• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 19 Maio 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 26° / 12°
Períodos nublados
Ter.
 24° / 12°
Períodos nublados
Seg.
 23° / 10°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  23° / 10°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

“Crescem flores onde estiveres - A vida de Joaquim Alberto contada pelo próprio", sábado, em Riachos

Sociedade  »  2018-12-13 

livro é apresentado dia 18, pelas 16 horas, na Casa do Povo

 “Crescem flores onde estiveres – a vida de Joaquim Alberto contada pelo próprio” é o relato, na primeira pessoa, das mil vidas do ex-diácono católico, companheiro dos padres operários, revolucionário romântico, militante anti-fascista, membro da LUAR, exilado, preso político, cooperativista, animador de associações de emigrantes em França, amante das canções de Brel, amigo do Zeca, fundador da Comunal de Árgea, caçador de utopias, riachense antes e no fim de tudo – o título evoca uma canção do seu amigo Pedro Lobo Antunes (que mais tarde seria director do GAT e vereador na Câmara de Torres Novas) e que com ele, em finais de 1974, ergueu a experiência socialmente revolucionária que foi a cooperativa Comunal, na aldeia de Árgea, freguesia de Olaia deste concelho.

O livro, a ser lançado por ocasião dos 80 anos de Joaquim Alberto, vai ter uma sessão de apresentação na Casa do Povo de Riachos, pelas 16 horas do próximo sábado, dia 15 de Dezembro, após um almoço em sua honra organizado por um grupo de amigos.

Elaborado a partir de longas horas de entrevistas gravadas em audio e video, que se destinavam, de início, a ficarem como memória de um protagonista da vida colectiva riachense e do país da segunda metade do século passado, o livro resulta de um trabalho de selecção e organização levado a cabo por Carlos Simões Nuno, actual director de O Riachense, e por Carlos Tomé, que encaixaram em nove capítulos outras tantas fases significativas ou facetas singulares de uma vida vivida a mil tempos, para evocar outra vez as palavras de Jacques Brel, deste riachense e homem de tantas causas e lutas.

Joaquim Alberto Lopes Simões nasceu em Riachos em 1938, fez os estudos secundários em Tomar e enveredou pela profissão de serralheiro. Trabalha em Alverca, passa pelos CTT e pela Renova e, já adulto (1959), ingressa no seminário dos Olivais, onde fica até 1966 e tira o Curso Superior de Teologia. Mas sopravam os ventos do Vaticano II e o diácono Joaquim Alberto optou por abandonar a perspectiva de ser padre e em 1966 vai para Paris com o intuito de estudar filosofia. Regressa em 1969 e fixa-se em Vila Franca, trabalhando numa comunidade responsável por uma imstituição de acolhimento de crianças pobres dirigida por um padre goês.

No início da década de 70 volta outra vez a França e trabalha com a comunidade emigrante, apoiando os que chegam e precisam de ajuda. É em França que conhece José Afonso, que ficou em sua casa quando em terras francesas esperava pelo estúdio onde gravaria o célebre disco “Cantigas do Maio”. Liga-se à LUAR, organização que se dedicava a acções de sabotagem a estruturas e equipamentos do Estado português, é preso em Espanha durante uma viagem clandestina a Portugal (já tinha sido preso pela PIDE uns tempos antes) e é nessa situação que é apanhado pelo 25 de Abril. Em finais de 1974 funda em Árgea a cooperativa agrícola Comunal, na década de 80 está de novo em Riachos e participa na vida autárquica e associativa riachense. Entretanto, tenta uma experiência de cooperante em Moçambique, volta a Riachos, onde desenvolve iniciativas e preside à comissão de melhoramentos, até 1988. Volta a Paris mais uma vez, mas no início da década de 90 está no Alentejo (Castro Verde e Viana), na dinamização de programas de desenvolvimento rural. Depois destas experiências, Paris está ainda mais uma vez na sua rota, e é lá que vive, viajando de vez em quando a Portugal e para Riachos, para estar com a família e os amigos.

No sábado, Joaquim Alberto Simões celebrará com familiares e amigos os oitenta anos de uma vida cheia, tomada de sonhos e lutas, uma vida que é símbolo de toda uma geração a quem se deve a liberdade.

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Associação do Património denuncia abate de choupos na Ribeira »  2019-04-17 

 Ontem, dia 16 de Abril, foram cortados pela base vários choupos em bom estado, junto ao mouchão do rio Almonda, na ponte entre as Ribeiras. Mais cinco árvores estarão marcadas para abate, todas árvores de grande porte, sem sinais evidentes de doença ou secura, e com funções ecológicas relevantes, denuncia a Associação do Património de Torres Novas em comunicado de hoje, 17 de Abril.
(ler mais...)


Associação Protectora dos Animais tem novos corpos sociais »  2019-04-06 

Foram eleitos ontem, dia 5 de Abril. os novos órgãos sociais da Associação Protectora dos Animais de Torres Novas (APA) para o triénio 2019-2022. A direcção continua a ser presidida por Rosário Pires Bento, que lidera a APA desde 2013, anuncia nota de imprensa da associação.
(ler mais...)


Pedro Triguinho absolvido em processo da Fabrióleo »  2019-03-22 

Pedro Triguinho, activista do movimento ambientalista Basta!, de Torres Novas, foi absolvido na sexta-feira, no Tribunal de Torres Novas, num processo em que era acusado de difamação por uma então administradora da empresa Fabrióleo, que lhe moveu a acção a título pessoal.
(ler mais...)


Pias Longas: trabalhos no aterro continuam, vereador do ambiente nada diz »  2019-03-13 

Os trabalhos relacionados com a ampliação do aterro do topo sul da pista do aeródromo de Pias Longas, situado na fronteira entre os municípios de Ourém e Torres Novas, continuam em marcha, isto apesar de uma fiscalização da câmara de Torres Novas ter confirmado, logo na altura da denúncia por este jornal, que milhares de toneladas de pedras e terra estavam a ser despejadas para dentro da território do concelho de Torres Novas numa área de elevado potencial ambiental e que integra a Reserva Ecológica Nacional.
(ler mais...)


Alterações climáticas: Maria Lamas promove aula aberta no auditório municipal »  2019-03-08 

Dando sequência a idêntica iniciativa do ano transacto, a escola Maria Lamas volta a promover uma aula aberta, desta vez no auditório municipal (edifício da biblioteca Gustavo Pinto Lopes), e sob o tema “Alterações climáticas e biodiversidade”.
(ler mais...)


O triunfo dos porcos: só câmara pode impedir mega-suinicultura »  2019-03-04 

Depois de amanhã, o executivo municipal vai ser chamado a deliberar sobre um assunto de enorme importância ambiental para o concelho: a instalação de uma suinicultura na Quinta de Caniços, freguesia de Brogueira, a dois passos da Reserva do Paul e perto de povoações.
(ler mais...)


Maioria quer gastar mais de 600 mil no Rossio em mais uma obra inútil »  2019-02-28 

Não se pinta um único banco de jardim há anos, as pontes do jardim das rosas estão interditas, à volta do castelo é só ruína, há calçadas e passeios escavacados por todo o lado, nada é mantido.
(ler mais...)


A Tasca: nova vida com Paulo Emílio »  2019-02-21 

Durante uns anos restaurante de referência de Torres Novas em tempo do consulado do fundador, Vítor Alves, A Tasca passou depois por algumas experiências, umas melhores outras nem por isso, pois na realidade nenhuma delas teve a duração que permitisse consolidar uma proposta ou uma ideia para a casa situada na velha Rua da Corrente, bem pertinho da Ponte do Raro.
(ler mais...)


Aeródromo de Pias Longas: aterros invadiram reserva ecológica do concelho »  2019-02-21 

Poderá estar em marcha um enorme atentado ecológico contra o território do concelho e uma acção que põe em causa o Estado de direito. O avanço dos aterros, segundo os limites administrativos entre Torres Novas e Ourém (a autarquia ouriense serve-se, ao que parece, de outra linha divisória) entrou cerca de 200m no concelho de Torres Novas, perfazendo uma área de implantação de cerca de 20 000 metros quadrados.
(ler mais...)


Festival do Cogumelo da Parreira: Chakall, Marco Costa e Rouxinol Faduncho »  2019-02-12 

De 1 a 3 de março, o cogumelo é de novo a estrela à mesa da III edição do Festival do Cogumelo que junta gastronomia, animação musical, bares, artesanato, cozinha ao vivo e, claro, exposição de produtores e agentes económicos do setor,  um evento de dinamização e promoção territorial, organizado em parceria pelo Município da Chamusca e pela União de Freguesias de Parreira e Chouto.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 30 dias)