• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Segunda, 19 de Fevereiro de 2018
Pesquisar...
Qui.
 15° / 4°
Céu limpo
Qua.
 19° / 6°
Céu limpo
Ter.
 20° / 6°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  19° / 8°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

“Fizemos um trabalho de grande seriedade”, Jorge Faria

Sociedade  »  2017-09-26 

Candidato do Partido Socialista à Câmara Municipal do Entroncamento

Há quatro anos o Partido Socialista “roubou” a câmara municipal ao PSD, que estava no poder há 12 anos. Manter o poder vai ser mais fácil?
No dia 1 de Outubro as pessoas vão votar e fazer uma escolha e, seja qual for, nós vamos respeitá- la, como é evidente. É verdade que quero ganhar as eleições e entendo que tenho uma dinâmica, um programa e uma equipa que traz valor acrescentado à nossa cidade. Agora, a escolha será das pessoas.

Não sei se é mais fácil ou difícil... nestes quatro anos fizemos um trabalho de grande seriedade e não tivemos especialmente preocupados com os votos. As pessoas farão a sua avaliação e se entenderem votar na nossa candidatura, como nós esperamos, tudo faremos para honrar esse compromisso.

Que balanço faz do seu mandato?
Nem tudo correu bem, como deve calcular mas, em termos globais, foi um mandato muito positivo e de grande empenho de toda a minha equipa. Pegámos num câmara que, como se diz, estava pelas ruas da amargura, não tinha dinheiro, projecto ou estratégia, mas tinha dívidas. Temos paulatinamente recuperado a câmara e a cidade e temos um projecto. Há investimentos que não se iniciaram mais cedo porque estamos muito dependentes dos fundos comunitários e, como sabe, só em meados do ano passado ficaram disponíveis e, nestas coisas, quando não há dinheiro não se fazem milagres.

Mesmo assim, realizamos níveis de investimento semelhantes ao passado, apoiámos as pessoas carenciadas, aumentámos o apoio social, investimos na educação, no saneamento, nas acessibilidades, procurámos recuperar a autoridade em todos os territórios da cidade, assumimos que há problemas de segurança e estamos a enfrentá- los e vamos resolvê-los. Na educação, começámos por oferecer os manuais escolares a todos os miúdos do ensino básico - agora como Governo, felizmente, também oferece, e nós facultamos as fichas de estudo -, todos os estudantes até ao 9.º ano têm um vale de 30 euros para fazer face às despesas de educação, num esforço da câmara para ajudar as famílias numa área tão importante como é a educação.

Reduzimos o IMI, foi uma promessa eleitoral e cumprimo-la, como aliás cumprimos na generalidade as que fizemos. Tenho desafiado as pessoas a consultarem o nosso programa eleitoral de há quatro anos e a compararem-no com o que fizemos. Não aumentamos tarifas, reduzimos algumas taxas e, no entanto, a câmara tem solidez financeira, paga a menos de 60 dias - quando tomámos posse pagava a 137 dias -, e não temos pagamentos em atraso, diferente do que aconteceu em anos anteriores em que chegou a haver 2 milhões de euros de pagamentos em atraso. Só não vê quem não quiser. Falou da recuperação da autoridade em toda a cidade. Inevitavelmente, está a falar das intervenções feitas ao longo destes quatro anos no Bairro Frederico Ulrich.

Demonstrou uma certa dose de coragem pois deu a cara nessas iniciativas. Nunca temeu pela sua própria segurança?
Quando nós assumimos responsabilidades públicas, assumimo-las para o bom e para o que é menos bom, e temos de as assumir de acordo com aquilo que é o nosso projecto. Obviamente que as pessoas têm receio, eu também tenho, mas isso não obsta a que enfrente essas situações com objectividade. Vivemos numa sociedade democrática, com instituições e sistemas que funcionam, e é assim que tem de ser.

Ninguém deve conseguir impor o seu poder pelo medo e nós reagimos a isso sempre com o apoio das forças de segurança. Felizmente nunca sofri retaliações e houve até consequências curiosas depois de algumas acções: houve pessoas que foram regularizar as duas dívidas, por exemplo. Continuaremos de forma determinada a enfrentar esses problemas e a tentar resolvê-los.

Se for reeleito, como espera, quais são as prioridades para os próximos quatro anos?
Há projectos já anunciados, como a requalificação do cine-teatro ou o mercado municipal. A reabilitação do cine-teatro vai ser realizada independentemente de quem for o próximo presidente de câmara. O projecto e financiamento estão aprovados, a empreitada está lançada e só falta o visto do Tribunal de Contas. É uma obra essencial para a cidade e vamos com certeza concretizá-la. Não sei se vai começar em Setembro, mas se não for, começará em Outubro, o mais tardar em princípio de Novembro. A remodelação do mercado está na mesma situação, só falta o visto do TC.

Temos outros projectos para a cidade, mas sobretudo temos a ideia de que é necessário promover um maior desenvolvimento económico, criar riqueza e emprego de qualidade de modo a que possamos fixar os nossos jovens. Queremos manter os níveis de desenvolvimento da regeneração urbana de forma sustentada, melhorar a mobilidade suave no sentido de permitir mais transportes amigos do ambiente e temos um desígnio, de que não desistimos, que é a intervenção na estação, embora não dependa de nós mas sim das Infraestruturas de Portugal e do Governo central.

Defendemos uma passagem inferior de acesso à estação, pedonal e ciclável, que ligue as duas partes da cidade. Uma obra que permita o acesso à estação de forma segura e fácil e, já agora, que permita fechar a rede de ciclovias, porque queremos uma rede em toda a cidade e que seja ligada por essa passagem inferior.

Disse que não correu tudo bem. Se lhe pedir para identificar algum desses aspectos, vai falar por exemplo do incidente político que aconteceu entre o presidente da Assembleia Municipal e o presidente Jorge Faria?
Não valorizo isso porque não me parece que tenha acontecido nada de especial. Houve uma postura do presidente da Assembleia Municipal que não compreendo. Nunca houve nenhum diferendo mas a verdade é que tomou posições pessoais, e continua a tomar, que eu respeito mas não entendo. Obviamente que tem contribuído para passar uma imagem de menos eficácia no nosso trabalho, mas eu não valorizo isso. São pormenores...

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Fabrióleo: IAPMEI propõe encerramento, empresa vai contestar »  2018-02-15 

A edição on-line do semanário Expresso, de 30 de Janeiro, lançou a confusão generalizada ao dar como certa a ordem de encerramento da Fabrióleo por parte
do Governo. Na sua edição de papel, alguns dias depois, o semanário de Balsemão não escreveu uma única linha sobre tão badalada “notícia”, focando-se apenas no
“caso Celtejo”.
(ler mais...)


Futebol: Amarelos viraram a página em Ourém (1-2) »  2018-02-11 

Campeonato Distrital da 1.ª divisão AFS
Ourém, Campo da Caridade, 11 de Fevereiro de 2018

CA Ouriense: Hélio; Fábio Lúzio, Graça (Afonsos), Tiago, Dino, Leandro, Savá, Patrick, Tiago Lúzio, Major (Matos) e Moleiro; Treinador: Mário Nelson

CD Torres Novas: Galrinho; Timor, Dani, Paz Miguel, Iuri, André Vieira, Ivan, Joel (Marco Carvalho), Ricardi Major, Micael (Soma) e Sudesh (Dias); treinador: Nando Costa

Arbitragem de Mário Vieira, com Miguel Marques e Hugo Parente

O jogo começou bastante confuso, com pontapés à toa e bola pelo ar, tão característico dos campos sintéticos, onde o futebol parece sempre um jogo em quintal de cimento com uma bola de plástico, a milhas do que se passa num relvado natural,mesmo em condições suficientes.
(ler mais...)


Riachos: apanhados a roubar gasóleo de tractores »  2018-02-10 

A GNR localizou hoje, dia 10 de Fevereiro, quatro jovens, dois rapazes e duas raparigas com idades entre os 16 e 21 anos, suspeitos da autoria de furto de combustível em máquinas agrícolas, num estaleiro, em Riachos.

Fonte policial revelou que o alerta foi dado por funcionários de uma empresa detectaram quatro indivíduos a tentar furtar combustível de várias máquinas agrícolas.
(ler mais...)


Barquinha: Vhils, Manuel João Vieira, Violant e Carlos Vicente apresentam propostas finais de intervenção artística »  2018-02-10 

Alexandre Farto (aka Vhils), Manuel João Vieira, Violant e Carlos Vicente apresentam as suas propostas artísticas para o concelho de Vila Nova da Barquinha, no âmbito do Programa Arte Pública da Fundação EDP, no próximo dia 17 de fevereiro, no Centro Cultural, pelas 19h.
(ler mais...)


ProTejo: “Água que vem de Espanha está a limpar o Tejo” »  2018-02-08 

O movimento ProTejo, sediado em Vila Nova da Barquinha, diz que a limpeza do rio Tejo está a ser feita à custa do caudal de água “extraordinariamente elevado” que está a vir de Espanha, na sequência o nível de água das barragens.
(ler mais...)


Constância: prémio para o beijo mais longo (debaixo de água) »  2018-02-08 

Constância (Vila Poema), volta a realizar, pela terceira vez, o concurso em que vencem os casais que conseguirem dar o beijo mais longo, debaixo de água. A iniciativa decorre no sábado à noite (21h30), nas piscinas municipais e insere-se na celebração dos Dia dos Namorados.
(ler mais...)


Teatro: Romeu & Julieta, uma excelente sobremesa para crianças no Virgínia »  2018-02-08 

Romeu & Julieta é o título da peça de teatro para crianças dos 8 aos 12 anos que subirá ao palco do Teatro Virgínia, em Torres Novas, no próximo dia 17 de Fevereiro, às 11 horas. Este novo espectáculo do Teatro Praga é uma oportunidade para voltar a juntar a equipa criativa de Hamlet Sou Eu.
(ler mais...)


Município de Torres Novas adere à Hora do Planeta »  2018-02-08 

O Município de Torres Novas volta a associar-se à “Hora do Planeta”, que consiste em desligar todas as luzes, interiores e exteriores dos edifícios e monumentos emblemáticos das cidades, entre as 20h30 e as 21h30, do próximo dia 24 de Março de 2018, mostrando o seu apoio à acção ambientalmente sustentável.
(ler mais...)


O PROVADOR DOS LEITORES: mil contos para o croquete »  2018-02-08 

Inaugura-se, nesta semana, a rubrica “O Provador dos Leitores”, que consiste essencialmente em apresentar aos leitores do JT determinadas notícias que circulam pelo espaço mediático (jornais, internet, páginas oficiais, etc), mas só depois de serem provadas pelo nosso provador de modo a identificar aditivos, conservantes e outros venenos que normalmente estão agarrados a estes produtos nocivos.
(ler mais...)


Barquinha: cooperativa cultural para o Ribatejo norte »  2018-02-06 

Paulo Passos, Fátima Capela, Carlos Vicente, Pérsio Basso e Marina Honório “um grupo de amigos carregados de sonhos e projectos”, uniu-se para criar uma “coisa nova”: uma cooperativa cultural, cuja filosofia de acção se situará “algures no meio entre o tradicional e o contemporâneo”, entre o antigo e o novo, o manual e o tecnológico, a arte e a ciência – assim se dine o novo colectivo fundado em Vila Nova da Barquinha.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 10 dias)
»  2018-02-10  Riachos: apanhados a roubar gasóleo de tractores
»  2018-02-11  Futebol: Amarelos viraram a página em Ourém (1-2)
»  2018-02-15  Fabrióleo: IAPMEI propõe encerramento, empresa vai contestar