• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Segunda, 11 de Dezembro de 2017
Pesquisar...
Qui.
 18° / 8°
Céu nublado com chuva fraca
Qua.
 13° / 4°
Céu nublado
Ter.
 13° / 6°
Claro
Torres Novas
Hoje  15° / 7°
Céu nublado com chuva moderada
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

O cérebro: um compartimento muito especial do nosso corpo

Opinião  »  2017-07-18  »  Juvenal Silva

"Não existem remédios milagrosos, nem substâncias que possam substituir o natural nutriente"

O cérebro é um órgão que se distingue dos outros órgãos do corpo, devido à sua importância no controlo que regula o sistema nervoso e que comanda direta ou indiretamente todas as nossas atividades, desde os movimentos ao raciocínio, da memória ao conhecimento dos pormenores e, também, os processos subtis que regulam o ritmo sono/vigília, o humor, o apetite, as decisões e muito mais funções… Ao contrário das outras células do nosso corpo, que se renovam regularmente, as células do cérebro não só se mantém inalteradas durante toda a vida, pois começam a diminuir em quantidade ao atingir a idade adulta.

Por volta dos 20 anos, as cerca de 100 milhões de células nervosas ou neurónios começam a diminuir, para uma perda calculada em cerca de 60%, quando atingimos os 50 anos.
No cérebro, podemos distinguir três partes fundamentais, das quais se salienta o cérebro reptiliano, que regula o comportamento alimentar e reprodutivo, do qual depende a sobrevivência do indivíduo e da espécie e o córtex, relacionado com as funções adquiridas progressivamente.

Como e onde se desenvolvem as nossas potencialidades?
O cérebro divide-se em dois hemisférios, em que o esquerdo (excetuando os canhotos), controla as funções do lado direito do corpo e o pensamento lógico, analítico e racional, e o hemisfério direito, se encontra relacionado com as emoções, os sonhos, as percepções e a criatividade.

E como se gera a informação?
Através dos neurotransmissores que são produzidos no organismo a partir dos seus precursores, ou seja, de elementos mais simples provenientes da nossa alimentação e que executam a função de “correio”, conhecidos por acetilcolina, noradrenalina, dopamina, serotonina, neuropeptídio, catecolamina, histamina, glicina, gaba, norepinefrina.
Por esta razão e para um bom funcionamento do cérebro, torna-se fundamental e vital uma nutrição rica, equilibrada e variada.

Vários estudos demonstraram que uma subalimentação, acrescida de carências alimentares na primeira infância, podem afetar irremediavelmente o desenvolvimento cerebral.
Na idade adulta, os problemas de nutrição relacionados com um deficiente fornecimento de determinadas substâncias ou má absorção, podem reduzir as funções cerebrais ao ponto de criarem danos irreversíveis.
Por outro lado, um cérebro bem alimentado, terá boa capacidade de concentração por períodos prolongados, sensação de energia, boa memória, tanto a curto como a longos prazos e maior capacidade de aprender, compreender, programar e prever, além de uma menor tendência para crises depressivas ou estados de ansiedade.

Os bons hábitos, a par de uma correta nutrição, são fundamentais para uma boa saúde física e cerebral e é neste pilar que a nossa conduta quotidiana se deverá alicerçar.
O que podemos fazer para ajudar o nosso cérebro a desempenhar um bom funcionamento?

Dar-lhe energia através de nutrientes saudáveis sem exceção, de todas as categorias, como proteínas, minerais e vitaminas, glícidos, lípidos, macro e micronutrientes.
Esta é uma premissa fundamental para uma saúde integral. Está cientificamente provado que numerosos problemas de saúde têm uma influência sobre o funcionamento do nosso cérebro e, consequentemente sobre as nossas faculdades intelectuais.

Vejamos por exemplo as situações de insónia que nos pode tornar lentos de reflexos durante o dia, a depressão e ansiedade que nos bloqueiam de forma negativa física e, mentalmente.
Não existem remédios milagrosos, nem substâncias que possam substituir o natural nutriente.

 

 

 Outras notícias - Opinião


O que se perfila »  2017-11-30  »  Jorge Carreira Maia

Apesar dos trágicos acontecimentos ligados aos incêndios e de algumas patetices governamentais, a esquerda continua, nas sondagens, a ser largamente maioritária. O problema começa agora que os acordos, que estabeleceram a coligação parlamentar, estão praticamente cumpridos.
(ler mais...)


O sentido da vida »  2017-11-29  »  Carlos Tomé

Há pessoas que vivem toda a vida sem se dar por elas. No fundo parece que não calcam o mesmo chão, que não bebem o seu café na Praça, uma italiana com adoçante faxavor, parece que não andam cá por estas bandas, são como o homem invisível, por vezes só se vê o contorno do casaco, remetendo-se a um silêncio exasperante e a uma invisibilidade que nos alimenta a ilusão de termos alguma importância ao pé deles.
(ler mais...)


TRANSIÇÃO EM CURSO »  2017-11-29  »  Denis Hickel

Nos dias que correm, quando falamos sobre o futuro das cidades, devemos acrescentar à lista dos problemas ambientais em curso o futuro robótico que se avizinha e o impacto geral que a tecnologia poderá trazer para as nossas vidas.
(ler mais...)


Palermas de serviço »  2017-11-29  »  Maria Augusta Torcato

Pode inferir-se uma modalidade depreciativa a partir do título, mas esta classe, que se pode subdividir em subclasses, tem um papel fundamental na orgânica da vida e das estruturas organizacionais do sistema (ou sistemas) em que nos integramos e de que dependemos.
(ler mais...)


ORU »  2017-11-29  »  António Gomes

A operação de reabilitação urbana – ORU – que tem estado em discussão pública, é um documento importante pelas consequências que poderá trazer à cidade de Torres Novas.
(ler mais...)


Deus 2.0 »  2017-11-29  »  José Ricardo Costa

O problema da existência de Deus foi, até ao século XIX, tema incontornável da Filosofia, não havendo filósofo que não metesse a sua colherada nem que fosse para deitar veneno. Depois, quase recebeu a extrema-unção.
(ler mais...)


Propólis: um poderoso antibiótico natural »  2017-11-29  »  Juvenal Silva

As abelhas protegem com segurança o seu reduto, a colmeia: contra os fungos, os vírus e as bactérias que se formam com a decomposição dos bichos que tentam entrar nos seus enxames, como ratos, vermes, aranhas, etc.
(ler mais...)


Os corvos-marinhos estão de volta. »  2017-11-29  »  Nuno Curado

Já há alguns anos que os choupos encostados à ponte da Levada são o pouso matinal de um grupo de corvos-marinhos que frequenta a cidade. Para quem não os conhece, parecem umas garças de cor preta e bico mais grosso, com uma mancha branca e amarela na face.
(ler mais...)


“A política é como os amigos” »  2017-11-29  »  Rosa Amora

A política, meus amigos, é como vocês. Por vezes leve, às vezes pesada, pode ser tão brincalhona como tão séria que chega a doer.
E a amizade é mesmo como a política. Tem altos e baixos, é inspiração, é luta, é carinho pelos outros.
(ler mais...)


A Nikita em Torres Novas (ou uma crónica pessoal pouco ou nada revolucionária no Centenário da Revolução de Outubro) »  2017-11-29  »  José Mota Pereira

Recuemos a 1985. Ao final desse ano. Elton John lançou “Nikita” um dos seus maiores sucessos musicais. A temática era claramente influenciada pelo ambiente de mudança que se começava a viver na Europa de Leste, desde que em março, na União Soviética, Gorbachev chegara a secretário geral do PCUS, anunciando um plano de reformas – a Perestroyka – que viria a alterar o mapa do mundo.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 10 dias)