• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Domingo, 18 de Fevereiro de 2018
Pesquisar...
Qua.
 18° / 6°
Céu limpo
Ter.
 19° / 7°
Céu limpo
Seg.
 18° / 7°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  18° / 6°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Nós e as combinações alimentares

Opinião  »  2017-06-06  »  Juvenal Silva

"É importante compreender o nosso sistema digestivo para conjugarmos as nossas refeições"

Muitas pessoas estão interessadas em conhecer as suas intolerâncias alimentares, mas desconhecem, que para além disso, existem as incompatibilidades entre alimentos, causadoras de digestões incompletas e às vezes até intoxicações.
Há dias, uma mãe ligou-me muito aflita porque a filha tinha tomado um pequeno almoço saudável, mas sentia-se muito mal e quase “a rebentar”. Pouco depois foi ao hospital porque já estava com uma enorme alergia cutânea, dores no corpo e cabeça, com vómitos e diarreia.
O que aconteceu? Uma mistura de cereais, frutos secos, chia, linhaça, sementes, uma banana e bebida vegetal de arroz mel e canela.
Tudo bons alimentos, mas mal combinados.
É importante compreender o nosso sistema digestivo para conjugarmos as nossas refeições.
A digestão começa na boca e por isso é fundamental uma boa mastigação para produzir uma salivação suficiente para que os alimentos sejam assimiláveis. A saliva é rica em enzimas digestivas e entre elas há a ptialina, necessária para realizar a digestão dos alimentos ricos em hidratos de carbono complexos, como por exemplo os cereais, que para serem digeridos precisam de um ambiente neutro ou ligeiramente alcalino. Quando colocamos na boca pão, massa ou arroz, a saliva torna-se imediatamente rica em ptialina, dando início à digestão.
Quando começamos a comer carne, o ambiente torna-se ácido, indispensável para a digerir.
Nos alimentos, é mais determinante a reacção provocada no organismo do que a sua acidez ou alcalinidade no estado natural. Por exemplo, o sumo do limão, acentuadamente ácido, tem um efeito alcalinizante derivado às diversas reacções bioquímicas. Inversamente, o açúcar, apesar de ser doce, é fortemente acidificante.
Ora, a digestão começa na boca e os alimentos parcialmente digeridos continuam no estômago transformando-se em quimo, ou seja, uma mistura que se forma pela acção sobre os alimentos dos sucos gástricos produzidos pelas paredes do estômago, em que a composição varia de acordo com os alimentos ingeridos. Isto significa que o estômago adapta os seus sucos gástricos ao tipo de alimentos ingeridos. E não segrega apenas ácido clorídrico para desmembrar proteínas, pois são muitos os sucos gástricos, variando se trate de carne, peixe, ovos, lácteos, leguminosas, etc.
Então, se os hidratos de carbono chegam ao estômago sem qualquer mistura, a acidez permanece baixa, porque a digestão iniciada na boca graças a elementos como a ptialina, continua sem ser perturbada. Mas bastará comer uma pequeníssima porção de carne, para transformar de imediato o PH alcalino para um PH de elevada acidez, imprescindível para a digestão da carne. Contudo, impede a continuação do processo digestivo dos hidratos de carbono.
Facilmente concluiremos que os hidratos de carbono simples são incompatíveis com os hidratos de carbono complexos, que os cereais são incompatíveis com carne, ou os lacticínios com carne, ou proteínas com substâncias ácidas ou leguminosas.
Uma associação compatível são as verduras com hidratos de carbono complexos, ou proteínas, ou leguminosas, como exemplo.
Os sumos de verduras com fruta associada não são uma boa opção, porque não são próximas em termos de composição e porque requerem enzimas diferentes para a sua própria assimilação, sendo preferível consumi-los separadamente.
A fruta, o momento ideal para comer é sempre distante das refeições.

 

 

 Outras notícias - Opinião


A Igreja, o espírito e o sexo »  2018-02-16  »  Jorge Carreira Maia

A recente declaração do cardeal Clemente sobre abstinência sexual dos católicos recasados e a intensa luta, ao mais alto nível da hierarquia católica, sobre problemas de ordem moral tornam manifesta, mais uma vez, a grande dificuldade que a Igreja Católica enfrenta nas sociedades modernas.
(ler mais...)


A HISTÓRIA DAS TERAPIAS NÃO CONVENCIONAIS »  2018-02-15  »  Juvenal Silva

Quando o ser humano surgiu no planeta, os animais já o habitavam e as plantas já existiam há mais de 400 milhões de anos. As plantas conforme hoje as conhecemos, evoluíram a partir de espécies de algas primitivas.
(ler mais...)


Rankings »  2018-02-15  »  José Ricardo Costa

Até ao 5.º ano do liceu (actual 9.º ano) fui um aluno cujo rendimento andou algures entre o mau e o péssimo. Chumbei alegremente dois anos e devo à simpática benevolência docente não terem sido mais.
(ler mais...)


Gritos mudos »  2018-02-15  »  José Mota Pereira

Cada noite de frio, cada rajada deste vento polar convocam-nos para escutarmos aqueles a quem falta o conforto mínimo do agasalho. Esses são muito mais do que aqueles que se recolhem nos recantos das ruas e recebem nestes dias o aparato mediático com políticos de afecto, oportunidade (ia a escrever oportunista vejam lá) e verbo fácil.
(ler mais...)


A culpa é da árvore? »  2018-02-15  »  Denis Hickel

Ninguém pode ter deixado de reparar que já vamos em Fevereiro e a chuva ainda não foi o suficiente para sairmos da situação de seca e fazer correr os pequenos ribeiros. Ou ainda, que circula nos media que estão 40 milhões de mudas de eucalipto prontas para ir para o solo, seja para recuperar as perdas das áreas ardidas, ou mesmo ampliar a plantação para a indústria da pasta de papel.
(ler mais...)


A efetividade nos postos de trabalho ajuda tudo e todo »  2018-02-15  »  António Gomes

Encontra-se em fase de aplicação o PREVPAP – Programa de Regularização Extraordinário dos Vínculos Precários na Administração Pública.
A lei 112/2017 prevê os procedimentos do processo de regularização dos precários do Estado, onde se incluem os trabalhadores das autarquias locais.
(ler mais...)


Democratizar a mobilidade »  2018-02-15  »  Nuno Curado

Dada a sua dimensão, tenho cada vez mais a opinião de que Torres Novas teria muito a beneficiar com a promoção e melhoria das suas condições de mobilidade suave. Isto é, os meios de deslocação que não envolvem veículos motorizados, seja de bicicleta, a pé ou outro meio não motorizado.
(ler mais...)


"Passeio" pela cidade com o Gustavo »  2018-02-15  »  Anabela Santos

Há convites irrecusáveis…
- Gustavo, vamos à festa de aniversário do LIJ (Lar de Infância e Juventude), na alcaidaria do castelo?
O Gustavo com um sorriso de gozo, olhou para baixo e respondeu:
- Não posso! Ei!!! É o Gustavo.
(ler mais...)


O lado esquerdo da vida »  2018-02-15  »  Margarida Oliveira

É no lado esquerdo do peito que nos bate o coração. É lá o refúgio sagrado da nossa generosidade, abnegação e um profundo amor ao próximo.
Um músculo magnífico, que nos alimenta a razão, também mais assente no lado esquerdo do cérebro, a metade sentimental.
(ler mais...)


Associativismo »  2018-02-15  »  Inês Vidal

Tenho inúmeras vezes vontade de fugir de Torres Novas. Cansa-me o mesmo de sempre, o tudo igual. As mesmas caras, as mesmas políticas, os mesmos políticos, os mesmos problemas, os mesmos passeios, as mesmas vistas, os mesmos limites, e estes sempre tão curtos.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 10 dias)
»  2018-02-09  »  Jorge Carreira Maia A esquerda e os rankings escolares
»  2018-02-16  »  Jorge Carreira Maia A Igreja, o espírito e o sexo
»  2018-02-15  »  Anabela Santos "Passeio" pela cidade com o Gustavo