• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 27 Outubro 2021    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sáb.
 22° / 17°
Céu muito nublado com chuva moderada
Sex.
 19° / 16°
Céu muito nublado com chuva moderada
Qui.
 24° / 10°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  26° / 12°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Vereadora do BE, Helena Pinto, apresentou oficialmente a sua candidatura:“Temos uma equipa renovada, de gente nova e nova gente”

Sociedade  »  2021-06-21 

Depois de uma abertura musical a cargo de Luís Santos (Siul Sotnas), também ele candidato do BE à assembleia de freguesia de Riachos, e da intervenção da coordenadora nacional Catarina Martins, coube a Graça Martins, no papel de mandatária concelhia, apresentar as listas do partido à Câmara e Assembleia Municipal e sobretudo confirmar Helena Pinto, antiga deputada e actual vereadora do Bloco de Esquerda na Câmara de Torres Novas, como a candidata nas eleições autárquicas do próximo Outono.

A candidatura de Helena Pinto, que foi eleita pela primeira vez para a Câmara Municipal de Torres Novas nas autárquicas de 2013, apresentada ontem na Praça dos Claras, em Torres Novas, levou a candidata a recordar os “anos intensos” de oposição e “escrutínio” à maioria socialista, feitos de crítica, mas “sempre com propostas e alternativas”, apontando intervenções desde as áreas do ambiente, educação, saúde, protecção civil, economia e emprego, entre outras. “O PS não mereceu a maioria absoluta que os torrejanos lhe deram”, disse Helena Pinto, para afirmar ainda que os os socialistas andaram sempre a reboque, devagar e trás dos acontecimentos, sobretudo na definição de políticas sociais de combate aos efeitos da pandemia ou até na questão da Fabrióleo.

“Passaram quatro anos a vangloriar-se de pequenas obras com 20 anos de atraso, como a calçada António Nunes ou a requalificação do bairro dos pobres” (que nem sequer está concretizada) guardando para o ano de eleições uma série de anúncios de mais obras, só anúncios, que não se sabe quando serão realizadas e outras, no centro histórico, que obviamente estão atrasadas e não vão estar prontas tão depressa, mas servem para a propaganda. No defesa do rio Almonda, “zero mais uma vez em quatro anos”, referiu Helena Pinto, recordando que o rio continua como estava há 4, 8 ou 12 anos. A este respeito, importa lembrar que nem durante as obras do Parque Almonda foi limpo o troço do leito respectivo, permanecendo este completamente atulhado de lixo.

Helena Pinto, animadora social, foi deputada à Assembleia da República pelo Bloco de Esquerda entre 2005 e 2015, tendo ainda no seu currículo a presidência da União Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR). Na lista do Bloco para Torres Novas, seguem-se Ilpo Lali, um jovem animador social e activista cultural, Ana Sofia Ligeiro, geógrafa e técnica superior autárquica, António Ribeiro, professor e historiador, Maria José Formigo, técnica superior da Segurança Social, Cátia Estrela, terapeuta da fala, Gina Gouveia e o historiador e antigo autarca e vereador António Mário Santos.

A lista do BE à Assembleia Municipal é liderada pelo engenheiro químico Roberto Barata, 32 anos, que no seu discurso caracterizou como medíocre a gestão socialista, considerando que as anunciadas guerras entre facções do PS não trazem nada de novo: “São farinha do mesmo saco”, disse Roberto Barata, referindo-se à fractura entre Pedro Ferreira e António Rodrigues, unha com carne durante 20 anos e agora adversários na corrida à Câmara. A lista liderada por Roberto Barata apresenta a seguir Rui Alves Vieira, geólogo de 66 anos, actual membro da AM, Mariana Varela, uma estudante de direito de 19 anos, Luís Miguel Fanha, técnico de informática, António Gomes, ferroviário aposentado e actual membro da AM, Tânia Prezado, técnica superior de acção social e o jovem estudante de 18 anos anos Diogo Gomes.

Com uma equipa “renovada”, de “nova gente e gente nova, com competências variadas e conhecimento do serviço público”, concluiu Helena Pinto, a candidata deixou um convite aos torrejanos para que participem na construção do programa do partido e disse estar “ansiosa por debates”.

Além do actual presidente, o socialista Pedro Ferreira, 69 anos, que se candidata a um terceiro mandato, foi já anunciada a candidatura do seu antecessor (1994/2013), também do PS, António Rodrigues, 66 anos, agora como independente. Concorrem ainda, pela CDU, o director de segurança Nuno Guedelha, 45 anos, e, agora, Helena Pinto, pelo BE. Nos próximos dias está prevista a apresentação da candidatura de Tiago Ferreira pelo PSD/CDS.

Nas eleições autárquicas de 2017 o PS conquistou 51,3% dos votos, elegendo cinco dos sete elementos do executivo municipal, pertencendo os restantes um ao PSD (14,9%) e outro ao BE (14,5%), num concelho que tinha 31.579 eleitores inscritos e que agora tem pouco mais de 30 mil.

Catarina Martins e a factura da energia
Entretanto, a coordenadora do Bloco de Esquerda anunciou, no seu discurso, a apresentação de uma proposta para que os portugueses deixem de pagar taxa de carbono na energia produzida pelas barragens e eólicas, a exemplo do que fez Espanha.

“Em Espanha, que faz parte do mesmo mercado de energia que Portugal, o mercado ibérico da energia, o Governo está a acabar com o pagamento das emissões de carbono nas fontes de energia que não emitem carbono e, portanto, não pagam as licenças de carbono. Parece uma medida justa”, afirmou, questionado por que razão se há de “pagar às barragens e às eólicas o que elas não têm de pagar”.

Para a líder bloquista, a proposta visa não só uma política “socialmente responsável num momento de crise”, de “aflição” de famílias e empresas, mas também evitar que, na recuperação, as empresas portuguesas fiquem “numa situação de concorrência desleal”, porque vão pagar mais do que se paga do outro lado da fronteira, estando no mesmo mercado da energia.

“O Governo anunciou há poucos dias que ia haver uma baixa de preços, mas na verdade não fez nada”, afirmou, sublinhando que, mesmo com a lei que “permite uma ligeira oscilação positiva”, foi anunciado o aumento de 3%. Segundo a líder bloquista, este aumento acontece porque a conta da luz é paga “ao preço mais alto da última energia que entrou no sistema, que é, por razões ambientais, a que é mais poluente”, mesmo que o consumo resulte de fontes renováveis, que não produzem emissões de carbono.

“Quer dizer que estamos a consumir a energia das barragens, das eólicas, mas estamos a pagar a energia ao preço do gás, que paga emissões de carbono que estão mais caras, e bem, para proteger o ambiente", disse. Catarina Martins questionou por que razão se está "a pagar às barragens uma taxa de emissão de carbono que as barragens não produzem e não pagam" e porque é que acontece o mesmo com as eólicas.

 

 

 

 

 

 

 Outras notícias - Sociedade


O poder do povo - anabela santos »  2021-10-17 

Dia 26 de Setembro, dia de Eleições Autárquicas e o povo, exercendo um direito e a cidadania, sai à rua dirigindo-se às urnas para depositar, de acordo com a sua consciência, o voto nos candidatos que considera que melhor responderão às necessidades da sua freguesia e concelho.
(ler mais...)


Voto inútil - mariana varela »  2021-10-17 

Os resultados das eleições do passado dia 26 de Setembro, às quais se candidataram uma quantidade considerável de forças políticas, revelam que a maioria dos torrejanos escolheu, mais uma vez, ser representada pelo Partido Socialista (PS) nos órgãos autárquicos.
(ler mais...)


Deus santo misericordioso: faltava esta! »  2021-10-14 

Não, hoje não há palhaços. Tenham paciência. Todos os que enviam mails indignados a perguntar “se não denunciam isto”, “uma vergonha”, todos os que mandam mensagens, “é um escândalo”, todos os que dizem por trás e calam-se, “que isto é o fim”, "porque não fizeram o mesmo que na casa reconstruída ao pé da Câmara, esta palhaçada medonha dentro de uma sala para o efeito e não em cima do telhado", a todos esses ofendidos, indignados e humilhados, pessoas e instituições do ramo, a toda essa gente capaz de rasgar as vestes desde que ninguém veja, fica dito: não, hoje não há palhaços.
(ler mais...)


Torres Novas/Autárquicas: freguesias, PSD/CDS em segundo (correcção) »  2021-10-07 

Uma distração motivada pelo facto de, no portal do eleitor, os resultados globais do concelho para as assembleias de freguesia ter sido apresentado globalmente, colocando no mesmo saco “Grupos de Cidadãos” (GIFA, MPNT, etc) levou-nos ao erro: o movimento Pela Nossa Terra não teve mais votos que o PSD/CDS para as assembleias de freguesia, averbando 2555 votos contra os 3464 dos social-democratas e centristas.
(ler mais...)


Alcorochel: população na fila para o médico às 3 da manhã, médica atende sentada no passeio »  2021-10-06 

Após a aposentação, em Fevereiro, do médico que servia a população de Alcorochel e Parceiros da Igreja, a administração da saúde tem feito deslocar temporariamente uma médica, normalmente a Dr.
(ler mais...)


Torres Novas/Autárquicas: PS perde quase mil votos mas mantém maioria na Câmara – a análise e os resultados »  2021-10-03 

Eram 30 795 eleitores, só 17 375 foram às urnas. Votaram pelo PS 7 865 eleitores, votaram contra o PS 8 822 eleitores. Mas os 45% de votos nos socialistas deram-lhe 71% de lugares no executivo, regras do senhor Hondt. Na Assembleia Municipal, a oposição está em maioria, 11 contra 10 vogais do PS.
(ler mais...)


Torres Novas: PS mantém maioria absoluta na Câmara »  2021-09-26 

O eleitorado socialista não se partiu como seria de esperar, com a brecha aberta pelo Movimento Pela Nossa Terra, liderado pelo ex-presidente da Câmara, António Rodrigues, e deu a maioria absoluta ao PS, que elege pela terceira vez Pedro Ferreira como presidente da autarquia torrejana, mesmo perdendo cerca de 1 000 votos face a 2017.
(ler mais...)


Estrada do Doural: alcatrão já dá canas »  2021-09-21 

A polémica estrada rural do Doural, entre a Ribeira Ruiva e Lapas, que foi passada a alcatrão pelo presidente da Junta de São Pedro, Lapas e Ribeira contra todos os argumentos da oposição e apesar de se situar em zonas de REN e RAN, o que implicava autorização para a obra, continua a dar que falar, mas agora pelas melhores razões.
(ler mais...)


Cabeço do Soudo: “arraial sobre rodas” dia 18 »  2021-09-12 

 É já sábado que a povoação de Cabeço do Soudo realiza uma iniciativa peculiar: na impossibilidade prática de se fazer a festa como nos tempos de antes da pandemia, a opção terá a forma de uma arruada, a partir das 16 horas de sábado, com um veículo que iniciará uma viagem que percorrerá as aldeias de Rexaldia, Pena e Casal da Pena e terminará, exactamente, no Cabeço do Soudo.
(ler mais...)


Bateu no fundo: vereador do urbanismo promove empreendimento imobiliário »  2021-09-03 

Quando se pensava que já nada mais era possível, que a loucura política tinha ultrapassado todos os limites, a maioria socialista afunda-se na credibilidade e na idoneidade políticas em mais um escândalo de envergonhar qualquer plateia.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 30 dias)
»  2021-10-06  Alcorochel: população na fila para o médico às 3 da manhã, médica atende sentada no passeio
»  2021-10-14  Deus santo misericordioso: faltava esta!
»  2021-10-03  Torres Novas/Autárquicas: PS perde quase mil votos mas mantém maioria na Câmara – a análise e os resultados
»  2021-10-07  Torres Novas/Autárquicas: freguesias, PSD/CDS em segundo (correcção)
»  2021-10-17  Voto inútil - mariana varela