• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Segunda, 21 Setembro 2020    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qui.
 22° / 14°
Períodos nublados
Qua.
 24° / 18°
Céu nublado com chuva moderada
Ter.
 25° / 15°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  25° / 15°
Céu nublado
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Os velhos amantes da revolução

Cultura  »  2018-12-17 

O melhor da festa dos 80 anos de Joaquim Alberto Simões e do lançamento do livro que relata a sua aventurosa vida estava guardado para o fim, já muitas dezenas de amigos tinham deixado a antes repleta Casa do Povo de Riachos, no sábado passado: Joaquim Alberto, enfim liberto dos discursos e das formalidades, pegou na viola e cantou A canção dos Velhos Amantes e A Valsa a Mil Tempos de Brel, transformando em pura magia e calorosa emoção um momento raro, daqueles que os presentes vão guardar no coração para sempre.

Joaquim Alberto cantou também Pedro Lobo Antunes, outro amigo dos tempos ainda solares e acabou com um célebre hino de Moustaki. Só quem nunca ouvira cantar Joaquim Alberto se surpreendeu com a belíssima e segura voz de um homem, aos 80 anos, a cantar textos que são património da cultura musical europeia. Antes, já Francisco Fanhais tinha feito tremer o coração dos presentes com uma versão a capella da “Utopia”, de José Afonso. Amigos, vieram de todo o lado, cabendo a representação, na mesa, a Carlos Cruz, ladeado pelos organizadores do livro, Carlos Simões Nuno e Carlos Tomé.

Camilo Mortágua, companheiro de militâncias e de sonhos, a quem se ficou a dever, no sábado, o pequeno recital de Joaquim Alberto, Afonso Dias e muitos outros amigos, fizeram grande de afectos e velhas cumplicidades uma das mais bonitas festas dos últimos anos vividas em Riachos, em volta da celebração dos 80 anos de um riachense que é cidadão do nosso pequeno mundo e dele foi protagonista directo. Onde ele esteve, cresceram flores, e hoje ainda se vêem cravos esquecidos pelas calçadas das ruas por onde passou o Joaquim Alberto e por onde vagueiam os seus amigos, na esperança de ouvirem a sua voz numa apaixonada cantiga: ”Mais mon amour, mon doux, mon tendre, mon merveilleux amour…”

 

 

 Outras notícias - Cultura


Torres Novas: Tapadas nos 35 anos de cidade, hoje, no castelo »  2020-07-08 

Um concerto da fadista Teresa Tapadas assinala, hoje, a efeméride da elevação de Torres Novas a cidade, com o espectáculo aprazado para as 21h30, no recinto exterior do castelo de Torres Novas. Os espectáculos de música, como este, têm lotação limitada a 80 pessoas, com entrada livre mediante levantamento de bilhete no dia do espectáculo a partir das 19 horas junto à estatua D.
(ler mais...)


“A Força de Sentir”, o novo livro de António Rodrigues »  2020-06-12 

Não é um livro de memórias, mas é um livro cheio delas. António Rodrigues, nome que não precisa de maiores apresentações, apresentou na segunda-feira o seu mais recente livro, “A Força do Sentir”, numa cerimónia limitada pelas circunstâncias actuais, mas que teve honras de livreiro.
(ler mais...)


Morreu Pedro Barroso »  2020-03-17 

Pedro Barroso, um dos mais conhecidos músicos portugueses, morreu ontem à noite em Lisboa, na unidade de saúde onde estava internado, informou a família.

O artista contava 69 anos e iniciou-se no célebre programa da RTP ZipZip, em 1969, e desde então prosseguiu uma carreira de cantautor que o levou a actuar em muitos países e a percorrer praticamente todos os palcos de Portugal, sobretudo a partir de 1974.
(ler mais...)


Santarém: teatro, arte e ar livre na oferta do Círculo »  2020-02-04 

“Na Cidade”, a última criação artística do Veto teatro Oficina apresenta-se em duas datas únicas neste mês de fevereiro, no Teatro Taborda, dia 7 (sexta feira) e 8 (sábado), um espectáculo de teatro que concebido no contexto da celebração dos 150 anos de elevação de Santarém a cidade, “uma reflexão sobre a vidas nas cidades, essa realidade plena de múltiplos microcosmos, contradições, alheamentos, indiferença, egoísmos, mas também solidariedades, esperanças, amizades, surpresas”.
(ler mais...)


Música: novo single de Siul Sotnas »  2020-02-02 

Lançado na passada sexta-feira, está já disponível o mais recente single de Siul Sotnas, aliás Luis Santos, músico riachense com uma obra musical assinalável. “Um monte de gente”, canção em registo pop-rock, fala dos desajustes das personagens que retrata, mas as narrativas remetem para metáforas de uma certa interpretação dos paradoxos e contradições do tempo presente.
(ler mais...)


Actriz Céu Guerra esteve hoje em Torres Novas com alunos do concelho »  2020-01-22 

O espectáculo da Companhia de teatro «A Barraca» trouxe hoje a Torres Novas a peça de Gil Vicente "A Farsa de Inês Pereira" e contou, no final, com a presença da actriz e encenadora da peça, Maria do Céu Guerra.
(ler mais...)


David Antunes e Berg em concerto no Cineteatro São João »  2020-01-19 

O Cineteatro São João, no Entroncamento,  recebe, no dia 25 de Janeiro, pelas 21h30m, um concerto intimista, de piano, guitarra e vozes de David Antunes e Berg.

David Antunes, cantor, compositor e pianista, iniciou a sua carreira aos 6 anos a tocar com o pai.
(ler mais...)


Pedro Barroso: medalha de honra do município »  2020-01-09 

Na reunião camarária de terça-feira do executivo torrejano, foi aprovada por unanimidade a atribuição da Medalha de Honra do Município de Torres Novas a Pedro Barroso, que será entregue em ocasião a anunciar oportunamente, anuncia a autarquia em nota de imprensa.
(ler mais...)


Benção do Gado: verba de 60 mil não chegou a ser votada »  2020-01-09 

Ao contrário do que escrevemos na nossa edição de papel, que sai amanhã, a verba de 60 mil euros para apoio à festa da Bênção do Gado deste ano acabou por não ser votada na reunião do executivo municipal torrejano desta terça-feira.
(ler mais...)


Viva quem canta: a despedida de Pedro Barroso no Teatro Virgínia de Torres Novas »  2019-12-22 

Aberto o pano e sem uma palavra dita ainda, do público que enchia por completo o Teatro Virgínia irrompeu um espontâneo e caloroso aplauso, a primeira das muitas ovações a um Pedro Barroso que anunciara ser ali, naquela noite de 21 de Dezembro, o último espectáculo da sua carreira, iniciada precisamente há 50 anos.
(ler mais...)

 Mais lidas - Cultura (últimos 30 dias)