• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 24 Janeiro 2021    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 20° / 12°
Céu nublado
Ter.
 18° / 13°
Céu nublado com chuva fraca
Seg.
 17° / 12°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  17° / 9°
Céu nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

A bicicleta - rui anastácio

Opinião  »  2020-10-09  »  Rui Anastácio

"Chegou a hora de os homens de hoje respeitarem o trabalho dos homens de ontem."

No meu concelho há uma terra onde tenho alguns bons amigos. Essa terra chama-se Vila Moreira. Foi lá que encontrei o meu primeiro trabalho. Tinha então 15 anos e uma bicicleta amarela que me levava a quase todos os sítios onde queria ir.

Naquela manhã de Junho, tinha decidido que iria comprar a máquina fotográfica que tinha visto no Sr. Fernando da papelaria, custava 60 contos, uma pequena fortuna para mim. Pelo menos 3 meses de trabalho, 10 horas por dia, 6 dias por semana. A decisão estava tomada, nada me iria deter. As sirenes das fábricas acabavam de tocar e eu já lá estava. Eu e a minha bicicleta. O reboliço das entradas nas fábricas tinha terminado. Avistei ao longe um senhor já com alguma idade, vinha numa pasteleira preta. Certamente ele saberia onde eu poderia encontrar trabalho.

Quando nos cruzámos, trocámos olhares e eu ganhei coragem. O senhor sabe onde poderei arranjar trabalho? O menino vá ali àquela fábrica do lado esquerdo que eles têm trabalho. E tinham. Descobri, mais tarde, que o senhor era o dono da fábrica e que curiosamente andava de bicicleta como eu. Nessa altura, levava-se 10 minutos a arranjar trabalho em Vila Moreira.

Hoje, quando passo em Vila Moreira, fico com um sabor amargo na boca. A “Vila” morreu e já quase ninguém olha por ela, longe vão os dourados anos 80. Mergulhada numa profunda crise social, só as inúmeras fabricas semi-abandonadas nos fazem lembrar a dinâmica económica de outros tempos.

As crises sempre foram e sempre serão um enorme desafio. É necessária uma total reinvenção do território, preservando as memórias e avançando em direcção ao futuro.
Vila Moreira necessita de um profundo plano de revitalização sócio económica, necessita de uma visão arrojada, afinal a “Vila” está a 10 minutos da A1.

Claro que toda aquela zona industrial, caótica, terá de ser total ou parcialmente demolida. Claro que, quer o território quer as pessoas, terão de se reinventar. Sangue, muito sangue novo, terá que ser injectado nestes territórios. Outrora muito foi construído com sangue, suor e lágrimas.
Chegou a hora de respeitar o trabalho de tantos. Chegou a hora de os homens de hoje respeitarem o trabalho dos homens de ontem.

 

 

 Outras notícias - Opinião


MEMÓRIAS DE UM TEMPO OPERÁRIO - josé alves pereira »  2021-01-23  »  José Alves Pereira

Em meados da década de 60 do século passado, ainda o centro da então vila de Torres Novas pulsava ao ritmo das fábricas. Percorrendo-a, víamos também trabalhadores de pequenas oficinas e vários mesteres.
(ler mais...)


Eleições à porta e a abstenção à espreita - antónio gomes »  2021-01-23  »  António Gomes

Votar é decidir, não votar é deixar a decisão que nos cabe nas mãos de outros. Uma verdade, tantas vezes repetida. No entanto, a abstenção tem mantido uma tendência ascendente nos vários actos eleitorais.
(ler mais...)


Funambulista - rui anastácio »  2021-01-23  »  Rui Anastácio

O funambulismo é uma arte circense que consiste em equilibrar-se, caminhando, saltando ou fazendo acrobacias sobre uma corda bamba ou um cabo metálico, esticados entre dois pontos de apoio. Ao funambulista cabe a difícil tarefa de chegar ao segundo ponto de apoio sem partir o pescoço.
(ler mais...)


Os velhos e os fracos - jorge carreira maia »  2021-01-23  »  Jorge Carreira Maia

 

É plausível afirmar que o corpo político, ao contrário do que aconteceu na primeira vaga da pandemia, não tem estado feliz na actual situação. Refiro-me ao Presidente da República, ao Primeiro-Ministro e aos dirigentes das várias oposições.
(ler mais...)


Veni vidi vici - carlos paiva »  2021-01-23  »  Carlos Paiva

 

- Ó querida, sou tão bom. Mas tão bom que até vais trepar pelas paredes.

- Ai sim? E como é que vais conseguir tal proeza?

- Ora… Isso agora é cá comigo. Eu é que sei.
(ler mais...)


Eu voto, mas não gosto do rumo que isto leva - inês vidal »  2021-01-23  »  Inês Vidal

Sinto que estou sempre a dizer o mesmo, que os meus textos são repetições cíclicas dos mesmos assuntos e que estes são, só por si, repetições cíclicas e enfadonhas deles próprios.
(ler mais...)


O TGV, o Ribatejo e o futuro das regiões - joão carlos lopes »  2021-01-12  »  João Carlos Lopes

Foi paradigmático o facto de, aquando da confirmação (pela enésima vez) da intenção do Governo em avançar com o TGV Lisboa/Porto, as únicas críticas, reparos ou protestos de autarcas da região terem tido por base a habitual choraminga do “também queremos o comboio ao pé da porta”.
(ler mais...)


Peixoto - rui anastácio »  2021-01-10  »  Rui Anastácio

Há uns meses, em circunstâncias que não vêm ao caso, tive o prazer de privar com José Luís Peixoto e a sua mulher, Patrícia Pinto. Foram dias muito agradáveis em que fiquei a conhecer um pouco da pessoa que está por trás do escritor.
(ler mais...)


A Pilhagem - josé ricardo costa »  2021-01-10  »  José Ricardo Costa

Podemos dizer que um jogo de futebol sem público ou vida sem música é como um jardim sem flores. Não que um jardim sem flores deixe de ser um jardim. Acontece que, como no jogo de futebol, fica melhor se as tiver. Já se for uma sopa de feijão com couves que não tenha couves, a comparação com o jardim sem flores não funciona, pela singela razão de que uma sopa de feijão com couves que não tenha couves, sendo ainda sopa, sopa de feijão com couves não é de certeza.
(ler mais...)


DAR VOZ AO TRABALHO - josé mota pereira »  2021-01-10  »  José Mota Pereira

Entrados na terceira década do século XXI, o Mundo dos humanos permanece o lugar povoado das injustiças, da desigualdade e do domínio de uns sobre os outros. Não é a mudança dos calendários que nos muda a vida.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2021-01-12  »  João Carlos Lopes O TGV, o Ribatejo e o futuro das regiões - joão carlos lopes
»  2021-01-10  »  Inês Vidal 2021: uma vida que afaste a morte - inês vidal
»  2021-01-10  »  Jorge Carreira Maia Uma visita à direita nacional - jorge carreira maia
»  2021-01-10  »  José Ricardo Costa A Pilhagem - josé ricardo costa
»  2021-01-23  »  Inês Vidal Eu voto, mas não gosto do rumo que isto leva - inês vidal