• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quinta, 17 Outubro 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Dom.
 19° / 10°
Céu limpo
Sáb.
 20° / 13°
Céu nublado com chuva fraca
Sex.
 23° / 14°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  23° / 16°
Céu nublado com aguaceiros e trovoadas
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

João Espanhol: morreu um homem grande, Torres Novas fica mais pobre

Sociedade  »  2019-02-09 

Funeral deverá ser na segunda-feira, dia 11

Hoje, dia 9 de Fevereiro, sábado, durante a tarde, calou-se a voz de João José Lopes (“João Espanhol”), um torrejano de vulto, cidadão excepcional, militante apaixonado, artista reconhecido no seu tempo, a voz que na década de 50 encantou públicos exigentes e que, por mais quase 50 anos, animou milhares de bailes e festas. Calou-se a voz que ecoou forte na praça da cidade durante dezenas de Abris.

Nasceu em 1929 no bairro de Santiago, e cresceu menino pobre. No início dos anos XX, chegara a Torres Novas o cidadão espanhol Juan Lopez, com a sua roda de amolador, depois de uma temporada em Mira de Aire, onde conhecera a mulher que com ele havia de casar. Era de Laña del Monte, perto de Orense, na Galiza.

Quando Juan Lopez morreu, em 1940, a pobreza assolava o país, a vila e em especial aquela família. Com 11 anos, João José Lopes não teve outro remédio: no dia seguinte ao enterro do pai, a mãe entregou-lhe a chave da loja e ele foi abri-la. Começou a trabalhar na loja. Onze anos e a sustentar a família. Não parou até Maio passado. Foram 78 anos de trabalho ininterrupto, naquela que era uma das mais antigas lojas de Torres Novas. Quando fechou definitivamente as portas da Casa Espanhol (a mulher Celina, morreria três dias depois), João José Lopes era ele próprio o comerciante mais antigo da cidade.

Pelo meio, o “Canja” para os amigos maís íntimos, teve uma vida cheia como poucos homens podem dizer que tiveram. Muito novo, denotou dotes vocais de excepção e começou a frequentar tertúlias e a animar serões e serenatas. Cantou no Orfeon Torrejano. Em 1952, foi o grande vencedor do consurso nacional “À procura de uma estrela” e ingressou na companhia artística de Igrejas Caeiro como cantor profissional.

Com a detenção daquele antigo militante socialista e a extinção da companhia, por ordens do governo salazarista, João José Lopes regressou a Torres Novas e fundou o conjunto Níger, em meados dos anos 50. Foi a voz do prestigiado agrupamento musical torrejano durante mais de quatro décadas.
Militou em colectividades torrejanas, era até hoje o sócio vivo n.º 1 do Clube Desportivo de Torres Novas. Destacou-se no Cine-Clube, onde com outros amigos se empenhou na resistência cultural e política, e também no Montepio de Nossa Senhora da Nazaré.

A “loja do João Espanhol”, por seu lado, não era apenas um espaço comercial. Foi desde sempre uma tertúlia aberta à passagem diária e ao convívio de amigos, muitos, que o João Espanhol tinha. Desde o início dos anos 70, ali se alinhavam as pequenas conspirações da luta contra o regime: a Casa Espanhol era uma espécie de sede autorizada da oposição. Com a democracia, passou a ser igualmente um entreposto logístico do PCP, de que nunca o João Espanhol escondeu simpatias. Ali se ia buscar o “Avante” ou as entradas para a festa, na loja se faziam inscrições para os almoços do 25 de Abril, ali o “Canja” tinha uma espécie de capelinha dedicada aos políticos da sua devoção, com cartazes e retratos de Álvaro Cunhal ou Fidel Castro.

Este cenário politizado nunca foi impeditivo para os amigos do João Espanhol: sabiam-no um homem de convicções mas, mais que isso, um homem de grande generosidade, amigo dos seus amigos. Com ele, o abraço, a amizade e a alegria de viver estavam primeiro que a política. Por isso trabalhou tanto e teve tantos amigos e tanto reconhecimento em vida, uma vida longa de quase 90 anos.

Torres Novas perdeu um homem de enorme dimensão cívica, que o munícípio reconheceu quando há poucos anos lhe atribuiu a medalha de mérito de cultura. João Espanhol deixa atrás de si um extraordinário exemplo de quanto é possível fazer quando se ama a vida e a liberdade, mesmo nascendo em berço pouco afortunado e enfrentando, na infância, perseguições e exclusões.

A família, em especial a sua filha Dulce, os netos, irmão e também as sobrinhas, têm no “João” um exemplo de uma vida que fica como um indelével património de todos os seus próximos. Os amigos, que eram muitos e dedicados, em Torres Novas e em terras em redor, vêem partir um gigante dos afectos, do contentamento, da gratidão, da generosidade.

A todos, os JORNAL TORREJANO manifesta o seu pesar.

PS – Por uma vez, o escriba desta linhas sai dos limites da distância e da contenção jornalística para dizer que foi para outras paragens uma das pessoas que mais o marcaram na vida e que foi, sempre, um exemplo maior. Mais que um amigo, um grande amigo, o João era da família do coração. Vai continuar a ser.
J.C.L.

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Alcanena em desespero com os maus cheiros »  2019-10-16 

Alcanena está a viver uma situação insustentável e isso é confirmado por qualquer pessoa que passe de carro próximo da vila, logo agredida com um mau cheiro verdadeiramente insuportável.

 Nas redes sociais surgem apelos lancinantes, outros revoltados, a apelar e exigir a solução de um problema que é antigo (todos se recordam de como era difícil estar e viver em Alcanena em meados da década de 80), mas passou uma geração e a poluição ambiental regressou em força nos últimos tempos.
(ler mais...)


PS acaba com farmácia de Alcorochel »  2019-10-15 

Com parecer positivo ao pedido de deslocalização da farmácia de Alcorochel para a cidade de Torres Novas, onde já existem sete farmácias, a maioria socialista põe fim a uma das mais antigas farmácias do concelho.
(ler mais...)


Legislativas: vitória modesta de Costa com descida da oposição »  2019-10-08 

TORRES NOVAS: as contas e as dúvidas

No distrito de Santarém, o PS aumentou a sua votação em 1 921 votos, uma média de 92 votos por concelho. Em Torres Novas, o aumento foi de 90 votos: conforme.
(ler mais...)


Entroncamento: trabalhadores dos CTT em greve »  2019-10-08 

Os trabalhadores do CDP do Entroncamento estão em greve desde hoje, dia 8 e até 15 de Outubro. Entre os problemas laborais destacam-se a má organização do serviço, aliada a uma gritante falta de trabalhadores tem consequências graves para os utentes, nomeadamente atrasos na distribuição, muitas vezes com graves prejuízos.
(ler mais...)


Encontro de apicultores, dia 12, na Lagoa do Furadouro »  2019-10-02 

O 3.º encontro de apicultores da região vai realizar-se no próximo dia 12 de Outubro, sábado, pelas 18 horas, no salão paroquial da Lagoa do Furadouro (próximo de Casais da Igreja, mas no concelho de Ourém).
(ler mais...)


Torres Novas: alterações climáticas levam câmara a anular concurso para psicóloga clínica »  2019-10-01 

Quando, no dia 1 de Abril, dia da mentiras, a câmara de Torres Novas fazia publicar no Diário da República o aviso de abertura do concurso para admissão de uma psicóloga, jurando por todos os santinhos a necessidade premente de contratação de uma técnica desse ramo, estava longe de pensar que, escassos meses depois, o aquecimento climático, as manifestações em Hong Kong, o impeachment a Donald Trump e o despedimento de Leonel Pontes do Sporting iriam alterar as circunstâncias de tal modo que, afinal, a psicóloga já não é urgente e até nem se percebe porque é que alguém alguma vez teve semelhante ideia.
(ler mais...)


Conjunto arqueológico monumental descoberto na aldeia da Mata »  2019-09-06 

A designação de “poços” utilizada no ante-título é meramente ilustrativa: trata-se de quase cinco dezenas de estruturas escavadas, de forma cilíndrica, descobertas durante os trabalhos de saneamento da aldeia.
(ler mais...)


Inédito: Torres Novas às escuras há duas noites seguidas »  2019-09-05 

Quando ontem, quarta-feira, ao anoitecer, se verificou que praticamente todo o centro histórico de Torres Novas estava sem uma única lâmpada de iluminação pública, pensou tratar-se de uma momentânea avaria.
(ler mais...)


Câmara: 80 mil para cultura e desporto, o mesmo que quer gastar nos repuxos da rotunda »  2019-08-31 

O executivo municipal aprovou por unanimidade, na reunião ordinária de 6 de Agosto, um conjunto de apoios nas áreas da cultura e do desporto que ascendem a cerca de 80 mil euros. Isto relativo à actividade de um ano, o mesmo que vai gastar nas traquitanas de um repuxo (ver peça mais abaixo).
(ler mais...)


Amália Moita: morreu uma centenária »  2019-08-28 

Há pouco mais de um ano, 18 de Julho de 2018, o JT noticiava que Torres Novas tinha mais uma mulher a atingir a idade de 100 anos: tratava-se de Amália Moita, natural de Alcorochel, aldeia onde sempre viveu, apesar de nas últimas décadas passar temporadas também em Torres Novas, em casa de uma das filhas.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 30 dias)
»  2019-10-01  Torres Novas: alterações climáticas levam câmara a anular concurso para psicóloga clínica
»  2019-10-15  PS acaba com farmácia de Alcorochel
»  2019-10-16  Alcanena em desespero com os maus cheiros
»  2019-10-02  Encontro de apicultores, dia 12, na Lagoa do Furadouro
»  2019-10-08  Legislativas: vitória modesta de Costa com descida da oposição