• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 29 Janeiro 2020    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sáb.
 18° / 10°
Céu nublado
Sex.
 17° / 13°
Céu muito nublado com chuva fraca
Qui.
 16° / 11°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  16° / 11°
Céu nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

O "Torrejano" e o pedroguense

Opinião  »  2014-09-25  »  Paulo Simões

A minha colaboração com o Jornal Torrejano teve início a Dezembro de 2012. A minha história com este Jornal resume-se pois, não a vinte anos, mas apenas ao último ano e meio! Antes disso, a minha atenção ao JT enquanto leitor, admito, ia-se fazendo de períodos mais assíduos, intercalados com períodos de maior afastamento.

Vamos então ao início de Dezembro de 2012, quando esta relação começou.

À data, confesso, não tinha mais que uma pequena ”meia dúzia” de coisas escrevinhadas cá por casa, de forma completamente aleatória e desordenada, as quais nunca me tinha sequer atrevido a mostrar a ninguém. No entanto, de tempos a tempos, sentia o impulso de as voltar a ler, de lhes voltar a juntar letras e parágrafos, pontos e vírgulas, e outras tantas formas gramaticais, no sentido de criar com isso alguma coisa que pudesse ser lido não só por mim, mas também por outros. Seria porventura uma secreta vontade, talvez, que ia mantendo em lume brando, mas que pelas mais diversas razões ia guardando apenas para mim…

Num acesso de coragem, e após umas quantas consultas prévias entre amigos e familiares, acabaria então por enviar um texto para a caixa postal do Jornal Torrejano. Chamei-lhe ”A Alma do Povo”, e não era mais que um elogio à minha terra, Pedrógão, e a todos os que nela vivem. Apenas isso. O motivo era por isso bastante simples, mas curiosamente seria esse primeiro tema a dar o mote para o que se viria a desenvolver a seguir. Na dúvida acerca das qualidades do escrito e com grandes reservas a respeito dos interesses editoriais que o mesmo pudesse gerar, aguardei. Quando chegou, o feedback da parte do JT não podia ter sido melhor. As primeiras palavras de incentivo transformaram-se rapidamente em palavras de orientação na abordagem a futuros textos. E de imediato, o desafio para uma colaboração assídua. Apesar de alguns receios iniciais e já refeito da surpresa, rapidamente e ainda antes do final do ano de 2012, a rubrica ”Ligação à Terra” via a luz do dia.

Enquanto pedroguense de alma e coração, a ”Ligação à Terra” procuraria transportar consigo a visão de alguém que vive numa aldeia e que ama viver na aldeia. Aqui, onde ainda se fazem sentir as ligações afectivas de proximidade entre as pessoas e onde os vizinhos ainda se conhecem pelo nome. Esta rubrica visaria falar sobre esse universo bem particular dos meios pequenos, muitas vezes ausente dos jornais e em tudo distante do mundo urbano, mas ao mesmo tempo não deixar de olhar o mundo global a partir daqui. Esse foi o desafio e essa foi a expectativa com que arranquei para esta colaboração.

Até hoje, foram publicadas sensivelmente trinta crónicas neste espaço. Já escrevi sobre desemprego, velhice, as angústias que as perspectivas de futuro nos levantam a todos, sobre o luto, ou até como me sinto finlandês a viver em Pedrógão, imagine-se! Já escrevi sobre o Amor e sobre a Morte, bem como de todos esses laços invisíveis que nos unem e separam. Já escrevi sobre o ambiente, a amizade, e como hoje podemos viver numa aldeia e ter o mundo à distância de um click. Já escrevi enquanto pai, irmão ou filho, sempre na busca constante de trazer diferentes aspectos da vida a esta crónica de jornal.

Normalmente, escrevo sobre pontos de vista, formas de estar e de observar a vida e o mundo. Transmito opinião, é claro, a minha opinião! Mas, fundamentalmente, escrevo sobre sentimentos e faço-o sempre com uma grande paixão. Não me interessa absolutamente nada escrever, se não for para me desnudar. Para que eu próprio me questione a mim mesmo ao ler aquilo que acabo de escrever. E são tantas as vezes que isso acontece…

Sejam os textos mais ou menos emocionais, ou com mais ou menos sentido de humor, gosto que quem lê aquilo que escrevo me possa conhecer melhor. Porque a vida, tal como nós, é feita de todas essas coisas, boas e más, o essencial é que a genuinidade de que devemos todos ser feitos, transpareça no final.

E porque as colaborações positivas e francas devem ser assim, proveitosas para ambos os lados, o meu obrigado ao JT pela oportunidade que me deu e continua a dar, de eu também me desenvolver enquanto escrevo.

Muitos parabéns pelos vinte anos de vida com votos de um longo futuro.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Rui Rio faz o seu caminho »  2020-01-24  »  Jorge Carreira Maia

Rui Rio tornou a vencer as eleições internas do PSD. Isso terá contrariado muita gente à direita, gente despeitada e ansiosa de que se retorne à política de punição das classes populares imposta por Passos Coelho.
(ler mais...)


O discurso do rancor »  2020-01-10  »  Jorge Carreira Maia

Vivemos num país cordato e seguro, onde a violência é diminuta e o respeito pelos outros é significativo. Somos, ao mesmo tempo, medianamente ricos e medianamente pobres e, ao longo destes anos de democracia, temos sabido resolver os problemas com que nos deparámos.
(ler mais...)


As ciclovias e o debate público »  2020-01-09  »  João Quaresma

No último mês de Dezembro, em duas reuniões de câmara sucessivas, discutiu-se o programa base de uma rede de ciclovias para a cidade de Torres Novas, com cerca de 24 Km na sua totalidade, a construir por fases, bem como uma dessas fases na zona da Quinta da Silvã, com cerca de 6 Km, que será a primeira a ser realizada.
(ler mais...)


Saída de Emergência (uma crónica em atraso), por Maria Augusta Torcato »  2020-01-09  »  Maria Augusta Torcato

Madrugada. Janeiro, dia 4. De 2019.

O comboio deslizava nas linhas com o seu ritmo sereno, como se não tivesse pressa ou tivesse de respeitar passagem ou não quisesse, com brusquidão, ferir o ferro.
Há muito que não andava de comboio.
(ler mais...)


CONSIDERAÇÕES A PROPÓSITO DO BREXIT »  2020-01-09  »  José Alves Pereira

As eleições realizadas a 12 de Dezembro passado estão, tal como a situação na Grã-Bretanha, envoltas em tantas contradições que alinhavar comentários, com alguma linearidade e coerência, não é tarefa fácil.
(ler mais...)


O medo »  2020-01-09  »  António Gomes

Temos vindo a assistir, com alguma insistência por parte do presidente da câmara municipal de Torres Novas, ao anúncio da sua candidatura nas próximas eleições autárquicas. Devido à insistência, até parece que o presidente anda obcecado com tal objectivo.
(ler mais...)


A imprensa »  2020-01-09  »  Anabela Santos

Feliz Natal, boas festas, bom ano, foram os votos das últimas semanas do mês de Dezembro. Em ambiente de festa, de partilha e de solidariedade, cumpriu-se mais uma época festiva que iniciou lá para meados do mês e terminou no dia 1 de Janeiro.
(ler mais...)


Brio »  2020-01-09  »  Rui Anastácio


“Um café bem tirado e com bons modos.”
Fiquei com esta frase na cabeça. Foi dita em tom brincalhão por uma Senhora septuagenária, algures num quiosque à beira mar plantado. Uma forma simples e simpática de pedir competência e brio profissional.
(ler mais...)


Ano novo, Torres “Novas”? »  2020-01-09  »  Ana Lúcia Cláudio

Cada início de ano é, frequentemente, marcado pelo balanço das coisas que não fizemos nos 365 dias anteriores e que, consequentemente, se transformam, agora, em projectos para o novo ano. Nos primeiros dias de Janeiro, todos os anos se repete o mesmo ritual.
(ler mais...)


Serviços públicos, superavit, sistemas eleitorais e vergonha »  2019-12-20  »  Jorge Carreira Maia

DEGRADAÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS. Existe a ideia de que a degradação dos serviços públicos se resolveria com uma melhor gestão. Qualquer partido a defende desde que esteja na oposição.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2020-01-09  »  Maria Augusta Torcato Saída de Emergência (uma crónica em atraso), por Maria Augusta Torcato
»  2020-01-09  »  António Gomes O medo
»  2020-01-09  »  Rui Anastácio Brio
»  2020-01-09  »  Ana Lúcia Cláudio Ano novo, Torres “Novas”?
»  2020-01-10  »  Jorge Carreira Maia O discurso do rancor