• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Segunda, 03 Outubro 2022    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qui.
 32° / 16°
Períodos nublados
Qua.
 32° / 16°
Céu limpo
Ter.
 32° / 15°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  31° / 14°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Dia histórico: povo de Torres Novas diz basta à Renova

Sociedade  »  2022-07-28 

Assembleia quase unânime exige acesso público e livre à nascente do Almonda

A assembleia municipal de Torres Novas, reunida ontem quarta-feira, tomou uma deliberação de significado político tremendo: aprovou quase por unanimidade uma recomendação à Câmara que esteve na base de um abaixo-assinado de quase mil assinaturas exigindo o acesso público à nascente do rio Almonda.

De certo modo foi uma surpresa, o voto dos representantes do povo torrejano, todos menos Arnaldo Santos (ex-presidente da Câmara), representantes de todas as bancadas partidárias, da esquerda à direita, voto categórico no apoio aos três pontos da recomendação à Câmara Municipal, subscrita pela plataforma ambientalista “Colectivo” e que dão um sinal inequívoco do sentimento que grassa em relação à Renova, em resultado de uma atitude isolacionista, nada empática e de afronta a toda e qualquer ideia que traduza o desejo da comunidade de fazer reverter a apropriação privada de certos aspectos ligados ao rio.

A recomendação é clara e diz o seguinte:

“O Município deve liderar e empenhar-se na concretização de um plano de requalificação da zona da Nascente do Rio Almonda, cujas acções imediatas serão:

- a pavimentação adequada da estrada pública até próximo da nascente;

 - o acesso livre e público à nascente, com a negociação para a retirada da vedação metálica e a criação de condições para a fruição visual da nascente e sua envolvência, acautelando a segurança através de meios normais como os avisos aos visitantes;

- o diálogo com os proprietários de algumas edificações em ruínas com vista à limpeza das mesmas;

Sem perder de vista, a médio prazo, a elaboração de um plano de pormenor de reabilitação urbanística e paisagística do núcleo histórico do Moinho da Fonte, que inclua um programa de recuperação do edificado ainda existente e a libertação de todo o leito do rio, com a deslocalização dos pavilhões fabris que o cobrem para a nova unidade da Zibreira”.

Cautelosa e comedida em todos os seus aspectos, a recomendação sugere que o executivo municipal reabilite a estrada pública do Moinho da Fonte que vai até perto da nascente, medida de reduzidos custos e fácil de concretizar, que negoceie com a empresa a retirada da ridícula e ostensiva vedação colocada à volta do plano de água da nascente para permitir a fruição visual da mesma, acautelando contudo a segurança dos visitantes de outras formas, e uma acção de colaboração com os proprietários das casas e estruturas em ruínas na estrada pública na limpeza das mesmas para o embelezamento possível do local.

Para além destas três questões voltadas para o imediato, a recomendação sugere ainda o óbvio: que, em termos de ordenamento, a médio prazo seja equacionado um programa mais vasto de reabilitação do centro histórico da povoação do Moinho da Fonte, que inclua a retirada do edifício fabril construído ilegalmente sobre o leito do rio em 1971.

Esta posição quase unânime dos representantes do povo do concelho não terá sido estranha, disseram alguns protagonistas ao JT, à jogada desastrosa e intolerável da Renova, ao enviar, nas vésperas da Assembleia Municipal, um mail que o presidente José Trincão Marques distribuiu a todos os membros daquele órgão e em que a empresa, por um lado, contestava as declarações da vogal da CDU, em assembleia anterior, sobre a sua política de despedimentos, e por outro lado se barricava numa posição inexplicável ao dizer, na prática, que o rio é da Renova, quando escrevia que as águas do rio são da Renova. Terá sido este o rastilho que deu alento à assembleia municipal praticamente toda para dizer à empresa que já basta desta atitude de afronta aos sentimentos da comunidade torrejana em relação ao seu rio. “Foi isto que nós queríamos ouvir”, disse ao JT outro membro da Assembleia Municipal ao comentar este hara-kiri da Renova.

De facto, caiu mal esta tentativa de condicionamento (foi assim que foi entendida) de um órgão político representativo do concelho e o facto de a empresa querer imiscuir-se em debates políticos e rebater posições políticas legítimas que neles são travados. “Se alguém da Renova quer fazer política, que se candidate e venha para cá”, ouviu-se, enquanto a vogal da CDU, Cristina Tomé, reafirmava tudo o que dissera sobre a política de despedimentos e de contratações da empresa.

Esta posição histórica da assembleia municipal veio dizer uma coisa importante, separar as águas, avisar: uma coisa é a economia, as empresas, por muito poder que tenham, outra coisa é a política, a arma dos cidadãos para traduzirem o que consideram ser o melhor caminho e as melhores soluções para o futuro da comunidade, princípio que se sobrepões aos interesses particulares dos indivíduos e das empresas.

Por outro lado, a decisão dos representantes do povo de Torres Novas representa uma vitória em toda a linha da plataforma ambientalista “Um Colectivo” e da justeza e do sentido justiça das suas posições, por nela se reverem todos os partidos e forças políticas representantes do povo na assembleia, incluindo os presidentes das juntas de freguesia da Zibreira e de Pedrógão, ambos com responsabilidades no Moinho da Fonte, local on de se localiza a fábrica velha da Renova, caso da Zibreira, e a zona histórica da povoação, caso do Pedrógão.

A plataforma “Colectivo” é um movimento independente, totalmente desligado de qualquer força política local, mas com contactos institucionais com muitos movimentos e plataformas ambientalistas portugueses e que coloca Torres Novas na linha da frente dos combates do futuro pelo clima, pelo ambiente e pela utilização sustentada dos recursos naturais. Formado por jovens, levou a cabo várias acções de sensibilização ecológica, para além da petição que reuniu 10 mil assinaturas em defesa do acesso livre à nascente do rio Almonda.

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Fábrica Grande: CDU fala de amiguismos e rejeita clínica privada naquele espaço »  2022-09-23 

A CDU de Torres Novas entendemos que a Câmara fez bem em adquirir as antigas instalações da fábrica de Fiação e Tecidos, mas a sua ocupação, com a instalação dos projectos anunciados, levanta muitas preocupações aos comunistas.
(ler mais...)


CDU defende refeições feitas pelas escolas »  2022-09-21 

A Câmara decidiu atribuir mais uma vez, a confecção das refeições escolares a uma empresa privada para o ano lectivo de 2022/23 e, no entender da CDU, “continua a privilegiar o interesse privado em detrimento do interesse público”.
(ler mais...)


Associação com seis meses vai receber, para já, 45 mil do município »  2022-09-14 

Inédito: uma associação que acaba de fazer seis meses de existência e não mostrou qualquer trabalho, vai receber já 15 mil euros e mais 30 mil euros por ano do município, para além de instalações, para “desenvolver os produtos de Torres Novas”.
(ler mais...)


Hospitais do CHMT reforçam actividade assistencial »  2022-09-11 

 


Os profissionais de saúde do CHMT responderam a 99.306 episódios de urgência no acumulado dos oito primeiros meses do ano, um marco histórico que se traduz num crescimento de 35% (ou mais 25.501 episódios, em valor absoluto) face ao período homólogo de 2021, e revela um aumento de um por cento acima do valor registado em 2019, ano de referência assistencial do Serviço Nacional de Saúde, diz nota de imprensa do cento hospitalar.
(ler mais...)


Ulme recebe o festival “Já Te Dou o Arroz” »  2022-09-11 

Quim Roscas e Zeca Estacionâncio, Azeitonas e Ruizinho do Acordeão são os cabeça de cartaz

 Entre 9 e 11 de setembro, a vila de Ulme, no concelho da Chamusca, recebe a segunda edição do festival “Já Te Dou o Arroz”, numa organização conjunta da Câmara Municipal da Chamusca e da Junta de Freguesia de Ulme.
(ler mais...)


Câmara já mudou para o edifício do antigo hospital »  2022-09-09 

Em nota de imprensa de ontem, dia 9 de Setembro, a câmara municipal de Torres Novas informa o público e os torrejanos que os novos Paços do Concelho já estão instalados no edifício do antigo hospital da Misericórdia.
(ler mais...)


Antigas instalações da Fiação poderão ser do Município: Fábrica Grande, um projecto para a próxima década e para muitos milhões de euros »  2022-08-28 

A confirmar-se a compra das antigas instalações da Companhia Nacional de Fiação e Tecidos, uma área de 30 mil metros quadrados em local privilegiado da cidade atravessado pelo rio Almonda, abre-se um mundo de possibilidades para dar corpo a um parque urbano que integre património e negócios, serviços e lazer.
(ler mais...)


Torres Novas: cinco mil euros para apoiar esterilização de cães e gatos »  2022-08-16 

 Termina no dia 15 de Setembro o prazo para entrega das candidaturas ao programa de apoio financeiro para esterilização de animais de companhia, no caso cães e gatos, machos e fêmeas. O município reservou para 2022 uma verba de cinco mil euros destinados ao reembolso financeiro que são de 87,50 euros para esterilização de cadelas, 75 euros para esterilização de cães, 50 euros para esterilização de gatas e 25 euros para esterilização de gatos.
(ler mais...)


Alcanena: Museu do Curtume conserva materiais »  2022-08-16 

Tiveram início, no dia 2 de Agosto, os trabalhos de conservação, higienização e desinfestação do espólio em madeira do Museu do Curtume. O edifício do museu alberga um espólio que conta a história e a própria evolução do saber-fazer e da indústria dos curtumes no concelho de Alcanena e que constitui um dos mais importantes testemunhos para a constituição do futuro núcleo museológico do “Projecto Couros”.
(ler mais...)


Fundação dá prémio ao melhor aluno admitido medicina »  2022-08-16 

A Fundação Maria Isabel e Renato Gameiro atribui, a partir de 2022 e com carácter anual, o prémio “Dr. Renato Gameiro”, no valor pecuniário de 1.500 euros, ao aluno que seja admitido no curso de medicina com a melhor classificação.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 30 dias)
»  2022-09-14  Associação com seis meses vai receber, para já, 45 mil do município
»  2022-09-09  Câmara já mudou para o edifício do antigo hospital
»  2022-09-11  Hospitais do CHMT reforçam actividade assistencial
»  2022-09-11  Ulme recebe o festival “Já Te Dou o Arroz”
»  2022-09-21  CDU defende refeições feitas pelas escolas