• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 08 Dezembro 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 14° / 5°
Céu nublado com chuva fraca
Ter.
 15° / 5°
Períodos nublados
Seg.
 16° / 7°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  15° / 9°
Céu nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Amor, vamos dar um tempo

Opinião  »  2019-04-20  »  Ana Sentieiro

"Partiste-me o coração, em vários e indistinguíveis pedacinhos, atiraste a minha autoestima para um local sombrio "

Puberdade, temo que interpretes as minhas palavras de modo leviano, mas penso que chegámos àquele momento da relação em que já não faz sentido continuar. Desculpa, não tenciono desvalorizar o teu impacto em mim ou na minha vida nestes últimos anos que tivemos juntos, aliás, qualquer pessoa perceberia, ao olhar para a minha cara, iluminada por um tímido sorriso, que a tua presença era constante, quase como se fossemos um só.

As características que mais me impressionam em ti são, sem dúvida alguma, o teu sentido de oportunidade e a tua persistência.

Sempre foste inacreditavelmente conveniente no que diz respeito ao momento e local para despertares um conflito.

“Querida, hoje vou jantar com os meus amigos…”

“AHHH sim?! Não me disseste nada?!”

“Sim, o Zé faz anos e vamos à marisqueira. Tu sabes aquela ao pé do consultório de cardiologia do Dr. Lemos, que vende bebidas com gás em garrafas de vidro e tem uns guardanapos rascas, que só dão para limpar o canto direito da boca…”

“Quem vai?”

“A malta do costume…”

“Isso inclui a Carla do decote”

“Querida, já tivemos esta conversa e não me parece a altura indicada para começar uma discussão… Sabes que só tenho olhos para ti e para o teu decote!”

“Tudo bem, querido”, e eis que decides cuspir-me na cara uma borbulha, bem branquinha, com as proporções do monte Evereste, e nem tens a compaixão de recorreres à simetria, limitaste a colocá-la num local bem visível sem respeitar o padrão dos contornos do meu rosto. ”Diverte-te!”

“Obrigado”, o meu objetivo é conseguir fugir a todas as selfies ou boomerangs que voam direitinhos para o instagram…

Contudo, não posso dizer que foste fiel. Apercebi-me de que vivias um romance com Gabriel dos olhos verdes. E com o Rafael que conduz a scotter do pai. E com o Daniel dos cabelos loiros encaracolados que tem uma cicatriz no sobrolho dirieto. E com o Ismael que calça o 45 e três quartos. Partiste-me o coração, em vários e indistinguíveis pedacinhos, atiraste a minha autoestima para um local sombrio onde apenas se ouve o ecoar de nomes cuja origem hebraica remete para a bíblia, impediste a construção de novos relacionamentos e obrigaste-me a redescobrir a minha essência através da escrita.

Acredito que é a melhor decisão a tomar. Sinto-me capaz de enfrentar o mundo de cabeça erguida, isenta da máscara que em mim pintaste. Pega na tua escova de dentes, nos teus iogurtes de pedaços sem glúten e no teu álbum do Justin Bieber (refiro-me ao Belive e não ao Belive Acoustic, esse até é agradável, podes deixar…), saí da minha vida e não voltes. Nem te atrevas a regressar com palmadinhas nas costas, não vale a pena, dou por terminada a nossa instável e desonesta relação que, à semelhança de um episódio de Game of Thrones, nos fez sorrir, chorar, corar, tapar os olhos, questionar a condição e fisionomia humana e comer pipocas.

Obrigado por tudo mas ficarei à espera do Simon Baker.

 

 

 

 

 

 

 Outras notícias - Opinião


A questão ambiental »  2019-12-07  »  Jorge Carreira Maia

A generalidade dos cidadãos, onde se incluem as elites políticas, não tem qualquer capacidade para julgar se as alterações climáticas em curso são de origem humana ou se são apenas efeitos de uma alteração do clima que ocorre independentemente das acções humanas.
(ler mais...)


No Jornal Torrejano, uma torrejana “dos quatro costados” »  2019-12-05  »  Ana Lúcia Cláudio

Quase dez da noite da última sexta-feira de Novembro, no aeroporto da Portela. Está quente para quem acaba de chegar de um país mais frio. Apanho um táxi para o centro de Lisboa, uma distância suficientemente curta para não ser do agrado dos taxistas.
(ler mais...)


Há um elefante na sala: o ensino superior da região! »  2019-12-05  »  Jorge Salgado Simões

Podemos não falar do assunto. Podemos todos ir pensando nisto sem dizer o que quer que seja, ou fazer do tema não mais do que uma conversa de café, para não melindrar ninguém.

Temos um problema na região com o ensino superior público: dois Institutos Politécnicos, Tomar e Santarém (IPT e IPS), demasiado pequenos e demasiado sozinhos, desligados entre si, pouco atrativos, pouco diferenciadores e com uma sustentabilidade mais do que duvidosa.
(ler mais...)


A biblioteca no mercado semanal »  2019-12-05  »  António Gomes

A Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes mudou-se para o mercado, literalmente. Às terças, quinzenalmente, é lá que se encontra.

Misturar as couves, as cebolas, o pão, o queijo, as flores e as pessoas com os livros é uma ideia que deve ser valorizada e apreciada.
(ler mais...)


O senhor da maquineta »  2019-12-05  »  Anabela Santos

Estamos no outono, muito perto da chegada do inverno. Uma estação bonita, de cores únicas, temperatura amena e blá, blá, blá… tudo de bom para dizer desta época do ano.

É também a altura em que as árvores de folha caduca se despem totalmente e deixam os seus ramos apanhar sol, ganhando assim força até à chegada da primavera, momento em que nos presenteiam, novamente, com a sombra das suas folhas.
(ler mais...)


A cantiga é uma arma... »  2019-11-29  »  Hélder Dias

O desafio da direita democrática »  2019-11-22  »  Jorge Carreira Maia

Comecemos pelo trivial, mas que muitas vezes é esquecido. O papel do PSD e do CDS tem sido fundamental para a consolidação de um regime democrático-liberal no nosso país. Uma democracia representativa não pode subsistir sem a existência de pluralidade política e de partidos de direita e de esquerda.
(ler mais...)


Deixaram morrer a tarambola »  2019-11-21  »  António Gomes

Pode dizer-se que é desolador, uma tristeza, que não querem saber, quem pode não quer, está tudo desprezado, é uma grande irresponsabilidade, é um desconsolo e mais uns quantos adjectivos, mas creio que é mais do que isso e mais grave.
(ler mais...)


Eu é que sei »  2019-11-21  »  Miguel Sentieiro

Vinha a ouvir no rádio do carro a rubrica “Eu é que sei!” A ideia passa por lançar perguntas às crianças para elas opinarem sobre o que pensam de cada temática. Eu é que sei…. “O que é um estetoscópio”, “porque há pessoas boas e más”, “porque as pessoas usam malas”, “porque é que as aranhas têm 8 olhos” , “o que é um pirilampo”, “para que serve a manete de mudanças.
(ler mais...)


Nazismo e comunismo »  2019-11-09  »  Jorge Carreira Maia

No mês passado o Parlamento Europeu aprovou uma resolução de condenação dos regimes nazi e comunista. Na verdade, ambos os regimes perseguiram e mataram adversários e o Estado teve neles uma configuração totalitária.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-11-09  »  Jorge Carreira Maia Nazismo e comunismo
»  2019-11-22  »  Jorge Carreira Maia O desafio da direita democrática
»  2019-11-21  »  António Gomes Deixaram morrer a tarambola
»  2019-11-21  »  Miguel Sentieiro Eu é que sei
»  2019-11-29  »  Hélder Dias A cantiga é uma arma...