• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 18 Setembro 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sáb.
 22° / 17°
Céu nublado com chuva moderada
Sex.
 29° / 15°
Períodos nublados
Qui.
 30° / 16°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  31° / 15°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Legislativas: PSD agastado, PS calado, Bloco rachado, PCP ao lado

Sociedade  »  2019-07-06 

As listas dos candidatos às legislativas de Outubro, pelo distrito de Santarém, estão na ordem do dia e mobilizam as máquinas partidárias. São processos em que corre sempre algum sangue, com os contendores a evocarem “a vontade do povo”, “o povo do distrito” e outros argumentos patéticos para justificar intenções, vontade e decisões, quando elas passam e só, pela arregimentação de militantes. Como é normal que seja em partidos políticos. Nada de mais, portanto.

A passar um mau bocado a nível nacional, o PSD distrital não é uma tropa pacificada. A lista aprovada pela distrital tem João Moura (presidente dessa estrutura) à cabeça, seguido de Ramiro Marques, de Santarém, Isaura Morais, presidente da câmara de Rio Maior, Rui Rufino, da Chamusca, Jorge Salgado Simões, de Torres Novas. Como o PSD só elegeu 3 deputados em 2015 (o quarto da coligação PAF foi para o CDS), é por aqui que começa a guerra.

O actual deputado Duarte Marques declarou-se surpreendido: “A minha maior surpresa é a minha exclusão”, disse ele, depois da aprovação da lista pela distrital no dia 26 de Junho. O advogado de Mação vai avisando que o processo ainda não está concluído, já que a lista tem de ser validada ou não pela direcção nacional do partido. Vamos ficar todos à espera que Rio desague finalmente.

O eixo Mação/Sardoal/Ferreira do Zêzere está em rota de colisão com a lista, a que se junta Abrantes. Os possíveis candidatos abrantinos em lugares da frente da lista alegam que Abrantes foi o quarto concelho que mais votos deu ao PSD nas eleições anteriores, esquecendo que os votos foram angariados por outros protagonistas e que a votação tem um sentido mais nacional que regional. “Entendemos assim que, de acordo com o nosso peso eleitoral e de acordo com as indicações de excelência que apresentámos (José Miguel Vitorino/Ana Chambel Dias) que deveríamos ter outro tipo de relevância na constituição das listas, ou em 4.º lugar – José Vitorino (em vez da Chamusca) ou em 6.º lugar Ana Dias (em vez de Benavente)”, disse o dirigente social democrata abrantino.

Disso também se poderia queixar Torres Novas, com um candidato de reconhecida ambição remetido para quinto lugar, com o militante da Chamusca à sua frente, para não falar do cabeça de lista.

No Partido Socialista está tudo calmo, para já. De resto, o partido não tem grande interesse que se faça grande alarido do cabeça de lista, se ele for António Gameiro, deputado, homem do aparelho, figura pouco consensual mesmo entre a família da “mãozinha fechada”. Que, a essas reservas, responde com uma votação à albanesa nas eleições para chefe distrital do partido, no ano passado. Os socialistas começaram o processo de escolha dos candidatos a 27 de Junho e só em 23 de Julho Costa, que detém uma espécie de direito de pernada no assunto, anunciará as suas escolhas pessoais, um terço dos candidatos elegíveis. O PS já proclamou que os dois primeiros das listas deverão ser de género diferente. No caso de Santarém, com a entrada na liça de Céu Albuquerque, ex-autarca de Abrantes e actual secretária de Estado, também deverá haver lugar à “palavra do povo” e dos “interesses do distrito” para alinhavar o rol dos candidatos.

Do lado Bloco de Esquerda sopra grande ventania, uma vez que o partido sonha eleger um deputado pelo distrito à semelhança de 2015, com uma lista encabeçada por Carlos Matias, seguido então de Margarida Moleiro, técnica superior de cultura, de Torres Novas. E aqui é que ela empeça: há quatro anos, Matias acordou, com a entourage que o empossou como cabeça de lista, que ficava no Parlamento apenas uns meses, para dar lugar à nova geração. A verdade é que Matias gostou da experiência e os meses transformaram-se num mandato inteiro, sem abébias. E mais, o actual deputado de 67 anos não quer largar o lugar.

A direcção nacional do BE mandou dizer que pretendia refrescar a lista de Santarém e que não aceitava a decisão anunciada unilateralmente pela distrital, antes da reunião decisiva, de manter Matias como cabeça de lista, mas isso não demoveu os militantes. Na assembleia distrital de militantes, realizada em Santarém no dia 29 de Junho, os militantes presentes votaram por larga maioria a lista da distrital, com Matias, Luís Gomes (sociólogo, de Salvaterra), Ana Sofia Ligeiro (geógrafa, Torres Novas) nos lugares cimeiros. A alternativa, apoiada pela direcção nacional, foi uma lista que tinha Fabíola Cardoso (professora de Santarém) como cabeça de lista, seguida por Roberto Barata, engenheiro, de Torres Novas.

Não valeu de nada a alegada carta enviada aos militantes de Santarém, em que a Comissão Política bloquista dizia ter tomado “conhecimento do anúncio público, pela Comissão Coordenadora Distrital de Santarém , da indicação do nome do camarada Carlos Matias para encabeçar a lista eleitoral pelo círculo de Santarém às próximas eleições legislativas” (..) e que, presumindo que essa proposta fosse presente à Assembleia Distrital do dia 29, a Comissão Política, informava os proponentes dessa candidatura e a Assembleia Distrital de que pretendia apresentar à Mesa Nacional os nomes dos camaradas Fabíola Cardoso e Roberto Barata, que pareciam corresponder às necessidades de renovação da presença eleitoral do BE e da sua futura representação parlamentar.

Dias antes da assembleia de Santarém, Matias tinha enviado uma carta aos militante a dizer que no distrito de Santarém tem de ser “o povo quem mais ordena”, tendo o povo ordenado por 81 votos que o antigo engenheiro da PT seria o número um da lista. A assembleia ficou marcado pelo episódio patusco da ressurreição de Anita, a controversa ex-autarca do BE de Salvaterra, que há uns dois meses se inscreveu no partido para ver como param as modas. Entretanto, Matias ou Fabíola, sobra o um bico-de-obra para Catarina Martins resolver à mesa do palacete da rua da Palma.

O PCP está praticamente à margem destes enredos, embora tenha enviado o ex-deputado motard Manuel Tiago para Viseu para apagar um fogo que grassa entre os militantes do antigo cavaquistão. No “partido” não há lugar a votações de militantes para escolha de deputados e a direcção nacional já indicou o nome António Filipe para cabeça de lista, em Santarém. Com apenas 56 anos, Filipe é um deputado veterano e detentor de um enorme currículo político, tendo sido eleito pelo distrito de Santarém em 2015.

O CDS também elegeu um deputado em 2015, embora na lista de coligação, mas até à data não chegou à nossa redacção informação concreta sobre a lista dos populares para o círculo eleitoral de Santarém.

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Conjunto arqueológico monumental descoberto na aldeia da Mata »  2019-09-06 

A designação de “poços” utilizada no ante-título é meramente ilustrativa: trata-se de quase cinco dezenas de estruturas escavadas, de forma cilíndrica, descobertas durante os trabalhos de saneamento da aldeia.
(ler mais...)


Inédito: Torres Novas às escuras há duas noites seguidas »  2019-09-05 

Quando ontem, quarta-feira, ao anoitecer, se verificou que praticamente todo o centro histórico de Torres Novas estava sem uma única lâmpada de iluminação pública, pensou tratar-se de uma momentânea avaria.
(ler mais...)


Câmara: 80 mil para cultura e desporto, o mesmo que quer gastar nos repuxos da rotunda »  2019-08-31 

O executivo municipal aprovou por unanimidade, na reunião ordinária de 6 de Agosto, um conjunto de apoios nas áreas da cultura e do desporto que ascendem a cerca de 80 mil euros. Isto relativo à actividade de um ano, o mesmo que vai gastar nas traquitanas de um repuxo (ver peça mais abaixo).
(ler mais...)


Amália Moita: morreu uma centenária »  2019-08-28 

Há pouco mais de um ano, 18 de Julho de 2018, o JT noticiava que Torres Novas tinha mais uma mulher a atingir a idade de 100 anos: tratava-se de Amália Moita, natural de Alcorochel, aldeia onde sempre viveu, apesar de nas últimas décadas passar temporadas também em Torres Novas, em casa de uma das filhas.
(ler mais...)


Torres Novas: manuais gratuitos para o 3.º CEB e secundário »  2019-08-15 

O executivo municipal aprovou por unanimidade o alargamento da distribuição gratuita de manuais escolares aos alunos do escalão A e B do 3.º CEB (ciclo do ensino básico) e ensino secundário.

“No âmbito das competências de acção social da câmara, já são comparticipados os cadernos de actividades aos alunos até ao 6.
(ler mais...)


Legislativas: mulheres chegam-se à frente na região mais marialva do antigamente »  2019-08-09 

No Ribatejo, aquele Ribatejo marialva de antigamente, já nada é o que era. Quatro dos cinco partidos com representação parlamentar no distrito, PS, PSD, CDS e Bloco apresentam mulheres como cabeças de lista às legislativas de Outubro.
(ler mais...)


Pias Longas: QUERCUS exige responsabilidades e arrasa autarquias »  2019-07-26 

A QUERCUS acaba de tomar posição sobre os aterros ilegais do aeródromo de Pias Longas e é contundente: faz notar que mesmo após o embargo da Câmara de Ourém, continuaram os aterros, que se traduzem no “grave atentado ambiental”.
(ler mais...)


Pias Longas: aterros já chegam aos caminhos e trilhos utilizados por população e desportistas »  2019-07-22 

 

Os aterros, constituídos por toneladas de pedras e terra, que pretendem alongar a pista do aeródromo de Pias Longas, na fronteira entre os concelho de Ourém e Torres Novas, continuam em marcha, apesar do alegado embargo decretado pela câmara de Ourém e da alegada comunicação da câmara de Torres Novas junto do município vizinho.
(ler mais...)


Olá cidade! »  2019-07-09 

Torres Novas comemorou ontem, dia 8 de Julho, mais um aniversário da elevação a cidade. Dias antes, terá havido em local apropriado mais uma jornada, mais uma, de apresentação de obras digitais. Milhões de flores entre as ruínas, como diz a canção.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 30 dias)
»  2019-09-05  Inédito: Torres Novas às escuras há duas noites seguidas
»  2019-08-31  Câmara: 80 mil para cultura e desporto, o mesmo que quer gastar nos repuxos da rotunda
»  2019-09-06  Conjunto arqueológico monumental descoberto na aldeia da Mata
»  2019-08-28  Amália Moita: morreu uma centenária