• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Segunda, 22 Abril 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qui.
 16° / 9°
Períodos nublados com chuva fraca
Qua.
 17° / 8°
Céu nublado com chuva moderada
Ter.
 14° / 8°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  21° / 10°
Céu nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Atrás dos vinhos, sem pressas, há muito para provar

Sociedade  »  2018-04-20 

David Policarpo veio de Évora e convida os torrejanos

Quando fechou o Zé da Ana, o clássico, o gourmet, instalou-se na vila um sentimento de orfandade e luto cerrado e Torres Novas nunca mais foi a mesma. É verdade que a elitista taberna do Bué já tinha encomendado a alma há muito, bem como o inesquecível “reservado” do Café Portugal, para não falar da adega do Valeriano do Solar do Melro e outros botecos menos conhecidos. Mas o Zé da Ana era o último e fiel representante dessa estirpe de nobres petisqueiros e encarnava, ele próprio, os elevados princípios dessa plebeia aristocracia da patuscada.
Mestre Zé dominava a sala, os pedidos e as ansiedades dos clientes como antes disso era o senhor do meio campo dos “amarelos”, a distribuir jogo quase de olhos fechados, nas calmas, sem alaridos, bola a pingar para o tiro do Matos ou a cabeça do Nabiça. Era esse o jogo, na prestigiada casa de pasto: ninguém levantava cabelo e não havia privilégios. Mestre Zé dobrava-se perante o rigor e não vacilava nunca. Era por ordem de chegada e essa sequência aparentemente confusa do entra e sai que durava até às duas e picos, hora de fechar a porta, não o atrapalhava. Como um moderno computador, ele registava na cabeça essa ordem tão complexa como a arquitectura dos planetas, mais os pedidos. Não adiantava falar, Mestre Zé avisava a malta só com o olhar e cada olhar era um decreto com força de lei.
Então o jogo do Zé da Ana (José Pedro, se faz favor) era outro: por falar em bola, aquilo era de outra galáxia e assentava num quarteto ímpar: o carapau de escabeche, o pastel de bacalhau, a costoleta panada e o queijo amanteigado, a que se juntava o vinho que mestre Zé transportava do depósito que tinha no Lamego, mesmo em frente do Almonda Parque onde tinha conhecido a glória. Era do Cartaxo, mas do bom, e foi assim durante anos. Quem nunca provou os pastéis de bacalhau ou os carapaus que desciam do piso de cima, os deuses a tenham em descanso, Carolina querida, não sabe o que é nada.
Os tempos são outros, entretanto. Agora é tudo mais à moderna e é mais difícil convencer as gentes do petisco a sair de casa ou a demorar-se até lá chegar. Ir atrás dos vinhos e encontrar uma mesa repleta de pequenas iguarias pode ser uma agradável surpresa. A ideia da petisqueira “Atrás dos Vinhos” surgiu há dois anos, “com o objetivo de oferecer a Torres Novas um ponto de encontro intimista e familiar, onde depois do trabalho os amigos ou a família se podem reunir para degustar um bom vinho e experimentar os petiscos” do David Policarpo, conta o próprio. David é um apaixonado pela cozinha desde a infância (aos nove anos já fazia bolos e tartes para restaurantes em Évora, tendo-se formado mais tarde na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril).
Filho de mãe francesa e de pai alentejano, a sua cozinha combina pratos que vão desde a sopa de tomate à alentejana ou açorda alentejana, passando pela tartiflette ou o cassoulet (de origem francesa) e acabando num sericá ou num clafoutis. Mas há muitas mais coisas bem portuguesas, conforme a ocasião: queijos e enchidos, favas, ovos…
David trabalha com a mulher, Marta Nunes Ferreira, uma historiadora de Arte com experiência em hotelaria adquirida em Évora – cidade Património Mundial. A sua sensibilidade artística faz com que artistas locais se apropriem naturalmente do espaço, onde deixam em depósito as suas obras. Outros deixam cantigas e folguedos, que a casa apadrinha essas celebrações mais festivas e calorosas.
A cozinha é aberta: a ideia é quebrar as fronteiras habituais entre cliente e quem recebe, “em ambiente de descontracção onde as amizades vão despontando e as conversas vão buscar, por vezes, as memórias gastronómicas de clientes”, assegura David. Os clientes, aliás, são um referencial importante para este casal ir aprendendo o que as pessoas gostam de forma genuina, porque lhe trazer à memória sabores da infância ou das zonas de onde são originárias.
Resta dizer: o “Atrás dos Vinhos” localiza-se na rua de “Trás-os-Muros”, que se abre a partir do túnel da 1.º de Dezembro em direcção ao castelo, logo a seguir àquela patusca carranca de sorriso enigmático que atiçou a curiosidade de gerações de torrejanos. E está aberto todos os dias, excepto ao domingo, entre as 18 e as 23 horas.
Salvé David, salvé Marta! Que sejam longos os dias deste abraço forte e tranquilo do quente Alentejo a esta vilória adormecida aos pés do velho castelo moirisco. J.C.L

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Associação do Património denuncia abate de choupos na Ribeira »  2019-04-17 

 Ontem, dia 16 de Abril, foram cortados pela base vários choupos em bom estado, junto ao mouchão do rio Almonda, na ponte entre as Ribeiras. Mais cinco árvores estarão marcadas para abate, todas árvores de grande porte, sem sinais evidentes de doença ou secura, e com funções ecológicas relevantes, denuncia a Associação do Património de Torres Novas em comunicado de hoje, 17 de Abril.
(ler mais...)


Associação Protectora dos Animais tem novos corpos sociais »  2019-04-06 

Foram eleitos ontem, dia 5 de Abril. os novos órgãos sociais da Associação Protectora dos Animais de Torres Novas (APA) para o triénio 2019-2022. A direcção continua a ser presidida por Rosário Pires Bento, que lidera a APA desde 2013, anuncia nota de imprensa da associação.
(ler mais...)


Pedro Triguinho absolvido em processo da Fabrióleo »  2019-03-22 

Pedro Triguinho, activista do movimento ambientalista Basta!, de Torres Novas, foi absolvido na sexta-feira, no Tribunal de Torres Novas, num processo em que era acusado de difamação por uma então administradora da empresa Fabrióleo, que lhe moveu a acção a título pessoal.
(ler mais...)


Pias Longas: trabalhos no aterro continuam, vereador do ambiente nada diz »  2019-03-13 

Os trabalhos relacionados com a ampliação do aterro do topo sul da pista do aeródromo de Pias Longas, situado na fronteira entre os municípios de Ourém e Torres Novas, continuam em marcha, isto apesar de uma fiscalização da câmara de Torres Novas ter confirmado, logo na altura da denúncia por este jornal, que milhares de toneladas de pedras e terra estavam a ser despejadas para dentro da território do concelho de Torres Novas numa área de elevado potencial ambiental e que integra a Reserva Ecológica Nacional.
(ler mais...)


Alterações climáticas: Maria Lamas promove aula aberta no auditório municipal »  2019-03-08 

Dando sequência a idêntica iniciativa do ano transacto, a escola Maria Lamas volta a promover uma aula aberta, desta vez no auditório municipal (edifício da biblioteca Gustavo Pinto Lopes), e sob o tema “Alterações climáticas e biodiversidade”.
(ler mais...)


O triunfo dos porcos: só câmara pode impedir mega-suinicultura »  2019-03-04 

Depois de amanhã, o executivo municipal vai ser chamado a deliberar sobre um assunto de enorme importância ambiental para o concelho: a instalação de uma suinicultura na Quinta de Caniços, freguesia de Brogueira, a dois passos da Reserva do Paul e perto de povoações.
(ler mais...)


Maioria quer gastar mais de 600 mil no Rossio em mais uma obra inútil »  2019-02-28 

Não se pinta um único banco de jardim há anos, as pontes do jardim das rosas estão interditas, à volta do castelo é só ruína, há calçadas e passeios escavacados por todo o lado, nada é mantido.
(ler mais...)


A Tasca: nova vida com Paulo Emílio »  2019-02-21 

Durante uns anos restaurante de referência de Torres Novas em tempo do consulado do fundador, Vítor Alves, A Tasca passou depois por algumas experiências, umas melhores outras nem por isso, pois na realidade nenhuma delas teve a duração que permitisse consolidar uma proposta ou uma ideia para a casa situada na velha Rua da Corrente, bem pertinho da Ponte do Raro.
(ler mais...)


Aeródromo de Pias Longas: aterros invadiram reserva ecológica do concelho »  2019-02-21 

Poderá estar em marcha um enorme atentado ecológico contra o território do concelho e uma acção que põe em causa o Estado de direito. O avanço dos aterros, segundo os limites administrativos entre Torres Novas e Ourém (a autarquia ouriense serve-se, ao que parece, de outra linha divisória) entrou cerca de 200m no concelho de Torres Novas, perfazendo uma área de implantação de cerca de 20 000 metros quadrados.
(ler mais...)


Festival do Cogumelo da Parreira: Chakall, Marco Costa e Rouxinol Faduncho »  2019-02-12 

De 1 a 3 de março, o cogumelo é de novo a estrela à mesa da III edição do Festival do Cogumelo que junta gastronomia, animação musical, bares, artesanato, cozinha ao vivo e, claro, exposição de produtores e agentes económicos do setor,  um evento de dinamização e promoção territorial, organizado em parceria pelo Município da Chamusca e pela União de Freguesias de Parreira e Chouto.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 30 dias)
»  2019-04-06  Associação Protectora dos Animais tem novos corpos sociais
»  2019-04-17  Associação do Património denuncia abate de choupos na Ribeira