• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 08 Dezembro 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 14° / 5°
Céu nublado com chuva fraca
Ter.
 15° / 5°
Períodos nublados
Seg.
 16° / 7°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  15° / 9°
Céu nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

O Homem Português, quem é, donde veio!

Opinião  »  2011-04-22  »  Ana Sentieiro

Estamos em 2011 e enquanto Nação quase milenária somos surpreendidos, mais uma vez, por uma situação de quase bancarrota que nos obriga a sermos governados pelos organismos internacionais. Na prática, deixamos de ser um povo soberano a mandar na nossa pátria, pelo que, vou tentar caracterizar o Homem Português, sendo que, o que sabemos das nossas genealogias são aquelas que os nossos intelectuais, académicos e escritores, nos têm transmitid os reis, rainhas, príncipes e cavaleiros e as guerras entre eles; os castelos, conventos e mosteiros. As pedras vivas (no dizer da António Sérgio), as pessoas, simples e humildes, essas pouco contam para a História.

O portugueses, que Ferreira de Castro, em 1929, na ”Selva”, designa de ”desbravadores e deserdados” e Alves Redol, em 1939, nos Gaibéus, lhes chama ”alugados, sobre as ordens do capataz”, homem de estatura mediana e de crânio oval.

Afinal, quem são e foram ”o ilustre peito Lusitano”, como o disse Luís de Camões, há 437 anos?

Quem são os ”lusitanos”, os ”magriços”, os ”tugas” e os nossos ”egrégios avós?”.

Ou resumimo-nos ao fado, da Amália, ao futebol, do Eusébio, e à Senhora da Fátima, das aparições ?

Ou os portugueses, enquanto integrados num colectivo nacional, nunca ultrapassaram a tradicional trilogia de clero, nobreza e povo, grupos sociais bem caracterizados, dos quais estavam excluídos o povão e os escravos, ou seja, a maioria dos que trabalhavam?

Hoje, sabemos que há centenas de milhares de anos se regista a presença humana nesta faixa ocidental, banhada pelo mar Atlântico, com 96 mil Km2 e que constitui, desde 1249, o território de Portugal, data em que empurrámos os sarracenos para o norte de África e depois, em 1415, iniciámos, em Ceuta, as aventuras marítimas por esses mares fora, fomos à Madeira, Açores, Cabo Verde, São Tomé, Angola, Moçambique, Brasil, Índia, Guiné, Timor, China e Macau. Fomos os maiores!

A todos estes – o homem simples e comum – os historiadores ignora-os. Para a história só constam os nomes sonantes – os dominantes instalados!

Que língua se falava no tempo do Condado Portucalense, quando o Papa concedeu a bula e fez nascer Portugal como nação independente?

Quando se fala nos Portugueses e em Portugal devemos ter em atenção a sua pequena densidade populacional. No primeiro censo, realizado em 1864, éramos, apenas, 4.188.419, reduzidas gentes para tamanha aventura onde nos metemos, sem resultados concretos para o desenvolvimento do país!

Fomos sempre colonizados por Espanha, França, Inglaterra e agora, pela Alemanha, França, Itália, as nações que mandam na União Europeia!

A nossa cultura foi sempre estrangeirada, embora, desde Fernão Lopes, passando pelo século XVI e seguintes, muita gente tivesse deixado obra feita.

Ajudámos a expulsar os muçulmanos da Ibéria; entregámos a governação aos Filipes de Espanha; abastecemo-nos com os ”restos” daquilo que sobrava das riquezas das colónias

O bom foi para Inglaterra, para sustentar a sua primeira revolução industrial. Em 1820 tentámos imitar as monarquias constitucionais; fomos mais uma vez enganados pela Regeneração, de 1852, quando surgiram os ”bigodaças” burgueses que ficaram conhecidos pelos ”vencidos da vida” e são eles que, com a República de 1910, lançam o país numa grande confusão, até à ditadura de Maio de 1926 que vigorou até 1974, com o consentimento e silêncio da esmagadora maioria da população, cuja solução foi a emigração!

Há muitos anos que me interrogo sobre as razões do nosso histórico atraso cultural! A nação mais antiga do Mundo não passa da cepa-torta. Qual a razão?

O que tem falhado para o Homem Português não passar de ser um servil dos outros povos?

É trágico e penoso ver o patrioteiro fatalismo nacional que, diz-nos, sempre foi assim!

Trágico e penoso constatar que continuamos a ser um povo com elevado número de analfabetos e de analfabetos funcionais!

Trágico e penoso ver que a educação e o ensino retroagiu para o patriotismo-empirista e que o estudo da filosofia, da história, da matemática e do português, foi substituído pelos telemóveis, computadores e Internet!

As crianças que hoje têm entre 3 e 10 anos de idade nunca ouviram falar da cartilha de João de Deus !!!

Ou conseguimos revolucionar as mentalidades nas nossas escolas, ou daqui por 100 anos estaremos muito mais atrasados em relação ao Mundo, porque foi isso que sempre quiseram os dominantes instalados!

Nem o 25 de Abril abriu novos horizontes ao Homem Português!

 

 

 Outras notícias - Opinião


A questão ambiental »  2019-12-07  »  Jorge Carreira Maia

A generalidade dos cidadãos, onde se incluem as elites políticas, não tem qualquer capacidade para julgar se as alterações climáticas em curso são de origem humana ou se são apenas efeitos de uma alteração do clima que ocorre independentemente das acções humanas.
(ler mais...)


No Jornal Torrejano, uma torrejana “dos quatro costados” »  2019-12-05  »  Ana Lúcia Cláudio

Quase dez da noite da última sexta-feira de Novembro, no aeroporto da Portela. Está quente para quem acaba de chegar de um país mais frio. Apanho um táxi para o centro de Lisboa, uma distância suficientemente curta para não ser do agrado dos taxistas.
(ler mais...)


Há um elefante na sala: o ensino superior da região! »  2019-12-05  »  Jorge Salgado Simões

Podemos não falar do assunto. Podemos todos ir pensando nisto sem dizer o que quer que seja, ou fazer do tema não mais do que uma conversa de café, para não melindrar ninguém.

Temos um problema na região com o ensino superior público: dois Institutos Politécnicos, Tomar e Santarém (IPT e IPS), demasiado pequenos e demasiado sozinhos, desligados entre si, pouco atrativos, pouco diferenciadores e com uma sustentabilidade mais do que duvidosa.
(ler mais...)


A biblioteca no mercado semanal »  2019-12-05  »  António Gomes

A Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes mudou-se para o mercado, literalmente. Às terças, quinzenalmente, é lá que se encontra.

Misturar as couves, as cebolas, o pão, o queijo, as flores e as pessoas com os livros é uma ideia que deve ser valorizada e apreciada.
(ler mais...)


O senhor da maquineta »  2019-12-05  »  Anabela Santos

Estamos no outono, muito perto da chegada do inverno. Uma estação bonita, de cores únicas, temperatura amena e blá, blá, blá… tudo de bom para dizer desta época do ano.

É também a altura em que as árvores de folha caduca se despem totalmente e deixam os seus ramos apanhar sol, ganhando assim força até à chegada da primavera, momento em que nos presenteiam, novamente, com a sombra das suas folhas.
(ler mais...)


A cantiga é uma arma... »  2019-11-29  »  Hélder Dias

O desafio da direita democrática »  2019-11-22  »  Jorge Carreira Maia

Comecemos pelo trivial, mas que muitas vezes é esquecido. O papel do PSD e do CDS tem sido fundamental para a consolidação de um regime democrático-liberal no nosso país. Uma democracia representativa não pode subsistir sem a existência de pluralidade política e de partidos de direita e de esquerda.
(ler mais...)


Deixaram morrer a tarambola »  2019-11-21  »  António Gomes

Pode dizer-se que é desolador, uma tristeza, que não querem saber, quem pode não quer, está tudo desprezado, é uma grande irresponsabilidade, é um desconsolo e mais uns quantos adjectivos, mas creio que é mais do que isso e mais grave.
(ler mais...)


Eu é que sei »  2019-11-21  »  Miguel Sentieiro

Vinha a ouvir no rádio do carro a rubrica “Eu é que sei!” A ideia passa por lançar perguntas às crianças para elas opinarem sobre o que pensam de cada temática. Eu é que sei…. “O que é um estetoscópio”, “porque há pessoas boas e más”, “porque as pessoas usam malas”, “porque é que as aranhas têm 8 olhos” , “o que é um pirilampo”, “para que serve a manete de mudanças.
(ler mais...)


Nazismo e comunismo »  2019-11-09  »  Jorge Carreira Maia

No mês passado o Parlamento Europeu aprovou uma resolução de condenação dos regimes nazi e comunista. Na verdade, ambos os regimes perseguiram e mataram adversários e o Estado teve neles uma configuração totalitária.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-11-09  »  Jorge Carreira Maia Nazismo e comunismo
»  2019-11-22  »  Jorge Carreira Maia O desafio da direita democrática
»  2019-11-21  »  António Gomes Deixaram morrer a tarambola
»  2019-11-21  »  Miguel Sentieiro Eu é que sei
»  2019-11-29  »  Hélder Dias A cantiga é uma arma...