• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 17 Abril 2024    •      Directora: Inês Vidal; Director-adjunto: João Carlos Lopes    •      Estatuto Editorial    •      História do JT
   Pesquisar...
Sáb.
 25° / 13°
Períodos nublados com aguaceiros e trovoadas
Sex.
 27° / 15°
Períodos nublados
Qui.
 28° / 14°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  28° / 12°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Morreu José Ribeiro Sineiro, um torrejano notável

Sociedade  »  2024-02-19 

Morreu hoje segunda-feira, ao fim da tarde, José Ribeiro Sineiro, uma das figuras marcantes da segunda metade do século XX torrejano. Foi um lutador contra a ditadura salazarista, animador cultural nas áreas do cine-clubismo e do património, teve um papel determinante nalgumas realizações culturais na cidade. Estava hospitalizado há dias, depois do seu estado de saúde se ter deteriorado. Faria 89 anos em Março.

Filho de José Lopo Antunes, de Monsanto da Beira, e de Leocádia da Conceição Ribeiro, vendedora na praça, José Ribeiro Sineiro nasceu em Torres Novas a 26 de Março de 1935, tendo passado a infância nas Casas Altas, onde morava a família, num cenário de aventuras e brincadeiras que se estendia ao Moinho da Cova, ao Outeiro do Fogo e ao Caldeirão, de onde acedia à ladeira que ia dar às escolas primárias, no Salvador.
Já adolescente, frequentou a primitiva escola industrial no curso nocturno, contactando com homens como António Maia, um operário da Casa Nery que já tinha estado preso, conheceu Ernesto Pinto Ângelo, professor que tinha grandes preocupações culturais e que seria presidente do Choral Pydellius e do Clube Desportivo de Torres Novas, duas pessoas que o marcaram.

Em 1958 vieram as pseudo-eleições e a campanha de Humberto Delgado e em sua casa começou a aparecer o “República”. Nas Casas Altas, a família de José Ribeiro era a única que tinha electricidade e rádio em casa, e lá iam furtivamente alguns vizinhos para ouvirem a BBC e a Rádio Moscovo.

Profissionalmente, José Ribeiro tinha trabalhado, como electricista, na oficina de António Vasco da Silva, depois na de Nuno Garcia, homem da oposição ao regime, mas demorou-se pouco na vila e seguiu para Lisboa, ingressando na UTIC, onde estabelece ligações políticas com o movimento da juventude trabalhadora, de orientação comunista. No dia 17 de Março de 1960 é preso e conduzido à sede da PIDE, na António Maria Cardoso. Passou pela “estátua”, uma das clássicas torturas da antiga polícia política, é agredido e queimado com cigarros numa sessão que durou cinco dias e quatro noites, tendo feito os 25 anos nesses dias negros. É julgado e condenado a dois anos de prisão e medidas de segurança, que o levam a estar três anos e meio isolado numa cela do forte de Peniche, depois de ter estado na prisão de Caxias. Somando todos os períodos em que esteve isolado, passou mais de um ano sem sair da cela, sem ver mais ninguém a não ser o guarda. Até a comida lhe iam levar à cela. Na cadeia conviveu com importantes quadros políticos do PCP como António Dias Lourenço, Octávio Pato, José Magro e Júlio Fogaça, entre outros. Nos mais de cinco anos em que esteve preso, nunca lhe foi permitida uma visita no parlatório. Saiu da prisão em 1965.

Ficou com residência fixa em Torres Novas, não podia sair do concelho e era obrigado a apresentar-se todos os meses no posto da GNR, não podendo pertencer a corpos sociais de quaisquer colectividades. Continuou a sua vida profissional de electricista, montando pequena oficina no Caldeirão.

Neste regresso a Torres Novas, o Cine-Clube foi a saída para continuar a sua participação cívica e cultural: as direcções das colectividades tinham de ir à aprovação governamental, mas faziam-se “comissões de apoio à direcção” e foi assim que José Ribeiro deu o seu contributo a importantes iniciativas do Cine-Clube de Torres Novas na segunda metade da década de 60 do século passado. Com o beneplácito do presidente da Câmara, Fernando Cunha, que sempre se responsabilizou perante a PIDE em abrir a porta do Virgínia para iniciativas culturais conotadas com a oposição, integrou a equipa do Bang-Bang, réplica local do célebre programa de televisão Zip-Zip, com Nuno Cordeiro, Machado e João José Lopes “Espanhol”.

Em 1969 deu apoio directo à logística da oposição, na CDE, na preparação dos cadernos eleitorais, mas trabalhando clandestinamente. Publicamente, aparecia a sua mulher, Benvinda Lopes Ribeiro.

Depois do 25 de Abril de 1974, foi militante e dirigente regional e nacional do MDP/CDE, fundou e animou o jornal regional “A Forja” (1975-1982), sediado em Torres Novas e que pretendia afirmar-se como jornal regional. Fundou e foi principal dirigente da Associação de Defesa do Património de Torres Novas, em 1978, tendo sido o grande divulgador e impulsionador, em Torres Novas, do movimento de ideias em defesa do património cultural e do ambiente. Nesse período, publica centenas de artigos em jornais locais sobre temas do património e da cultura em Torres Novas. Mais tarde, em 2010 publicaria, em edição do município, um livro sobre a história da implantação da electricidade em Torres Novas, “A iluminação pública e a electricidade na vila de Torres Novas – subsídios e documentos.”

Mas sua acção como dirigente da Associação de Defesa do Património iria deixar uma marca imorredoira no panorama cultural torrejano.

Na verdade, ficaram a dever-se à sua visão e iniciativa as primeiras movimentações para que a Casa Mogo de Melo fosse reabilitada para albergar o Museu Municipal, ainda em finais da década de 70, como também os primeiros contactos com a EDP com vista à salvaguarda da Central do Caldeirão enquanto património público. Foi dele o lançamento da ideia das comemorações do VIII Centenário do Foral, a maior realização cultural que Torres Novas já conheceu. José Ribeiro Sineiro teve também um papel decisivo e determinante em todo o processo que levou à constituição da comissão pró-Museu Etnográfico e das acções de recolha que resultaram na colecção de etnografia e arqueologia industrial, depositada a partir de 1985 na antiga garagem Claras. Foi José Ribeiro que convenceu Joaquim Rodrigues Bicho a resgatar os seus velhos escritos de jornal sobre o património artístico para guias de visitas ao património concelhio, então realizadas sob a égide da Associação de Defesa do Património, no início dos anos 80, o que levaria à publicação do primeiro livro daquele autor, num passo, talvez decisivo, para a futura actividade de Joaquim Bicho na sua futura carreira de escritor. Foi José Ribeiro Sineiro que deu a ideia, no seio da comissão do foral, do convite a Luís Filipe de Abreu para conceber aquele que seria o painel de azulejos do centenário, a mais valiosa peça de arte pública existente na cidade.

Inclinação antiga, nunca deixou de aperfeiçoar a sua arte de escultor, trabalhando em madeira peças de pequeno e médio porte. Fez várias exposições e as suas esculturas estão espalhadas por todo o país, levadas ou compradas por amigos. Uma das principais rotundas da cidade de Torres Novas, junto à Escola Secundária Artur Gonçalves, tem uma escultura de sua autoria, ampliada em aço, uma das mais bonitas peças de arte exterior de Torres Novas.

Em 2000 foi agraciado com a medalha de Mérito Municipal da Cultura pelo município de Torres Novas.

José Ribeiro foi co-fundador da Cooperativa Editora Jornal Torrejano, que edita este jornal. À sua família, o JT envia sentidas condolências. J.C.L.

 

 

 Outras notícias - Sociedade


PUBLICIDADE INSTITUCIONAL - Centro Social Santa Eufémia – Chancelaria Assembleia Geral CONVOCATÓRIA »  2024-04-10 

Centro Social Santa Eufémia – Chancelaria

Assembleia Geral

CONVOCATÓRIA

Nos termos do artigo 29.º, alínea a, do número 2, convoco as/os Exma(o)s associada(o)s para uma Assembleia Geral ordinária, a realizar no próximo dia 28 de abril de 2024, pelas 15H00, nas instalações do Centro.
(ler mais...)


Espectáculo de porcos em Riachos causa estranheza »  2024-04-08 

Anunciava-se no cartaz das actividades do dia 7 de Abril, domingo, da Associação Equestre Riachense, como “porcalhada”. Mas estaria longe de imaginar-se que o espectáculo prometido seria um exercício de perseguição a um leitão, num chiqueiro, até o animal, aterrorizado, ser atirado para dentro de um recipiente situado no meio do recinto.
(ler mais...)


Bombeiros: nova direcção, velhos hábitos »  2024-03-21 

 Chegou ao fim a guerra nos Bombeiros Voluntários Torrejanos. Pelo menos, para já.

A nova direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Torrejanos tomou posse ao fim da tarde de hoje, 21 de Março, Dia Mundial da Poesia.
(ler mais...)


Paulo Ganhão Simões, presidente da Junta de Pedrógão: “Só se consegue tentar reverter a desertificação com mais investimento público” »  2024-03-21 

Diz que é uma pessoa diferente após esta já longa carreira de autarca e que também ficou com uma percepção mais rica do que é o território da sua freguesia. Considera que contribuiu para mitigar antigos antagonismos, faz um balanço positivo da sua acção, mas ainda tem projectos por finalizar, entre eles uma melhor ligação à sede do concelho.
(ler mais...)


Bombeiros: a saga continua, agora para destituição da mesa da assembleia geral »  2024-03-20 

Quando se pensava que as eleições para a direcção da AHBVT iriam dar lugar a um momento de acalmia na vida da associação, eis que um grupo de associados pediu a Arnaldo Santos, presidente da assembleia geral, a convocação de uma assembleia geral extraordinária para destituir, note-se, a própria mesa da assembleia geral.
(ler mais...)


Publicidade institucional – Grupo de Amigos Avós e Netos de Lapas – Assembleia Geral CONVOCATÓRIA »  2024-03-20 

Publicidade institucional  - Grupo de Amigos Avós e Netos de Lapas

Assembleia Geral

CONVOCATÓRIA

A Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Grupo de Amigos Avós e Netos, vem pela presente, nos termos do disposto no n.
(ler mais...)


Bombeiros: lista A saiu vencedora com 407 votos »  2024-03-18 

Alguma expectativa rodeava a assembleia geral eleitoral de sábado, dia 16, para a eleição da direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Torrejanos. Concorriam duas listas, uma liderada por Gonçalo Pereira e outra cujo cabeça-de-lista era Nuno Cruz, ex-presidente da direcção que estava em funções desde Maio de 2023.
(ler mais...)


Fótica apresentou nova colecção da Kaleos »  2024-03-13 

Em festa e ambiente de boa disposição, uma das mais antigas lojas do comércio tradicional do centro histórico de Torres Novas apresentou no sábado, dia 2, a nova colecção de óculos da marca Kaleos.
(ler mais...)


Publicidade institucional - Associação de Dadores de Sangue de Torres Novas, assembleia geral CONVOCATÓRIA »  2024-03-13 

Associação de Dadores de Sangue de Torres Novas

assembleia geral 

CONVOCATÓRIA

 Pela presente convoco V.Exª para a sessão Ordinária da Assembleia Geral da Associação de Dadores de Sangue de Torres Novas, a realizar no próximo dia 26 de março de 2024, pelas 20:30 horas, na sede da Associação, no número 37 da Avenida Dr.
(ler mais...)


Bombeiros: convocatória das eleições gera confusão »  2024-03-12 

A assembleia geral eleitoral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Torrejanos, marcada para o dia 16 de Março, na sequência da demissão da direcção, está a causar alguma confusão entre os associados.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 30 dias)
»  2024-03-20  Bombeiros: a saga continua, agora para destituição da mesa da assembleia geral
»  2024-04-08  Espectáculo de porcos em Riachos causa estranheza
»  2024-03-18  Bombeiros: lista A saiu vencedora com 407 votos
»  2024-03-21  Paulo Ganhão Simões, presidente da Junta de Pedrógão: “Só se consegue tentar reverter a desertificação com mais investimento público”
»  2024-03-20  Publicidade institucional – Grupo de Amigos Avós e Netos de Lapas – Assembleia Geral CONVOCATÓRIA