• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Quarta, 12 de Dezembro de 2018
Pesquisar...
Sáb.
 16° / 6°
Céu nublado
Sex.
 15° / 7°
Períodos nublados
Qui.
 15° / 8°
Períodos nublados com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  13° / 9°
Céu muito nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Autárquicas: “Estamos preparados para sermos a nova maioria”, Filipa Rodrigues

Sociedade  »  2017-09-26 

Candidata da CDU à câmara municipal de Torres Novas

A candidatura da CDU vai ser seriamente colocada à prova nestas eleições. Não sei se concorda. É que vinte e cinco anos depois, a CDU apresenta uma (natural) alternativa a Carlos Tomé que neste tempo todo conseguiu ser eleito e representar a coligação na câmara de Torres Novas. Ao encabeçar a lista da CDU, sente o peso dessa responsabilidade?
Concordo, até porque a dinâmica que tem envolvido a nossa candidatura é uma dinâmica de crescimento, que se nota, desde logo, na composição das nossas listas. Quem olhar atentamente para as listas da CDU, percebe que temos mais candidatos que concorrem pela primeira vez, e isso significa que há cada vez mais pessoas que se revêem no projecto autárquico da CDU, que querem participar nele e que querem exercer a sua cidadania ao nosso lado. Neste sentido, não é só a candidatura da CDU que vai ser “seriamente colocada à prova”, mas também, e principalmente, a candidatura de quem tem a maioria na câmara municipal nos últimos 25 anos.

Da nossa parte, estamos muito confiantes e seguros do trabalho que sempre desenvolvemos na câmara municipal, independentemente das pessoas que asseguraram o cargo de vereador/ a. Por isso, partimos para estas eleições com enorme sentido de responsabilidade, mas sem sentir qualquer peso, pois a nossa consciência está muito tranquila e serena quer no que respeita ao nosso projecto autárquico quer no que respeita à equipa de trabalho que apresentamos para governar a câmara municipal.

Neste momento, podemos afirmar, com determinação, que estamos preparados para ser a nova maioria na câmara municipal de torres novas e para assumir todas as responsabilidades que as torrejanas e os torrejanos nos quiserem atribuir. Qual será um bom resultado para a CDU, quer seja ao nível da câmara municipal ou das freguesias? Um bom resultado para a CDU será aquele que vamos conhecer no dia 1 de Outubro à noite. até porque acreditamos que “quem luta, nem sempre ganha, mas quem não luta, perde sempre”.

Ao longo deste mandato a Ana Filipa proferiu por diversas vezes, muitas aliás, a expressão “gestão incompetente da maioria socialista”, referindo-se a diversos assuntos: obra de restauro do antigo hospital, processo do Almonda Parque, entre outros. Como explica que a incompetência continue a ganhar eleições?
Essa expressão foi utilizada em momentos concretos, para definir situações específicas. Quer o Convento do Carmo quer o Almonda Parque foram problemas criados por quem gere a câmara municipal há 25 anos. a “solução” encontrada para cada um deles resultou em prejuízo para o erário público, em vários milhões de euros, sem que as populações tenham sido beneficiadas. Neste sentido, não se pode dizer que a gestão destes dois processos tenha sido competente.

Logo... sei que a expressão é agressiva, mas corresponde à realidade, e estes dois processos são paradigmáticos de um modelo de gestão que está mais que esgotado. Como é “que a incompetência continua a ganhar eleições”? Para responder a essa pergunta posso dar um exemplo concreto. Quando a CDU apresentou uma proposta para a construção de um novo edifício para as oficinas da câmara, denunciando uma situação absolutamente irregular por parte do município no que respeita às condições de trabalho, o Jornal torrejano publicou, de imediato, uma notícia que dizia que essas oficinas já estavam a ser construídas, desvalorizando a nossa proposta. Passados três anos, ainda não foi colocado um tijolo no terreno que o vosso jornal então apontava. Respondi à pergunta?

 Pedia para identificar os cinco principais problemas que procurará resolver se for eleita a próxima presidente de câmara?
1. Terminar, com carácter de urgência, a revisão do Plano Director Municipal (PDM), que é o instrumento legal para gestão do território, e que, no caso do nosso concelho, está com um atraso de 15 anos.

2. Trabalhar para a resolução de carências básicas, como o abastecimento de água, higiene urbana, saneamento e rede viária, sendo esta a prioridade de uma política de desenvolvimento que assume as pessoas como centro das preocupações. Neste sentido, propomos fazer, a título de exemplo, um levantamento dos problemas existentes na rede viária e, consecutivamente, elaborar uma lista de prioridades, a ser divulgada nas Juntas de Freguesia e respectivas populações, com o objectivo de implementar obras de pavimentação que facilitem a mobilidade e permitam o acesso seguro às diferentes áreas do concelho.

3. Incentivar a fixação de unidades produtivas, potenciando as zonas industriais, e dinamizar feiras e eventos que valorizem o tecido económico de base local, constituído maioritariamente por micro e pequenos empresários, como estratégia de combate à desertificação e de criação de emprego qualificado. No âmbito da dinamização do tecido económico gostaríamos ainda de desenvolver acções orientadas para os micro e pequenos produtores, de forma a valorizar e preservar as economias tradicionais do concelho (e.g. frutos secos, azeite, laranjas do Pafarrão), tendo em vista a sua consolidação e integração no mercado, assim como implementar projectos de desenvolvimento na área do turismo de natureza e do turismo cultural, afirmando estas áreas como motores de crescimento económico e de dinamização do comércio e serviços locais.

4. Na área do meio ambiente, pretendemos rever o Plano municipal do ambiente, tendo em vista a implementação imediata do plano de acção e monitorização dele decorrente. cremos que só desta forma se podem resolver problemas estruturais de poluição que ainda subsistem no concelho, entre os quais se encontra a ribeira da Boa Água.

5. Actuar para uma efectiva recuperação dos centros históricos de torres novas e lapas, estimulando a recuperação e ocupação de edifícios, revitalizando o comércio local, reorganizando o trânsito, criando bolsas de estacionamento e removendo barreiras arquitectónicas.

Pessoalmente, quais são as suas motivações para embarcar neste desafio, neste combate eleitoral? 
Em primeiro lugar, a percepção de que o concelho de torres novas cresceu de forma assimétrica, com a canalização de fundos para a execução de obras megalómanas na cidade (Palácio dos desportos e Piscinas municipais), quando nas aldeias ainda há carências básicas por resolver, designadamente ao nível da rede viária, do saneamento básico e abastecimento de água.

Neste plano, refira-se ainda que a própria cidade cresceu também de forma desigual e desordenada, verificando-se que entre grandes avenidas ladeadas de palmeiras está um centro Histórico com cerca de 50% dos prédios degradados, o que o torna já num caso de saúde pública. Em segundo lugar, a noção de que o concelho de torres novas tem um enorme potencial, decorrente quer da sua posição geoestratégica, quer da sua riqueza natural e patrimonial, que está completamente subaproveitado (por vezes, desconfio que quem tem gerido a câmara municipal nem se apercebe desse mesmo potencial!). Em terceiro lugar, o facto de estar muito bem acompanhada neste desafio.

A lista da CDU à câmara municipal de torres novas é uma lista de pessoas com provas dadas em diversas áreas de actividade, sendo a sua determinação o “selo de garantia” de uma gestão rigorosa que respeita, sobretudo, o interesse público.

 

 

 Outras notícias - Sociedade


ENTREVISTA: Rosário Marcelino, primeira presidente da Banda Operária »  2018-12-11 

Rosário Marcelino, mulher, mãe, trabalhadora e presidente da BOT:

 “Com esta acumulação de funções alguém tem ficado para trás. E é sempre a família que fica

 Maria do Rosário Nalha Marcelino tem 50 anos, é natural da Chamusca e viveu em Lisboa até aos 17 anos, altura em que se mudou para Torres Novas.
(ler mais...)


Renova apresenta livro em Espanha sobre instalação com rolos de papela higiénico de 20 quilómetros »  2018-12-11 

   Com vídeo 

A Renova apresenta na próxima quinta-feira, dia 13, o livro “Explosão de Cor RAL 7”, na Escola de Design de Sevilha, uma obra que resulta do trabalho de uma equipa de professores e de estudantes do último curso de Design de Interiores.
(ler mais...)


Renova apresenta livro em Espanha sobre instalação com rolos de papela higiénico de 20 quilómetros »  2018-12-11 

A Renova apresenta na próxima quinta-feira, dia 13, o livro “Explosão de Cor RAL 7”, na Escola de Design de Sevilha, uma obra que resulta do trabalho de uma equipa de professores e de estudantes do último curso de Design de Interiores.
(ler mais...)


Ambiente: ProTejo prepara manifestação em defesa de activistas processados »  2018-12-11 

Ainda não se sabe bem como, nem quando, mas o movimento ProTejo pretende organizar uma manifestação em em defesa de activistas ambientais que enfrentam processos judiciais. Activistas que têm dado voz e o peito às balas relativamente a problemas ambientais, nomeadamente focos de poluição no rio Tejo e seus afluentes.
(ler mais...)


Alcanena: “Aquanena” deverá ser o nome da empresa municipal de águas e saneamento »  2018-12-11 

Depois de uma primeira tentativa falhada, a câmara e assembleia municipal de Alcanena aprovaram o nome da recém criada Empresa Municipal de Águas e Saneamento de Alcanena E.M., S.A.. Aquanena é o nome desta nova entidade jurídica, que aparece para fazer a gestão destes serviços que estavam entregues à Austra e Luságua.
(ler mais...)


Constância mantém qualidade de água “exemplar” »  2018-12-11 

O município de Constância mantém o selo de qualidade exemplar de água para consumo humano, atribuído pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR), refere a autarquia em comunicado de imprensa.
(ler mais...)


Recolha de sangue em Parceiros de Igreja »  2018-12-11 

A Associação de Dadores de Sangue de Torres Novas, em colaboração com o motoclube “Os Marzias” de Parceiros de Igreja (Torres Novas), promove mais uma colheita de sangue no próximo dia 16 de Dezembro, entre as 9 e a 13 horas, na sede dos motards, em frente ao edifício da junta de freguesia.
(ler mais...)


Ponte da Bácora: obras ainda não começaram, mas custos já aumentaram 30% »  2018-12-10 

 

Mais de 120 mil euros (até ver) para uma ponte pedonal secundária parecem não comover a maioria socialista, que não encontra outras prioridades para gastar o dinheiro do município.

O projecto do PEDU para a zona da Bácora e respectiva ponte e para o que resta da margem do rio na antiga Horta das Pedras, onde pomposamente se quer instalar o “parque Almonda”, foi mote para alguma discussão na reunião camarária de 21 de Novembro.
(ler mais...)


Alcanena: câmara facilita acesso a medicamentos »  2018-12-07 

Realizou-se, no passado dia 28 de Novembro, a assinatura do protocolo do “Programa abem: Rede Solidária do Medicamento”, celebrado entre a Associação Dignitude e o Município de Alcanena, com a presidente da Câmara de Alcanena, Fernanda Asseiceira, a representar o município e Maria de Belém Roseira, ex-ministra, a Associação Dignitude, tendo a sessão contado também com a presença e a intervenção do Director da Segurança Social de Santarém, Renato Bento.
(ler mais...)


Barquinha: Loja Social promove venda de Natal »  2018-12-06 

A Loja Social de Vila Nova da Barquinha vai promover, juntamente com os seus parceiros, uma venda de Natal que se irá realizar entre os dias 17 e 22 de Dezembro de 2018, na Rua Dr. Barral Filipe, n.º 21, junto à Estação dos CTT de Vila Nova da Barquinha.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 30 dias)
»  2018-11-27  Morreu João Manuel Henriques (“Sapateiro”)
»  2018-11-12  Vêm aí as couves com feijões de Torres Novas
»  2018-11-23  Aprovado o estudo prévio para a reabilitação da Levada/Caldeirão
»  2018-11-15  Barquinha: “o valor do sal”
»  2018-11-13  Morreu Adelino Bairrão Pinho