• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Sábado, 07 Dezembro 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Ter.
 14° / 5°
Céu nublado
Seg.
 16° / 7°
Períodos nublados
Dom.
 17° / 9°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  17° / 6°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Vamos?

Opinião  »  2017-09-20  »  Inês Vidal

"Daqui a quatro anos, quem sabe? "

Dizem que a idade é um posto e que quantos mais anos temos, mais nos negamos aos fretes, aos sapos engolidos, ao que os outros pensam de nós. Das duas uma: ou estou muito velha ou não quero imaginar como serei quando chegar aos 90. Tenho vindo a amadurecer esta intolerância contra terceiros, contra as opiniões, contra as situações que me fazem suspirar e pensar: “eu não tenho vida ou idade para isto”.

O estado da política local há muito que me provoca esta urticária (praticamente desde que a comecei a acompanhar mais de perto), mas associada a esta intolerância típica da idade (ou ao meu mau feitio), esta repulsa tem vindo a crescer. Fui educada (tenha sido por palavras ou por exemplos) a respeitar a actividade política, a perceber a sua importância e dimensão. Talvez por isso, a desilusão tenha sido maior quando comecei a ver, assim mais de perto, como há quem a faça. Não concebo, nem ninguém devia, que haja quem a faça com leviandade, com o mero objectivo da objectiva, do prestígio ou do que isso possa trazer em benefícios pessoais.

Não concebo quem o faça sem empenho ou paixão, sem tempo dedicado, apenas colocando o dedo no ar, enquanto o mandato não termina. Não são todos, obviamente. Há quem vista a camisola e lute por mim e por si, com a convicção de que uma mera palavra na hora certa pode mudar um rumo. Mas falar é fácil. E de fora, mais ainda. Cabe a todos nós, aqueles que não aceitam que a política seja apenas um meio para atingir um fim, mudar este rumo. Dar a cara por uma causa, encarar este dever que nos compete a todos e dar de nós à causa pública.

Contra mim falo. Escudada atrás deste meu cargo, tenho-me mantido longe das lides políticas. Talvez tenha chegado a hora de mudar isso. De fazer aquilo que me compete. Se não me revejo em quem vai aparecendo, é provavelmente a minha hora. Quem diz eu, diz nós. Aqueles que ainda acreditam na política. Para o 1 de Outubro já não vamos a tempo. Limitamo-nos a ir votar e já não é pouco. Daqui a quatro anos, quem sabe? Se o Toni pode ameaçar que vai, porque não poderemos nós?

 

 

 Outras notícias - Opinião


No Jornal Torrejano, uma torrejana “dos quatro costados” »  2019-12-05  »  Ana Lúcia Cláudio

Quase dez da noite da última sexta-feira de Novembro, no aeroporto da Portela. Está quente para quem acaba de chegar de um país mais frio. Apanho um táxi para o centro de Lisboa, uma distância suficientemente curta para não ser do agrado dos taxistas.
(ler mais...)


Há um elefante na sala: o ensino superior da região! »  2019-12-05  »  Jorge Salgado Simões

Podemos não falar do assunto. Podemos todos ir pensando nisto sem dizer o que quer que seja, ou fazer do tema não mais do que uma conversa de café, para não melindrar ninguém.

Temos um problema na região com o ensino superior público: dois Institutos Politécnicos, Tomar e Santarém (IPT e IPS), demasiado pequenos e demasiado sozinhos, desligados entre si, pouco atrativos, pouco diferenciadores e com uma sustentabilidade mais do que duvidosa.
(ler mais...)


A biblioteca no mercado semanal »  2019-12-05  »  António Gomes

A Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes mudou-se para o mercado, literalmente. Às terças, quinzenalmente, é lá que se encontra.

Misturar as couves, as cebolas, o pão, o queijo, as flores e as pessoas com os livros é uma ideia que deve ser valorizada e apreciada.
(ler mais...)


O senhor da maquineta »  2019-12-05  »  Anabela Santos

Estamos no outono, muito perto da chegada do inverno. Uma estação bonita, de cores únicas, temperatura amena e blá, blá, blá… tudo de bom para dizer desta época do ano.

É também a altura em que as árvores de folha caduca se despem totalmente e deixam os seus ramos apanhar sol, ganhando assim força até à chegada da primavera, momento em que nos presenteiam, novamente, com a sombra das suas folhas.
(ler mais...)


A cantiga é uma arma... »  2019-11-29  »  Hélder Dias

O desafio da direita democrática »  2019-11-22  »  Jorge Carreira Maia

Comecemos pelo trivial, mas que muitas vezes é esquecido. O papel do PSD e do CDS tem sido fundamental para a consolidação de um regime democrático-liberal no nosso país. Uma democracia representativa não pode subsistir sem a existência de pluralidade política e de partidos de direita e de esquerda.
(ler mais...)


Deixaram morrer a tarambola »  2019-11-21  »  António Gomes

Pode dizer-se que é desolador, uma tristeza, que não querem saber, quem pode não quer, está tudo desprezado, é uma grande irresponsabilidade, é um desconsolo e mais uns quantos adjectivos, mas creio que é mais do que isso e mais grave.
(ler mais...)


Eu é que sei »  2019-11-21  »  Miguel Sentieiro

Vinha a ouvir no rádio do carro a rubrica “Eu é que sei!” A ideia passa por lançar perguntas às crianças para elas opinarem sobre o que pensam de cada temática. Eu é que sei…. “O que é um estetoscópio”, “porque há pessoas boas e más”, “porque as pessoas usam malas”, “porque é que as aranhas têm 8 olhos” , “o que é um pirilampo”, “para que serve a manete de mudanças.
(ler mais...)


Nazismo e comunismo »  2019-11-09  »  Jorge Carreira Maia

No mês passado o Parlamento Europeu aprovou uma resolução de condenação dos regimes nazi e comunista. Na verdade, ambos os regimes perseguiram e mataram adversários e o Estado teve neles uma configuração totalitária.
(ler mais...)


Quando eu for grande... »  2019-11-06  »  Hélder Dias
 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-11-09  »  Jorge Carreira Maia Nazismo e comunismo
»  2019-11-22  »  Jorge Carreira Maia O desafio da direita democrática
»  2019-11-21  »  António Gomes Deixaram morrer a tarambola
»  2019-11-21  »  Miguel Sentieiro Eu é que sei
»  2019-11-29  »  Hélder Dias A cantiga é uma arma...