• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Segunda, 03 Outubro 2022    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qui.
 32° / 16°
Períodos nublados
Qua.
 32° / 16°
Céu limpo
Ter.
 32° / 15°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  31° / 14°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Lamego: 700 mil euros para atirar os esgotos ao rio, mais uma trapalhada

Sociedade  »  2022-07-15 

As obras do Largo do Lamego, cuja telenovela já aqui mereceu destaque, continuam a ser um poço sem fundo de surpresas, perplexidades e agora, de escândalo, dito com as letras todas.

Note-se bem: as referidas obras são apenas parte de uma intervenção, mais ampla, do sistema de saneamento de toda a zona que vai da Bácora ao Largo do Lamego, passando pelo “largo da Caixa” e que tinha por objectivo acabar com os últimos esgotos da cidade que ainda estavam a verter para o rio, como que era o caso. Da Bácora, não havia “ponto” para o esgoto se encaminhar para o colector da rua da Levada, de cota superior, tal como no largo do Lamego não havia cota para encaminhar os esgotos dos prédios para o colector central que passa na rua Miguel Bombarda. A intervenção, de 600 mil euros mais+IVA, incluiu a instalação de pequenas centrais elevatórias subterrâneas para bombearem, no caso do Lamego, os esgotos para o colector da Miguel Bombarda.

Acontece que finda a obra, fosse porque a estação elevatória não estivesse ainda a trabalhar por falta de ligação à caixa da EDP, fosse por outra razão qualquer, os esgotos começaram a verter da rede de esgotos para um colector pluvial que desaguava nas escadarias do porto do Lamego.

Há cerca de dois meses, foram dias horríveis de cheiro nauseabundo, com os esgotos a céu aberto a escorrer pelas lages, através do colector das águas pluviais. Não houve uma explicação, nem resolvia a situação a vinda do limpa-fossas para atenuar o acidente, já que essa operação teria que ser quase diária.

O pior estava para vir: numa manhã, operários por conta de alguma entidade (não tinham letreiros nas costas) derreteram à marreta e a berbequim parte das lages quase centenárias do porto do Lamego, para encaixarem um tubo a ligar o colector de pluviais, que agora já não se vê, directamente ao rio, submergindo-o para esconder o verdadeiro móbil: atirar com os esgotos de vários prédios e dezenas de casas para o rio, depois de se ter gasto mais de 700 mil euros para acabar com essa situação.

A seguir, desenrolou-se o teatro do costume. Um morador dirgente de uma organização ambientalista foi fazer queixa ao SOS AMBIENTE, que a encaminhou para a PSP. A PSP foi ao local, acompanhada pela Protecção Civil, que não sabia de nada, segundo aquele morador que, ao que também ele apurou, era um assunto desconhecido da Câmara, o dono da obra, por conta dos 700 mil euros de todos que a pagaram para acabar com os esgotos a dar para o rio. A PSP não sabe dizer mais nada, segundo o ambientalista, do que o facto de ter encaminhado o assunto para a Câmara. Não sabendo a Câmara de nada, e de quem foi a iniciativa de desviar os esgotos para o rio (as descargas começaram logo a ser visíveis), espera-se que autarquia proceda criminalmente contra os desconhecidos autores da decisão que levou a este escandaloso procedimento.

O morador referido afirmou ao JT que vai avançar com todos os meios ao seu alcance para encontrar os autores da decisão, com queixas às diferentes entidades nacionais (APA, ARH) relacionadas com o ambiente.

Entretanto, o limpa-fossas continua a vir ao Lamego a intervalos de dois ou três dias, depois de quase um milhão de euros e um ano de uma obra que ainda não acabou e que prometia estar pronta em meses. É lícito perguntar:

- Por que razão a obra, prevista para demorar dois meses, ainda não está pronta ao fim de uma ano?

- Quem, durante a obra, fez ou viabilizou uma ligação entre a fossa da estação elevatória e o colector de pluviais que ia dar ao rio? Quem decidiu ou autorizou tal situação?

- Por que razão, depois do tapa e destapa da calçada, foram precisos dois meses para a EDP vir alimentar a estação elevatória a partir das caixas próximas?

- Por que razão, feita a ligação eléctrica da estação elevatória, a mesma não funciona e continua a ter de vir o limpa-fossas resolver a situação?

- Quem autorizou que se espatifasse parte das lages do porto do Lamego e ligasse o colector pluvial, a receber esgotos, ao rio?

- Porque razão a Câmara, há cerca de um ano, enviou uma carta aos moradores a pedir desculpa pelos incómodos de uma obra que ia demorar dois meses e agora não escreve ou informa os moradores do que se passa ao fim de uma ano?

- Porque, entre outras razões,  há um ano aproximavam-se as eleições autárquicas, e agora, amealhados os votos, voltou o sentimento de impunidade e o desprezo pelos munícipes.

 


 

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Fábrica Grande: CDU fala de amiguismos e rejeita clínica privada naquele espaço »  2022-09-23 

A CDU de Torres Novas entendemos que a Câmara fez bem em adquirir as antigas instalações da fábrica de Fiação e Tecidos, mas a sua ocupação, com a instalação dos projectos anunciados, levanta muitas preocupações aos comunistas.
(ler mais...)


CDU defende refeições feitas pelas escolas »  2022-09-21 

A Câmara decidiu atribuir mais uma vez, a confecção das refeições escolares a uma empresa privada para o ano lectivo de 2022/23 e, no entender da CDU, “continua a privilegiar o interesse privado em detrimento do interesse público”.
(ler mais...)


Associação com seis meses vai receber, para já, 45 mil do município »  2022-09-14 

Inédito: uma associação que acaba de fazer seis meses de existência e não mostrou qualquer trabalho, vai receber já 15 mil euros e mais 30 mil euros por ano do município, para além de instalações, para “desenvolver os produtos de Torres Novas”.
(ler mais...)


Hospitais do CHMT reforçam actividade assistencial »  2022-09-11 

 


Os profissionais de saúde do CHMT responderam a 99.306 episódios de urgência no acumulado dos oito primeiros meses do ano, um marco histórico que se traduz num crescimento de 35% (ou mais 25.501 episódios, em valor absoluto) face ao período homólogo de 2021, e revela um aumento de um por cento acima do valor registado em 2019, ano de referência assistencial do Serviço Nacional de Saúde, diz nota de imprensa do cento hospitalar.
(ler mais...)


Ulme recebe o festival “Já Te Dou o Arroz” »  2022-09-11 

Quim Roscas e Zeca Estacionâncio, Azeitonas e Ruizinho do Acordeão são os cabeça de cartaz

 Entre 9 e 11 de setembro, a vila de Ulme, no concelho da Chamusca, recebe a segunda edição do festival “Já Te Dou o Arroz”, numa organização conjunta da Câmara Municipal da Chamusca e da Junta de Freguesia de Ulme.
(ler mais...)


Câmara já mudou para o edifício do antigo hospital »  2022-09-09 

Em nota de imprensa de ontem, dia 9 de Setembro, a câmara municipal de Torres Novas informa o público e os torrejanos que os novos Paços do Concelho já estão instalados no edifício do antigo hospital da Misericórdia.
(ler mais...)


Antigas instalações da Fiação poderão ser do Município: Fábrica Grande, um projecto para a próxima década e para muitos milhões de euros »  2022-08-28 

A confirmar-se a compra das antigas instalações da Companhia Nacional de Fiação e Tecidos, uma área de 30 mil metros quadrados em local privilegiado da cidade atravessado pelo rio Almonda, abre-se um mundo de possibilidades para dar corpo a um parque urbano que integre património e negócios, serviços e lazer.
(ler mais...)


Torres Novas: cinco mil euros para apoiar esterilização de cães e gatos »  2022-08-16 

 Termina no dia 15 de Setembro o prazo para entrega das candidaturas ao programa de apoio financeiro para esterilização de animais de companhia, no caso cães e gatos, machos e fêmeas. O município reservou para 2022 uma verba de cinco mil euros destinados ao reembolso financeiro que são de 87,50 euros para esterilização de cadelas, 75 euros para esterilização de cães, 50 euros para esterilização de gatas e 25 euros para esterilização de gatos.
(ler mais...)


Alcanena: Museu do Curtume conserva materiais »  2022-08-16 

Tiveram início, no dia 2 de Agosto, os trabalhos de conservação, higienização e desinfestação do espólio em madeira do Museu do Curtume. O edifício do museu alberga um espólio que conta a história e a própria evolução do saber-fazer e da indústria dos curtumes no concelho de Alcanena e que constitui um dos mais importantes testemunhos para a constituição do futuro núcleo museológico do “Projecto Couros”.
(ler mais...)


Fundação dá prémio ao melhor aluno admitido medicina »  2022-08-16 

A Fundação Maria Isabel e Renato Gameiro atribui, a partir de 2022 e com carácter anual, o prémio “Dr. Renato Gameiro”, no valor pecuniário de 1.500 euros, ao aluno que seja admitido no curso de medicina com a melhor classificação.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 30 dias)
»  2022-09-14  Associação com seis meses vai receber, para já, 45 mil do município
»  2022-09-09  Câmara já mudou para o edifício do antigo hospital
»  2022-09-11  Hospitais do CHMT reforçam actividade assistencial
»  2022-09-11  Ulme recebe o festival “Já Te Dou o Arroz”
»  2022-09-21  CDU defende refeições feitas pelas escolas