• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Sábado, 15 Agosto 2020    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Ter.
 30° / 18°
Períodos nublados
Seg.
 30° / 19°
Períodos nublados com chuva fraca
Dom.
 28° / 15°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  27° / 16°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

As ciclovias e o debate público

Opinião  »  2020-01-09  »  João Quaresma

No último mês de Dezembro, em duas reuniões de câmara sucessivas, discutiu-se o programa base de uma rede de ciclovias para a cidade de Torres Novas, com cerca de 24 Km na sua totalidade, a construir por fases, bem como uma dessas fases na zona da Quinta da Silvã, com cerca de 6 Km, que será a primeira a ser realizada. Tudo sem grande discussão pública, tudo sem que se recolham ideias que pudessem melhorar o projecto dado a conhecer.

Em causa está uma nova realidade pela qual se pretende a implementação prática e regulada de mobilidade partilhada entre veículos e bicicletas. Existem ruas cuja prioridade deve ser o trânsito automóvel, mas também devem existir ruas onde a prioridade tem de ser dada aos peões e às bicicletas. Cada rua e espaço devem ter a sua própria função.

É aqui entra a componente do planeamento e da arquitectura urbana, que é cada vez mais essencial no âmbito da mobilidade urbana. Se há dez anos perguntassem à comunidade empresarial o que eles queriam no âmbito do planeamento de transportes, estes diriam que queriam acessibilidade automóvel. Hoje, provavelmente, junto aos escritórios e locais de trabalho, preferem espaços verdes ou ruas onde não exista trânsito, com um ambiente agradável.

Acresce igualmente que as cidades têm de ser cada vez mais acessíveis e inclusivas, nomeadamente para os grupos “frágeis”, como os idosos ou as pessoas com dificuldades de mobilidade. Ora, muitas vezes esta factualidade está relacionada não só com própria arquitectura das cidades como também com o mobiliário urbano, sinalização rodoviária, entre outros.

Mas para que possa existir uma mudança de mentalidade por parte dos condutores, sejam estes de veículos automóveis ou de bicicletas, é necessário fazer com que estes sintam que fazem parte de algo. Se houver um sentimento de pertença e identidade com o espaço que os rodeia, as suas atitudes e comportamentos mudam. Neste aspecto podemos dizer que Torres Novas entra com o pé esquerdo, pois como disse inicialmente, falamos de um projecto com importância para a cidade e o mesmo deve ser do completo desconhecimento de grande parte da sua população. Daí defendermos a necessidade de uma verdadeira discussão pública.

O projecto da rede ciclovias para a cidade é ambicioso, mas existiam formas subtis e não muito dispendiosas que emergindo de uma discussão pública, poderiam melhorar o mesmo e simultaneamente fazer passar a mensagem da existência de novas formas de mobilidade na cidade, porque na verdade e a titulo de exemplo, um condutor responde de forma diferente aos sinais que lhe são dados pela sinalização horizontal e vertical, pinos de tráfego, tipologia do piso e da estrada, a actividade nas ruas, etc.

Coisas simples não sendo de esquecer que, na ordem do dia estamos a assistir a dois fenómenos que irão influenciar o futuro das cidades: o envelhecimento da população e aquilo a que chamamos de transição energética. Preocupações que passam por reduzir o nível de emissões de dióxido de carbono e tornar as cidades mais acessíveis. Em relação a este aspecto, é de realçar que os municípios têm de saber aproveitar melhor o desenvolvimento das tecnologias digitais e envolver os seus cidadãos na tomada de decisões.

E é necessário perguntar: como é que podemos aumentar a participação da população neste processo de tomada de decisão que está relacionado com o seu dia-a-dia e qualidade de vida? A resposta é importante porque estas decisões que influenciarão o nosso futuro estão-nos a passar ao lado.

 

 

 Outras notícias - Opinião


As nossas vozes - josé mota pereira »  2020-07-27  »  José Mota Pereira

Muitas vezes, a comunicação social local é acusada de ser um instrumento ao serviço do caciquismo.

 Outras tantas vezes, também não é difícil de desmentir que a comunicação social local e regional (jornais e rádios) é apenas páginas de jornais ou horas de rádio vazias desprovidas de conteúdo ou interesse.
(ler mais...)


E se António Rodrigues? »  2020-07-18  »  Jorge Carreira Maia

Se António Rodrigues não se candidatar à presidência do Município, Pedro Ferreira será, sem dificuldade, reeleito. A entrada de António Rodrigues na corrida poderá, contudo, perturbar o passeio dos socialistas.
(ler mais...)


TORRES NOVAS EM 1985: parabéns, cidade! - josé mota pereira »  2020-07-18  »  José Mota Pereira

Em 1985, as pessoas da zona alta vinham à vila. E diziam-no quando vinham ao centro! Ainda hoje, passados 35anos, vem-se à vila. Eram bem diferentes os limites físicos. A vila terminava junto à capela de Santo António e todas as urbanizações circundantes à Av.
(ler mais...)


530 mil - rui anastácio »  2020-07-18  »  Rui Anastácio

É o número de jovens que abandonaram o país nos últimos 10 anos.

Perante este número, é impossível não concluir que somos um país falhado. Não somos só um país falhado.
(ler mais...)


Zona industrial em Riachos - antónio gomes »  2020-07-18  »  António Gomes

As zonas industriais são espaços de ordenamento do território. Só com a sua implementação se consegue evitar a construção de empresas em locais que se destinam a outros fins e que não estão minimamente preparados para receber determinado tipo de actividades.
(ler mais...)


Refugiados: cooperação e sentido de humanidade - mariana varela »  2020-07-18  »  Mariana Varela

No passado dia 7 de julho, chegaram a Portugal 25 jovens menores não acompanhados, oriundos de campos de refugiados da Grécia, onde viviam, naturalmente em condições de extrema precariedade. No meio do caos que tem sido a situação pandémica, o problema dos refugiados não deixa de existir, adquirindo mesmo maior relevância e dimensão, uma vez que grande parte dos países fecharam a suas fronteiras como medida de prevenção.
(ler mais...)


Por onde ir? - acácio gouveia »  2020-07-18  »  Acácio Gouveia

É gratificante apercebermo-nos de que há jovens que canalizam a sua irrequietude para o pensamento crítico e para opinar sobre política. O texto da jovem Mariana Varela é um bom ponto de partida para discussão sobre perspectivas de alternativas ao caminho actual do mundo.
(ler mais...)


Uma cidade à espera de si própria - joão carlos lopes »  2020-07-18  »  João Carlos Lopes

1. Ser cidade não vale um caracol, não acrescenta uma vírgula a nenhum campeonato. Em Portugal, “cidade” não é nenhuma categoria político-administrativa, tratando-se de um título meramente honorífico.
(ler mais...)


Os municípios e as respostas locais e excepcionais a uma situação de excepção »  2020-07-03  »  Ana Lúcia Cláudio

Lisboa e Porto são, naturalmente, as cidades portuguesas mais viradas para o turismo. Por isso mesmo, são também elas as mais penalizadas com os respectivos danos colaterais nas vidas de todos os que aí vivem e trabalham.
(ler mais...)


Tudo vale a pena se a alma não é pequena - anabela santos »  2020-07-03  »  AnabelaSantos

Tanto empenho, tanto sofrimento, tantos sacrifícios, tanta luta para alcançar objectivos e pergunta Fernando Pessoa se terá valido a pena, ao que o poeta responde: sim. Se a alma não é pequena, isto é, se é dotada de um espírito bravo, forte e sonhador, nada do que se faz é em vão.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2020-07-18  »  Jorge Carreira Maia E se António Rodrigues?
»  2020-07-27  »  José Mota Pereira As nossas vozes - josé mota pereira