• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Quarta, 23 de Agosto de 2017
Pesquisar...
Sáb.
 32° / 18°
Céu nublado
Sex.
 33° / 15°
Períodos nublados
Qui.
 30° / 17°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  33° / 16°
Céu nublado
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

BE diz que Fabrióleo foi condenada e que ETAR continua sem licença (actualizada)

Sociedade  »  2017-06-14 

Funcionária da câmara veio desmentir a existência de qualquer licença

É o outro lado do extenso comunicado que a Fabrióleo tem vindo a publicar em alguma imprensa da região: o Bloco de Esquerda de Torres Novas diz que a empresa foi condenada pelo tribunal de Leiria e que não tem licença para a ETAR construída ilegalmente. A posição do BE foi tornada pública ontem, terça-feira (13).

A concelhia do Bloco de Esquerda recorda que há muitos meses se espera um desfecho sobre as diversas e múltiplas fiscalizações à Fabrióleo e que a empresa, «utilizando todos os recursos, onde se inclui a publicidade paga, continua a sua campanha. Na semana passada foi mesmo ao ponto de divulgar uma sentença do Tribunal Administrativo de Leiria para evidenciar uma pequena parte desse documento dizendo que “está provado que a arguida (a Fabrióleo) dia 30 de setembro apresentou um requerimento de legalização da obra ilegal e, que à data de hoje, a obra já está legalizada”.

O Bloco de Esquerda diz que a sentença (processo n.º 79/17.6BELRA), que a Fabrióleo tem citado para valer a sua posição, em primeiro lugar condena a própria Fabrióleo por ter construído a ETAR sem licença, num recurso a uma contra-ordenação do município. Por outro lado, os bloquistas dizem que, ao contrário do que diz a empresa, não há nenhuma licença emitida pela câmara, licença essa que a juíza, na sentença, diz existir com base na palavra de uma testemunha ouvida no processo.

Explica o BE que «a referida decisão judicial deu como provado que a Fabrióleo obteve licença posteriormente, fundando a sua convicção em prova testemunhal. Salvo melhor opinião, tal prova apenas podia ser obtida por via de prova documental, considerando a natureza de um acto de licenciamento, pelo que devia ser solicitada tal informação à Câmara Municipal. Na verdade, tal licença nunca foi atribuída à Fabrióleo, como nos foi garantido pelo Presidente e Vice Presidente da Câmara, de quem se espera um desmentido categórico». Atendendo ao que diz a nota de imprensa, o BE terá tido a garantia dos dois autarcas do PS de que não foi passada qualquer licença, apesar de uma testemunha ouvida, técnica municipal, alegadamente ter dito em tribunal que a empresa já tinha licença. Um imbróglio.

No mesmo comunicado, divulgado através de publicidade paga, refere a posição do Bloco, «a Fabrióleo afirma também que, por sua iniciativa, foi contratualizado à FCT-UNL “um estudo rigoroso e isento sobre a bacia da Ribeira da Água, assim como o mapeamento de todas as fontes poluentes da zona referida”. Mas, nesse estudo, contesta o BE, «estão explícitos factos não mencionados pelo comunicado que indicam que, efectivamente, a Fabrióleo ultrapassou os limites legalmente exigidos no que às descargas de efluentes diz respeito. A Fabrióleo deveria divulgar todo o estudo, mas só divulga o que lhe interessa. Salienta-se que, através das análises efetuadas pelo IGAMAOT a 27 de Julho e a 7 de Setembro de 2016, no mesmo laboratório ao qual a Fabrióleo recorre para realizar as suas análises, verificou-se que as amostras ultrapassavam entre 40 e 70 vezes o Valor Limite de Emissão para todos os parâmetros analisados. No entanto, os valores divulgados pela Fabrióleo a análises feitas dias antes da inspecção do IGAMAOT de 27 de Julho são 5 vezes inferiores ao Valor Limite de Emissão.» Citando o estudo, considera o BE, “a discrepância verificada entre os valores do autocontrolo realizado pela Fabrióleo e os valores das análises da inspecção do IGAMAOT é estranha.”. Na opinião do BE, esta diferença «é mais suspeita do que estranha».

«Além das descargas que ultrapassam os limites legais e das ilegalidades de ordenamento do território, reconhecidas pelo dito estudo, construção de ETAR que nem sequer está prevista na licença, o estudo atribui os valores anormalmente altos à entrada em funcionamento desta ETAR», diz ainda o BE, ao mesmo tempo que, diz «é totalmente omisso quanto à origem e consumos de água, utilizada no processo industrial descrito e especialmente na lavagem de cisternas, produção de vapor. Assim como é omisso a quantidade de efluentes rejeitados mensalmente, apesar de a licença o exigir».

 Posteriormente a este estudo, conclui o comunicado do BE, «já a Fabrióleo foi alvo de processos por contra-ordenações graves cuja decisão final se aguarda. O BE aguarda as conclusões da última inspecção à empresa e faz votos para que este gravíssimo problema tenha uma solução definitiva».

Entretanto,  nenhum dos outros partidos da oposição veio a terreiro comentar este tema aparentemente complexo. O PS, que apoia a maioria no executivo, também não disse uma palavra.

A maioria socialista da câmara continua en silêncio, tendo-se limitado a fazer chegar aos jornais um desmentido subscrito por uma funcionária do gabinete de imprensa, e que é lacónico:: "No seguimento do que tem sido recentemente publicado por alguns meios de comunicação, informa-se que não foi emitido qualquer alvará de licença por parte da Câmara Municipal de Torres Novas para a obra de Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) biológica, não existindo, portanto, para aquela operação urbanística, qualquer título de licenciamento".

 

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Alcanena: detido presumível autor de incêndipo florestal »  2017-08-21 

A Polícia Judiciária de Leiria anunciou a detenção do presumível autor do incendiário florestal que deflagrou em Alcanena no dia 18 de Agosto. Numa nota de imprensa, a PJ refere que o suspeito, um homem de 50 anos, é solteiro e sapador florestal.
(ler mais...)


Ourém: tribunal recusou candidatura do cabeça-de-lista Paulo Fonseca (PS) »  2017-08-18 

O Tribunal de Ourém recusou a candidatura às eleições autárquicas do cabeça-de-lista do PS, Paulo Fonseca, por insolvência pessoal, anunciou a agência Lusa.
A agência de notícias cita fontes do tribunal que revelam que o juiz do Tribunal de Ourém considerou "inelegível" a candidatura do actual presidente do município, que procura concorrer pelo PS para tentar um terceiro mandato.
(ler mais...)


Águas do Ribatejo apela ao consumo de água “estritamente necessário” na freguesia do Pedrógão e Almonda »  2017-08-11 

A empresa intermunicipal Águas do Ribatejo apela às populações do Pedrógão, Alqueidão, Adofreire, Casal João Dias, Casais Martanes e Almonda (freguesia da Zibreira) ao consumo moderado de água da reestruturação pública, referindo aquela entidade que devem ser suspensas regas e lavagens e enchimento de piscinas nestas localidades.
(ler mais...)


Riachos: rua vai ter o nome de Joaquim Santana »  2017-08-09 

O descerramento da placa com o nome da rua Joaquim Santana constituirá um dos momentos mais marcantes das cerimónias comemorativas da fundação da freguesia de Riachos, que aconteceu a 23 de Agosto de 1923. A atribuição do nome Joaquim Santana a uma rua de Riachos visa homenagear o fundador, ensaiador e director do rancho folcórico “Os Camponeses” e autor de algumas publicações, sendo inevitavelmente uma das figuras marcantes de Riachos.
(ler mais...)


Golegã: Vítor Borges da Costa é o cabeça-de-lista do PSD »  2017-08-09 

Luís Santana Júlio, presidente da junta de freguesia do Pombalinho (independente) já tinha anunciado a sua candidatura à câmara municipal da Golegã, pela CDU e, mesmo no prazo limite para entrega das listas no tribunal, o PSD anunciou alguns nomes da sua lista, também encabeçada por um pombalinense: Vítor Borges da Costa.
(ler mais...)


Seca atinge país e na região há municípios a sofrer deste problema »  2017-08-09 

No concelho de Almeirim está-se a pedir às populações que usem a água da rede com moderação, isto depois de terem ocorridos problemas no abastecimento em alguns locais, chegando água barrenta às torneiras, em virtude da existência de caudais mínimos nos reservatórios da rede pública.
(ler mais...)


Está aí mais um Bons Sons, o festival que a aldeia fez »  2017-08-09 

Há onze anos nascia o Festival Bons Sons, na pequena aldeia de Cem Soldos, ali como quem vai para Tomar pela estrada velha. A ideia era inicialmente uma: abrir as portas das ruelas, praças e largos a três palcos cheios de boa música portuguesa, como forma de dar vida a uma aldeia, hoje com mil habitantes.
(ler mais...)


Obras da empresa Componatura são um “abuso”, diz o BE »  2017-08-07 

Em causa está um acesso construído pela empresa Componatura pelo lado da estrada da Sapeira, entre Torres Novas e Meia Via. A referida empresa de compostagem de resíduos biodegradáveis colocou alcatrão numa das entradas.
(ler mais...)


Bloco defende projecto alternativo ao do Governo no acesso às zonas industriais de Riachos e Entroncamento »  2017-08-07 

O projecto de melhoria das acessibilidades às zonas industriais de Riachos e Entroncamento, que foi apresentado pela Infraestruturas de Portugal (IP) no início deste ano, tem para o Bloco de Esquerda falhas graves já que vai fazer aumentar o tráfego automóvel em zonas habitacionais com o Bairro do Nicho, Casais Novos e Bairro do Tocha, em Riachos.
(ler mais...)


Desempregados desafiados a participarem em concurso de ideias de negócios »  2017-08-07 

Mais de seis dezenas de desempregados, com mais de 18 anos de idade e provenientes dos concelhos de Abrantes, Constância e Sardoal, participaram nas sessões de esclarecimento sobre o concurso de ideias de negócio, uma iniciativa da Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior (TAGUS).
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 10 dias)
»  2017-08-21  Alcanena: detido presumível autor de incêndipo florestal
»  2017-08-18  Ourém: tribunal recusou candidatura do cabeça-de-lista Paulo Fonseca (PS)