• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Terça, 22 de Maio de 2018
Pesquisar...
Sex.
 22° / 13°
Céu nublado com chuva fraca
Qui.
 20° / 14°
Céu nublado com chuva moderada
Qua.
 26° / 12°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  27° / 12°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Barquinha: “A terceira margem e as ruínas circulares”, é título de exposição de João Seguro

Cultura  »  2018-02-08 

A exposição “A terceira margem e as ruínas circulares”, de João Seguro, pode ser visitada na Galeria do Parque, em Vila Nova da Barquinha, entre 17 de Fevereiro e 27 de Maio de 2018.

Numa apresentação desta iniciativa, João Pinharanda, o curador, realça que João Seguro trabalhou algumas semanas nas residências de Verão em Vila Nova da Barquinha em 2107.
“Deambulando pela vila e margens do rio em busca de objectos inesperados encontrou, no armazém do antigo INGA (Instituto Nacional de Investigação e Garantia Agrícola), o mais fecundo arquivo para realização do seu presente trabalho”.
A partir dele João Seguro criou um livro no qual regista, fotograficamente, a sua viagem a esse mundo inacessível, e as peças de escultura-instalação que apresenta nesta exposição.

“O referido armazém é um local em perda, um lugar de desperdício, desertificado de acção humana e onde os objectos se apresentam sem futuro. A tarefa do artista pode aqui assimilar-se à de uma campanha arqueológica: João Seguro sinaliza e recolhe dados sobre uma realidade (sociedade) desaparecida ou em vias de desaparecimento ou que se pode encenar como tal.

Tudo o que ali existe (carteiras, cadeiras, pranchas de construção civil, soalhos com marcações desportivas, mobiliário escolar, de escritório, desportivo, edições, …) integrou uma actividade social colectiva (ginásios, escolas, feiras, festas, campanhas cívicas, ...) extinta ou que prossegue de outra maneira, com outros materiais e outros objectos. Uma entropia evidente domina o conjunto: numas zonas, os materiais estão bem arrumado, noutras, são simplesmente atirados ao acaso; uns, estão em perfeitas condições de conservação, outros, em degradação acelerada.

Um questionamento económico, sociológico ou cultural interessar-se-ia pela origem e destino destes materiais. João Seguro, não esquece estas dimensões mas, no seu questionamento artístico, interessa-se antes por formas e volumes, materiais e objectos, padrões e texturas. E, através desse interesse, questiona uma realidade escondida do público, que podemos evocar como sendo uma “terceira margem” do real e que se oferece como uma “ruína circular”, no sentido de não ter nem princípio nem fim. Sem esconder as origens e os contextos em que tudo foi produzido, consumido, destruído e abandonado Guiado pelo amor das formas, pelo fascínio dos objectos, pelo (re)conhecimento e citação da história da arte o artista regista recolhe, reorganiza, reproduz, readapta e volta a apresentar-nos alguns desses materiais e objectos. O passado imediato contido naquele depósito arqueológico é-nos devolvido através de objectos dispersos, sem necessidade de integrar uma ficção coerente o que acentua a tarefa melancólica deste inquérito subjectivo”.

 

 

 Outras notícias - Cultura


Ainda a tempoEmodo, amanhã, na BOT »  2018-05-11 

Mais uma oferta cultural para amanhã, sábado, em Torres Novas: nada mais nada menos que a actuação do grupo riachense tempoEmodo, pelas dez horas da noite, na sede da Banda Operária Torrejana.

A carismática banda, formada ainda nos finais dos anos 70 do século passado, e que deixou para a posteridade um LP que é referência da progrock portuguesa, regressou aos palcos há uma dúzia de anos depois de um hiato de quase uma vida.
(ler mais...)


Riachos: bombas sobre o Irão, “Intifado” contra a ordem vigente »  2018-05-10 

Enquanto não caem bombas sobre a antiga Pérsia, as brigadas anti-militaristas atacam em Riachos no sábado, dia 12, um “intifado” da paz contra as convenções da música bem comportada e arrumadinha nos “géneros” da ordem estabelecida.
(ler mais...)


Atalaia: arte urbana de Vhils homenageia oleiros »  2018-04-23 

Está concluída a primeira intervenção artística em espaço público no âmbito do projecto ARTEJO. A obra do artista português Alexandre Farto (Vhils) foi executada nos últimos dias e já pode ser apreciada pelo público na Atalaia, concelho de Vila Nova da Barquinha.
(ler mais...)


Bons Sons: radiografia de um amor de verão »  2018-04-15 

Há várias dimensões a analisar quando se trata de avaliar um festival e o BONS SONS passa com distinção em todas. O estudo realizado junto do público do festival mostra que há todo um país a convergir a Cem Soldos, em Agosto.
(ler mais...)


Jorge Fazenda lança livro de memórias dia 21 »  2018-04-06 

“Nas longas caminhadas por montes e vales que diariamente fazia nos arredores, travava conhecimento com um mundo fantástico que, aos poucos, ia substituindo aquele a que toda a vida julgara pertencer”: não se sabe onde fica a elevação em que se ergue uma antiga árvore agora confidente do autor e, mais que isso, criatura irmã de uma vida finalmente reconfigurada e atada aos fios das gerações anteriores, não só de homens e mulheres, mas também de outras plantas e árvores, bichos, cheiros, ventos, aragens e sombras.
(ler mais...)


Barquinha: boa música com Pedro Jóia e Sopa da Pedra »  2018-04-06 

A igreja matriz da Atalaia vai ser o palco para a actuação do virtuoso e multifacetado guitarrista Pedro Jóia, no próximo dia 14 Abril, pelas 22 horas.
“Observar Pedro Jóia e a sua guitarra é vislumbrar um único corpo.
(ler mais...)


Teatro Virgínia: “Sopro, um solo de dança”, por Sofia Neuparth »  2018-02-28 

Sofia Neuparth e o c.e.m. – centro em movimento, trazem ao Teatro Virgínia um solo de dança, acompanhado de conversa, no dia 10 de Março, às 21h30.
Segundo Sofia Neuparth, «Sopro é um estudo do nascer do gesto que traz ao encontro a alegria de ser movimento! Não se é corpo sozinho.
(ler mais...)


Barquinha: workshop de escrita criativa »  2018-02-26 

O Centro de Estudos de Arte Contemporânea, em Vila Nova da Barquinha, acolhe nos dias 2 e 3 de Março um workshop de escrita criativa, que contará com a dinamização de Nuno Garcia Lopes. A inscrição para esta iniciativa custa 25 euros (para sócios é 20 euros).
(ler mais...)


Exposição evoca 120.º aniversário de Maria Lamas »  2018-02-21 

É inaugurada no Dia Internacional da Mulher (8 de Maio), a exposição “MULHERES, PAZ, LIBERDADE //MARIA LAMAS”, naquela que pretende ser um “homenagem singela a esta figura ímpar da cultura portuguesa” no ano em que se celebra o 120.
(ler mais...)

 Mais lidas - Cultura (últimos 10 dias)