• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Quarta, 16 de Agosto de 2017
Pesquisar...
Sáb.
 36° / 16°
Claro
Sex.
 32° / 17°
Períodos nublados
Qui.
 33° / 17°
Claro
Torres Novas
Hoje  31° / 16°
Claro
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Carlos de Oliveira

Opinião  »  2016-11-03  »  Jorge Carreira Maia

"Carlos de Oliveira foi um neo-realista e o neo-realismo tornou-se anátema nos meios culturais. Contudo, o romancista e poeta gandarês nunca foi um neo-realista panfletário."

O público é um deus vindicativo e injusto. Carlos de Oliveira, uma das grandes figuras da literatura portuguesa da segunda metade do século XX, morreu em 1981. Paulatinamente, a sua obra começou a entrar num tempo crepuscular, apagando-se da memória cultural do país, do desejo dos leitores e das estratégias do mercado livreiro. A percepção que tenho – pode estar errada – é que já ninguém, com a excepção de um ou outro especialista, lê Carlos de Oliveira. E isso não é apenas imerecido pelo autor como é uma perda para a cultura portuguesa. É claro que o mundo social sobre o qual escreveu foi tragado pela voragem do tempo e pela radical alteração do modo de viver dos portugueses, tão paroquial na sua época. Isso, porém, não explica a amnésia colectiva.

Também é verdade que Carlos de Oliveira foi um neo-realista – porventura, o mais brilhante – e o neo-realismo tornou-se anátema nos meios culturais. Contudo, o romancista e poeta gandarês nunca foi um neo-realista panfletário. Pelo contrário, toda a sua obra é de uma extrema exigência estética, onde as personagens são mais do que simples invólucros de estereótipos sociais. São gente real, com as contradições que habitam em todos os seres humanos. A sua obra romanesca distribui-se por cerca de dez anos. De Casa na Duna, 1943, a Uma Abelha na Chuva, 1953, passando por Alcateia, 1944, e Pequeno Burgueses, 1948. Exceptua-se o último romance, Finisterra – Paisagem e Povoamento, de 1978.

Este último é uma das obras da literatura portuguesa que mais exige do leitor, pois o trabalho sobre a língua portuguesa é levado a um grau de perfeição invulgar. É um romance onde a descrição tem um papel fulcral, o que, por certo, assusta um público impaciente e superficial. Não foi apenas ao nível do romance que Carlos de Oliveira foi um escritor exigente com o trabalho sobre a linguagem. A sua poesia tem a mesma marca. Há nela, o que sempre lhe foi reconhecido, um trabalho artesanal de grande depuração, como se ele procurasse, em cada poema, encontrar a essência da linguagem, encontrar a palavra poética que antecede todas as palavras gastas e sem aura que usamos no quotidiano. Uma grande poesia, num século onde houve em Portugal poetas extraordinários. Carlos de Oliveira um autor a ler e a reler.

http://kyrieeleison-jcm.blogspot.pt/

 

 

 Outras notícias - Opinião


As relações PCP e BE »  2017-08-03  »  Jorge Carreira Maia

Uma meditação política antes de férias. No actual arranjo governativo há uma situação a que não se dá a atenção que merece. O governo depende dos acordos na Assembleia com o BE e o PCP.
(ler mais...)


De cabeça perdida »  2017-07-30  »  Jorge Carreira Maia

Na semana passada consumou-se a grande tentação que, desde o desastre de Pedrógão Grande, flutuava nos corações da direita. A princípio, alguma sensatez política evitou que os partidos na oposição fizessem da desgraça um móbil do combate político.
(ler mais...)


Para acabar de vez com o “convento do Carmo” »  2017-07-20 

Costuma dizer-se que uma mentira mil vezes repetida acaba por ser uma verdade, mas neste caso não é possível. Não há nada a fazer e é uma verdade histórica com quase 200 anos: não há nenhum “Convento do Carmo” em Torres Novas.
(ler mais...)


Vergílio Ferreira »  2017-07-20  »  Jorge Carreira Maia

Vergílio Ferreira é uma figura simbólica do quadro cultural de nosso país. Simbólica dos limites que a ditadura do professor Salazar fazia cair sobre Portugal, impondo-lhe uma grande distância cultural relativamente ao que se passava na Europa e nos Estados Unidos.
(ler mais...)


Mensageiro »  2017-07-19  »  Inês Vidal

Há por aí uns balofos a dizer à boca cheia que o Bloco de Esquerda comprou o Jornal Torrejano. Que fazemos campanha assumida por um dos partidos com lugar no executivo. Nem nisso são originais. Já o outro dizia que o JT era um pasquim comunista, um boletim da facção então mais à esquerda da mesa camarária.
(ler mais...)


O cérebro: um compartimento muito especial do nosso corpo »  2017-07-18  »  Juvenal Silva

O cérebro é um órgão que se distingue dos outros órgãos do corpo, devido à sua importância no controlo que regula o sistema nervoso e que comanda direta ou indiretamente todas as nossas atividades, desde os movimentos ao raciocínio, da memória ao conhecimento dos pormenores e, também, os processos subtis que regulam o ritmo sono/vigília, o humor, o apetite, as decisões e muito mais funções… Ao contrário das outras células do nosso corpo, que se renovam regularmente, as células do cérebro não só se mantém inalteradas durante toda a vida, pois começam a diminuir em quantidade ao atingir a idade adulta.
(ler mais...)


O que é uma deficiência nutricional? »  2017-07-08  »  Juvenal Silva

Diz-se deficiência nutricional quando certos nutrientes como vitaminas, minerais, hidratos de carbono, lípidos, proteínas, que são essências, estão ausentes na alimentação quotidiana e colocam em risco o equilíbrio do organismo, pela diminuição da força vital.
(ler mais...)


Três avisos e uma remodelação »  2017-07-07  »  Jorge Carreira Maia

A governação de António Costa começa a abrir brechas que só a actual inépcia da direita tem evitado que se transformem num enorme desgaste político. Em pouco tempo, depois da euforia em torno do défice, o país frágil que somos, do ponto de vista institucional, enviou três avisos.
(ler mais...)


Tentações igníferas »  2017-06-26  »  Jorge Carreira Maia

Quando se tornou patente a enorme desgraça que se abatera em Pedrógão Grande percebeu-se, não através do discurso oficial mas do rumor militante das redes sociais, que a direita tudo iria fazer para lançar uma nova fronda.
(ler mais...)


Água é essencial e fonte de vida »  2017-06-21  »  Juvenal Silva

A água é uma necessidade essencial para o organismo e o seu consumo deverá fazer parte dos nossos hábitos diários, durante todas as épocas do ano.

A época de verão merece uma particular atenção e não deveremos esperar pela sede para beber, mas ter o hábito de beber durante todo o dia.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 10 dias)