• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Terça, 26 Maio 2020    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qui.
 33° / 19°
Períodos nublados
Qua.
 34° / 20°
Céu limpo
Ter.
 33° / 18°
Períodos nublados com aguaceiros e trovoadas
Torres Novas
Hoje  30° / 16°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Câmara de Torres Novas financia há ano e meio a Rádio Local de Torres Novas

Sociedade  »  2019-11-20 

Luís Silva adjudicou e despachou, Pedro Ferreira assinou contrato

Os financiamentos e subsídios da Administração Pública aos órgãos de comunicação social são proibidos, mas Pedro Ferreira e Luís Silva arranjaram maneira de injectar 1200 euros por mês na estação local de rádio, por conta de um “contrato de prestação de serviços de publicidade”.

Apoios e financiamentos do Estado a órgãos de comunicação social só são possíveis no âmbito de um sistema de incentivos, com regulamentos e candidaturas próprias, traduzidos em incentivos no âmbito da reconversão tecnológica, contratação, apoio à difusão postal, etc, sob a égide da tutela do Estado a este sector. Tudo o que vá para além disto, situa-se fora de enquadramento legal.

Mas, no início de 2018, Luís Silva, vice-presidente e Pedro Ferreira, presidente da câmara de Torres Novas, arranjaram maneira de apoiar a Rádio Local de Torres Novas, a contas com conhecidas e públicas dificuldades, extensíveis à generalidade dos órgãos de comunicação social, nacionais e regionais.

Luís Silva articulou com a Rádio Local um “contrato de prestação de serviços de publicidade e transmissão de rádio”, mediante a prévia realização de procedimento por ajuste directo, como se lê no documento tornado público no portal das contratações do Estado. O convite foi feito à estação emissora no dia 13 de Março e no dia 21 o próprio Luís Silva adjudicou a contratação, pelo preço de 12 mil euros em doze meses iniciais, mais IVA, tudo traduzido num encaixe de 1230 euros por mês para a emissora. O processo foi rápido: a 13 de Março foi feito um convite à Rádio Local, a 18 a Rádio Local fez a proposta de preço e a 21 do mesmo mês Luís Silva despachou em conformidade. Logo a seguir, Pedro Ferreira assinou o contrato, que em Abril próximo terá o seu fim por não poder mais ser prolongado.

O “contrato de prestação de serviços de publicidade”, figura normalmente utilizada para fornecimento de publicidade a eventos específicos ou campanhas também específicas, é neste caso transformado numa renda de longa duração, configurando na prática um financiamento continuado e ultrapassa aquilo que poderia estar incluído num contrato de serviços de publicidade.

Nas contrapartidas, a Rádio Local compromete-se a realizar e difundir uma série de spots publicitários de divulgação de iniciativas camarárias (desde a feira de Março às Festas da cidade, da programação do Virgínia aos Frutos Secos e ao Encontro de Bandas, mas para a justificação do montante e da extensão do próprio contrato são incluídas actividades editoriais próprias e correntes de qualquer órgão de comunicação social, que não são passíveis de serem pagas enquanto “serviço de publicidade”.

Na verdade, uma “rubrica, com informações a serem fornecidas pela câmara, para divulgação de notícias respeitantes à actividade municipal”, que faz parte do contrato, é assunto editorial de qualquer rádio ou jornal, que já o assumem por si, porque faz parte da sua actividade normal. Não cabe, a qualquer instituição, pagamento, a que título for, por isso. Tal como a “realização de programas específicos destinados ao esclarecimento de questões que se julguem importantes para a população do concelho”, que também integra o contrato, configura o trabalho editorial normal de qualquer órgão de comunicação social, bem como a “divulgação de actividades culturais e desportivas previstas semanalmente, com informação a enviar semanalmente pelos serviços da câmara”: ora, os clubes desportivos e associações já enviam para os jornais essa informação, que dela fazem notícia. Neste contrato, a câmara alegadamente remete calendários desportivos e agendas culturais de terceiros para um órgão de comunicação, pagando para serem feitas notícias. É o absurdo. Já a “transmissão em directo das sessões da assembleia municipal...”, igualmente constante do contrato, é curiosa, uma vez que a autarquia realiza a transmissão directa, com som e imagem, pelos seus próprios meios, na Internet.

Durante o mandato autárquico anterior, a Câmara de Torres Novas fez publicidade de eventos no JORNAL TORREJANO (anúncios da feira de Março, frutos secos, etc) no montante de 940 euros (2014), 1500 euros (2015), 1156 euros (2016) e 967 euros (2017), valores já com IVA. Os montantes em causa traduzem-se numa média de 95 euros por mês durante o referido mandato.

Actualmente, por mês, a Câmara de Torres Novas paga cerca de 470 euros (por mês, repita-se) por uma inserção, num site de notícias on-line, de uma imagem do castelo, sem qualquer objectivo informativo, o que traduz, na prática, um financiamento contínuo e directo desse órgão de comunicação social da região. Pedro Ferreira confirmou esse encargo em declarações ao JT, outro caso de financiamento indirecto.

Mas as opções da autarquia, em termos de ordens para inserção de publicidade em órgãos de comunicação são tão díspares e desproporcionadas que se chega a pagar mais de 1500 euros por um único anúncio (um único, uma vez) num jornal da região.Respondendo a questões que lhe foram colocadas pelo JT referentes a este processo, nomeadamente sobre a escolha da Rádio Local para a contratação de serviços de publicidade nos termos do referido contrato, Pedro Ferreira diz que ela se deve “ao reconhecimento da importância deste meio de comunicação para tentar chegar a toda a população que nem sempre tem habitualmente acesso a outros meios de informação, como é por exemplo, a internet” .

Instado a explicar se a contratação com a Rádio se deveu a notícias que, à época, davam como muito difícil a situação desse órgão comunicação social, o autarca nega, referindo que “o município tem tido um amplo leque de formas diversas de comunicação e divulgação ao longo de cada ano em rádios (como por exemplo a Rádio do Centro/Coimbra), jornais locais onde sempre se incluiu o vosso”. Seja como for, foi naquele contexto que a concelhia socialista de Torres Novas reforçou a sua presença da gerência da Rádio.

Sobre se a decisão de estabelecer o contrato foi da exclusiva responsabilidade do presidente da câmara ou teve o consenso da maioria que o apoia, Pedro Ferreira garante que, apesar do pelouro da comunicação ser seu, sempre gostou e sempre trabalhou em equipa. Por último, o presidente da Câmara diz que estabeleceu o contrato ao abrigo das competências que lhe são dadas pela Lei 75/2013.

As disparidades que se observam na distribuição, pelos poderes instituídos, da publicidade em órgãos da comunicação social, são um fenómeno perfeitamente normal, sejam quais forem as maiorias instaladas. A publicidade é a receita fundamental dos jornais e rádios. Por isso, os que se portam mal são castigados, enquanto aqueles que se vergam e não espantam a caça são premiados, ao sabor das afinidades, das amizades políticas e dos interesses. Salvo raríssimas excepções, é este o panorama com o qual se tem de viver.

N.D. - Não era preciso dizê-lo: nada nos move contra a RLTN, que nos merece todo o respeito e consideração e partilha esta aventura da comunicação e do jornalismo. Nem contra os apoios que consegue. O tema é outro.

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Maioria quer arrasar o “caminho das cobras” com alcatrão »  2020-05-25 

“A estrada conhecida como “carreiro das cobras” é o ultimo troço de rede viária em terra batida dentro da cidade de Torres Novas. Tem algumas características particulares que devem ser preservadas: para além do piso em terra batida a sua envolvência é tipicamente de uma estrada rural com arvoredo e vegetação diversa que lhe confere uma beleza particular.
(ler mais...)


Concursos de pessoal da Câmara: Quaresma fala de “estranheza” »  2020-05-25 

“Sem querer colocar em causa o mérito das pessoas/técnicos que coordenaram o procedimento concursal comum para preenchimento de um posto de trabalho por tempo indeterminado de técnico superior de educação, o mérito dos candidatos, e salvaguardando não ter conhecimento das provas efectuadas e do critério respeitante à avaliação das mesmas e dos candidatos, cumpre-me manifestar estranheza por aquilo que se começa a entender ser falta de transparência resultante dos resultados de alguns concursos para admissão de pessoal na Câmara Municipal”, assim se refere o vereador João Quaresma a um recente concurso em que a pessoa admitida é autarca eleita pelo PS numa freguesia.
(ler mais...)


Maioria PS decidiu apoiar “O Almonda” e recusou igual tratamento para os outros dois jornais do concelho »  2020-05-08 

Um dos pontos mais quentes da ordem de trabalhos da reunião do executivo municipal do dia 28 de Abril prendia-se com a intenção do Partido Socialista apoiar ao jornal O Almonda, cedendo instalações municipais no edifício do mercado à associação que, alegadamente, irá explorar aquele semanário.
(ler mais...)


Torres Novas e concelhos vizinhos em indicadores PORDATA: menos gente, mais velhos, menos empregos, menos estudantes »  2020-04-20 

É um cenário pouco animador: Torres Novas e os concelhos vizinhos de Abrantes, Tomar, Alcanena, Golegã, Barquinha e Entroncamento, em indicadores comparados de 2010 e 2018, têm menos população, cada vez menos nascimentos e mais idosos, o número de empregos diminuiu em quase todos
os municípios, tal como o número de estudantes.
(ler mais...)


EDITORAL: para que conste »  2020-04-16 

Ano após ano, nunca aqui fizemos referência à brutal disparidade da inserção de publicidade institucional paga, pela Câmara Municipal de Torres Novas, nos três jornais do concelho, sempre em favor de um deles.
(ler mais...)


Torres Novas: fósforo a mais nas águas exige investimento de 245 mil euros da Águas do Ribatejo »  2020-04-08 

As ETAR e sistemas de saneamento de Riachos e Torres Novas, requalificados pela ÁGUAS DO RIBATEJO em Junho de 2015, num investimento de 8 milhões de euros, estão a ser alvo de obras no valor de 245 mil euros, diz a empresa em comunicado de imprensa.
(ler mais...)


Águas do Ribatejo: 500 mil em medidas de apoio a particulares e empresas »  2020-03-30 

A situação que vivemos actualmente, derivada da pandemia da Covid-19, foi o tema principal da reunião que juntou os presidentes das sete câmaras municipais que integram a empresa intermunicipal Águas do Ribatejo (Almeirim, Alpiarça.
(ler mais...)


COVID: atendimento mais próximo é no Entroncamento »  2020-03-26 

Atendendo ao alargamento progressivo da expressão geográfica da pandemia COVID-19 em Portugal, e tendo em conta a Norma 004/2020 – COVID-19 – FASE DE MITIGAÇÃO, emitida pela DGS, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, no cumprimento dos princípios de equidade, qualidade e proximidade dos cuidados de saúde prestados à população, procedeu à reorganização dos recursos humanos e materiais nos cuidados de saúde primários e criou 35 Áreas Dedicadas (ADC) à COVID-19 em toda a região.
(ler mais...)


Mundo suspenso, cidade suspensa, vidas suspensas »  2020-03-18 

Os factos: durante os 50 dias em que a ditadura chinesa escondeu o surto do novo vírus (independentemente da sua origem ou da sua génese), empresários e milhares de turistas chineses visitaram a Itália, para onde aportavam, ao mesmo tempo, hordas de turistas e viajantes de outros países da Europa.
(ler mais...)


Última hora: Câmara cancela eventos e fecha equipamentos municipais »  2020-03-11 

À semelhança do que outras autarquias da região já tinham feito, a Câmara de Torres Novas activou um plano de contingência de modo a fazer face à situação que se vive. Eventos como a feira de Março ou ou o TorresRodas foram cancelados, as piscinas estão encerradas, alguns serviços e equipamentos municipais alvo de restrições.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 30 dias)
»  2020-05-08  Maioria PS decidiu apoiar “O Almonda” e recusou igual tratamento para os outros dois jornais do concelho
»  2020-05-25  Maioria quer arrasar o “caminho das cobras” com alcatrão
»  2020-05-25  Concursos de pessoal da Câmara: Quaresma fala de “estranheza”