• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Segunda, 18 Janeiro 2021    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qui.
 16° / 10°
Céu nublado com chuva fraca
Qua.
 16° / 10°
Céu nublado com chuva moderada
Ter.
 14° / 1°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  14° / 2°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Actriz Céu Guerra esteve hoje em Torres Novas com alunos do concelho

Cultura  »  2020-01-22 

O espectáculo da Companhia de teatro «A Barraca» trouxe hoje a Torres Novas a peça de Gil Vicente "A Farsa de Inês Pereira" e contou, no final, com a presença da actriz e encenadora da peça, Maria do Céu Guerra.

A grande actriz portuguesa, detentora de um percurso artístico notável, dialogou com os alunos e respondeu às suas questões. Estiveram presentes cerca de 350 alunos dos 10.°s anos das escolas do concelho, tendo a representação decorrido no Teatro Virgínia, numa iniciativa promovida pelo Serviço de Apoio a Bibliotecas Escolares.

Maria do Céu Guerra nasceu em 26 de Maio de 1943, em Lisboa. Nos anos 60 começou por integrar da "Casa da Comédia", ao lado de Zita Duarte, Manuela de Freitas, Fernanda Lapa, Laura Soveral e outros amadores. Participou em várias produções, a começar por Deseja-se Mulher (1963), de Almada Negreiros, encenada por Fernando Amado. Em 1965 segue para participar da fundação do Teatro Experimental de Cascais, onde se profissionalizou.

No início da década de 1970 passaria pelo Teatro de Revista e pela comédia, começando com a revista Alto Lá com Elas (1970), de Paulo da Fonseca, César de Oliveira e Rogério Bracinha e encenada por Camilo de Oliveira, ao lado de nomes como Tony de Matos, Linda Silva, Vítor Espadinha, Maria Tavares, Lina Morgado ou Io Appolloni, numa produção estreada no Teatro ABC no Parque Mayer.

Após um breve regresso de Maria do Céu Guerra à Casa da Comédia, para Doroteia (1974), de Nelson Rodrigues, com encenação de Morais e Castro, os ventos do 25 de Abril trazem o musical Liberdade, Liberdade (1974) ao Teatro Villaret, numa encenação de Luís de Lima para uma adaptação de Luís Francisco Rebello e Helder Costa de um original de Millôr Fernandes e Flávio Rangel, e onde podemos encontrar participações de nomes como José Mário Branco, Fausto ou Júlio Pereira. Ainda em 1974, faz parte do grupo fundador da companhia "Teatro Ádóque" (Adoque - Cooperativa de Trabalhadores de Teatro) ainda participa na revista Pides na Grelha (1974) de Francisco Nicholson, Gonçalves Preto e Mário Alberto.

Em 1975, a Maria do Céu Guerra fundou, com o cenógrafo Mário Alberto, a companhia de teatro "A Barraca" com o primeiro espectáculo, A Cidade Dourada a estrear em Março de 1976 na Incrível Almadense. Foi n`"A Barraca" que Maria do Céu Guerra centrou a sua actividade em teatro, sendo de destacar os desempenhos premiados como em É Menino ou Menina? (1980), de Gil Vicente, Um Dia na Capital do Império (1983), de António Ribeiro Chiado, Calamity Jane (1986) ou Todos os que Caem (2006). Nota ainda para as interpretações em peças como A Relíquia (2000), Havemos de Rir? (2001) ou Play Strindberg (2015) que valeram nomeações.

No cinema, a sua carreira começou com a locução em Crónica do Esforço Perdido (1966), de António de Macedo, mas a sua estreia como actriz cinematográfica deu-se no premiado O Mal-Amado (1973), de Fernando Matos Silva. Da lista de participações no grande ecrã, encontram-se películas como A Santa Aliança (1978), de Eduardo Geada, Lisboa Cultural, (1983) de Manoel de Oliveira, Crónica dos Bons Malandros (1984), de Fernando Lopes, A Estrela (1994), de Frederico Corado ou Portugal S.A. (2003), de Ruy Guerra. Destaque ainda para Os Gatos não Têm Vertigens (2014), de António Pedro Vasconcelos, que valeu o Prémio Sophia (2015) para "Melhor Actriz" e o seu segundo Globo de Ouro de "Melhor Atriz", desta vez na categoria de "Cinema".

No seu percurso na televisão, para além de teatro televisivo e de telefilmes (como Casino Oceano (1983), de Lauro António), destacam-se trabalhos como a sitcom Residencial Tejo (1999), ou séries televisivas como Mau Tempo no Canal (1989) ou Velhos Amigos (2011). Integra pela primeira vez uma telenovela quando entra em Jardins Proibidos (2014), seguindo-se A Impostora (2016), em que foi Maria do Céu Guerra quem contracenou naquela que seria última cena de Nicolau Breyner, que morreu durante a gravação desta telenovela.

 

 

 Outras notícias - Cultura


Cine-Clube: balanço dos 60 anos »  2021-01-10 

“Um ano que apresentou desafios como há muito o associativismo em geral e o cineclubismo em particular não sentiam, foi objectivo da direcção não parar a actividade, pois a responsabilidade cultural assumida há 60 anos, o amor ao cinema, ao associativismo e ao contacto presencial com o público, com os sócios, com os amigos, ditaram que não tombássemos os braços nem desistíssemos de alguma forma de actividade que, reinventada, pudesse subsistir” – assim começa a nota de imprensa do Cine-Clube de Torres Novas.
(ler mais...)


Samuel Úria: concerto suspenso »  2021-01-08 

O concerto de Samuel Úria, aprazado para amanhã no teatro Virgínia, em Torres Novas, foi suspenso e reagendado para o próximo dia 15, uma nova data que deverá merecer, contudo, todas as reservas.

O agravamento da situação sanitária em quase todo o país e nomeadamente no concelho de Torres Novas (um dos três municípios do distrito com maior índice de contágios), obriga a medidas mais restritivas: neste fim de semana passa a vigorar o recolher obrigatório a partir das 13 horas, enquanto nos dias de semana esse regime tem início às 23 horas.
(ler mais...)


Liteiros: “Os Ceifeiros” festejam 32.º aniversário »  2020-11-21 

“Apesar dos constrangimentos que estamos a atravessar devido ao complexo contexto desencadeado pela actual pandemia e das saudades de estarmos em palco e próximos das pessoas e amigos, não poderíamos deixar passar em claro o aniversário dos “Ceifeiros” e da sua escolinha de folclore”, começa por realçar a colectividade em comunicado de imprensa.
(ler mais...)


Alice Vieira condecorada pelo Presidente da República »  2020-11-17 

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou hoje, terça-feira a escritora Alice Vieira e também e os músicos Jorge Palma e António Variações, este a título póstumo.
(ler mais...)


Virgínia: homenagem a Pedro Barroso com concerto dia 28 »  2020-11-09 

Torres Novas é uma das cidades onde se vai homenagear Pedro Barroso no dia em que o cantautor completaria 70 anos. “Viva quem canta!”, título de uma das mais conhecidas cantigas do músico de origens riachenses, é o mote do espectáculo que terá lugar no teatro Virgínia, no próximo dia 28 de Novembro.
(ler mais...)


Virgínia: Teatro Maior de Idade estreia “A Cantora Careca” »  2020-11-06 

O Teatro Maior de Idade, do projecto “Teatro em Formação” do Teatro Virgínia, estreia sábado, dia 7 de Novembro, às 21h30 o seu mais recente espectáculo, fruto do trabalho desenvolvido ao longo do último ano de ensaios.
(ler mais...)


SMUT de Lapas: fez 100 anos a mais jovem filarmónica do concelho »  2020-10-22 

Fundada em 18 de Outubro de 1920, rezam os anais por Joaquim Silva Nuno, Joaquim Vieira Borga Sobrinho, António Sousa Martins, Olímpio Vieira Borga, Augusto César Lince, Joaquim Ferreira Agulha, Joaquim Santos Emílio, José Martins e António Faria Laureano, e nessa altura a designação oficial indicava que se fundara a Banda Recreativa de Lapas.
(ler mais...)


Tiago Bettencourt no Virgínia, em concerto com lotação “muito limitada” »  2020-10-15 

Tiago Bettencourt apresenta-se ao público no Teatro Virgínia, a 27 de Outubro, no âmbito do 15.º aniversário daquela sala de espectáculos (após obras de renovação). O músico, ex-Toranja, dará um concerto com uma lotação muito limitada e sem venda de bilhetes, às 21h30.
(ler mais...)


Sábado, no Teatro Taborda: "Obrigado Bernardo, Santarém de Portugal" »  2020-10-05 

Depois de ter estreado em Almeirim, “Obrigado Bernardo Santarém de Portugal”  terá apresentação ao público escalabitano numa sessão única, no Teatro Taborda, do Círculo Cultural Scalabitano, amanhã, dia 10 de Outubro, pelas 21H30.
(ler mais...)


Teatro Virgínia: reabertura promete Clã, Rodrigo Leão e Calcanhotto »  2020-09-28 

O Teatro Virgínia reabre após o anterior confinamento provocado pela Covid-19, reagendando espectáculos anteriormente previstos e que tiveram de ser cancelados e com muitas outras novidades, seguindo todas as recomendações da Direção Geral de Saúde.
(ler mais...)

 Mais lidas - Cultura (últimos 30 dias)
»  2021-01-08  Samuel Úria: concerto suspenso
»  2021-01-10  Cine-Clube: balanço dos 60 anos