• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Segunda, 25 Janeiro 2021    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qui.
 18° / 9°
Céu nublado
Qua.
 18° / 11°
Céu nublado com chuva fraca
Ter.
 19° / 13°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  17° / 12°
Céu muito nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Nova Augusta: para uma história da cultura em Torres Novas, segundo António Mário Santos

Cultura  »  2018-11-22 

 

Um dossier sobre a Grande Guerra, no ano em que se celebra o Armistício, e um caderno especial dedicado ao centenário do jornal O Almonda, com três artigos de Elvira Marques, são os traços dominantes da edição número 30 da “Nova Augusta”, uma revista de cultura patrocinada pelo município de Torres Novas mas que abre cada vez mais as suas páginas aos investigadores da história local dos concelhos vizinhos e que foi apresentada no domingo no museu municipal.

Ana Maria Marques, técnica da área cultural do município, apresentou a edição, que integra, para além dos dossiers, artigos de António Mário Santos, Luis Batista, Manuela Poitout, Lia Ribeiro, Manuel Mourão e da própria Ana Marques, entre outros, que dão corpo, como é habitual, a secções de história, estudos culturais e arqueologia.

O discurso em nome dos colaboradores coube este ano a António Mário Lopes dos Santos, que ainda este ano deu à estampa a sua monumental obra “Anais Torrejanos -1850/1910” e que aproveitou a ocasião para se deter, de relance, numa análise do trabalho de intervenção cultural em Torres Novas ao longo do tempo.

Acerca do tempo anterior à década de 50, o  historiador refuta a tese do “vazio” para recordar a censura feroz sobre tudo o que se escrevia ou fazia, mesmo em instituições sobreviventes como o Montepio, os Bombeiros, o Orfeão Torrejano.

Depois, diz António Mário, partir da década de 50 do século passado, e também ao contrário do que às vezes se pensa, não se assistiu a um período tão pobre já que diversas iniciativas e movimentos (fundação do núcleo campista Raiar da Aurora, as actividades culturais e literárias desenvolvidas por alunos do colégio Andrade Corvo, a publicação de páginas culturais no jornal O Almonda, a criação do Cine Clube e uns anos a seguir do Choral Phydellius) traziam em si, já no final daquela década, a génese daquilo que foi mais evidente na década de 60 e princípio da seguinte, com a explosão da actividade de muitas mais colectividades e a criação do MIC (Movimento Inter Colectividades), que deu visibilidade e dimensão cívica e mesmo política ao trabalho associativo.

António Mário defendeu mesmo que a criação do grupo Pró-Torres Novas, na década de 50, por protagonistas próximos do regime mas que integrou também gente fora dessa órbita e realizou um conjunto vasto de actividades culturais e acções de valorização do património torrejano, se bem que com o apoio directo das instituições oficiais, foi uma tentativa de as forças afectas ao poder responderem ao que já se vislumbrava e se evidenciou com clareza logo no início da década de 60: uma juventude culturalmente mais aberta aos ventos novos e à contestação política da situação e, portanto, permeável às tendências culturais que sopravam das universidades e do próprio contexto internacional.

O historiador admitiu que logo a seguir ao 25 de Abril e durante uns bons anos seguintes o trabalho cultural em Torres Novas adormeceu um pouco, em virtude de todas as energias e recursos estarem dirigidos ao intenso trabalho político de implantação da democracia e das instituições do poder local, que mobilizou toda a gente, incluindo os activistas culturais que se tinham destacado nos tempos anteriores.

António Mário refere que nos finais dos anos 80, com a contratação do primeiro técnico de cultura para a autarquia, João Carlos Lopes, tudo mudaria e a vida cultural ressurgiu, com as comemorações do VIII Centenário do Foral e do que se lhe seguiu: “Goste-se ou não, tudo o que se passou a fazer no trabalho com as colectividades, a instalação do museu, a biblioteca, a criação do GEPE, a Nova Augusta e as edições do município, tem a sua marca. É uma história que um dia há-de ser feita e fica aqui o registo para que não se esqueça”, rematou o investigador.

O antigo professor pediu ainda ao presidente da câmara, presente na sessão, que continuasse a apoiar o trabalho feito pelo gabinete editorial, tendo o autarca registado as palavras de António Mário, “sem querer distinguir ninguém em particular”.

 

 

 

 

 

 Outras notícias - Cultura


Cine-Clube: balanço dos 60 anos »  2021-01-10 

“Um ano que apresentou desafios como há muito o associativismo em geral e o cineclubismo em particular não sentiam, foi objectivo da direcção não parar a actividade, pois a responsabilidade cultural assumida há 60 anos, o amor ao cinema, ao associativismo e ao contacto presencial com o público, com os sócios, com os amigos, ditaram que não tombássemos os braços nem desistíssemos de alguma forma de actividade que, reinventada, pudesse subsistir” – assim começa a nota de imprensa do Cine-Clube de Torres Novas.
(ler mais...)


Samuel Úria: concerto suspenso »  2021-01-08 

O concerto de Samuel Úria, aprazado para amanhã no teatro Virgínia, em Torres Novas, foi suspenso e reagendado para o próximo dia 15, uma nova data que deverá merecer, contudo, todas as reservas.

O agravamento da situação sanitária em quase todo o país e nomeadamente no concelho de Torres Novas (um dos três municípios do distrito com maior índice de contágios), obriga a medidas mais restritivas: neste fim de semana passa a vigorar o recolher obrigatório a partir das 13 horas, enquanto nos dias de semana esse regime tem início às 23 horas.
(ler mais...)


Liteiros: “Os Ceifeiros” festejam 32.º aniversário »  2020-11-21 

“Apesar dos constrangimentos que estamos a atravessar devido ao complexo contexto desencadeado pela actual pandemia e das saudades de estarmos em palco e próximos das pessoas e amigos, não poderíamos deixar passar em claro o aniversário dos “Ceifeiros” e da sua escolinha de folclore”, começa por realçar a colectividade em comunicado de imprensa.
(ler mais...)


Alice Vieira condecorada pelo Presidente da República »  2020-11-17 

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou hoje, terça-feira a escritora Alice Vieira e também e os músicos Jorge Palma e António Variações, este a título póstumo.
(ler mais...)


Virgínia: homenagem a Pedro Barroso com concerto dia 28 »  2020-11-09 

Torres Novas é uma das cidades onde se vai homenagear Pedro Barroso no dia em que o cantautor completaria 70 anos. “Viva quem canta!”, título de uma das mais conhecidas cantigas do músico de origens riachenses, é o mote do espectáculo que terá lugar no teatro Virgínia, no próximo dia 28 de Novembro.
(ler mais...)


Virgínia: Teatro Maior de Idade estreia “A Cantora Careca” »  2020-11-06 

O Teatro Maior de Idade, do projecto “Teatro em Formação” do Teatro Virgínia, estreia sábado, dia 7 de Novembro, às 21h30 o seu mais recente espectáculo, fruto do trabalho desenvolvido ao longo do último ano de ensaios.
(ler mais...)


SMUT de Lapas: fez 100 anos a mais jovem filarmónica do concelho »  2020-10-22 

Fundada em 18 de Outubro de 1920, rezam os anais por Joaquim Silva Nuno, Joaquim Vieira Borga Sobrinho, António Sousa Martins, Olímpio Vieira Borga, Augusto César Lince, Joaquim Ferreira Agulha, Joaquim Santos Emílio, José Martins e António Faria Laureano, e nessa altura a designação oficial indicava que se fundara a Banda Recreativa de Lapas.
(ler mais...)


Tiago Bettencourt no Virgínia, em concerto com lotação “muito limitada” »  2020-10-15 

Tiago Bettencourt apresenta-se ao público no Teatro Virgínia, a 27 de Outubro, no âmbito do 15.º aniversário daquela sala de espectáculos (após obras de renovação). O músico, ex-Toranja, dará um concerto com uma lotação muito limitada e sem venda de bilhetes, às 21h30.
(ler mais...)


Sábado, no Teatro Taborda: "Obrigado Bernardo, Santarém de Portugal" »  2020-10-05 

Depois de ter estreado em Almeirim, “Obrigado Bernardo Santarém de Portugal”  terá apresentação ao público escalabitano numa sessão única, no Teatro Taborda, do Círculo Cultural Scalabitano, amanhã, dia 10 de Outubro, pelas 21H30.
(ler mais...)


Teatro Virgínia: reabertura promete Clã, Rodrigo Leão e Calcanhotto »  2020-09-28 

O Teatro Virgínia reabre após o anterior confinamento provocado pela Covid-19, reagendando espectáculos anteriormente previstos e que tiveram de ser cancelados e com muitas outras novidades, seguindo todas as recomendações da Direção Geral de Saúde.
(ler mais...)

 Mais lidas - Cultura (últimos 30 dias)
»  2021-01-08  Samuel Úria: concerto suspenso
»  2021-01-10  Cine-Clube: balanço dos 60 anos