• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 19 Janeiro 2020    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 14° / 7°
Céu nublado com chuva fraca
Ter.
 14° / 4°
Períodos nublados
Seg.
 12° / 4°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  16° / 6°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Manuel Fernandes Vicente: novo livro é apresentado dia 13

Cultura  »  2019-07-06 

“O Vento das Sete Serras” é o título do novo livro do professor e jornalista Manuel Fernandes Vicente, um beirão radicado no Entroncamento há décadas e um dos mais apreciados repórteres e cronistas da região. O Centro Cultural do Entroncamento vai ser o palco da sessão, que tem início às 16 horas.

Grande jornalista, durante anos correspondente do “Público” na região, colaborador de décadas do “Notícias do Entroncamento” e ultimamente do jornal “Abarca”, Manuel Fernandes Vicente é também conhecido como grande melómeno, tendo já publicado várias e entusiasticamente recebidas obras dedicadas a essa sua paixão que é a música, a música do mundo.

“O Vento das Sete Serras” é, em primeira instância, um conjunto de reportagens na sua maior parte publicadas em Abarca, outras inéditas, cujo fio condutor reside exctamente na paisagem das serras do centro do país, nas suas dimensões geográficas, históricas e etnográficas. São quase oitenta textos, muitos deles ao estilo de crónicas de grande expressividade literária, em que a beleza das palavras e o rigor da descrição transmitem quase graficamente uma parte do Portugal arredado dos holofotes da política e das televisões, um Portugal de que quase só resta um rasto poético que MFV percorre pelos “caminhos e paisagens culturais”, para usar uma expressão mais próxima da dimensão antropológica e etnográfica de muitos dos textos.

Esses caminhos descem das serras (não é só de serras que o autor fala) e percorrem vales e planícies, os recortes dos rios e das ribeiras, desaguam perto do mar, lá onde ainda restam gestos humanos que resistem à mecânica deste tempo que tudo torna igual.

As viagens passam pelas serras de Moradal ou da Lousã, demoram-se no relato de transumâncias pastoris da Gardunha, revelam segredos da Serra da Estrela, espreitam moinhos e antigos moleiros, fixam a etnografia dos telhados de água da Mendiga e de Serro Ventoso, aqui mais perto, parentes dos do Vale da Serra, mas também descem os rios, recordam as barcas de passagem do Tejo, entre elas a da Amieira, e o antigo cais de Tancos, contam histórias de barragens e albufeiras, de Almourol ou da Cardiga, com detalhe contam como vieram as pedras de Santa Apolónia para erguer a frontaria da capela do Arripiado, num desfiar de retratos de territórios físicos e humanos muitas vezes alicerçados em fontes ou referências historiográficas antigas que lhes dão solidez literária e documental.

São viagens no espaço mas também no tempo, justapondo camadas de informação de que resultam as paisagens que dão corpo às crónicas, muito ao estilo que faz lembrar, aqui e ali, Bill Brysson, mestre da literatura destas viagens que se demoram nas pequenas veredas da geografia e nos enredos da pequena grande história de todas as coisas, ou mesmo o Álvaro Domingues da sua “Volta a Portugal”. Mas este livro de MFV não se fica pelo mundo rural e distante das serranias e vales esquecidos: inclui memorandos de geografias mais urbanas, ao desvendar a génese do parque verde do Bonito, na cidade ferroviária, ou ao reportar vivências urbanas como a arte de rua de Violant, na Barquinha.

“Manuel Fernandes Vicente é um achador de histórias. E um mestre da arte de as contar. Calcorreia caminhos improváveis (…) Num país de mar e de serras, em que as serras se vão esgotando de gente, de vida e de memórias, valha-nos este Vento que delas sopra e nos traz de volta pedaços esquecidos ou mal conhecidos de um Portugal antigo e autêntico.” Assim escreve sobre este livro António Matias Coelho, outro conhecido activista cultural da região, também escritor.

Alexandre Couto, professor, fixa estas palavras na badana do livro: “O Vento das Sete Serras acicata a curiosidade, condu-la por caminhos mágicos e de uma maneira inusitada, e sob uma perspetiva única, leva-nos a um certo sentido da vida. A escrita é magistral, mescla de prosa e poesia, montanhas humanas povoadas dos seus escultores, segredos, lendas, locais, mistérios, tradições, cultos… desvendando e fazendo a exaltação do seu mundo com mestria. Está tudo lá para sorver e fruir até à última gota. Esta é talvez a melhor obra publicada nestes nos nossos dias. Apaixonante!”

Tudo verdade, como também se diz na apresentação: “O Vento das Sete Serras é um daqueles livros que cartografou as emoções contidas em muitas serranias e trata destas singularidades frágeis dos seres humanos ligados às suas montanhas, circula deliberadamente por fora das autoestradas e mergulha em utopias sem algoritmos que só não se realizam porque deixámos de acreditar que, tal como as serras, já se tornaram inabitáveis”. Outra vez verdade: aí está um livro que vai marcar o panorama literário da região. E do país, se as folhas literárias de Lisboa ou do Porto não olharem só das marquises de Alvalade ou das varandas da Boavista.

Manuel Fernandes Vicente nasceu em Castelo Branco, estudou em Coimbra e vive no Entroncamento, onde é professor de Matemática há alguns anos. Participa ou já colaborou assiduamente com diversas publicações nacionais ou regionais, em papel ou eletrónicos, como o Público, Blitz, Abarca, Notícias do Entroncamento e Entroncamentoonline, entre outros. O Vento das Sete Serras é o seu quinto livro.

 

 

 Outras notícias - Cultura


David Antunes e Berg em concerto no Cineteatro São João »  2020-01-19 

O Cineteatro São João, no Entroncamento,  recebe, no dia 25 de Janeiro, pelas 21h30m, um concerto intimista, de piano, guitarra e vozes de David Antunes e Berg.

David Antunes, cantor, compositor e pianista, iniciou a sua carreira aos 6 anos a tocar com o pai.
(ler mais...)


Pedro Barroso: medalha de honra do município »  2020-01-09 

Na reunião camarária de terça-feira do executivo torrejano, foi aprovada por unanimidade a atribuição da Medalha de Honra do Município de Torres Novas a Pedro Barroso, que será entregue em ocasião a anunciar oportunamente, anuncia a autarquia em nota de imprensa.
(ler mais...)


Benção do Gado: verba de 60 mil não chegou a ser votada »  2020-01-09 

Ao contrário do que escrevemos na nossa edição de papel, que sai amanhã, a verba de 60 mil euros para apoio à festa da Bênção do Gado deste ano acabou por não ser votada na reunião do executivo municipal torrejano desta terça-feira.
(ler mais...)


Viva quem canta: a despedida de Pedro Barroso no Teatro Virgínia de Torres Novas »  2019-12-22 

Aberto o pano e sem uma palavra dita ainda, do público que enchia por completo o Teatro Virgínia irrompeu um espontâneo e caloroso aplauso, a primeira das muitas ovações a um Pedro Barroso que anunciara ser ali, naquela noite de 21 de Dezembro, o último espectáculo da sua carreira, iniciada precisamente há 50 anos.
(ler mais...)


Quinta da Cardiga: uma história escrita por Luís Batista »  2019-11-18 

O livro de Luís Batista “Cardiga ou a História de uma Quinta” (1169-2019), foi apresentado publicamente ontem, dia 16 de Novembro. A Adega dos Frades, no Palácio da Quinta da Cardiga, foi o local escolhido para a apresentação pública do livro, numa cerimónia organizada pelos municípios abrangidos pelo território da Quinta da Cardiga, Entroncamento, Golegã e Vila Nova da Barquinha.
(ler mais...)


Torres Novas: Britannia House entregou mais de 50 diplomas de Cambridge »  2019-11-17 

O centro de línguas Britannia House homenageou os seus alunos em mais uma cerimónia de entrega de diplomas, que se realizou hoje, 17 de Novembro, durante a tarde, no Teatro Virgínia.

Mais de 50 alunos receberam pela mão de Tim Perry, representante do British Council, os seus diplomas dos exames da Universidade Cambridge, realizados no final do ano lectivo transacto.
(ler mais...)


Santarém: temporada do Círculo Cultural com programa diversificado »  2019-11-05 

Com um programa diversificado, prossegue a Temporada de Outono, organizada pelo Círculo Cultural Scalabitano. Será um domingo, dia 10 de Novembro pleno de oportunidades para públicos distintos.

Assim, para os amantes das caminhadas, logo pelas 9H00 da manhã, tem inicio a segunda caminhada de outono, com partida da Avenida Bernardo Santareno, junto à Pastelaria Delícia, de onde se seguirá em carros próprios, para Marianos – Almeirim.
(ler mais...)


ORQUESTRA TÍPICA SCALABITANA APRESENTA-SE NO TEATRO TABORDA »  2019-10-30 

A Orquestra Típica Scalabitana volta a apresentar-se no seu espaço, o renovado Teatro Taborda, Círculo Cultural Scalabitano, num concerto único, no próximo dia 7 de Novembro, às 22H00, retomando assim um habito antigo, interrompido nos últimos anos.
(ler mais...)


José Cid evocado em Ulme »  2019-09-24 

A Junta de Freguesia de Ulme (Chamusca), no decorrer do evento "Já te dou o Arroz", e inserido no projecto Pin`Arte, prestou homenagem ao artista natural do concelho da Chamusca José Cid, recentemente premiado com Grammy Latino de Excelência Musical, com uma pintura mural ao vivo executada inspirado no LP "10.
(ler mais...)


Manel Cruz em Minde, sábado »  2019-09-24 

O BONS SONS é mais uma vez responsável pela programação musical do Festival Materiais Diversos, que este ano também comemora as 10 edições e acontece de 27 de Setembro a 5 de Outubro, em Minde, Cartaxo e Alcanena.
(ler mais...)

 Mais lidas - Cultura (últimos 30 dias)
»  2019-12-22  Viva quem canta: a despedida de Pedro Barroso no Teatro Virgínia de Torres Novas
»  2020-01-09  Benção do Gado: verba de 60 mil não chegou a ser votada
»  2020-01-09  Pedro Barroso: medalha de honra do município
»  2020-01-19  David Antunes e Berg em concerto no Cineteatro São João