• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 22 Janeiro 2020    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sáb.
 14° / 6°
Céu nublado
Sex.
 14° / 6°
Céu nublado com chuva fraca
Qui.
 11° / 7°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  13° / 6°
Céu nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Aero… coisa, mas muito séria

Opinião  »  2019-02-21  »  António Gomes

"Os responsáveis do município poderiam ao menos ter tido a sensatez de parar um pouquinho para reflectir"

A noticia teve origem na informação prestada em reunião de câmara pelo vice-presidente da mesma: aeroporto internacional, 4 Kms de pista, 160 voos/dia, 200 milhões de investimento, etc..

E foi apresentada com pompa e circunstância, uma grande mais valia para Torres Novas e arredores. Já estamos habituados que assim seja, tudo que meta cimento armado e alcatrão é bom, é até proibido questionar, ponto final. Eis o pensamento estratégico de desenvolvimento local que nos apresentam. Só às estradas municipais é que não chega nem o cheiro do alcatrão, mas adiante.

Se fosse possível fingir, por uns momentos, que a coisa era a sério, já estávamos a imaginar a destruição de um dos locais paisagísticos mais belos que o maciço calcário nos oferece, já estávamos a imaginar a destruição de toda a vida comunitária de uma série de lugares e aldeias dos arredores, o desassossego completo de toda uma população que agora vive na paz que a natureza lhe oferece e também estávamos a imaginar o esfumar-se de toda a potencialidade e riqueza que a serra nos oferece e, já agora, poderíamos facilmente vislumbrar 160 aviões a aterrar e levantar voo cheios de ninguém.

Se fosse possível fingir, por uns momentos apenas, que ali existiria um aeroporto, concluiríamos facilmente que o mundo era ao contrário daquilo que agora é.
Os responsáveis políticos que decidiram acolher tal intenção deveriam de imediato ter recusado tal hipótese, no interesse do município de Torres Novas e no interesse público mais geral. Lamento profundamente que isso não tenha acontecido.

Os responsáveis do município poderiam ao menos ter tido a sensatez de parar um pouquinho para reflectir, para perguntarem se face às leis deste País isso era possível, ou do PDM local, ou até para desconfiar. Seria legítimo, porque outras situações idênticas já aconteceram (Boquilobo Golf, Chiva Som ou o maior festival de fitness do mundo, etc.). Quando a oferta é grande o pobre desconfia, diz o ditado popular.

Mas o caso é mais sério ainda do que parece. Não é que têm vindo a serem feitos aterros, descargas de toneladas de pedras e pedregulhos, já em território torrejano, para que aparentemente a actual pista do aeródromo ali existente possa ser acrescentada, à margem da lei? Será que estamos perante uma artimanha para ir construindo e apanhar as entidades perante factos consumados? É que anunciar uma certa concordância, a uma determinada ideia, em ano de revisão do PDM, pode ter consequências agora impensáveis.

 

 

 Outras notícias - Opinião


O discurso do rancor »  2020-01-10  »  Jorge Carreira Maia

Vivemos num país cordato e seguro, onde a violência é diminuta e o respeito pelos outros é significativo. Somos, ao mesmo tempo, medianamente ricos e medianamente pobres e, ao longo destes anos de democracia, temos sabido resolver os problemas com que nos deparámos.
(ler mais...)


As ciclovias e o debate público »  2020-01-09  »  João Quaresma

No último mês de Dezembro, em duas reuniões de câmara sucessivas, discutiu-se o programa base de uma rede de ciclovias para a cidade de Torres Novas, com cerca de 24 Km na sua totalidade, a construir por fases, bem como uma dessas fases na zona da Quinta da Silvã, com cerca de 6 Km, que será a primeira a ser realizada.
(ler mais...)


Saída de Emergência (uma crónica em atraso), por Maria Augusta Torcato »  2020-01-09  »  Maria Augusta Torcato

Madrugada. Janeiro, dia 4. De 2019.

O comboio deslizava nas linhas com o seu ritmo sereno, como se não tivesse pressa ou tivesse de respeitar passagem ou não quisesse, com brusquidão, ferir o ferro.
Há muito que não andava de comboio.
(ler mais...)


CONSIDERAÇÕES A PROPÓSITO DO BREXIT »  2020-01-09  »  José Alves Pereira

As eleições realizadas a 12 de Dezembro passado estão, tal como a situação na Grã-Bretanha, envoltas em tantas contradições que alinhavar comentários, com alguma linearidade e coerência, não é tarefa fácil.
(ler mais...)


O medo »  2020-01-09  »  António Gomes

Temos vindo a assistir, com alguma insistência por parte do presidente da câmara municipal de Torres Novas, ao anúncio da sua candidatura nas próximas eleições autárquicas. Devido à insistência, até parece que o presidente anda obcecado com tal objectivo.
(ler mais...)


A imprensa »  2020-01-09  »  Anabela Santos

Feliz Natal, boas festas, bom ano, foram os votos das últimas semanas do mês de Dezembro. Em ambiente de festa, de partilha e de solidariedade, cumpriu-se mais uma época festiva que iniciou lá para meados do mês e terminou no dia 1 de Janeiro.
(ler mais...)


Brio »  2020-01-09  »  Rui Anastácio


“Um café bem tirado e com bons modos.”
Fiquei com esta frase na cabeça. Foi dita em tom brincalhão por uma Senhora septuagenária, algures num quiosque à beira mar plantado. Uma forma simples e simpática de pedir competência e brio profissional.
(ler mais...)


Ano novo, Torres “Novas”? »  2020-01-09  »  Ana Lúcia Cláudio

Cada início de ano é, frequentemente, marcado pelo balanço das coisas que não fizemos nos 365 dias anteriores e que, consequentemente, se transformam, agora, em projectos para o novo ano. Nos primeiros dias de Janeiro, todos os anos se repete o mesmo ritual.
(ler mais...)


Serviços públicos, superavit, sistemas eleitorais e vergonha »  2019-12-20  »  Jorge Carreira Maia

DEGRADAÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS. Existe a ideia de que a degradação dos serviços públicos se resolveria com uma melhor gestão. Qualquer partido a defende desde que esteja na oposição.
(ler mais...)


O PDM e a sua revisão »  2019-12-20  »  António Gomes

Parece que é desta. Ao fim de dezoito anos, o processo de revisão do PDM de Torres Novas dá sinais. Foi preciso o governo ameaçar com cortes nas receitas às autarquias que não completarem a revisão deste importante instrumento de ordenamento do território em 2020, para se iniciar tão importante tarefa.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2020-01-09  »  Maria Augusta Torcato Saída de Emergência (uma crónica em atraso), por Maria Augusta Torcato
»  2020-01-09  »  António Gomes O medo
»  2020-01-09  »  Rui Anastácio Brio
»  2020-01-10  »  Jorge Carreira Maia O discurso do rancor
»  2020-01-09  »  Ana Lúcia Cláudio Ano novo, Torres “Novas”?