• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 18 Setembro 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sáb.
 22° / 17°
Céu nublado com chuva moderada
Sex.
 29° / 16°
Céu nublado
Qui.
 29° / 16°
Céu nublado
Torres Novas
Hoje  30° / 16°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

A pobreza, não usa gravata!

Opinião  »  2011-07-29  »  Ana Sentieiro

Perante as decisões dos políticos, face à gestão do sistema capitalista e de mercado, pelo qual impõem aos portugueses fortes restrições sociais e económicas e aumento de impostos, vem a Igreja Católica, através dos seus Bispos, mostrar preocupações sobre a pobreza em Portugal e logo as instituições, criadas a partir dos finais do século XV (as Misericórdias), aparecem para acudir àqueles que, por estado de necessidade e infortúnio se quedam na indigência.

Aqueles que se proclamam dos ideários bíblicos, sejam ou não frequentadores das Igrejas, aonde escutam eloquentes homilias, sabem desse confronto entre o Bem e o Mal, ou o trigo e o joio, a narração em que esta planta se mistura com o trigo para prejudicar o seu florescimento.

A teoria do trigo e do joio é uma parábola para a Igreja explicar a existência do Bem e do Mal.

Só que, como bem nos ensinou Immanuel Kant há mais de 200 anos, os seres humanos são dotados de razão e como disse o Poeta, António Aleixo, ”a razão mesmo vencida, não deixa de ser razão”, ou seja, como se proclama na dogmática, todos somos filhos de Deus, mas uns são pelo trigo, enquanto que outros são pelo joio. Uns praticam o Bem e outros são pelo Mal.

A pobreza, enquanto estado da vida das pessoas é uma questão que tem a ver com a distribuição dos bens, em que, como bem disse o nosso Zeca, estão aí os Vampiros, em que alguns comem tudo e não deixam nada.

A verdade é que, obedecendo aos dogmas, os homens e as mulheres que têm dirigido o país, têm permitido que os bens sejam distribuídos de forma a criar a pobreza e a riqueza. Em que os pobres são o trigo, são o Bem enquanto os ricos representam o joio, o Mal. E todos eles agem invocando Deus!

As pessoas que nos dirigem, os políticos, parecem pessoas inteligentes, logo devem saber onde está a razão da pobreza. Nunca será difícil solucionar este problema, basta alterarem os paradigmas que estão na base da distribuição dos bens. É só publicar leis e fazê-las aplicar.

A pobreza não é um fatalismo que os portugueses tenham de suportar, só porque os dirigentes políticos assim desejam e praticam.

Em Portugal, há evidentes sinais de riqueza que mostram que existem promotores da pobreza, sejam eles os políticos, tenham eles a faceta de assistenciais e misericordiosos. Há pobreza porque as decisões dos governantes tem sido errada, sejam dos partidos da esquerda ou da direita.

O problema da pobreza também tem a ver com os pobres de espírito que cada vez são mais e agora foram autorizados a andar sem gravata por aquela que mandou dizer aos filhos que agora já era Ministra.

Parece que, para combater a pobreza, temos de começar a poupar no papel higiénico. Só falta haver um Ministro que promova um despacho nesse sentido!

 

 

 Outras notícias - Opinião


Descalabros, duelos, metamorfoses e Inferno »  2019-09-07  »  Jorge Carreira Maia

O DESCALABRO DA DIREITA. As sondagens têm vindo a indicar que a direita democrática está à beira de um resultado desastroso, por volta dos 25%, somando velhos e novos partidos.
(ler mais...)


O nome da terra, por João Carlos Lopes »  2019-09-06  »  João Carlos Lopes

É sintomático que, em tempo de eleições, nenhum dos partidos tenha dito uma palavra sobre essa vaca sagrada que é o futebol e sobretudo acerca do estado de guerra em que as claques dos “três grandes” transformam as terras por onde passam.
(ler mais...)


Turismo ou nem por isso »  2019-09-05  »  António Gomes

A época que atravessamos é propicia à reflexão sobre esta actividade económica, o turismo.
O turismo, como toda a gente sabe, atravessa em Portugal um período particularmente estonteante. São as grandes metrópoles as mais beneficiadas com tal actividade, é lá que se encontram as maiores fontes de atracção e é lá que as infraestruturas estão mais adaptadas e melhor respondem às solicitações.
(ler mais...)


Antiga Fábrica de Fiação e Tecidos: sonho ou possível realidade? »  2019-08-25  »  Anabela Santos

Falar da valorização de um espaço que é tão importante para uma grande parte dos torrejanos é imperativo mas não é novidade.
Já muitos falaram e escreveram sobre o assunto, desejando que alguma mente iluminada e com vontade de fazer o melhor pela cidade tome alguma iniciativa no sentido de valorizar o património arquitectónico e histórico de uma fábrica que deu tanto à nossa cidade.
(ler mais...)


Repuxos, por Inês Vidal »  2019-08-25  »  Inês Vidal

Esta malta dos jornais é lixada. Parece que está do contra, sempre a dizer coisas. Ou então é de esquerda, só pode. Atrevem-se a noticiar as coisas que acontecem, esses filhos da mãe. Caso contrário, íamos fazendo as coisas à mesma, a nosso bel-prazer, mas ninguém dava por elas ou as questionava.
(ler mais...)


A greve dos motoristas »  2019-08-23  »  Jorge Carreira Maia

PÔR O REGIME À PROVA. Na greve dos motoristas de matérias perigosas coincidiram duas vertentes que, para os próprios interessados, não deveriam ter coincidido. A luta laboral por reivindicações que merecerão respeito e um desafio às instituições políticas e ao regime.
(ler mais...)


À mulher de César não basta ser séria… »  2019-08-09  »  António Gomes

Vem isto a propósito da aquisição de imóveis pela Câmara de Torres Novas, sitos em Riachos. Só o BE votou contra.

Os proprietários propuseram a aquisição e a Câmara comprou.
(ler mais...)


Bons Sons »  2019-08-09  »  Inês Vidal

Treze anos, dez edições, uma aldeia em manifesto. Arrancou ontem, dia 8, mais uma edição do festival Bons Sons, que anualmente traz a Cem Soldos, concelho de Tomar, milhares de pessoas e música, muita música portuguesa.
(ler mais...)


Carteiro »  2019-08-09  »  Ana Sentieiro

A genética é, de facto, uma coisa incrível! Contudo, no meu caso, a genética desempenha mais o papel de progenitor ausente, que se esquece do meu aniversário, não sabe o meu número de telemóvel e saca duas notas de vinte da carteira de pele quando está folgado e diz, “Para te divertires, mas não digas à tua mãe!”.
(ler mais...)


Livros para férias »  2019-08-09  »  Jorge Carreira Maia

COMO MORREM AS DEMOCRACIAS. Autores Steven Levitsky & Daniel Ziblatt, ambos professores em Harvard. Uma reflexão com incidência americana, mas apoiada no estudo das mortes da democracia nos anos trinta do século passado, na Europa, e nos anos 60 e 70, também do XX, na América Latina.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-08-25  »  Inês Vidal Repuxos, por Inês Vidal
»  2019-08-23  »  Jorge Carreira Maia A greve dos motoristas
»  2019-08-25  »  Anabela Santos Antiga Fábrica de Fiação e Tecidos: sonho ou possível realidade?
»  2019-09-06  »  João Carlos Lopes O nome da terra, por João Carlos Lopes
»  2019-09-07  »  Jorge Carreira Maia Descalabros, duelos, metamorfoses e Inferno