• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quinta, 17 Outubro 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Dom.
 19° / 10°
Céu limpo
Sáb.
 20° / 13°
Céu nublado com chuva fraca
Sex.
 23° / 14°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  23° / 16°
Céu nublado com aguaceiros e trovoadas
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Caridade ou justiça social

Opinião  »  2019-02-07  »  Anabela Santos

"Temos de combater a hipocrisia. Vivemos rodeados de temas inúteis"

O “Gui” que não é Gui, torrejano que não é torrejano, miúdo que já não é miúdo, vagueia pela cidade durante o dia e noite absorvido pelos seus pensamentos, com um olhar vago, distante. O Gui não é uma personagem fictícia. Está ali, sempre ali.
– Boa tarde!

Não tenho direito a mais nada, mas o cumprimento sai sempre suave e educado.

O Gui não trabalha, não estuda, não socializa, não tem amigos, a família está distante, não tem objetivos, não tem presente e, se não houver uma grande mudança, não terá futuro. É uma alma perdida que confessa ser bipolar, que passa dias sem saber o que faz ou o que diz. Só sabe que o tempo passa. Aliás, nem sei se sabe o que é o tempo.
– Os pais do “Rui” (que não é Rui) ajudam-me muito. No final do dia, em troca de comida, ajudo a arrumar cadeiras, mesas, o que for preciso em alguns cafés. Vou vivendo de caridade. Queria arranjar trabalho, mas é difícil. Há pessoas que dizem que me ajudam, mas nunca acontece. Não sei que fazer. De que precisa este miúdo que já não é miúdo?

De caridade ou justiça social? A caridade é pouco, muito pouco para um caso como este.
Justiça social!!!! O Gui precisa de justiça social e esta é responsabilidade do Estado, que não pode deixar de exercer a função de garantir a coesão social. Não é solução atacar as consequências e não as causas . “Numa sociedade onde haja justiça social, os direitos humanos são respeitados e as classes sociais mais desfavorecidas contam com oportunidades de desenvolvimento.”

Temos de combater a hipocrisia. Vivemos rodeados de temas inúteis, “ajudas” inúteis, pensamentos inúteis, campanhas inúteis. Não podemos aceitar o que é inútil ou com pouco impacto social.

A verdade é que “quando a solidariedade é necessária, a justiça social é urgente” e o estado não se pode demitir das suas funções.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Rio petisco »  2019-10-11  »  Hélder Dias

Casal da Treta? »  2019-10-11  »  Hélder Dias

Das eleições, leituras »  2019-10-10  »  Jorge Carreira Maia

1. APESAR DO PRÓPRIO PARTIDO. O PS teve um bom resultado, mas não excelente. Não conseguiu penetrar significativamente na esquerda e alienou, em campanha, uma parte do centro para o PSD.
(ler mais...)


Venham mais vinte cinco, por Inês Vidal »  2019-10-02  »  Inês Vidal

Não deixa de ser curioso o facto de festejarmos 25 anos com a produção de uma revista. Numa altura em que já ninguém lê - muito menos jornais, mesmo os regionais e, dentro destes, menos ainda os que não anunciam nascimentos, casamentos e funerais - produzir ainda mais uma revista tem algo de irónico.
(ler mais...)


Fazer acontecer »  2019-10-02  »  Anabela Santos

A importância de fazer acontecer é, cada vez mais, uma certeza para mim.
Não sei se tem a ver com a idade, a consciência ou a vivência, mas é raro o dia em que não tenha o tal pensamento … “é mesmo importante o que esta gente faz acontecer”

E, como é óbvio, não me refiro aos actos dos nossos governantes.
(ler mais...)


Por este lado é que vamos, por João Carlos Lopes »  2019-10-02  »  João Carlos Lopes

1. Políticas nacionais, aqui e ali mais impostas a nível local por opção dos próprios, devastaram as economias locais das pequenas cidades e vilas do país. O comércio local e grande parte dos serviços foram fustigados e depois engolidos pelos grandes grupos nacionais ou trans-nacionais, remetendo as cidades e vilas portuguesas a pouco mais que cenários onde nada se passa.
(ler mais...)


O prazer de ir a lado nenhum »  2019-09-28  »  Jorge Carreira Maia

O maior prazer daqueles que frequentam a literatura será o da deambulação, visitar lugares desconhecidos e confrontar-se com mundos inesperados, andar por aí sem ir a lado nenhum. Se quisermos uma prova sobre a existência de uma pluralidade de mundos, basta uma palavra: literatura.
(ler mais...)


Descalabros, duelos, metamorfoses e Inferno »  2019-09-07  »  Jorge Carreira Maia

O DESCALABRO DA DIREITA. As sondagens têm vindo a indicar que a direita democrática está à beira de um resultado desastroso, por volta dos 25%, somando velhos e novos partidos.
(ler mais...)


O nome da terra, por João Carlos Lopes »  2019-09-06  »  João Carlos Lopes

É sintomático que, em tempo de eleições, nenhum dos partidos tenha dito uma palavra sobre essa vaca sagrada que é o futebol e sobretudo acerca do estado de guerra em que as claques dos “três grandes” transformam as terras por onde passam.
(ler mais...)


Turismo ou nem por isso »  2019-09-05  »  António Gomes

A época que atravessamos é propicia à reflexão sobre esta actividade económica, o turismo.
O turismo, como toda a gente sabe, atravessa em Portugal um período particularmente estonteante. São as grandes metrópoles as mais beneficiadas com tal actividade, é lá que se encontram as maiores fontes de atracção e é lá que as infraestruturas estão mais adaptadas e melhor respondem às solicitações.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-10-02  »  João Carlos Lopes Por este lado é que vamos, por João Carlos Lopes
»  2019-10-02  »  Inês Vidal Venham mais vinte cinco, por Inês Vidal
»  2019-09-28  »  Jorge Carreira Maia O prazer de ir a lado nenhum
»  2019-10-02  »  Anabela Santos Fazer acontecer
»  2019-10-11  »  Hélder Dias Casal da Treta?