• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 18 Agosto 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 37° / 19°
Céu limpo
Ter.
 33° / 14°
Céu limpo
Seg.
 26° / 14°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  29° / 16°
Céu nublado
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Balanço político da legislatura

Opinião  »  2019-07-20  »  Jorge Carreira Maia

"As novidades da legislatura que agora termina. As vitórias, as derrotas e os equívocos no seio dos partidos parlamentares."

Partido Socialista. Nunca, na história da democracia portuguesa, tinha havido um governo suportado por toda a esquerda parlamentar. António Costa e os socialistas foram os grandes beneficiários da inovação. António Costa tinha a vida política por um fio. O Partido Socialista vivia com o espectro do PASOK no horizonte. A coligação parlamentar de esquerda salvou Costa, salvou os socialistas e evitou uma radicalização da sociedade portuguesa. O negócio foi de tal maneira rentável que, a três meses das eleições, o PS ainda aspira a uma maioria absoluta.

Bloco de Esquerda e Partido Comunista. O BE foi aquele que terá perdido mais com a ousadia de Costa fazer um governo apoiado nas esquerdas.  Se os socialistas suportassem, mesmo que por abstenção, um governo PSD/CDS, o BE iria buscar uma boa fatia dos eleitores socialistas. Seja como for, o BE continua com boas expectativas eleitorais e aquilo que perdeu em possibilidade de crescimento ganhou em notoriedade e respeitabilidade políticas. O PCP corria riscos reais com o apoio ao governo. Veja-se o resultado das autárquicas. No entanto, agora que as eleições se aproximam, é possível que mantenha a representação e o saldo da aventura seja positivo. Ganhou uma imagem de moderação e mostrou que é parte da solução e não um mero partido de protesto. Não é pouco.

A direita parlamentar. Uma legislatura cheia de equívocos. Uma primeira fase, ainda com Passos Coelho à frente do PSD, marcada pelo ressentimento e o anúncio da catástrofe a cada momento. Levou bastante tempo para que a direita percebesse como funciona uma democracia liberal. Levou ainda mais tempo para que compreendesse que a solução governativa das esquerdas não era substancialmente diferente da sua. As novas lideranças de Rui Rio e Assunção Cristas mostraram-se erráticas, nunca descobrindo o caminho para construir uma alternativa sólida às esquerdas. O CDS ainda foi tentado por um encosto ao radicalismo de direita, mas os resultados foram maus. As sondagens não auguram nada de bom para ambos os partidos.

PAN. Esta é a segunda novidade da legislatura, mais obscura que a coligação das esquerdas. O PAN surfa diversas ondas presentes nas sociedades pós-modernas: a contestação da diferença entre animais humanos e não humanos, as preocupações ecológicas e o cansaço com os partidos tradicionais. Com um posicionamento ideológico esquivo, o PAN pode tornar-se, dentro de certo limites, um partido catch-all, que tanto pode ir buscar eleitores à direita como à esquerda e até aos nem uma coisa nem outra. Ainda sem anticorpos e com a visibilidade alcançada, o PAN prepara-se para um grande resultado.

 

 

 Outras notícias - Opinião


À mulher de César não basta ser séria… »  2019-08-09  »  António Gomes

Vem isto a propósito da aquisição de imóveis pela Câmara de Torres Novas, sitos em Riachos. Só o BE votou contra.

Os proprietários propuseram a aquisição e a Câmara comprou.
(ler mais...)


Bons Sons »  2019-08-09  »  Inês Vidal

Treze anos, dez edições, uma aldeia em manifesto. Arrancou ontem, dia 8, mais uma edição do festival Bons Sons, que anualmente traz a Cem Soldos, concelho de Tomar, milhares de pessoas e música, muita música portuguesa.
(ler mais...)


Carteiro »  2019-08-09  »  Ana Sentieiro

A genética é, de facto, uma coisa incrível! Contudo, no meu caso, a genética desempenha mais o papel de progenitor ausente, que se esquece do meu aniversário, não sabe o meu número de telemóvel e saca duas notas de vinte da carteira de pele quando está folgado e diz, “Para te divertires, mas não digas à tua mãe!”.
(ler mais...)


Livros para férias »  2019-08-09  »  Jorge Carreira Maia

COMO MORREM AS DEMOCRACIAS. Autores Steven Levitsky & Daniel Ziblatt, ambos professores em Harvard. Uma reflexão com incidência americana, mas apoiada no estudo das mortes da democracia nos anos trinta do século passado, na Europa, e nos anos 60 e 70, também do XX, na América Latina.
(ler mais...)


Umbigos, por Inês Vidal »  2019-07-05  »  Inês Vidal

A política sempre foi um dos assuntos que me deu mais gozo acompanhar enquanto jornalista. Não é novo, já o disse aqui muitas vezes. Encanta-me o jogo, perceber as redes, as pessoas, ver o que as move, como se movem, como a política puxa pelo melhor e revela o pior de quem se envolve.
(ler mais...)


Bloco de Esquerda, Rui Rio, União Europeia e Igreja Católica »  2019-07-05  »  Jorge Carreira Maia

O BLOCO DE ESQUERDA E OS DEPUTADOS. Parece haver divergências entre a distrital de Santarém e a direcção nacional sobre quem deve encabeçar a lista de candidatos pelo distrito às eleições legislativas.
(ler mais...)


PLANTAR ÁRVORES »  2019-07-04  »  António Gomes

As alterações climáticas a que estamos a assistir, e aquelas que nos são anunciadas por estudos científicos, devem ser para levar a sério. O equilíbrio climático a que nos habituámos está em mudança acelerada.
(ler mais...)


Autarquias, professores, padres casados e futebol »  2019-06-20  »  Jorge Carreira Maia

PODER AUTÁRQUICO. Depois da operação Teia, uma nova operação contra detentores – ou ex-detentores – do poder autárquico. Não faço ideia o que pensam presidentes de câmara e vereadores sobre a reputação das autarquias.
(ler mais...)


Democracia, por Inês Vidal »  2019-06-19  »  Inês Vidal

Somos todos pela democracia. Menos quando ganha quem não queremos. Esta coisa da democracia tem que se lhe diga. Que o diga eu que, nunca falhando a umas eleições, nunca vi ganhar nenhumas. Fica sempre um sabor amargo na boca, uma angústia de não ver ganhar quem se quer.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-07-20  »  Jorge Carreira Maia Balanço político da legislatura
»  2019-08-09  »  Ana Sentieiro Carteiro
»  2019-08-09  »  Jorge Carreira Maia Livros para férias
»  2019-08-09  »  Inês Vidal Bons Sons
»  2019-08-09  »  António Gomes À mulher de César não basta ser séria…