e isso demarca-nos deles. Mas uma coisa é assumirmos uma identidade formal, outra será sermos feridos espiritual, moral e emocionalmente por essa identidade.

Se o nosso padre António Vieira tivesse a oportunidade de privar com os dois presidentes de câmara, o mais certo seria lembrar-lhes que «Palavras sem obra são tiro sem bala; atroam mas não ferem». E que «o pregar que é falar faz-se com a boca; o pregar que é semear faz-se com a mão. Para falar ao vento bastam palavras; para falar ao coração são necessárias obras». Ou ainda, que «as palavras entram pelos ouvidos, as obras entram pelos olhos, e a nossa alma rende-se muito mais pelos olhos que pelos ouvidos». [Sermão da Sexagésima]

Estamos, de certo modo, perante um paradoxo. Os dois presidentes de câmara exigem um atestado de pureza ou autenticidade cristã. Porém, fazem-no, através de uma conduta não cristã, esquecendo, como lembra o filósofo no seu artigo, que para um cristão não deve existir nem judeu nem grego, nem escravo nem livre, nem homem ou mulher. E que merece a glória, a honra e a paz todo aquele que faz o bem, venha de onde vier, pois para Deus não existem marcas de pessoas, apenas pessoas. 

 

 

 Outras notícias - Opinião


Dias difíceis »  2018-06-22  »  Jorge Carreira Maia

A situação política está mais confusa do que parece. Só há um dado claro e inequívoco. Exceptuando os socialistas, todos os actores agem com o objectivo de evitar que o PS obtenha maioria absoluta nas próximas legislativas.
(ler mais...)


Aloé Vera, a planta milagrosa »  2018-06-21  »  Juvenal Silva

Aloé Vera, também conhecida por planta do milagres pelos médicos da antiguidade, é uma planta medicinal cujo uso tem sido intensificado ao longo dos séculos e, nas últimas décadas, tem sido motivo de interesse de pesquisas, com vários estudos científicos na aplicação de uma grande variedade de doenças e com grande destaque nas doenças oncológicas.
(ler mais...)


Cumpre-se a tradição »  2018-06-21  »  Anabela Santos

Junho, mês dos santos populares… António, Pedro e João.
Santo António, conhecido por Santo António de Lisboa, o santo que pregou aos peixes, o Santo casamenteiro, não é exclusivo da nossa capital e não é de Pádua.
(ler mais...)


A água »  2018-06-21  »  António Gomes

É de todos conhecida a escassez de água doce existente no planeta. Em Portugal, o ano de 2017 foi particularmente avisador para toda a gente: lembramos bem o transporte de água de umas regiões para outras e os condicionalismos impostos ao seu consumo (jardins, rotundas, etc).
(ler mais...)


O governo e os professores »  2018-06-07  »  Jorge Carreira Maia

O que terá levado o ministro da Educação a afirmar que, perante a posição dos sindicatos, o governo, que tinha prometido recuperar quase três anos do tempo em que as carreiras dos professores estiveram congeladas, não contará qualquer tempo para a progressão docente? O ministro pode achar que é uma estratégia brilhante para enfrentar os sindicatos, mas não percebeu como ela é humilhante para os professores, que se sentem tratados como crianças que são castigadas por um ministro a quem, na verdade, não reconhecem qualquer autoridade política ou educativa.
(ler mais...)


Torres Novas está lá dentro »  2018-06-06  »  Carlos Tomé

Casa Espanhol, uma das três lojas mais antigas de Torres Novas, fechou as suas portas no passado dia 30 de Maio. Torres Novas nunca mais será a mesma terra. Com este encerramento encerra-se uma determinada forma de estar na vida, a generosidade e a inteligência de conseguir estar quase 80 anos à frente de um estabelecimento comercial que marcou indelevelmente a vida da cidade.
(ler mais...)


As Claques »  2018-06-06  »  José Ricardo Costa

Há quatro anos, naquela derradeira fase em que cada jogo é uma final, fui a Aveiro ver o Benfica-Arouca. Indo inocentemente para trás de uma baliza acabei engolido por uma ubérrima claque encarnada transformada num grupo de ménades em pleno desvario, que, apesar do meu cachecol também encarnado, fizeram-me sentir tão em casa como a atravessar o cruzamento de Shibuya em hora de ponta.
(ler mais...)


Empurrar com a barriga »  2018-06-06  »  António Gomes

O edifício dos “Lourenços”, ocupado há 14 anos pela câmara, vai ser adquirido pelo município (390 mil euros). A ocupação do edificio foi acordada por um período de 18 meses, em 2004, sem hipóteses de renovação.
(ler mais...)


A medicina na idade antiga e as plantas medicinais »  2018-06-06  »  Juvenal Silva

A medicina sempre foi considerada uma arte sagrada e era ensinada nos templos. O diagnóstico da doença estava associado ao pecado, e o paciente era isolado para evitar a contaminação a outras pessoas, tanto físicas como espirituais e psicológicas.
(ler mais...)


Espanhol »  2018-06-06  »  Inês Vidal

A minha filha pedia-me hoje que a ajudasse a escolher um local e uma figura da nossa terra. Procurava uma resposta para um trabalho de estudo do meio. Lembrei-me do castelo, por conhecer o seu gosto pela história dos reis e rainhas de Portugal, mas quanto às figuras, andámos por ali as duas a deambular entre várias hipóteses, mas nenhum que nos arrebatasse de uma só vez.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 10 dias)
»  2018-06-22  »  Jorge Carreira Maia Dias difíceis
»  2018-06-21  »  Juvenal Silva Aloé Vera, a planta milagrosa
»  2018-06-21  »  Anabela Santos Cumpre-se a tradição