• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 08 Dezembro 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 14° / 5°
Céu nublado com chuva fraca
Ter.
 15° / 5°
Períodos nublados
Seg.
 16° / 7°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  15° / 9°
Céu nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Educação e cultura, onde não devemos falhar!

Opinião  »  2011-07-14  »  Ana Sentieiro

No dia 5 de Junho de 2011, o povo soberano votou na mudança, contra a continuidade. Votou pela austeridade!

Para executarem as medidas para a mudança já tomaram posse 47 elementos (39 homens e 8 mulheres), a maioria não eleitos, logo ao arrepio da democracia, ou seja, foram nomeados. Um deles até vivia e trabalhava no Canadá e outra diz que não percebe nada de agricultura, sempre dizendo ao ouvido de cada um dos filhos que já era ministra!

É assim a democracia representativa que nos governa!

Agora, há que cumprir as ordens dos nossos credores, se não vêm aí os ”cobradores de fraque”, para imporem a sua disciplina!

Quer o Presidente da República, quer o novo primeiro Ministro, já disseram que não vão falhar. Vamos cumprir!

Toda a gente sabe que em Portugal o maior défice é na educação e na cultura. O nosso histórico atraso é sócio-cultural, porque, assim, o têm determinado, ao longo dos tempos, os dominantes instalados e os donos de Portugal.

E um povo atrasado e iletrado é, mais, facilmente, aliciado para escolher as pessoas e o modelo de sociedade, como, agora, aconteceu nas eleições de 5 de Junho, sendo que em termos naturais ninguém gosta que lhe tirem direitos!

Há muitos anos que venho denunciando a falta dos investimentos necessários para que a todos os portugueses – todos os portugueses – seja facultado e facilitado o acesso ao ensino, ao conhecimento e à investigação. Aliás, foi no domínio da educação e na cultura que o 25 de Abril mais falhou, não obstante algumas melhorias verificadas, que, então, já se vinham verificando desde a década de 60, reconheça-se!

Por isso, não venham com as mesmas receitas e os mesmos modelos, porque onde não devemos falhar é nas actividades do nosso atraso, ou seja, na educação e na cultura, porque, só assim, ergueremos esta histórica nação ao nível das nações desenvolvidas, sendo que os portugueses são tão capazes e tão inteligentes, como os alemães, franceses ou ingleses, de quem não precisamos de esmolas!

Pelo que, já, se viu deste XIX Governo Constitucional, é o mesmo do mesm tirar aos pobres e dar aos ricos!

Na ”caça ao voto” não aumentava os impostos, agora, tal como em 1983 quando tiraram 28% do subsídio de Natal, agora, são 50%. E ainda ”a procissão está no adro”!

Os sinais de mudança deste novo governo, tem de ser dados na educação e na cultura. É necessário saber-se para quê estudar e frequentar a escola, se o objectivo se confinar, apenas, a preencher estatísticas e a instruir licenciaturas, mestrados e doutoramentos que não servem para nada, salvo a saída para a política, como agora aconteceu com a maioria destes 47 novos governantes.

É verdade que nestes 37 anos de liberdade e democracia têm saído das universidades portuguesas, académicos de elevados saberes, mas tem sido muito reduzido o seu contributo para evitar o descalabro dos desequilíbrios sociais e económicos, basta lembrar os depoimentos televisivos diários de muitos desses ilustres lentes que pouco têm ajudado na solução da crise. Ao invés, o que mostram é protagonismo para continuarem a integrar o banquete do poder. A escola, a universidade e os universitários pouco têm feito para evitarem a crise.

A educação e a cultura é um direito consagrado no Artº 73º da Constituição, texto que os senhores nobres governantes proclamaram, ao tomarem posse!

Eu não tenho dúvidas que as minhas utopias, na solução do atraso português pela via da educação e da cultura, não têm qualquer exequibilidade com este governo do PPD/PSD e CDS/PP, cujos valores e princípios não são os meus.

Ainda assim, desenganem-se aqueles que pensam que a solução da crise portuguesa passa pela economia e finanças.

A solução está na educação e na cultura!

 

 

 Outras notícias - Opinião


A questão ambiental »  2019-12-07  »  Jorge Carreira Maia

A generalidade dos cidadãos, onde se incluem as elites políticas, não tem qualquer capacidade para julgar se as alterações climáticas em curso são de origem humana ou se são apenas efeitos de uma alteração do clima que ocorre independentemente das acções humanas.
(ler mais...)


No Jornal Torrejano, uma torrejana “dos quatro costados” »  2019-12-05  »  Ana Lúcia Cláudio

Quase dez da noite da última sexta-feira de Novembro, no aeroporto da Portela. Está quente para quem acaba de chegar de um país mais frio. Apanho um táxi para o centro de Lisboa, uma distância suficientemente curta para não ser do agrado dos taxistas.
(ler mais...)


Há um elefante na sala: o ensino superior da região! »  2019-12-05  »  Jorge Salgado Simões

Podemos não falar do assunto. Podemos todos ir pensando nisto sem dizer o que quer que seja, ou fazer do tema não mais do que uma conversa de café, para não melindrar ninguém.

Temos um problema na região com o ensino superior público: dois Institutos Politécnicos, Tomar e Santarém (IPT e IPS), demasiado pequenos e demasiado sozinhos, desligados entre si, pouco atrativos, pouco diferenciadores e com uma sustentabilidade mais do que duvidosa.
(ler mais...)


A biblioteca no mercado semanal »  2019-12-05  »  António Gomes

A Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes mudou-se para o mercado, literalmente. Às terças, quinzenalmente, é lá que se encontra.

Misturar as couves, as cebolas, o pão, o queijo, as flores e as pessoas com os livros é uma ideia que deve ser valorizada e apreciada.
(ler mais...)


O senhor da maquineta »  2019-12-05  »  Anabela Santos

Estamos no outono, muito perto da chegada do inverno. Uma estação bonita, de cores únicas, temperatura amena e blá, blá, blá… tudo de bom para dizer desta época do ano.

É também a altura em que as árvores de folha caduca se despem totalmente e deixam os seus ramos apanhar sol, ganhando assim força até à chegada da primavera, momento em que nos presenteiam, novamente, com a sombra das suas folhas.
(ler mais...)


A cantiga é uma arma... »  2019-11-29  »  Hélder Dias

O desafio da direita democrática »  2019-11-22  »  Jorge Carreira Maia

Comecemos pelo trivial, mas que muitas vezes é esquecido. O papel do PSD e do CDS tem sido fundamental para a consolidação de um regime democrático-liberal no nosso país. Uma democracia representativa não pode subsistir sem a existência de pluralidade política e de partidos de direita e de esquerda.
(ler mais...)


Deixaram morrer a tarambola »  2019-11-21  »  António Gomes

Pode dizer-se que é desolador, uma tristeza, que não querem saber, quem pode não quer, está tudo desprezado, é uma grande irresponsabilidade, é um desconsolo e mais uns quantos adjectivos, mas creio que é mais do que isso e mais grave.
(ler mais...)


Eu é que sei »  2019-11-21  »  Miguel Sentieiro

Vinha a ouvir no rádio do carro a rubrica “Eu é que sei!” A ideia passa por lançar perguntas às crianças para elas opinarem sobre o que pensam de cada temática. Eu é que sei…. “O que é um estetoscópio”, “porque há pessoas boas e más”, “porque as pessoas usam malas”, “porque é que as aranhas têm 8 olhos” , “o que é um pirilampo”, “para que serve a manete de mudanças.
(ler mais...)


Nazismo e comunismo »  2019-11-09  »  Jorge Carreira Maia

No mês passado o Parlamento Europeu aprovou uma resolução de condenação dos regimes nazi e comunista. Na verdade, ambos os regimes perseguiram e mataram adversários e o Estado teve neles uma configuração totalitária.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-11-09  »  Jorge Carreira Maia Nazismo e comunismo
»  2019-11-22  »  Jorge Carreira Maia O desafio da direita democrática
»  2019-11-21  »  António Gomes Deixaram morrer a tarambola
»  2019-11-21  »  Miguel Sentieiro Eu é que sei
»  2019-11-29  »  Hélder Dias A cantiga é uma arma...