• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Quarta, 12 de Dezembro de 2018
Pesquisar...
Sáb.
 16° / 6°
Céu nublado
Sex.
 15° / 7°
Períodos nublados
Qui.
 15° / 8°
Períodos nublados com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  13° / 9°
Céu muito nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Um médico não pode fazer isto

Opinião  »  2016-12-14  »  Juvenal Silva

"Bandalheira, crendice, adivinhação, ciências ocultas, charlatanice, bruxaria,” são epítetos ofensivos"

Nunca gostei de alimentar polémicas, nem irei fazê-lo seguramente, porque a minha intenção é, somente, esclarecer sobre a verdade da mentira do artigo publicado na edição de 29/11/2016 deste jornal, com o título “A banha da cobra”, de autoria e responsabilidade do Dr. Helder Simões, médico especialista em endocrinologia. É verdade que existe uma “guerra” contra as terapêuticas não convencionais, vulgo medicina natural, visando a intoxicação pública e a desinformação.
É verdade que têm sido publicados alguns artigos com linguagem imprópria, mas normalmente de indivíduos que não são médicos e que procuram protagonismo, repetindo sempre o mesmo, tanta é a ignorância…
Neste caso, fiquei perplexo com o teor do texto, com as imprecisões, com linguagem ofensiva e desrespeitadora para com milhões de utentes destas medicinas. Linguagem ofensiva para muitos milhares de profissionais destas medicinas que também estudaram e se especializaram e que estão inscritos na ACSS (Associação Central do Sistema de Saúde). Linguagem também ofensiva para com os próprios colegas médicos, que respeitam e professam as práticas da medicina natural. Sim, repito e afirmo, médicos que também professam as práticas da medicina natural. E são mesmo muitos, muito mais do que possam imaginar…
Mas, mais grave ainda, é ofender a Casa da Democracia, os partidos políticos, os deputados, o Parlamento Português, onde foram democraticamente votadas as leis e, pasme-se, ofender o chefe supremo da nação, o Presidente da República, que promulgou as leis.
“Bandalheira, crendice, adivinhação, ciências ocultas, charlatanice, bruxaria,” são epítetos ofensivos, que merecem um ato de contrição público. Sou defensor dos bons médicos que os há e sou defensor da medicina convencional, que é necessária, assim como é necessária a medicina natural. Devo confessar que fiquei muito triste, porque o digníssimo autor é um jovem médico, com boa reputação humana e profissional, com atividade científica e premiado por diversas vezes.
Por conseguinte, é uma pessoa com idoneidade intelectual e, com obrigação de ser imparcial na análise e na transmissão do conhecimento.
Para que fique bem esclarecido: a Lei 45/2003, de 22 Agosto, reconhece como actividade profissional as seguintes práticas: acupuntura, fitoterapia, homeopatia, medicina tradicional chinesa, naturopatia, osteopatia, quiropraxia. A mais recente Lei 71/2013, de 2 de Setembro, define os requisitos do exercício e de acesso à profissão, que implica uma formação ao nível de licenciatura, que aguarda neste momento nova portaria ao nível do ensino.
É importante realçar que já estão a decorrer as licenciaturas de osteopatia, ano lectivo 2016/2017. Em relação ao licenciamento dos locais para o exercício da actividade, a portaria 182/2014, de 12 de Setembro, estabelece os requisitos relativos à organização e funcionamento, bem como instalações técnicas.
Os profissionais das terapêuticas não convencionais, à semelhança de todos os profissionais de saúde, têm obrigatoriamente de obter a cédula profissional na ACSS (Administração Central do Sistema de Saúde). Todos os inscritos tiveram que fazer prova das suas habilitações, formações e especialidades, de acordo com todos os preceitos legais.
É importante referir que existem vários médicos que abandonaram completamente a carreira para se devotarem ao exercício das práticas naturais e outros que, sendo cientistas e investigadores e oncólogos, recorrem às práticas naturais para tratarem os seus pacientes, tendo também a bondade de transmitir ao mundo as suas descobertas e os seus êxitos.
Sobre evidências científicas? Estão disponíveis para quem queira estudar e consultar. Estudos científicos de plantas medicinais reconhecidos internacionalmente? Existem vários tratados publicados pela Fundação Calouste Gulbenkian, “manuais universitários” elaborados por conceituados investigadores portugueses. João Beles, naturopata português, editou recentemente “Naturopatia – A Natureza Cura a Natureza”, onde divulga mais de 1000 estudos científicos.
Outros manuais de fitoterapia com carácter internacional,elaborados pelos famosos investigadores, Dr. Efrain Olszewer, Volker Fintelmann, Rudolf Fritz Weiss. Médicos famosos e investigadores na área oncológica, praticantes e divulgadores das práticas naturais, existem milhares, mas apenas citarei alguns:
Dra. Kelly A. Turner, Drª. Odile Fernandez, Dr. Henri Joyeux, Dr. Joel Fuhrman, Dr. Joel K. Kahn. Os tratados de saúde Natural do médico Ernest Schneider, o famoso médico japonês Dr. Hiromi Shinya, célebre por ter realizado a primeira cirurgia ao cólon sem incisão abdominal, também praticante das terapêuticas naturais, e um crítico da medicina da doença. Por último, não poderia deixar de citar um médico português de prestigiado valor, o Dr. Manuel Pinto Coelho, que ultimamente publicou “Chegar Novo a Velho”, em que nos ensina métodos naturais para viver com energia e vigor.
A propósito de tudo isto e, sem qualquer interesse crítico, mas apenas para reflexão, por ser a intenção do autor, o médico Dr. José Fragata Luis Martins: “O Erro em Medicina”,um autêntico acto de amor e humildade, que deveríamos ler.
Em 2015, numa entrevista à Revista Expresso, o Prof. João Lobo Antunes dizia: “Com o tempo, a pessoa-médico que sou, foi aprendendo a não lutar contra a Natureza”.

 

 

 Outras notícias - Opinião


O drama dos partidos de poder »  2018-12-07  »  Jorge Carreira Maia

A crise em que se arrasta o principal partido da oposição, o PSD, é sintomática da natureza dos partidos de poder em Portugal. São fortes e sólidos quando estão no poder; são frágeis e à beira da desagregação quando a governação lhes foge.
(ler mais...)


Mulheres »  2018-12-07  »  Inês Vidal

São mulheres. São presidentes, directoras, empresárias, polícias, bombeiras, autarcas, entre tantas outras profissões ou actividades. Acima de tudo, são mulheres. Ocupam cargos que um dia foram tradicionalmente de homens, ou foram as primeiras a fazê-lo por estas bandas.
(ler mais...)


Direito à indignação »  2018-12-07  »  Fernando Faria Pereira

O conceito deve-se, tanto quanto me lembro a Mário Soares, figura incontornável da democracia, que protagonizou a Presidência Aberta pelo Ambiente em resposta ao artigo 66º da constituição (ambiente e qualidade de vida) que estipula no seu nº 1: todos têm direito a um ambiente de vida humano, sadio e ecologicamente equilibrado e o dever de o defender.
(ler mais...)


Amasso Friday »  2018-12-07  »  Miguel Sentieiro

Vi as imagens daquela massa humana compactada à porta da loja de aspiradores na tal Black Friday. Numa primeira análise temo confessar que também embarquei na tese “ o que passa na cabeça destes mentecaptos para, numa 6ª feira de manhã, se sujeitarem a uma espera de horas neste degredo massivo?”.
(ler mais...)


As estradas do concelho de Torres Novas »  2018-12-07  »  António Gomes

Uma parte muito significativa das estradas, ruas, ruelas, largos, rotundas, somando mais de cem, que fazem parte da rede viária deste concelho, encontram-se em estado de deterioração mais ou menos avançado. Algumas situações estão mesmo num estado miserável, como sabemos.
(ler mais...)


Como funciona a nossa memória »  2018-12-07  »  Juvenal Silva

 

A memória é essencial para a nossa capacidade de gravar, armazenar e recuperar informações. A nossa memória é uma máquina fantástica, que contém as nossas perceções, os nossos sentimentos, as nossas memórias, imaginação e permite-nos pensar e, ser quem somos.
(ler mais...)


Filhos e netos »  2018-11-23  »  Jorge Carreira Maia

Para o meu neto Manuel.

Há uma diferença essencial, para um pai e avô, entre o nascimento de um filho e o de um neto. O nascimento do filho traz com ele, para além do prazer que a sua vinda significa, problemas práticos.
(ler mais...)


Palavra passe »  2018-11-21  »  Fernando Faria Pereira

Estaciono à primeira. Entro no café. Portas automáticas. 3 rapazes: o do lado de lá e outros 2. Boa noite! Bnoite. 1 Água com gás natural sem copo. A televisão está no CM: desgraças, previsíveis ameaças.
(ler mais...)


Biblioteca com vida »  2018-11-21  »  Anabela Santos

Há muitos anos, não quero lembrar quantos para não recordar que já estou na “meia idade”, subia, com alguma regularidade, a ladeira de Salvador e dirigia-me à biblioteca municipal, que ficava junto da igreja.
(ler mais...)


Quais os sintomas e tratamentos naturais dos resfriados »  2018-11-21  »  Juvenal Silva

Os resfriados podem ocorrer em qualquer época do ano. Todavia, são mais comuns entre as estações de outono e inverno.

Os sintomas mais comuns são: coriza, espirros, congestão nasal, tosse, dor garganta, cansaço, perda de apetite, febre baixa, embora nas crianças possa ser mais elevada ocasionalmente.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2018-11-23  »  Jorge Carreira Maia Filhos e netos
»  2018-11-21  »  Juvenal Silva Quais os sintomas e tratamentos naturais dos resfriados
»  2018-11-21  »  Anabela Santos Biblioteca com vida
»  2018-11-21  »  Fernando Faria Pereira Palavra passe
»  2018-12-07  »  Jorge Carreira Maia O drama dos partidos de poder