• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Sábado, 23 de Junho de 2018
Pesquisar...
Ter.
 27° / 15°
Céu limpo
Seg.
 27° / 18°
Céu nublado
Dom.
 32° / 17°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  33° / 19°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

BE diz que Fabrióleo foi condenada e que ETAR continua sem licença (actualizada)

Sociedade  »  2017-06-14 

Funcionária da câmara veio desmentir a existência de qualquer licença

É o outro lado do extenso comunicado que a Fabrióleo tem vindo a publicar em alguma imprensa da região: o Bloco de Esquerda de Torres Novas diz que a empresa foi condenada pelo tribunal de Leiria e que não tem licença para a ETAR construída ilegalmente. A posição do BE foi tornada pública ontem, terça-feira (13).

A concelhia do Bloco de Esquerda recorda que há muitos meses se espera um desfecho sobre as diversas e múltiplas fiscalizações à Fabrióleo e que a empresa, «utilizando todos os recursos, onde se inclui a publicidade paga, continua a sua campanha. Na semana passada foi mesmo ao ponto de divulgar uma sentença do Tribunal Administrativo de Leiria para evidenciar uma pequena parte desse documento dizendo que “está provado que a arguida (a Fabrióleo) dia 30 de setembro apresentou um requerimento de legalização da obra ilegal e, que à data de hoje, a obra já está legalizada”.

O Bloco de Esquerda diz que a sentença (processo n.º 79/17.6BELRA), que a Fabrióleo tem citado para valer a sua posição, em primeiro lugar condena a própria Fabrióleo por ter construído a ETAR sem licença, num recurso a uma contra-ordenação do município. Por outro lado, os bloquistas dizem que, ao contrário do que diz a empresa, não há nenhuma licença emitida pela câmara, licença essa que a juíza, na sentença, diz existir com base na palavra de uma testemunha ouvida no processo.

Explica o BE que «a referida decisão judicial deu como provado que a Fabrióleo obteve licença posteriormente, fundando a sua convicção em prova testemunhal. Salvo melhor opinião, tal prova apenas podia ser obtida por via de prova documental, considerando a natureza de um acto de licenciamento, pelo que devia ser solicitada tal informação à Câmara Municipal. Na verdade, tal licença nunca foi atribuída à Fabrióleo, como nos foi garantido pelo Presidente e Vice Presidente da Câmara, de quem se espera um desmentido categórico». Atendendo ao que diz a nota de imprensa, o BE terá tido a garantia dos dois autarcas do PS de que não foi passada qualquer licença, apesar de uma testemunha ouvida, técnica municipal, alegadamente ter dito em tribunal que a empresa já tinha licença. Um imbróglio.

No mesmo comunicado, divulgado através de publicidade paga, refere a posição do Bloco, «a Fabrióleo afirma também que, por sua iniciativa, foi contratualizado à FCT-UNL “um estudo rigoroso e isento sobre a bacia da Ribeira da Água, assim como o mapeamento de todas as fontes poluentes da zona referida”. Mas, nesse estudo, contesta o BE, «estão explícitos factos não mencionados pelo comunicado que indicam que, efectivamente, a Fabrióleo ultrapassou os limites legalmente exigidos no que às descargas de efluentes diz respeito. A Fabrióleo deveria divulgar todo o estudo, mas só divulga o que lhe interessa. Salienta-se que, através das análises efetuadas pelo IGAMAOT a 27 de Julho e a 7 de Setembro de 2016, no mesmo laboratório ao qual a Fabrióleo recorre para realizar as suas análises, verificou-se que as amostras ultrapassavam entre 40 e 70 vezes o Valor Limite de Emissão para todos os parâmetros analisados. No entanto, os valores divulgados pela Fabrióleo a análises feitas dias antes da inspecção do IGAMAOT de 27 de Julho são 5 vezes inferiores ao Valor Limite de Emissão.» Citando o estudo, considera o BE, “a discrepância verificada entre os valores do autocontrolo realizado pela Fabrióleo e os valores das análises da inspecção do IGAMAOT é estranha.”. Na opinião do BE, esta diferença «é mais suspeita do que estranha».

«Além das descargas que ultrapassam os limites legais e das ilegalidades de ordenamento do território, reconhecidas pelo dito estudo, construção de ETAR que nem sequer está prevista na licença, o estudo atribui os valores anormalmente altos à entrada em funcionamento desta ETAR», diz ainda o BE, ao mesmo tempo que, diz «é totalmente omisso quanto à origem e consumos de água, utilizada no processo industrial descrito e especialmente na lavagem de cisternas, produção de vapor. Assim como é omisso a quantidade de efluentes rejeitados mensalmente, apesar de a licença o exigir».

 Posteriormente a este estudo, conclui o comunicado do BE, «já a Fabrióleo foi alvo de processos por contra-ordenações graves cuja decisão final se aguarda. O BE aguarda as conclusões da última inspecção à empresa e faz votos para que este gravíssimo problema tenha uma solução definitiva».

Entretanto,  nenhum dos outros partidos da oposição veio a terreiro comentar este tema aparentemente complexo. O PS, que apoia a maioria no executivo, também não disse uma palavra.

A maioria socialista da câmara continua en silêncio, tendo-se limitado a fazer chegar aos jornais um desmentido subscrito por uma funcionária do gabinete de imprensa, e que é lacónico:: "No seguimento do que tem sido recentemente publicado por alguns meios de comunicação, informa-se que não foi emitido qualquer alvará de licença por parte da Câmara Municipal de Torres Novas para a obra de Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) biológica, não existindo, portanto, para aquela operação urbanística, qualquer título de licenciamento".

 

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Renova é a marca de grande consumo não alimentar eleita pelos portugueses »  2018-06-20 

A Renova foi distinguida como a marca de grande consumo, não alimentar, mais escolhida pelos portugueses de acordo com o estudo “Brand Footprint” da Kantar, 2018, revela a empresa em nota de imprensa.

Segundo os dados de que há registo, este é o quinto ano consecutivo em que a marca portuguesa lidera o ranking não alimentar do estudo que mede quantas vezes as marcas FMCG são compradas no ponto de venda e nomeadamente quantos lares compraram cada marca e quantas vezes o fizeram durante um ano.
(ler mais...)


Torres Novas: alunos da Meia Via levaram alegria à ala pediátrica do hospital »  2018-06-12 

Alunos do 3.º ano do ensino básico do centro escolar da Meia Via, do Agrupamento Artur Gonçalves, encheram de alegria a ala pediátrica do hospital de Torres Novas, no passado dia 6 de Junho.
Incumbidos de levarem àquele serviço alegria e boa disposição aos meninos que lá se encontram internados, os "doutores palhaços" da Meia Via cantaram, tocaram flauta, dançaram e ainda distribuíram balões.
(ler mais...)


Montepio de Nossa Senhora da Nazaré renova site na celebração de aniversário »  2018-06-12 

O Montepio de Nossa Senhora da Nazaré de Torres Novas comemorou, no passado dia 30 de Maio, o 156.º aniversário com o lançamento do seu site renovado. Uma plataforma que é considerada “mais um instrumento de aproximação entre o Montepio e os seus associados e clientes “ e que visa o reforço dos seus canais de comunicação.
(ler mais...)


Torres Novas: Cine Clube regressa agenda sessões de cinema ao ar livre »  2018-06-12 

O Cine Clube de Torres Novas promove sessões de cinema ao ar livre durante os meses de Verão. Os filmes serão projectados no jardim das rosas, às 21h30 com entradas grátis. Decorrerão duas sessões em cada mês, entre Junho e Setembro.
(ler mais...)


Escola de Alcanena venceu concurso regional de ideias de negócio »  2018-06-12 

Eucalygrape Leather, a Melhor Ideia Empresarial do Médio Tejo no âmbito do EmpreEscola, foi agora a vencedora no Concurso Regional de Ideias de Negócio nas escolas da região Centro, promovido pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC).
(ler mais...)


Luís Vassalo Rosa (1935-2018): morreu um grande urbanista »  2018-06-10 

Ficou conhecido por ter sido um dos arquitectos responsáveis pelo planeamento e gestão urbanística da Parque Expo, empreendimento que visou a recuperação da zona oriental de Lisboa na sequência da Exposição Internacional de 1998 (“EXPO 98”), mas nessa altura já Vassalo Rosa detinha uma longa e mais que reconhecida carreira na arquitectura portuguesa e no urbanismo.
(ler mais...)


Caravana: a festa da música tradicional, sábado no estúdio Alfa »  2018-06-07 

Está aí um raro momento para se ouvir boa música tradicional portuguesa, bem tocada e cantada: os “Caravana” apresentam-se sábado à noite, dia 9, no estúdio Alfa do Hotel dos Cavaleiros, em Torres Novas, para um espectáculo que promete encantar.
(ler mais...)


Barquinha: uma grande festa do teatro e da música nas ruas da vila »  2018-06-06 

“Se entre 9 e 13 de Junho for surpreendido por um personagem, uma mascote ou um veículo excêntrico em plena rua, não estranhe, está em Vila Nova da Barquinha, na Feira do Tejo”, avisa a autarquia barquinhense em nota de imprensa.
(ler mais...)


Casa Espanhol encerrou: o eterno adeus ao comerciante mais antigo de Torres Novas, que o "Canja" continua fino »  2018-05-30 

 

Mais de cem anos depois, se contarmos o tempo em que a loja esteve na cave do velho teatro Virgínia, encerrou as portas a Casa Espanhol, em Torres Novas. Na quarta-feira, dia 30 de Maio de 2018.

Tudo começou numa pequena loja que pouco mais era que um corredor, sob o velho teatro Virgínia, paredes meias com a Praça do Peixe, na rua Nova.
(ler mais...)


Constância: visitas nocturnas comemoram aniversário do borboletário tropical »  2018-05-28 

Um série de visitas nocturnas para ajudar a perceber o que acontece com as borboletas quando cai a noite, vão realizar-se nos dias 1, 2 e 5 de Junho, e visam assinalar o quinto aniversário o borboletário tropical localizado no Parque Ambiental de Santa Margarida, em Constância.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 10 dias)
»  2018-06-20  Renova é a marca de grande consumo não alimentar eleita pelos portugueses