• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Domingo, 23 de Setembro de 2018
Pesquisar...
Qua.
 34° / 18°
Períodos nublados
Ter.
 36° / 20°
Céu limpo
Seg.
 38° / 18°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  35° / 18°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Ansiedade: uma doença da sociedade moderna

Opinião  »  2018-09-12  »  Juvenal Silva

"As pessoas com distúrbios de ansiedade ficam vulneráveis a vários problemas de saúde"

O que é a ansiedade?

A ansiedade é uma emoção causada por uma ameaça observada ou experimentada e, que o organismo utiliza como mecanismo para reagir de forma saudável às pressões da vida ou até a situações de perigo.
E de que forma? Por exemplo, quando temos medo, o nosso metabolismo acelera, os nossos músculos enrijecem e, a nossa supra-renal produz quantidades adicionais de adrenalina (hormona que faz o coração bater mais rápido). A ansiedade torna-se uma reação problemática quando não conseguimos esvaziar, ou queimar a energia nervosa criada por ela.

A ansiedade pode ter efeitos dramáticos nas nossas vidas e, isso impedirá de fazermos o que desejamos, mesmo as nossas tarefas quotidianas. Há pessoas que não conseguem sair de casa e não são capazes de tomar decisões.
Todos nós somos capazes de lidar com explosões ocasionais de ansiedade reprimida, mas se a ansiedade não desaparecer, ou se ocorrer com frequência, poderá causar sérios problemas de saúde. As pessoas expostas a situações de ansiedade prolongada, tipo situações de divórcio, pressão intensa no trabalho, pressão familiar, etc., muitas vezes sofrem de hipertensão arterial, insónia, problemas digestivos, doenças de pele, alterações de humor, depressão e outros problemas de carácter psicossomático, assim como podem agravar outros problemas de saúde já existentes. Às vezes, as pessoas sentem os sintomas de ansiedade mesmo quando não estão diante de um desafio ou perigo sério. A ansiedade revela um distúrbio provocado pela preocupação excessiva, quando prevalece mais de seis meses.

E o que é excessivo? Qualquer reação nervosa desproporcional à sua causa, ou seja: um emprego novo ou uma doença grave, deveriam produzir mais ansiedade do que planear uma festa. E, se não se conseguir identificar a origem da ansiedade, ou se esta mudar constantemente?Neste caso estaremos perante distúrbios de ansiedade.

As pessoas com distúrbios de ansiedade ficam vulneráveis a vários problemas de saúde e podem experienciar estados de extremo nervosismo e preocupação, também conhecidos por ataques de pânico. O que sucede durante um ataque de pânico? O coração acelera e a respiração torna-se rápida e difícil, com suores frios, formigueiros nas extremidades do corpo,com fraqueza e tonturas. Estes sintomas raramente duram muito, mas podem durar de alguns segundos a meia hora. Os sintomas mais comuns são inquietude e tensão, tremores, palpitações, suores frios nas palmas das mãos, hipertensão, tonturas, distúrbios do sono, boca seca, diarreia, alterações de humor, aperto na garganta, impotência, dores no peito, dor de cabeça, espasmos musculares, dor nas costas, ataques de pânico.

Existem causas subjacentes? De entre outras causas considera-se o stress, cafeína, açúcar, nicotina, álcool e algumas drogas comuns, medicamentos com receita médica, distúrbios do sono, alergias alimentares, toxinas ambientais, nutrição inadequada, problemas de tiroide, baixos níveis de açúcar no sangue, depressão, distúrbios da supra-renal.

O tratamento da ansiedade deverá obedecer a um plano de desintoxicação tanto orgânica como psicológica, com reforço de polivitamínicos, terapias para a redução do stress e atividades de descompressão ao ar livre.
Um estado de ansiedade prolongado, seja como resultado de um distúrbio de ansiedade ou de uma fonte de tensão não resolvida, é imperioso não adiar o problema e, dever-se-á consultar um profissional de saúde qualificado.

 

 

 Outras notícias - Opinião


O quarto milagre de Fátima »  2018-09-13  »  Jorge Carreira Maia

O começo do ano lectivo é marcado pela generalização de uma nova reforma do sistema educativo. A ideia que está na base de mais uma aventura na educação portuguesa prende-se com a convicção da actual equipa do Ministério da Educação de que o trabalho realizado pelo professorado está globalmente desadequado às exigências do século XXI.
(ler mais...)


Poesia nos posters »  2018-09-12  »  José Mota Pereira

Eu não entendia. Nem poderia entender (aos seis, sete, oito anos de idade) o alcance daquelas palavras. Mas havia naqueles dois posters um magnetismo, uma espécie de magia que me prendiam às palavras que deles saltavam para os meus olhos.
(ler mais...)


Rentrée »  2018-09-12  »  Anabela Santos

O mês de Agosto já passou, acabaram as férias, o verão vai deixar-nos e aproxima-se o Outono.

Chegou Setembro, o mês do(s) recomeço(s). Na minha opinião, seria a altura de abrirmos uma garrafa de champanhe, de fazer um brinde à nova época, um brinde à vida.
(ler mais...)


Olha, a gaivota! Olha a gaivota! »  2018-09-01  »  Maria Augusta Torcato

 As ideias estão ainda de férias. Se a palavra não fosse tão feia, eu até a utilizaria mais – procrastinação. Meu Deus, que palavra horrível para dizer apenas que se anda com  preguiça, sem vontade, a adiar o que tem de ser feito.
(ler mais...)


O passado e a tradição »  2018-08-30  »  Jorge Carreira Maia

Graças a um artigo de António Guerreiro, no Público, descobri dois versos extraordinários do realizador e poeta italiano Pier Paolo Pasolini. Deste, conheço alguns filmes, mas nunca li a sua poesia.
(ler mais...)


Ética »  2018-08-29  »  Inês Vidal

As novas tecnologias e a Internet - admirável mundo este que nos leva ao outro lado do globo num segundo - vieram mudar os nossos dias, rotinas, até o tom e a forma das nossas conversas. “O meio é a mensagem”, já anunciavam há muito alguns teóricos destas coisas da comunicação.
(ler mais...)


Agosto »  2018-08-29  »  José Mota Pereira

O mês de Agosto vai-se despedindo, a pouco e pouco, nestes dias e noites quentes.

Não há novidade nisto: Agosto ainda é o mês em que, por todo o país, se toma conta dos largos e se dança, canta, convive nas festas populares, trazendo vida aos territórios a que chamamos aldeias e de onde, se há notícias ao longo do ano, é para contar do abandono e da desertificação.
(ler mais...)


Uso e abuso de substancias químicas: a dependência de drogas e álcool »  2018-08-29  »  Juvenal Silva

O uso e abuso de substâncias químicas caracteriza-se por uma dependência, tanto psicológica como física, de drogas, incluindo-se medicamentos com receita médica e álcool.

O que é uma dependência química? Acontece quando um indivíduo necessita de uma droga para funcionar.
(ler mais...)


Protectorado »  2018-08-16  »  Jorge Carreira Maia

O Verão teve, até agora, dois acontecimentos políticos maiores. O caso Robles e o fogo de Monchique. Maiores para os mass media e para uma certa direita social. Por direita social não me refiro aos partidos políticos de direita, os quais não estiveram particularmente mal em ambos os casos, mas àqueles que se manifestam nas redes sociais, nas caixas de comentários dos jornais online, que surgem como espontâneos nos directos das televisões, isto é, a uma militância informe, mas muito activa, que vive despeitada pelos seus não estarem no governo.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 10 dias)
»  2018-09-13  »  Jorge Carreira Maia O quarto milagre de Fátima