• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Terça, 18 de Setembro de 2018
Pesquisar...
Sex.
 31° / 16°
Céu limpo
Qui.
 31° / 18°
Céu limpo
Qua.
 32° / 15°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  30° / 17°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Água é essencial e fonte de vida

Opinião  »  2017-06-21  »  Juvenal Silva

A água é uma necessidade essencial para o organismo e o seu consumo deverá fazer parte dos nossos hábitos diários, durante todas as épocas do ano.

A época de verão merece uma particular atenção e não deveremos esperar pela sede para beber, mas ter o hábito de beber durante todo o dia. Existem alguns estudos que indicam que se deverá beber 1,5 L de água por dia, ou 8 copos diariamente. Mas será que deveremos considerar como suficiente? O corpo é composto entre 60% a 70% de água, dependendo da morfologia de cada indivíduo. Num clima temperado, uma pessoa média gasta mais de 2 litros de água corporal por dia. O corpo elimina mais do que um litro de água por dia através da urina e, a mesma quantidade pelas fezes, suor e respiração. As perdas de água são mais acentuadas no tempo quente, durante a atividade física, durante o aleitamento e em caso de doença e estado febril. Cada pessoa tem as necessidades de água de acordo com o seu tamanho, clima e estilo de vida. Considerando que o ser humano adulto de estatura média elimina cerca de três litros de água por dia, é indispensável que esta quantidade seja regularmente reposta, para serem evitados distúrbios dermatológicos, obstipação intestinal, dificuldades digestivas ou desidratação. Assim sendo, facilmente depreendemos que a necessidade de líquidos supera os oito copos de água, ou 1,5L diários.

Quando se deve beber água?

Imediatamente após acordar e ao longo de todo o dia.

Beber antes, durante e, depois de atividade física.

Água à refeição, sim, ou não?

Embora sendo um hábito beber água à refeição, não é aconselhável, porque dilui os sucos gástricos e retarda o processo digestivo, causando dilatação abdominal e regurgitações esofágicas. Acompanha bem a refeição uma infusão de camomila, hortelã, alecrim, etc.

Como beber a água

A água deve ser bebida fora das refeições e em pequenas quantidades, sem excessos, para não forçar os rins a um trabalho extraordinário. O ideal será cerca de 0,5 L por hora.

Qual o melhor tipo de água para beber

Água neutra PH 7 (pessoas com PH sanguíneo estabilizado 7,4).

Água com PH acima de 7,5 (pessoas com PH sanguíneo ácido, isto é, inferior a 7,4).

A importância da água no organismo

Imprescindível para a sobrevivência humana e fortalecimento do sistema imunitário.

Dissolve e transporta a maioria das substâncias, sejam tóxicas ou nutritivas.

Indispensável na absorção e transporte dos nutrientes que ingerimos.

Indispensável para a excreção de substâncias tóxicas através da pele, intestinos e rins.

É indispensável às reações químicas que se produzem ao nível celular.

Essencial para a manutenção e regulação da temperatura corporal.

Indispensável para a manutenção do volume de sangue e linfa.

Fornece saliva para ajudar a engolir alimentos.

Funciona como lubrificante das articulações e dos olhos.

Fundamental para a atividade neurológica cerebral.

A falta de água no organismo o que pode provocar?

Desidratação, urina escura, boca e garganta seca, apatia, pele seca e desidratada, dores de cabeça e tonturas, intolerância ao calor.

Num estado avançado de desidratação, frequente nas pessoas que não têm o hábito de beber água todos os dias, (seja inverno seja verão), ocorre fraqueza muscular ou cãimbras, devidas ao desequilíbrio de sódio e potássio no sistema muscular.

Os efeitos nefastos da desidratação

Prejudicando as funções vitais, um estado permanente de desidratação, pode causar sérios problemas de saúde, de forma silenciosa…

Particularmente os idosos e as crianças, são mais suscetíveis, por causa dos seus metabolismos que são frágeis e porque também,sentem menos sede que o comum das pessoas.

E as crianças? É necessária uma preocupação redobrada

As crianças não têm normalmente o hábito de beber água, pelo que devem ser encorajadas a beber em casa, na escola e quando estejam fora de casa.

De acordo com a idade e a época do ano, a quantidade pode variar entre 600 ml a 1200 ml diários, para além de outros líquidos, incluindo sopas e sumos de fruta natural.

A ausência destes procedimentos, pode provocar desidratação de consequências imprevisíveis.

Quais são os sinais de desidratação?

Urina mais escura e menor quantidade de micção.

Olhos encovados e escuros e lábios secos e desidratados.

Fadiga, irritabilidade, dores de cabeça, febre, choro nos bébés.

Perda de elasticidade da pele.

Aumento da frequência cardíaca.

Sensação de desmaio.

 

 

 Outras notícias - Opinião


O quarto milagre de Fátima »  2018-09-13  »  Jorge Carreira Maia

O começo do ano lectivo é marcado pela generalização de uma nova reforma do sistema educativo. A ideia que está na base de mais uma aventura na educação portuguesa prende-se com a convicção da actual equipa do Ministério da Educação de que o trabalho realizado pelo professorado está globalmente desadequado às exigências do século XXI.
(ler mais...)


Poesia nos posters »  2018-09-12  »  José Mota Pereira

Eu não entendia. Nem poderia entender (aos seis, sete, oito anos de idade) o alcance daquelas palavras. Mas havia naqueles dois posters um magnetismo, uma espécie de magia que me prendiam às palavras que deles saltavam para os meus olhos.
(ler mais...)


Rentrée »  2018-09-12  »  Anabela Santos

O mês de Agosto já passou, acabaram as férias, o verão vai deixar-nos e aproxima-se o Outono.

Chegou Setembro, o mês do(s) recomeço(s). Na minha opinião, seria a altura de abrirmos uma garrafa de champanhe, de fazer um brinde à nova época, um brinde à vida.
(ler mais...)


Ansiedade: uma doença da sociedade moderna »  2018-09-12  »  Juvenal Silva

O que é a ansiedade?

A ansiedade é uma emoção causada por uma ameaça observada ou experimentada e, que o organismo utiliza como mecanismo para reagir de forma saudável às pressões da vida ou até a situações de perigo.
(ler mais...)


Olha, a gaivota! Olha a gaivota! »  2018-09-01  »  Maria Augusta Torcato

 As ideias estão ainda de férias. Se a palavra não fosse tão feia, eu até a utilizaria mais – procrastinação. Meu Deus, que palavra horrível para dizer apenas que se anda com  preguiça, sem vontade, a adiar o que tem de ser feito.
(ler mais...)


O passado e a tradição »  2018-08-30  »  Jorge Carreira Maia

Graças a um artigo de António Guerreiro, no Público, descobri dois versos extraordinários do realizador e poeta italiano Pier Paolo Pasolini. Deste, conheço alguns filmes, mas nunca li a sua poesia.
(ler mais...)


Ética »  2018-08-29  »  Inês Vidal

As novas tecnologias e a Internet - admirável mundo este que nos leva ao outro lado do globo num segundo - vieram mudar os nossos dias, rotinas, até o tom e a forma das nossas conversas. “O meio é a mensagem”, já anunciavam há muito alguns teóricos destas coisas da comunicação.
(ler mais...)


Agosto »  2018-08-29  »  José Mota Pereira

O mês de Agosto vai-se despedindo, a pouco e pouco, nestes dias e noites quentes.

Não há novidade nisto: Agosto ainda é o mês em que, por todo o país, se toma conta dos largos e se dança, canta, convive nas festas populares, trazendo vida aos territórios a que chamamos aldeias e de onde, se há notícias ao longo do ano, é para contar do abandono e da desertificação.
(ler mais...)


Uso e abuso de substancias químicas: a dependência de drogas e álcool »  2018-08-29  »  Juvenal Silva

O uso e abuso de substâncias químicas caracteriza-se por uma dependência, tanto psicológica como física, de drogas, incluindo-se medicamentos com receita médica e álcool.

O que é uma dependência química? Acontece quando um indivíduo necessita de uma droga para funcionar.
(ler mais...)


Protectorado »  2018-08-16  »  Jorge Carreira Maia

O Verão teve, até agora, dois acontecimentos políticos maiores. O caso Robles e o fogo de Monchique. Maiores para os mass media e para uma certa direita social. Por direita social não me refiro aos partidos políticos de direita, os quais não estiveram particularmente mal em ambos os casos, mas àqueles que se manifestam nas redes sociais, nas caixas de comentários dos jornais online, que surgem como espontâneos nos directos das televisões, isto é, a uma militância informe, mas muito activa, que vive despeitada pelos seus não estarem no governo.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 10 dias)
»  2018-09-13  »  Jorge Carreira Maia O quarto milagre de Fátima
»  2018-09-12  »  José Mota Pereira Poesia nos posters
»  2018-09-12  »  Anabela Santos Rentrée